Fliperamas

Games sexta-feira, 13 de janeiro de 2012 – 19 comentários

Recentemente o Google Chrome lançou no Chrome Web Store um emulador de MAME (Arcade), e agora você pode rodar jogos do fliperama diretamente do seu browser. Claro que eu me empolguei com a ideia, afinal, sempre fui um grande fã desses jogos. Instalei o tal aplicativo na maior felicidade, mas o puto não funcionou. Como eu já tava na empolgação pra dar um hadouken na cara da Chun-li, acabei baixando emuladores e roms para me divertir, e agora tenho um compromisso sério com o Ken e o Akuma todos os dias. continue lendo »

Street Fighter Comebacks

Nerd-O-Matic sábado, 19 de setembro de 2009 – 7 comentários

A coluna de hoje é dedicada ao momento mais mágico de qualquer Street Fighter: o comeback, a vingança instantânea ou, como eu prefiro chamar:

CHUPA FDP!

Todos nós já passamos pelo momento CHUPA FDP! um dia; você tá lá vendo aquela telinha de ” Round, One, FIGHT!” e pensando em que estratégia adotará contra o fdp que tem a miserável tarefa de tentar te derrotar em SF. O round começa e o desgraçado consegue te acertar dois chutes médios e uma fireball COM O DHALSIM, te deixando puto, o que faz com que você parta com sanguenozóio pra cima do infeliz. Aí ele se teleporta pra trás de você e solta um yoga flame, te arremessando em seguida. Você nem sabe como, mas já tá com só um quarto da sua energia sobrando. Foda.

continue lendo »

Street Fighter: Legend of Chun-Li

Games sábado, 28 de fevereiro de 2009 – 12 comentários

Juro que não é piada…

Está prometido pra 13 de março (aqui no Brasil) o filme Street Fighter: Legend of Chun-Li. Quando fiquei sabendo, pensei: lá vem merda…

Fui olhar o elenco e adivinhem quem foi escalada pra ser a Chun-Li?

Socorro, Clark, o Bison quer me “pegar”!

continue lendo »

Lançamentos da semana – 16 a 23 de fevereiro

Games segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009 – 10 comentários

Flower – semana passada (PS3)

Não você não leu errado cara, o nome do jogo é Flower… Isso, Flor… Caralho, quem é a baitola que me inventa um jogo de PS3 com o nome de “Flor”? Pense comigo: a média do preço dos jogos é de R$ 190,00. Aí você vai lá, pega seus quase duzentos reais e compra um jogo em que você tem que… Andar por aí acumulando pétalas de flores. Puta merda, cara, esse jogo é praticamente o Cooking Mama do PS3.

Aí me falam que é uma proposta “zen” onde o objetivo é relaxar o jogador, e eu acho isso mais bicha ainda, quer saber como que eu fico relaxado quando tô jogando?

HEADSHOT MOTHERFUCKER!!!!!!!!11!!

continue lendo »

Novo pôster de The Legend of Chun-Li.

Cinema terça-feira, 10 de fevereiro de 2009 – 0 comentários

E sai mais um pôster do novo filme de Street Fighter: The Legend of Chun-Li. Não sei, mas achei a Kristin Kreuk meio… fraquinha nesse pôster. Cadê as coxas? Cadê as maditas coxas?

Essa não pode ser a Chun-Li

Overdose Adaptações: Rede de relações gamísticas Pt. 2

Nerd-O-Matic quinta-feira, 17 de julho de 2008 – 10 comentários

Ok, continuemos então o exercício de reflexão da semana passada, dentro do Overdose Adaptações.

Adaptações Ruins

Aqui não tem meio termo. Essas não dá pra levar á sério nem com toda boa-vontade do mundo.

Todos os jogos baseados em animações Disney e Pixar
Das animações para os games: só sai merda, não adianta. Ainda lembro de quando eu trabalhava com games e fui OBRIGADO a fazer a review do jogo do Era do Gelo; puta merda que coisa horrorosa. É SEMPRE o tipo de jogo caça-níquel lançado só pra arrancar dinheiro dos pais e pegar a onda das animações.

Star Trek
Dos cinema para os games: ao contrário de Star Wars, Star Trek nunca teve um jogo decente; é impressionante como uma franquia tão forte (inclusive com muito mais filmes bons do que Star Wars) nunca teve um jogo á altura.

