Gordinhas que sabem pegar no joystick

Nerd-O-Matic quinta-feira, 12 de março de 2009

(Nota do Editor: como eu sou um cavalheiro, decidi ceder minha coluna de hoje à Bel, para que ela exercesse seu direito de resposta em nome de todo o público feminino. Não se acostumem – Atillah)

Francamente, meus rapazes.
Pra que tanta revolta? Pra que debochar tanto, tentando magoar nosso pobres corações? Além de gordinhas, nós adoramos pegar num joystick e vocês vêm RECLAMAR disso? Melhor que isso só se a gente gostasse de colocar o joystick na boca e… e…

… e ainda estamos falando DESSE joystick, né?

Eu vou ser honesta: sei que não jogo tão bem assim os joguinhos de macho e que tenho recaídas de decorar casinha de Sims a tarde toda. Mas eu amo o joystick. De verdade, não consigo passar mais que algumas semanas sem colocar o joystick na mão e alisá-lo e senti-lo ficando quentinho entre minhas mãos. Apesar de ser meio noob fraca, sei que mando bem no video-game. MANDO BEM, SIM.

Eu não matei Robotnicks e colhi centenas de argolinhas à toa. Não matei dúzias de nazis e explodi uma caralhada de tanques em Medal of Honor e Call of Duty pra isso, levando estilhaço de granada até no cu. Não chutei a bunda de Ares e dei um couro no Zeus, fugi de zumbis e de Raccoon City, enfrentei todos os quatro braços do Goro, pilotei carros, enfrentei o demo armada só com um cano de metal e um revóler com duas balas, comi cogumelos e salvei princesas, HORAS E HORAS DE LOADING, calos nos dedos, noites acordada jogando, soprar a parte de baixo da fita pra ela funcionar, reais gastos em arcade, gastar o desenho do botão do X e do O de tanto apertar pra um babaca arrogante vir cheio de audácia me chamando de noob.
Vocês são meninos e gostam de arrancar a maior quantidade de sangue possível. Eu sou menina e nesse gosto estamos quites, mas TAMBÉM gosto de combinar meu carrinho tunado com meus óculos. Você queria que eu gostasse do que? De cuspir no chão e arrotar alto ou de deixar minhas pernas cabeludas?

Sabendo disso, pra que vou gastar meus preciosos suspiros e urros bufando de raiva por um chefão? Ou pra abrir a porra de uma tampa de vidro de palmito? Eu tento até onde minha habilidade/paciência permite, daí se eu não consigo, sei que vocês conseguem. Por isso que eu joguei a primeira fase de NFS praticamente inteira, exceto pelo chefão e por umas duas provas de -ADIVINHA!- drifts (maldito algoz!), que um amigo meu passou pra mim. Mas é naquelas: só pedi pra ele porque era mais prático. Se ele não tivesse aqui em casa -como NÃO ESTÁ na maior parte do tempo em que eu jogo- eu conseguiria muito bem me virar sozinha. Mas é mais prático pedir pra vocês fazerem a parte chata pra gente e ficar só no bem-bom.
E isso não é só em vídeo-game não; os homens estão sempre ali pra nos dar back up. Matar barata, abrir a tampa da Heineken (puta trem duro (heh) ), trocar a lâmpada, consertar a chave que quebrou, enfim. Vocês servem PRA QUE além disso?

Bel: Santhyago, você por acaso tem o album S&M do Metallica aí?
Santhyago: Acho que tenho, deixa eu olhar.
Bel: Tô há uns dois dias tentando baixar essa bosta de CD pela internet e só acho link do Rapidshare bichado.
Santhyago: Não tenho, perdi na formatação.
Bel: Droga =( Queria tanto esse album.
Santhyago: Mas eu achei em torrent.
Bel: Torrent? Acho que não sei usar isso.
Santhyago: Se você quiser, eu baixo aqui e hospedo pra você.
Bel: Sério mesmo?
Santhyago: Vai demorar um pouco, mais que uma hora.
Bel: Tem problema não, não tô com pressa.

