“Ela”

Música sexta-feira, 08 de março de 2013 – 2 comentários

“Ela” pode ser centenas de coisas em um dia. Pode ser a bela e a fera, a fome e a fartura, pode ser prazer ou arrependimento. E por ela, quero dizer “elas”, quero dizer as mulheres. Ou antes, Charles Aznavour, o cantor francês, queria – só roubei seus versos. Hoje é a data simbólica do dia da mulher, então tenho aqui uma publicação simbólica sobre música e sobre elas, claro. continue lendo »

Faster, Pussycat! Kill! Kill!

Filmes bons que passam batidos terça-feira, 29 de março de 2011 – 2 comentários

O mundo cinematográfico de hoje está bastante evoluído. Temos efeitos especiais aos montes, roteiros impressionantes, atuações memoráveis e etc. Claro que tudo isso é resultado da incorporação de técnicas, estudo apurado e recriações e adaptações de obras-primas da sétima arte. Por exemplo, Viagem à Lua (Voyage dans la Lune) de 1902, de Geòrge Meliés, foi um marco por ser a primeira adaptação de um livro para a telona. Cidadão Kane revolucionou os métodos usados para se criar uma história, criou complexidade entre os personagens e técnicas de direção usados até hoje. Todos esses são filmes famosos, mas há um bastante desconhecido que é de vital importância para o cinema de hoje. Esse filme foi o responsável por “pré-lançar” a contra-cultura e o cinema independente (Anteriormente a Sem Destino), inserir o feminismo no cinema, e dar às mulheres um papel protagonista que vem sendo usado aos montes nos dias de hoje. O nome desse filme é Faster, Pussycat! Kill! Kill!

 continue lendo »

Putas Vomitadas

Música segunda-feira, 06 de dezembro de 2010 – 2 comentários

Gostamos das cores de suas roupas, do jeito delas andarem, da crueldade de certas caras. Vez por outra, vemos um rosto de beleza quase pura, total e completamente feminina. Elas levam vantagem sobre a gente: Planejam melhor as coisas, são mais organizadas. Enquanto nós vemos futebol, tomamos cerveja ou jogamos poker, elas, as mulheres, pensam na gente, concentradas, estudiosas, decididas: A nos aceitar, a nos descartar, a nos trocar, a nos matar ou simplesmente nos abandonar. No fim das contas, pouco importa; seja lá o que decidirem, a gente acaba mesmo na solidão e na loucura. Há sempre uma mulher para te salvar de outra e assim que ela o salva está pronta pra te destruir… continue lendo »

Trazendo à Realidade – Lobo

Nona Arte quarta-feira, 16 de dezembro de 2009 – 0 comentários

Assim como fiz com o Cabeça De Teia, trabalharei o Putardo-Mor em duas vertentes, baseadas na ocorrência ou não do mini-arco “Lobo está morto“, no qual o Flagelo da Galáxia é banido do Céu, Inferno e outras realidades alternativas etéreas e inexistentes, tornando-se, portanto, imortal.

Devo esclarecer que, até o ponto onde o arco supracitado ocorre, nada muda na história de Lobo. continue lendo »

Vamos fazer as meninas dançarem?

Música quinta-feira, 18 de junho de 2009 – 0 comentários

Alguém disse por aí que o Franz Ferdinand, aquela bandinha new-new-wave, define sua música da seguinte forma: “gostamos de fazer as garotas dançarem”.
Essa é provavelmente a melhor e mais simples definição da própria música que algum artista pop já fez.
Ou pelo menos merece uma posição no pódio das mais sinceras.

Afinal de contas, existe algo mais importante do que isso, quando se é um produtor/músico pop? Você não pode aspirar à genialidade quando se está nesse mundinho hypado à la NME.
Ainda assim, eu particularmente acho que o Alex Kapranos e o Franz Ferdinand têm muito de genial. continue lendo »

Gears of War 2 pode salvar sua relação

Nerd-O-Matic quinta-feira, 07 de maio de 2009 – 11 comentários

A vida é cheia de surpresas neste universo grandioso, fascinante e povoado por porcos assassinos. Quando você acha que as mulheres são umas inúteis no mundo gamístico, eis que do nada esses seres maravilhosos te surpreendem e confundem. Não estou falando dos porcos, prestenção porra.

Caso você não tenha acompanhado, eu escrevi uma porrada de textos sobre a desabilidade e ineficiência das mulheres para lidar com vídeo-games.

continue lendo »

Senso de humor

Games terça-feira, 17 de março de 2009 – 11 comentários

Como vocês já devem ter notado, a mulherada andou soltando as trompas os cachorros por aqui na última semana. Olha, eu até queria aproveitar o momento e esbravejar que homens não são melhores no videogayme, que com um pouco de prática nós, mulheres, conseguimos jogar tão bem quanto a Bel vocês, mas sabe… isso é uma grande mentira.

continue lendo »

Gordinhas que sabem pegar no joystick

Nerd-O-Matic quinta-feira, 12 de março de 2009 – 21 comentários

(Nota do Editor: como eu sou um cavalheiro, decidi ceder minha coluna de hoje à Bel, para que ela exercesse seu direito de resposta em nome de todo o público feminino. Não se acostumem – Atillah)

Francamente, meus rapazes.
Pra que tanta revolta? Pra que debochar tanto, tentando magoar nosso pobres corações? Além de gordinhas, nós adoramos pegar num joystick e vocês vêm RECLAMAR disso? Melhor que isso só se a gente gostasse de colocar o joystick na boca e… e…

… e ainda estamos falando DESSE joystick, né?

continue lendo »

Gamers, se aposentem

Games terça-feira, 10 de março de 2009 – 13 comentários

Depois da coluna totalmente machista e ofensiva do Juno (e quem se importa?), recebi muito material estranho a respeito de games.

Caralho, vocês reclamam DEMAIS. E ainda vêm falar das mulheres? Se a gente joga, é porque a gente joga. Se a criatura portadora de genes iguais NÃO joga, é porque não joga. MIMIMIMIMI eterno, tomar no cu, GET SOME BALLS.

continue lendo »

2 garotas, 1 joystick (+18)

Nerd-O-Matic quinta-feira, 02 de outubro de 2008 – 14 comentários

Então, pra começar, gostaria de fazer um questionamento relevante aos leitores aqui presentes:

QUEM GOSTA DE VER MULHER SE PEGANDO LEVANTA A MÃO

Ah, seus safadinhos. Vocês são um bando de malandrófilos mesmo. Mas não os culpo. Afinal, quem não aprecia ver duas fêmeas se atracando, roçando e esfregando, enquanto promovem uma troca saudável e generosa de fluidos corporais para nosso deleite visual? Até mesmo pequenas e rápidas provocações são suficientes para levantar pensamentos nefastos e libidinosos no meu célebro:

Bater bundinha: isso deveria ter uma olimpíada específica, envolvendo bundinhas redondinhas de todas as nações do mundo, reunidas num evento esportivo de paz e confraternização em torno de bundinhas, bundas e bundonas chocando-se umas com as outras e gerando ondas sísmicas de prazer visual. Isso deveria ser ensinado nas escolas, para que as pequenas fêmeas desenvolvessem suas habilidades desde cedo, se tornando proficientes batedoras de bunda quando chegassem à idade do abate. Esse tipo de coisa pode CURAR O CÂNCER.

Todos nós sabemos que isso é só provocação, utilizada com o intuito de fazer os machos da espécie colocarem a língua pra fora e babarem litros de saliva em antecipação aos atos que só ocorrerão em suas mentes sujas (na maior parte das vezes). Mas ô: ME PROVOCA AÍ, MANO:

Caralho, isso que é divulgação boa de Dead or Alive; as intenções homoeróticas neste vídeo foram muito gratuitas e quase completamente inúteis para o jogo em questão. Só que: TÔ NEM AÍ. Na minha opinião, qualquer coisa é desculpa para botar duas gostosas junto se esfregando. Isso é saudável, é bonito, é prazeroso e deveria ser feito com mais frequência. No dia em que eu for presidente do mundo, prometo que o bissexualismo feminino será mandatório entre gostosas. Votem em mim.

Aliás, isso me lembrou do quanto vocês são noobs. Cara, eu continuo impressionado com a virgindade e conservadorismo das pessoas que frequentam essa porra desse site. Sério, depois de ter que moderar os comentários desse texto da Bel, eu senti vergonha alheia. Vergonha de pertencer a uma espécie que ainda vê sexo como um problema a ser discutido com argumentos altamente preconceituosos e vitorianos. É por isso que eu gosto dos vídeo-games; lá as pessoas são bem mais legais do que as pessoas no mundo real. Até mesmo um jogo de “brincar de casinha” como The Sims já incorporou o amor entre as mulheres sem maiores problemas:

Eu acho surpreendente que um jogo da Electronic Arts possa fazer crítica social. Eu acho impressionante que esse tipo de coisa ainda possa ser usada como chamariz, como se fosse algum comportamento desviante, errado ou transgressor:

É lógico que eu faço questão de promover esse tipo de coisa na minha coluna. Se esse espaço serve pra alguma coisa, é justamente para tentar aumentar a quantidade de prazer no mundo. Vídeo-games são satisfação hedonista, são busca de prazer e envolvimento sensorial. Até mesmo quando um jogo é ruim, como Rumble Roses, ele deve ser apreciado pelo que realmente interessa: MULHERES SE PEGANDO GOSTOSO

Isso aí é SÉQUIÇO, cara. SÉQUIÇO com um quê sadomasô. Luta no ringue seria umas das alternativas de esportes que constariam das Olimpíadas, quando eu for presidente do mundo:

Votem em mim.

busca

confira

quem?

baconfrito