Rocky
Do cinema para os games: desde a época do fucking Nintendo 8 bits que tentam fazer um jogo de Rocky. A jogabilidade sempre é porca e não tem NADA que lembre o clima dos filmes. PRA QUÊ fazer então, cacete? Se é só pra ser um jogo comum de boxe, deixa a tarefa para Fight Night.

Mario
Dos games para o cinema: esse filme é tão absurdamente bizarro que até hoje eu não acredito que ele existe. Eles mudaram tanto a caracterização dos personagens que não tem porra nenhuma a ver com nada do universo Mario. É lógico que a história dos jogos é imbecil e não poderia virar um filme decente, o que me faz levantar novamente a pergunta: PRA QUÊ fazer então?

Batman
Do cinema para os games: outra franquia sempre pessimamente aproveitada. Quando os jogos são baseados nos filmes são absurdamente horríveis, principalmente nos primeiros.

Das animações para os games: aqui melhora um pouco, já que as animações são um pouco mais amigáveis ao formato vídeo-game, mas nada muito melhor do que um ou outro jogo pro xbox.

Dos quadrinhos para os games: nunca vi.

Tomb Raider
Dos games para o cinema: A única coisa decente é a Angelina Jolie, evidentemente. Os filmes são risíveis.

Alone in the Dark
Dos games para o cinema: UWE FUCKING BOLL. Não tinha como dar certo nunca.

Guitar Hero
Dos games para o cinema: Só podem estar curtindo com a minha cara. Nem pagando que eu vou assistir essa merda. Qual vai ser a história? Uma guitarra mágica de PRÍSTICO que faz o guri soltar raios pela bunda e dominar o mundo da música? Pensando bem isso daria um filme interessante…

Street Fighter
Dos games para o cinema: teh horror. O pior Bison de todos os tempos. O pior filme do Van Damme. Troféu joinha de como cagar com um ícone gamístico.

Mortal Kombat
Dos games para o cinema: nem dá pra acreditar que fizeram mais de um filme. Ninguém aprendeu NADA com Street Fighter?

Ghost in the Shell
Dos animes para os games: tristeza enorme aqui. Um puta material pra render um puta jogo sci-fi, mas que nunca foi feito adequadamente. Um dos maiores desperdícios que eu já vi na história dos games. Mas antes não fazer muito jogo do que só fazer jogo ruim.

Harry Potter

A única coisa de Harry Potter que realmente interessa

Do cinema para os games: menção honrosa para os jogos de Harry Potter como a PIOR MERDA JÍ ADAPTADA DE TODOS OS TEMPOS. Já fiz uma coluna só sobre isso, mas nunca é demais repetir as advertências sobre o lixo tóxico gamístico que esses jogos são.

Como eu já disse: embora não façam meu estilo, reconheço que os livros são bons e alguns dos filmes também. Porém os jogos são TODOS aberrações caça-níqueis feitas para capitalizar em cima dos fãs do bruxo. Já joguei Harry Potter no PC, no PS2, no PSP e no DS e nunca vi nada além de um jogo bastante medíocre que seguia os passos e a história dos filmes. Os jogos não passam de um replay mal-feito dos filmes, que já são uma produção visual capenga do que se passa nos livros. Trágico. Certamente uma das piores franquias existentes no mundo dos vídeo-games.

Adaptações que deveriam acontecer

Metal Gear
Dos games para os quadrinhos: RÍ, já foi feito, e ficou do caralho de bom, o que justifica:

Dos games para o cinema: a história absurdamente complexa de Metal Gear casa perfeitamente com a linguagem cinematográfica. O fato de Snake ser um dos personagens mais canastrões de todos os tempos facilitaria ainda mais sua interpretação por vários atores, como os intérpretes de Jame Bond, por exemplo. E todo mundo gosta de um bom filme de espionagem.

God of War:
Dos games para o cinema: outro jogo épico que renderia também um filme épico. Isso precisava parar nas mãos dos caras que fizeram os filmes do Senhor dos Anéis. Seria uma mistura de “Gladiador” com toda a mitologia grega. Regado com banhos de sangue e mulheres nuas. Qualquer fortão podia interpretar o Kratos, desde que seja totalmente bruto e ignorante.

Shadow of the Colossus
Dos games para o cinema: esse rendia um filme de paranóia. Uma história que começa do nada e só explica no final a que veio, pontuada por uma batalha contra um colossus a cada dez minutos de filme. Não precisaria de falas, seria mais ou menos como o início de “2001: Uma Odisséia no Espaço”.

Diablo
Dos games para o cinema: seguindo o caminho aberto por filmes como “Doom” e “Tropas Estelares”, seria só diversão, uma fantasia medieval como aquelas maravilhas que passavam na Sessão da Tarde dos bons tempos. Poderia ser também um remake de “Conan”, só que um pouco mais sangrento. Afinal: é Diablo.

Dos games para os animes: Um salto ousado aqui, mas fico pensando em algo na linha de “Afro Samurai”, com aquela estética ambientada no cenário medieval de Diablo.

Onimusha
Dos games para o cinema: história de samurais sempre fazem sucesso, e os jogos da séria Onimusha já posuem horas de cenas muito bem dirigidas. Porra, até o Jean Reno (ator) aparece em um dos jogos. Não tinha como dar errado. Seria um misto de “Godzilla” com “O Último Samurai”. E o Tom Cruise morreria na primeira cena, óbvio.

Valkyrie Profile
Dos games para o cinema: outro que renderia um épico. Simplesmente não existem filmes bons baseados na mitologia nórdica, é uma lacuna a ser preenchida urgentemente nas telas. E o melhor é que as valquírias sempre são umas baitas dumas gostosas, o que renderia um filme que seria um misto de “Dead or Alive” com “Thor”. Merda, por que não fazem filmes assim?

Xenosaga
Dos games para os animes ou animações: Porra, todos os jogos Xenogears e Xenosaga são pontuados por seqüências espetaculares de história. Certeza que renderia algo no naipe de das animações de Final Fantasy. E os animes poderiam se inspirar em Ghost in The Shell ou Gantz. Ou já existe anime de Xenogears e eu não tô sabendo?

Castlevania
Dos games para os filmes: não sei como ainda não foi feito. Já fizeram tanto filme BICHA de vampiro, por que não fazer um que poderia render pra cacete, além de ter o Drácula como coadjuvante e objetivo final?

Manhunt

Manhunt, véi.

Dos games para o cinema: Menção honrosa para Manhunt, que poderia render um filme mega-doente, no nível de “8 Milímetros”. Aliás, deviam chamar o Nicolas Cage pra fazer o papel principal, já que ele fica muito bem no papel de assassino psicopata homicida que só precisa de meio motivo pra passar geral. Manhunt é praticamente uma continuação de “8 Milímetros”, e poderia se beneficiar muito do universo doente dos filmes “snuff”.

A atmosfera já é apropriadamente escura e misteriosa, povoada por gangues de outros homicidas doentes que MERECEM morrer no fio da navalha. Nem precisaria de muita história, porque pra dar certo é só colocar alguma motivação de vingança do tipo “orra, cês passaram o cerol na minha família tudim! Só me resta me vingar!”. Aí ele pega a moto-serra e saí dechavando o pessoal.

Maravilha véi, uma mistura de “Massacre da Serra Elétrica” com “Oito Milímetros”. Bota o Rob Zombie na direção e temos um clássico cult instantâneo. Eu devia entrar para a indústria cinematográfica, vsf.

Escolhido o Bison e o personagem de Taboo em Street Fighter: Legend of Chun-Li

Cinema sexta-feira, 21 de março de 2008 – 0 comentários

Após termos alguns nomes confirmados, chegou a notícia tão esperada: QUEM será o Bison. E, melhor: O QUE será o Taboo, do Black Eyed Peas?

Neal McDonough (Minority Report) será o M. Bizon:

E, confirmando as suspeitas do Eric, Taboo será MESMO o VEGA!

Créditos para o FirstShowing.net pelas fotos, eu realmente estou compreguiça de editá-las do meu jeito. É plena madrugada de um feriado, tenha dó.

A direção do filme é por conta de Andrzej Bartkowiak (do sensacional Rede de Corrupção) e o roteiro é de Justin Marks (que tem na lista os filmes He-Man e SuperMax, que ainda estão pra começar). Lançamento? Só no ano que vem.

Ofertas: DVD do filme Street Fighter, Games da série Street Fighter

Deus Salve a Rainha

Nerd-O-Matic quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008 – 8 comentários

Explodam-se vocês. Vou fazer mais experimentações literárias. Fiquem agora com:

I Want Your Sex

Ou

Emoções sexuais de um gamer

Raiva é uma emoção. Raiva de jogos que não apresentam sexo ou exploração desnecessária da figura feminina. Desprezo é uma emoção. Desprezo pelo jogos que procuram um bom motivo para colocar mulher pelada na tela. O sexo e o erotismo nos jogos só são interessantes quando acontecem de forma gratuita e totalmente desvinculada da história. Eu quero toda a força das placas 3d, processadores, desenvolvimento de novas texturas, simulação física e iluminação voltados para um maior realismo na representação de um PEITO nos meus jogos.

OMFG Olha o TAMANHO…

O problema são os peitos. A solução são os peitos. Eles vêm em pares e balançam, balançam, balançam. Para cima para baixo para cima para baixo, moto-contínuo, eterno vai e vem, sem parar, desafiando a gravidade. Peitos impossivelmente enormes, empinados, redondos, imaculados. Peitos com uma mulher em volta, mas esta quase invisível, desaparecendo atrás dos peitos. A mulher é apenas um veículo, um suporte para os peitos.

Eles são impossíveis, mas eu estou disposto a suspender a minha descrença por um tempo. Me faça acreditar nesse monte de pixels pintados de cor da pele, nesse olhar de mulher decidida. Decidida a seduzir e dar pra todo mundo.

Deus Salve a Rainha:

Ela é a melhor

Longa Vida á Rainha Mai Shiranui: os pixels mais bem torneados que habitam minha mente.

Pixels rosados, embalados em vermelho, sanguíneo, excitante. Pixels de uma mulher impossível, que se despe para lutar. Sem roupa, é hora da ação. Decotes e fendas, a serviço do inimigo e do jogador. O jogador que vira presa, se descontrola, mesmo com o controle nas mãos. Controle sobre o quê? “Faz ela ganhar, só pra gente ver a saia levantando”, “faz o movimento especial, onde ela dá uma voltinha”:

De monte de pixels a personagem principal. De personagem de um jogo a objeto sexual. De objeto sexual a objeto de culto, celebridade erótica, eternizada em carne e osso, magicamente saindo da tela para nossas mentes e olhos. Eu vou te comer Mai Shiranui.

Eu vou te comer. Comida com os olhos, aos pedaços, mordidas e bocados de resina:

Brincando de boneca

Eu vou te comer. Comida com as mãos, pedaços de jornal, celulose mágica, vira as páginas em sentido contrário e vamos logo aos finalmentes:

Dá-lhe hentai e doujin

Eu vou te comer. E dessa vez (ela) é de verdade:

Mai Shiranui for real

Eu ia te comer. Mas pensando bem… nem quero mais:

Teh Horror

Volte ao jogo, seu monte de pixels. Suma da minha frente. Desapareçam você e todas suas amigas irreais e impossíveis. Chun-li, Cammy, Lara Croft. ódio é uma emoção, e vocês são todas umas…

… gostosas.

Street Fighter: The Legend of Chun-Li – Confira alguns nomes do elenco

Cinema quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008 – 1 comentário

Bom, como você viu aqui, Kristin Kreuk (Smallville) será a Chun-Li do novo filme do game Street Fighter. E você deve se lembrar que o primeiro não foi lá muito agradável.

Seguindo com o elenco: Michael Clarke Duncan (Escola de Idiotas) será Balrog, o boxeador.

Chris Klein (American Pie) será Nash, como o personagem Charlie.

Rick Yune (007 – Um Novo Dia Para Morrer) será o ancião Gen.

Ainda falta definir o papel dos atores Moon Bloodgood, Cheng Pei Pei, Edmund Chen e, pasmem, Taboo, o cara do BLACK EYED PEAS. Eu acho que o cara vai ser um daqueles que fica torcendo no fundo das lutas, mas o Eric acha que ele será o Vega. Definitivamente, o cara PRECISA de uma máscara.

Testes estão sendo feitos para a escolha de Bison, o “chefão”. A direção é por conta de Andrzej Bartkowiak (do sensacional Rede de Corrupção) e o roteiro é de Justin Marks (que tem na lista os filmes He-Man e SuperMax, que ainda estão pra começar). Em Março começam as filmagens. O filme será filmado em Hong Kong, Bangkok e Vancouver. Estréia prevista para 2009, e a pergunta é: VAI ENCARAR?

Ofertas: DVD Street Fighter, Games Street Fighter

busca

confira

quem?

baconfrito