São 3:00 da manhã e Satanás levou minha alma

Livros quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Sabe quando você está lendo um livro/HQ e quando o fecha percebe que não prestou atenção em porra nenhuma do que estava ali e perdeu-se em pensamentos sobre a vida, a vizinha gostosa, aquele porre de 5 anos atrás com os bróder, etc? Então, este é o efeito chamado “São 3:00 da manhã e Satanás levou minha alma“, já que quando você se dá conta do que aconteceu, é como quando Satanás possui o seu corpo e te tira do controle. Ou como quando você bebe muito e acorda com amnésia alcoólica, que definitivamente foi a melhor coisa que Deus inventou. Onde esse texto quer chegar? Eu ainda não sei, mas vamos ver.

São 3:00 horas da manhã e Satanás levou minha alma acontece muito comigo quando estou lendo quadrinhos, já que leio mais quadrinhos do que livros. O que torna isto completamente óbvio. É estranho cê pegar uma HQ pra ler e quando chega no último quadrinho, na hora de virar a página, perceber que cê não faz ideia do que aconteceu ali. Porém, com livros o efeito é maior, já que capítulos inteiros são roubados por Satã. Eu sinceramente não li muitos livros e os que li certamente não lembro. A não ser A Bússola de Ouro, que eu li uma 5 vezes e ainda tem um filme pra ajudar. Eu sei que o filme é diferente do livro, porra, mas ainda assim ele ajuda. Sem falar que eu não sou um cara que imagina personagens por suas descrições nos livros. Pra mim, nenhum deles tem rosto até que algum filme seja feito sobre. E é por isso que Robert Langdon será eternamente o Tom Hanks, mesmo que a descrição do livro seja totalmente diferente.

Porra, olha a quantidade de personagens que tem em Senhor dos Anéis ou em Game of Thrones. Cês acham que eu, do alto de minha vida alcoólatra, iria conseguir dar um rostinho pra todos? É claro que não, pra mim são todos como no filme/série e que se foda. “Ain Jo, mas a grande parada de ler um livro é você imaginar as coisas”. Não é não. NÃO É NÃO, SEUS PORRA! O legal do livro é ler uma puta duma história foda. E sim, isso envolve imaginar cenários, cenas e tal, mas o meu problema é com rostos. Os personagens de livros não possuem rostos e quando raramente possuem é o rosto de alguém que remete a alguma memória que abre a janela para que Satanás leve a minha alma. É uma merda.

Aí você vai dizer: Sabe por que você não consegue imaginar rostos? Porque você é um alienado que assiste novela e Big Brother. E sinceramente, eu devo concordar com você, porém, a culpa não é somente da novela ou do Big Brother, mas sim de uma infância regada a televisão. Ou não. Pode ser que eu esteja apenas sendo um babaca igual a vocês. Mas o fato é que eu comecei a ler livros um pouco tarde. Quer dizer, em vista da maioria dos boçais que não liam nem os resumos dos livros da escola pra fazer uma redação medíocre de 15 linhas, eu até que to bem, mas para o mundo dos intelectuais leitores do Bacon eu não passo de um macaco recém-evoluído.

Meu primeiro livro foi O Senhor dos Anéis – O Retorno do Rei. E acredite, foi difícil. E pra piorar tudo, eu não havia lido A Sociedade do Anel e As Duas Torres. Não senhor, eu havia assistido os dois filmes e então, quando o terceiro filme foi lançado, havia uma moça vendendo o livro O Retorno do Rei na porta do cinema. Como naquela época o preço do ingresso já estava mais caro do que o livro, eu optei pelo livro e descobri que não tava entendendo era porra nenhuma. Obviamente isso se resolveu depois, quando eu comprei o resto da coleção. Pra dizer a verdade, ler Tolkien é um péssimo jeito de começar a se interessar por livros, mas como na época eu era um moleque que jogava RPG no porão de uma padaria, tudo deu certo.

O que veio a seguir foi A Bússola de Ouro, da trilogia Fronteiras do Universo, da qual até hoje eu li apenas o primeiro livro. Não por não ter gostado, mas pelo simples fato de ter gasto meu dinheiro com bebidas e não livros. Não que eu me orgulhe disso, mas também não é algo do qual me envergonhe. Enfim, eu retornei ao mundo dos livros posteriormente quando li a coleção O Guia do Mochileiro das Galáxias, seguido de A Travessia da Via Crucis de Carlos Eduardo Novaes e Alexandre e Outros Heróis de Graciliano Ramos, o que definitivamente expandiu meus horizontes. Os livros de Dan Brown e um outro de uma mulher que contava quase a mesma história de O Código Da Vinci também foram lidos, mas são com certeza os piores desta mínima lista de livros que li durante toda a minha vida.

Pois é, poucos livros, lidos possuído por Satanás o que resume minha experiência literária a quase nada e agora talvez esteja explicado porque eu assisto novela e Big Brother. Ou não, não lembro mais… São 3:00 da manhã e Satanás levou minha alma.

Leia mais em: , , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito