A Casa (André Vianco)

Livros quarta-feira, 05 de fevereiro de 2014 – 0 comentários

Uma viagem ao fundo do coração humano. Impossível o leitor não se emocionar com o drama vivido pelos atormentados protagonistas da obra.

Gentilmente uma senhora distribuiu xícaras cheias de um líquido que exalava um aroma adocicado e convidativo. Ela sentiu um arrepio percorrer o corpo. Quem a tinha chamado ali? Recebera apenas um cartão. Ismael também sentiu um arrepio cruzando a espinha. Que casa era aquela? Cada qual sorveu um pouco do líquido quente. Somente naquele instante notaram que cada par de cadeiras dava de frente para um par de portas. Quatro pessoas. Quatro portas. Cada um olhando fixamente para a porta a sua frente. No enredo de ‘A casa’, uma viagem surpreendente para os que buscam algo para mexer com a mente e o coração. continue lendo »

São 3:00 da manhã e Satanás levou minha alma

Livros quarta-feira, 29 de janeiro de 2014 – 0 comentários

Sabe quando você está lendo um livro/HQ e quando o fecha percebe que não prestou atenção em porra nenhuma do que estava ali e perdeu-se em pensamentos sobre a vida, a vizinha gostosa, aquele porre de 5 anos atrás com os bróder, etc? Então, este é o efeito chamado “São 3:00 da manhã e Satanás levou minha alma“, já que quando você se dá conta do que aconteceu, é como quando Satanás possui o seu corpo e te tira do controle. Ou como quando você bebe muito e acorda com amnésia alcoólica, que definitivamente foi a melhor coisa que Deus inventou. Onde esse texto quer chegar? Eu ainda não sei, mas vamos ver.

continue lendo »

O Iluminado (Stephen King)

Livros segunda-feira, 27 de janeiro de 2014 – 8 comentários

Ok, já adianto uma coisa: Nunca vi o filme. E se já nessa frase não ficou claro, isto é uma resenha do livro, não do filme e nem do roteiro do filme, ok? Ok. Dito isto, eu não sei em que ponto a carreira do Stephen King desandou (E creio que nem tenho saco pra descobrir), mas com este já li os três primeiros trabalhos e a coisa é melhor do que eu esperava.

 Acabemos logo com isso.

continue lendo »

5 coisas que sua prole deve conhecer caso você não queira que ela seja um Politicamente Correto

Cinema, HQs, Livros, Música, Televisão sexta-feira, 17 de janeiro de 2014 – 2 comentários

Ter filhos é complicado. Eu tenho uma filha e sinceramente, minha maior preocupação não é se ela pegará outras meninas, fumará maconha ou será atriz pornô. Nem que ela faça as 3 coisas ao mesmo tempo. A minha maior preocupação é se ela será dessa galerinha do politicamente correto. Não, por Deus, não! E é por isso que seguirei a mesma fórmula que funcionou comigo, eu a mostrarei as coisas que me estragaram quando eu era um moleque juvenil. Mas eu esperarei até que ela complete 10 anos. E sinceramente, se eu fosse vocês, faria o mesmo.

Mesmo reconhecendo que boneca de pano e sabugo de milho também são gente, o sítio caiu pro lado do tio Lobato.

continue lendo »

A casa dos séculos

Contos segunda-feira, 13 de janeiro de 2014 – 0 comentários

Na casa dos séculos, sem número e em rua nenhuma, localizada além de Além da Imaginação, vive o Século 21. Tem quatorze anos de idade. Ele está naquela fase de descobrir o próprio corpo, rabiscar nomes de banda no tênis, não ter noção do ridículo e não saber que é um completo idiota. Compreensível, todo mundo foi assim – ou algo parecido. O irmão mais velho que o precede por exemplo, Século 20, quando tinha a mesma idade já estava matando príncipes e começando guerras mundiais, é verdade, mas o pobrezinho era tão inocente ao mesmo tempo. Gostava de ouvir rádio, não sabia o que era um carro rápido de verdade, nem tinha computador, Facebook e smartphone com Android. Que besteira. O Século 21 agora já pega o carro do papai, e odeia ser tido como inocente; ele se vê como esperto, legal, moderno, afinal é o que ele é, não? Ele é cheio de poder, desde que nasceu. Cada ano que passa ele se torna mais legal. Tão legal, mas tão legal, que seu irmão pensa que ele vai cair duro e sufocado qualquer hora dessas. continue lendo »

Deixa eles lerem – Um manifesto sobre chatice

Livros terça-feira, 07 de janeiro de 2014 – 3 comentários

Se tem uma coisa em que todo mundo concorda é que brasileiro não lê. Apesar de um texto que ficou bem famoso um tempo atrás desmentir a constatação que a gente escuta desde que nasceu, a leitura ainda não é lá bem trabalhada no país. Especialmente na escola. De exemplo, acho que dar Clarice Lispector pra gente do ensino fundamental é um erro por que, do mesmo jeito que alguns não vão curtir Harry Potter por estarem em outra fase da vida, encher o rabo das crianças de clássicos que elas não têm maturidade pra ler é de uma pau-no-cuzisse sem tamanho.

E eu tenho uma teoria sobre isso. Aliás, sobre leitura no país todo. continue lendo »

A viajante

Contos sexta-feira, 13 de dezembro de 2013 – 0 comentários

Atenção: O conto que vocês estão prestes a ler foi baseado em uma história real – ou tão real quanto nós queremos que seja. Os nomes dos envolvidos foram alterados para resguardar suas identidades.

Se forem verdadeiros, não há explicação satisfatória para certos eventos narrados a seguir. continue lendo »

Os Títulos dos Livros Chatos

Livros quarta-feira, 11 de dezembro de 2013 – 1 comentário

Vou lhes dizer que tenho um grande problema com títulos de livros, principalmente com livros que viram cult por algum motivo boboca e inútil. Por que? Bem, porque títulos são coisas importantes, são eles que introduzem o livro para um potencial leitor. E porra, eu tenho que fazer post mas é quatro da tarde de domingo, tá calor e foda-se o John Lennon.

 continue lendo »

As grades da leitura

Livros sexta-feira, 29 de novembro de 2013 – 10 comentários

Há um troço chamado honra, outro chamado teimosia e um terceiro que atende por compromisso, e quando os três unem seus poderes formam o poderoso

Te fode aí pra acabar de ler essa merda

Que te empata a vida num livro que você não suporta, mas que vai acabar de ler só porque decidiu começar a lê-lo. continue lendo »

Cipreste Triste (Agatha Christie)

Livros segunda-feira, 04 de novembro de 2013 – 0 comentários

Já cansei de ouvir que Agatha Christe é leitura pra criança/pré adolescente. Ela era ótima no que fazia, ou seja, contar histórias de crimes. Além de ter tido uma personalidade fantastica. É impossivel não compará-la com Sir Arthur Conan Doyle, mas quem é fã de ambos sabe reconhecer as diferenças e virtudes de cada um. Agatha conta suas histórias de forma tão particular que quase sempre é possível reconhecê-la dentro das suas obras. As vezes, na personalidade de uma de suas melhores personagens, Ariadne Oliver, uma escritora amiga do detetive Poirot, que não sabe utilizar ordem e método quando se depara com crimes reais. Outras vezes oculta, como uma sombra. Você não sabe exatamente aonde, mas ela está lá, em algum lugar. No caso de Cipreste Triste, a encontro na protagonista, Elinor Carlisle. continue lendo »

confira

quem?

baconfrito