Panorama – Heróis Clássicos I

Clássico é Clássico segunda-feira, 01 de novembro de 2010 – 19 comentários

Sem enrolações hoje. Resolvi deixar as coisas mais divertidas dessa vez, tenho uma pequena aposta.

Se até as 9h do dia 08/11/2010, todos os spots estiverem preenchidos, com o nome certo de todos os personagens, criarei uma coluna especial para elevar o ego de todos os leitores que contribuiram para tal feito.

Claro que eu não faria isso se não duvidasse seriamente da capacidade de vocês. Morram.
continue lendo »

O Produto e a Obra de Arte

Clássico é Clássico segunda-feira, 25 de outubro de 2010 – 7 comentários

Alô criançada, o Bozo chegou!.

Hoje vou falar de um dualismo que existe no mundo. E porque não, no mundo do cinema. A dicotomia entre a idéia produto (Proveniente do seio do capitalismo) e o que entendemos com arte. Ou seja, hoje é dia de ofender a “vanguarda”! How cool hã?

 Não zoa a gente, somos alternativos

Mas antes vamos as respostas do Panorama – Vilões Clássicos I. continue lendo »

Panorama – Vilões Clássicos I

Clássico é Clássico segunda-feira, 18 de outubro de 2010 – 15 comentários

Bem, vamos deixar um pouco de lado as reclamações sobre o cinema brasileiro e brincar um pouco. Na imagem abaixo, se encontra 54 dos maiores vilões da história do cinema. O problema é que eu sou péssimo para recortar imagens e isso talvez dificulte um pouco o reconhecimento. Mas eu sei que vocês vão conseguir acertar dois ou três. Boa sorte. continue lendo »

Meu Sério Problema com Cinema Brasileiro – Efeito TecToy

Clássico é Clássico segunda-feira, 11 de outubro de 2010 – 6 comentários

Imagina que você mora em um país subdesenvolvido. Um país em que a idéia de “investir em arte/tecnologia” seja uma piada. Um país em que pessoas defendam algo tão tosco quanto o Zeebo. Ah, você não precisa imaginar. Você vive nesse país. E nele existem pessoas que realmente defendem o uso tosco da tecnologia desde que seja feito por mãos nacionais.

Meu deus, como alguém defende o Zeebo?

Essa pergunta me assombra tanto que…

Acorda ai seu elitistazinho, ninguém quer lançar a MILESTONE videogamística mas sim dar o primeiro passo numa alternativa viável a consoles gringos, e como toda iniciativa destas acaba esbarrando em coisas como preço e mal planejamento (Ou você acha que qualquer pobre comprava o primeiro Atari?).

Parem de pensar como os proselitistas (Olha, eu nem sei direito o que isso significa) que são e vejam o lado legal das coisas, num país que não valoriza absolutamente o entretenimento digital uma coisa assim é notável.

AHHHHHHH!!!!

Ela me fez criar uma hipótese. O brasileiro sofre de algo que eu chamo de Efeito Tec Toy


continue lendo »

Semana Negra para o Cinema

Clássico é Clássico segunda-feira, 04 de outubro de 2010 – 1 comentário

Quatro grandes nomes do cinema americano faleceram essa semana. Nomes que você com certeza verão ser homenageados na próxima entrega do Oscar, e de tão importantes merecem uma coluna apenas para relembrar/dar visibilidade às suas carreiras (Fazer o que se vocês não tem respeito pela sétima arte?). Deixemos de enrolação e vamos aos “comedores de capim pela raíz” da semana. Mas não sem antes guardar para a posterioridade a mensagem de carinho deixada pela Uiara, na minha coluna.

Uma passada rápida pra te xingar por roubar meu tema da semana.

continue lendo »

Meu Sério Problema com Cinema Brasileiro – Lula e o Oscar

Clássico é Clássico segunda-feira, 27 de setembro de 2010 – 8 comentários

Ok, ok. Até agora eu perambulei por alguns dos maiores clássicos nacionais, apontando seus vícios e problemas que tornam o Brasil – um país com uma potência cinematográfica exorbitante – em motivo de piada. Mas hoje eu vou falar de um, e apenas um filme, que com certeza não vai se tornar um clássico. Enquanto nas últimas décadas a indústria argentina e mexicana despontam na América Latina (Não vou nem chegar ao mérito de discutir que um filme peruano, A Teta Assustada, levou o Urso de Ouro e concorreu ao último Oscar, uma vez que ele aborda a estética da fome tanto quanto o Brasil – embora se assemelhe mais ao Irã (Potência de destaque do cinema mundial) – e cuja pobreza dá o tom da história, mas sem motivar o protagonista a certas ações, a Terra Brasilis continua em uma mesmice sem fim.

Calma aí. Acho que estou sendo positivo demais. Esse último ano apontou a decadência da indústria nacional. Quer a prova? continue lendo »

Meu Sério Problema com Cinema Brasileiro – Estética da Fome

Clássico é Clássico segunda-feira, 20 de setembro de 2010 – 3 comentários

Na última coluna, vimos que alguns dos mais conhecidos filmes brasileiros como Lula – Filho do Brasil O Que é Isso Companheiro? e O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias vivem em um ramo da indústria cinematográfica nacional em que é muito difícil não absorver algo dos “filmes histórico-didáticos” produzidos. Recomendo que todos assistam ambos os filmes e depois comparem com o vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro desse ano, o argentino O Segredo de Seus Olhos. Mas deixemos assuntos passados para o passado.

Hoje vou falar do, possivelmente, maior problema do cinema nacional. Um problema que se alastrou de tal forma, que a nata das produções brasileiras está completamente imersa neles. Falo de clássicos como Central do Brasil, Cidade de Deus, Cinderela Baiana, Tropa de Elite, Rio, Zona Norte, Rio 40 Graus, Terra em Transe, Vidas Secas, Auto da Compadecida, Pixote – A Lei do Mais Fraco, Deus e o Diabo na Terra do Sol e Dragão da Maldade contra o Santo Guerreiro. Até mesmo a obra prima em forma de curta Ilha das Flores.

Todos clássicos, cujo mote ou plano de fundo são a pobreza.

continue lendo »

Meu Sério Problema com Cinema Brasileiro – Ufanismo Presepado

Clássico é Clássico segunda-feira, 13 de setembro de 2010 – 2 comentários

Toda a minha coluna (E minhas motivações) de hoje vai se basear em uma única e simples afirmação: O brasileiro não tem a cultura do patriotismo. Esportes sendo a única exceção (E coisas idiotas, como votar no Cristo como maravilha do mundo). Pronto. E isso não é uma coisa ruim (Para falar a verdade, eu até acho bom que nós não nos achemos especiais por nascer em um pedaço de terra cujo sentido é dado por traçados imaginários). Ainda assim, o cinema brasileiro tenta, por algum motivo, criar um clima de ufanismo, de orgulho nacional. E isso ocorre em duas escalas: Uma micro (Dentro do próprio filme) e uma macro (O próprio filme). Mas o cinema americano também é assim, levanta a mão o nosso colega com a camisa do Chê ouvindo Chico Buarque.
continue lendo »

Meu Sério Problema com Cinema Brasileiro – Atuações

Clássico é Clássico segunda-feira, 06 de setembro de 2010 – 8 comentários

A maioria das pessoas que eu conheço na área de cinema me olha torto quando eu dou minha opinião sobre 1) Woody Allen; 2) Cinema Brasileiro. A questão do judeu de óculos até não é tão marcante – eu consigo reconhecer algumas pérolas em sua filmografia… Apesar de que quando digo pérolas eu me refiro a Vicky Christina Barcelona ou Tudo Pode Dar Certo e não o oscarizado Noivo Nervoso, Noiva Neurótica ou o cult Tudo o que você queria saber sobre sexo mas tinha medo de perguntar, mas enfim. Já a questão do cinema nacional é mais complicada. continue lendo »

Press Start – Por trás das câmeras

Clássico é Clássico segunda-feira, 23 de agosto de 2010 – 3 comentários

Sim. Eu sei que estou sumido. Mas enquanto vocês estavam indo ao show do Restart durante as férias, a pessoa que aqui vos fala estava em Nova York, em um workshop de cinema. O resultado final vocês assistem abaixo:

Divulguem, elogiem, critiquem, enfim. Apesar de não respeitar a opinião de vocês, talvez eu absorva alguma coisa por osmose. E vocês vão podem bater no peito e dizer que a maior realização de suas vidas foi influenciar (Muito pouco) na carreira do maior diretor do século XXI. Mas enfim… Ninguém vai acreditar em vocês mesmo. Mudando um pouco de assunto, o ponto é que estar atrás das câmeras te dá uma visualização totalmente diferente do produto final. A idéia da coluna de hoje, além de fazer um jabá, é trazer uma espécie de “making-of” de tal produção. continue lendo »

confira

quem?

baconfrito