Dei uma saída por poucas horas e, quando voltei, tinha uma mensagem offline do meu queridíssimo e gentil amigo com dois links pra eu baixar o album.
Em God of War II tem uma fase motherfucker, que é quando Kratos tá saindo do reino de Hades e tem que ir subindo umas pilastras filhas da puta que giram e tem várias lâminas vagabundas e são ENORMES DE ALTAS. Daí você tem que subir, esperar a lâmina desgraçada passar, subir mais um pouco, esperar a lâmina miserável passar, daí você tá passando quaaase chegando no topo do bagulho e a lâmina FDP encosta no seu pé, daí você cai e tem que começar a escalar essa porra toda de novo. Lá pela quinta vez que eu cheguei a ver o topo mas desesperei e as lâminas me derrubaram, joguei o joystick pro meu amigo Igor (o mesmo que passou do chefão de NFS pra mim), que zerou o jogo comigo da primeira vez:
– Toma essa porra aí. Vou comer um miojo.

E quando voltei: voilá! Kratos tava no topo das pilastras caralhentas e meu amigo tava embrulhadinho no sofá, cochilando enquanto eu não voltava. A minha vontade após esses dois episódios era abraçar meus queridinhos, enchê-los de beijos e chamar de “meu herói”. O Santhyago podia muito bem ter me zoado porque não sei usar torrent. Meu amigo podia ter me zoado por eu estar espumando de raiva num negócio que ele passou em dez minutos. Mas, sabe… eles compreendem que por maior que seja meu amor aos games, possuo limitações. Noob não, desengonçada sim.

Sei que existem mulheres que dão um couro em qualquer marmanjo por aí, mas são raras. Até acredito numa certa aptidão natural masculina para o vídeo-game, mas acho que isso não se deve ao genótipo e sim ao fenótipo, tendo em vista que o campo gamístico sempre foi um ambiente dominado pelos meninos. Apesar do crescente número de mulheres gamers, a predominância ainda é masculina. Daí tenho que eu ficar aqui, misturada com essa escória que não sabe ter vantagem em alguma coisa sem ficar exibindo suas bolas orgulhosas cada vez que eu erro A PORRA de um drift. CUSTA segurar minha mão com carinho e mostrar os botões certos de apertar e o jeito mais gostoso de pegar no joystick, como alisar, acariciar e… e… ainda estamos falando DESSE joystick, né?

Experiência não me falta. Até tele-jogo e Atari já passei uma temporada jogando em meados de ’90 e alguma coisa, já que na época não existia nem sombra de um projeto de Xbox ou Nintendo Wii. Nessa época, um primo mais velho emprestou esses seus dois consoles modernos e überlegais pra mim, pra minha irmã e minha prima jogarmos nas férias. Depois de -literalmente- monopolizarmos o negócio por uns 5 dias, ele traumatizou e disse: bitch, stop noobin’. Na verdade, ele disse “mimimi menina não encosta mais no meu joystick”, mas a equivalência é a mesma. Um verdadeiro projeto de escrotinho. Depois de muitas navezinhas espaciais destruídas com raio laser feito de puro pixel, nunca mais fui a mesma. Eu PRECISAVA de um console pra mim.

Quando eu tinha uns 7 anos meu pai me deu um Master System 3 e minha fome de joypad joystick foi acalmada. Foram dias e dias sem desligar console (não tinha checkpoint no começo dos anos 90) e calos imensos no dedão, causados principalmente por Sonic, Mortal Kombat II e Shinobi. Como vocês podem ver, eu não apenas assisti de camarote como também alimentei e participei ativamente dos primórdios da indústria gamística, fazendo muita fita circular e enriquecendo muitos consertadores de joypad. Aposto que as minhas outras amigas gamers também contribuiram de forma tão importante quanto eu.

E eu jogo bem. Garanto. Lembra do Igor, que passou do chefão de NFS e das pilastras desgraçadas de GoW 2?

noob

noob2

Convenhamos, rapazes: vocês não são melhores. São apenas mais habilidosos porque nós estamos concentradas em ter outras habilidades em prol de não nos tornarmos ogros cabeludos, fedorentos, escrotos e trogloditas como vocês. Pra eu jogar EXATAMENTE como um homem eu teria que SER um homem, não acha? Vocês podem até ser mais habilidosos com o joystick, mas temos outras qualidades que compensam isso (heh) . E, além do mais, temos VOCÊS pra passar das fases difíceis pra gente. Então, I’ll stop noobin’ if you stop motherfuckerin’. Deal?

Leia mais em: , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito