De Volta para o Futuro vintage

Cinema segunda-feira, 23 de Abril de 2012 – 1 comentário

De Volta para o Futuro é De Volta para o Futuro e não se fala mais nisso. É coisa que lovers gonna love e até haters gona love. E aí, eis que tu te depara com novos posters do filme que mexe com o estado emocional da maior parte das criaturas fãs do clássico e leva galere à loucura: continue lendo »

TOP 10 – As Melhores Trilhas Sonoras Do Cinema

Cinema sexta-feira, 23 de dezembro de 2011 – 7 comentários

A trilha sonora é talvez o aspecto coadjuvante mais importante em um filme. Você com certeza já experimentou aquela sensação orgásmica de assistir uma cena foda acompanhada de uma música que encaixa perfeitamente naquele momento. Por esse e outros motivos, existem premiações voltadas ao assunto e uma preocupação compreensível por parte dos cineastas. Alguns compositores já são figurinhas carimbadas (E tornaram-se responsáveis por vários sucessos que conhecemos), mas o mais bacana é que trilha sonora é algo altamente adaptável e não fica preso a alguma década ou período, ou seja, sempre tem coisa nova e boa. Acontece que algumas delas já são tão, mas tão populares (E respeitadas, idolatradas) que fazem parte da história da sétima arte. Pensando nisso, fiz o que eu acredito ser o TOP 10 das melhores trilhas do cinema – ficando claro que deixei de fora algumas que já foram classificadas em outros textos aqui do Bacon, e valem a pena conferir, como o especial Hans Zimmer e as dez músicas inesquecíveis de filmes de terror. Pronto? Então clica. continue lendo »

Top 10 cenas musicais

Cinema terça-feira, 18 de outubro de 2011 – 0 comentários

Ok, eu não tenho motivo irrelevante nenhum pra escrever o post dessa vez, tirando o fato de que ele estava no rascunho há meses. Então bora pular a introdução costumeira e escolher as 10 melhores combinações entre cena e música do cinema. Mas antes, algumas regras: Não valem filmes musicais. E a música tem que estrar presente fisicamente na cena. Ou de um jeito que os personagens possam interagir com ela pelo menos, se bem que eu não vejo como isso pode acontecer sem ela estar presente fisicamente na cena. Existe até um nome específico pra isso, mas é claro que eu não lembro qual é. Enfim, nada de trilha sonora também. continue lendo »

Aberturas de Filmes

Cinema segunda-feira, 26 de julho de 2010 – 17 comentários

Desde que comecei a ver filmes, perdi a conta de quantas vezes “passei as letrinhas”. E há quem faça isso até hoje: Dê um clique no controle remoto e pule todos os créditos iniciais. A culpa disso normalmente é da edição – que abusava de um fundo estático, letras básicas e música cafona. Porém, aberturas podem ser tão divertidas quanto (Ou até mais que) o próprio filme. A evolução do cinema trouxe resultados muito bons quando o assunto é esse, e hoje mostro aqui um apanhado de ótimos exemplos. Tem pra todos os gostos: Terror, ficção científica, super-herói, comédia e até cinema nacional. Dessa vez, no entanto, não há ordem de preferência, nem nenhum tipo de frescura classificação. Todas as aberturas aqui cumpriram o papel de serem suficientemente boas ao prenderem a atenção de qualquer expectador, cada uma à sua maneira, seja usando uma nova técnica, contando uma história ou usando uma música emblemática. Deixo claro também que procurei fugir das aberturas clássicas como Guerra nas Estrelas ou 007 (E suas 751.246 continuações). Essas até quem não assistiu conhece. Mesmo assim indico todos os filmes aqui citados e duvido muito que você não tenha visto ao menos três deles. Duvida? Então clica! continue lendo »

“TOP 100 FILMES BACON FRITO” 30 – 26

Cinema segunda-feira, 18 de Janeiro de 2010 – 5 comentários

30) Quanto Mais Quente Melhor

(Billy Wilder, 1959)

Pedro: A eleita (pela AFI) melhor comédia já feita não tem esse título a toa. Contando com uma atuação inesquecível de Jack Lemmon, o filme conta a história de dois músicos (Lemmon e Curtis) que se travestem de mulheres para fugir de um grupo de mafiosos. Ah… e eu já falei que esse é O filme de Marilyn Monroe? Leve, incrivelmente divertido e com um dos finais mais marcantes do cinema, Quanto mais quente melhor só não é a comédia perfeita porque como ela deixa bem claro… ninguém é perfeito. continue lendo »

Peguem seus pergaminhos

Nona Arte quarta-feira, 13 de Janeiro de 2010 – 2 comentários

“A Biblioteca de Sonhos é a maior que já existiu. Estou certo de que todos os seus livros estão aqui. Como? Você não escreveu livro nenhum? Claro que escreveu. Eis um deles. Chama-se “O Best-Seller de Espionagem e Romance no qual eu pensava no ônibus e que venderia um bilhão de cópias me livrando do trabalho para sempre.” Não é um título dos mais atraentes, certo?” continue lendo »

Overdose Sci-Fi: De Volta para o Futuro Parte III (Back to the Future Part III)

Cinema sexta-feira, 23 de Maio de 2008 – 1 comentário

SCI-FI

Talvez o mais engraçado e moralista de todos, De Volta para o Futuro parte III também é surpreendente pela forma como fecha a complexa trama da série (E deixa aberto para o saudosista desenho animado da década de 90). A idéia é simples: Depois de resolver os problemas de realidade em 1955, o doutor Brown é lançado para 1885, 100 anos antes do ano em que tudo começou. Preso lá ele avisa McFly que não precisa se preocupar que ele está muito feliz. Só que logo depois de ficar tranquilo, Martin descobre que o bom doutor foi assassinado dias depois de escrever a carta. Tentando salvar Emmett Brown, McFly usa o DeLorean mais uma vez e com a ajuda de Emmett Brown versão 55 ele chega á 1885 (Se seu cérebro deu um nó, fique feliz: Você é só mais um). Só que agora, por causa de defeito no DeLorean (Ô carrinho pra dar pau, moleque!), os dois estão juntos no passado sem poder voltar ao “presente”.

 Hora de pegar rabeta no DeLorean

Se até então a trama estava alucinada, na parte III ela extrapola as possibilidades. É hilário ver Martin encontrando seus antepassados e conhecendo o início da família McFly naquelas terras, assim como ver as referências de outros filmes da série áquele ano serem mostradas “ao vivo e em cores”.

 Ei! Estou ganhando cachê duplo por esta cena!

Novamente temos um Tannen (Família de grandões sem cérebro que incomodam os McFly ao longo dos filmes), com Thomas F. Wilson (Mais uma vez, pois é) interpretando Buford “Mad Dog”, o mais satírico e hilário dos Tannen. Realmente, eles fazem parecer que burrice é hereditária. A novidade fica por conta de Clara Clayton, a nova personagem do século 19. Mary Steenburgen me convenceu e fez valer a sua presença na capa do filme. Muito bom o que ela faz, mesmo sem querer, com a mente do doutor Emmett Brown. Uma mudança na história que eu não esperava na primeira vez que vi.

As interpretações continuam fantásticas, apesar de começar a ficar repetitivo o jeito “Martin McFly” de agir (Muito melhor que estilo Neo, por exemplo, mas…). Algumas piadas começaram a ficar óbvias, com “Franguinho”, outras, no entanto, sempre serão originais. As músicas também estão lá, com exceção de Johnny B. Goody. Graças a Deus, aliás, porque já estaria beirando o ridículo. Aliás, durante muitos anos, a orquestrinha que toca na festa de inauguração do relógio de Hill Valley me parecia fraquinha e sem sal (Tipo as tiradas do théo, saca?), mas da última vez que vi o filme, ela até que fez uma ótima presença e não deve deixar de ser analisada. Afinal, é como a cena do baile em 55, um elemento da história.

Lembram o que falei do moralismo? Pois é, ele nem é tanto assim, só que está lá, de leve. Nada como o filho beijando a versão mais nova da mãe do original, ainda assim o filme não é o típico que se vê por aí. Talvez se houvesse uma quarta parte ele resolvesse algumas pontas soltas e revelasse o destino de certos personagens… Ou fosse que nem Mortal Kombat: Aniquilação e merecesse ser levado para o limbo. De qualquer forma, vale muito a pena e com certeza deve ser visto em grupo. Rir sozinho da cara de tacho de Tannen em todas as suas gerações não é nada.

 Ok… O DeLorean voador é animal, mas era ESSE que eu queria na minha garagem

De Volta para o Futuro Parte III

Back to the Future (118 minutos – Aventura/Ficção Científica)
Lançamento: EUA, 1990
Direção: Robert Zemeckis
Roteiro: Robert Zemeckis e Bob Gale
Elenco:Michael J. Fox, Christopher Lloyd,

Overdose Sci-Fi: De Volta para o Futuro Parte II (Back to the Future Part II)

Cinema quinta-feira, 22 de Maio de 2008 – 0 comentários

SCI-FI

Se todas as trilogias fossem colocadas juntas e discutidas as continuações, as segundas partes possivelmente seriam os “melhores filmes” e no caso de De Volta para o Futuro, bem, na minha opinião, ele não é O MELHOR, ficando ao lado de De Volta para o Futuro Parte III. Para quem não sabe, na Parte II vemos o doutor Brown encontrando Martin McFly novamente e o convocando, agora junto da namorada Jennifer, para ir trinta anos á frente (2015, numa versão hypada) e salvar… Os seus filhos! Nessa segunda parte da história, o Paradoxo temporal é levado ao extremo e vemos várias oportunidades para a realidade simplesmente implodir e levar todo mundo junto.

 Mesmo no futuro os Nike Shox continuam caros pra caramba!

Algo que talvez não eleve tanto o conceito dessa segunda parte para mim é que ela se torna um pouco confusa, mas não no sentido de inteligência, só não é tão divertida. As idas e vindas dos anos é muito boa, e certas cenas, como a sequência na casa dos McFly em 2015 e a jogada inteligentíssima da “correspondência” na sequência final do filme acrescentam muito á mitologia. Fantástico e encaixado no universo complexo de De Volta para o Futuro.

 Biff em um momento de brilhante conclusão: PEGA ELE!!!

As interpetações parecem melhores nesse filme e nunca vi tanto McFly junto (Inclusive o mesmo McFly se cruzando com sua versão do passado e futuro). A conversa indireta de Emmett Brown com sua versão de 1955 me faz pensar em quão inteligentes podem ser as cenas envolvendo Christopher Lloyd. Genial mesmo. Até mesmo Elizabeth Shue (Novinha e substituindo Claudia Wells), como Jennifer, tem participação considerável e consegue cumprir seu papel. Aliás, seria injustiça dizer que sua personagem não é a peça chave da trama no futuro. Além de um rostinho bonito (Mas faltando um pouco de corpo nela) a guria tinha talento. A trilha sonora continua ótima e aquela sequência que toca sempre que algo importante acontece ainda é inesquecível. Pena que aqui não tenha uma música para fazer o mesmo efeito de Johnny B. Goode do original.

Um último ponto interessante: A evolução para carro voador do DeLorean foi um dos elementos mais espertos da série. Não só encaixou com a visão futurista como também tornou a máquina ainda mais atraente para os “descerebrados adolescentes estado-unidenses que só pensam em carros”, que viam no DeLorean o mais irado veículo que eles poderiam querer. Fala sério! Quem não queria subir com o DeLorean e parar de enfrentar a porcaria do trânsito brasileiro, han? São Paulo seria um lugar mais agradável… Ah, esquece, tá virando utopia…

De Volta para o Futuro Parte II

Back to the Future Part II (108 minutos – Aventura/Ficção Científica)
Lançamento: EUA, 1989
Direção: Robert Zemeckis
Roteiro: Robert Zemeckis, Bob Gale
Elenco: Michael J. Fox, Elizabeth Shue, Cristopher Lloyd, Lea Tompson, Jeffrey Weisman, Thomas F. Wilson

Overdose Sci-Fi: De Volta para o Futuro (Back to the Future)

Cinema quarta-feira, 21 de Maio de 2008 – 1 comentário

SCI-FI

Cinco palavras: O melhor filme de todos. Se você chegou até aqui e NUNCA VIU DE VOLTA PARA O FUTURO… Dê meia volta e pegue o seu kit-suicídio na saída. Além de ser teoricamente imposssível (Cê não tem Globo, véio?!?), é improvável que você tenha resistido a ver ao menos a cena do Martin McFly tocando Johnny B. Goode. Sério, cara. Este filme tem três dos quesitos mínimos para ser um filme bom pra mim: Trilha Sonora (Johnny B. Goode!!!), personagens cativantes e uma boa história. A fotografia não é nada quando você se dá de frente com uma trama simples, mas que, com o avanço da história, começa a tomar uma forma que fica dificil de não prestar atenção.

 Momento McCartney

Tá, uma colher de chá. Se você nunca viu o filme, a história fala de Martin McFly, um adolescente comum do cinema estado-unidense. Ou seja, ele é um ferrado, mas tem uma gata de namorada, toca numa banda e rula na escola. Martin tem amizades estranhas, como o Doutor Emmett Brown (Christopher Lloyd, tão bom quanto em Família Addams), um cientista maluco que, além da óbvia mania de inventar novas ferramentas para a humanidade (Como o Profº Pardal, saca?), simplesmente cria uma máquina do tempo utilizando o método McGyver: Una um carro maneiro, no caso um DeLorean, e uma caixa de fusão nuclear. Martin acidentalmente acaba ativando a máquina, enquanto fugia de um tiroteio, e vai parar trinta anos no passado, época em seus pais ainda faziam o colegial e o doutor Emmett Brown sequer imaginava que ia conhecê-lo. Trancado no passado porque a máquina ficou avariada na viagem, Martin é obrigado a conviver um tempo com a geração cinquentista enquanto tenta fazer o DeLorean funcionar.

De Volta para o Futuro tem uma característica interessante: Ser uma ficção científica que você não precisa entender nada, simplesmente sentar na poltrona e se divertir. Porém, se quiser pensar, tem bastante coisa pra deixar você ocupado. As tiradas são inteligentes e ao mesmo tempo comuns, daquelas que você ouve e sente o riso chegar na boca. E é um filme polêmico. Afinal, quantas histórias hollywoodianas você já viu em que o protagonista beija a própria mãe na boca? E de língua! Não que Martin seja chegado num incesto, mas a gordinha (heh!) que sua mãe era não dá trégua para o ilustre desconhecido que chegou á cidade para “abalar”.

 “-Parabéns, você é um jovem incestuoso”

Outro ponto forte da história é que ela não desperdiça detalhes. Situações insignificantes que normalmente não representariam nada podem ser exatamente as chaves que vão gerar a próxima grande virada ou trazer mais problemas, podendo mudar o futuro de maneiras que não podem ser previstas. Nota para o final aberto, descaradamente esperando uma continuação. Não tinha como ser de outra forma. Ah! E por que eu considero esse o melhor dos três? Além de ser o primeiro, é o mais coeso, ainda que não totalmente, além de ser a primeira vez que encontramos McFly e Brown, ilesos de qualquer estrondo de fama dos filmes seguintes. Obrigatório na estante de qualquer um que goste de filmes divertidos. Já está na minha.

De Volta para o Futuro

Back to the Future ( 117 minutos – Aventura/Ficção Científica)
Lançamento: EUA, 1985
Direção: Robert Zemeckis
Roteiro: Robert Zemeckis e Bob Gale
Elenco: Michael J. Fox, Christopher Lloyd, Lea Thompson, Crispin Glover, Thomas F. Wilson

busca

confira

quem?

baconfrito