Christine (Stephen King)

Livros sexta-feira, 18 de abril de 2014 – 1 comentário

“Love is old slaughterer. Love is not blind. Love is a canibal with extremely acute vision. Love is insectile, it is always hungry”
– Stephen King, Christine

Sempre me enrolei pra começar a ler os livros do Stephen King. Influências e incentivos nunca faltaram pra que eu pelo menos conhecesse a escrita dele. Li alguns contos perdidos recomendados por um amigo, mas tinha sido tudo até então. Tentei pegar uma obra completa como A Coisa, pois consideram esse um dos melhores trabalhos desse autor. Li mais ou menos até a metade e desisti, em parte por ser um momento bastante estressante da minha vida e ler A Coisa antes de dormir estava me deixando bastante perturbada. Passaram-se muitos meses até eu decidir ler Stephen King de novo. Nesse meio tempo, eu comprei livros dele e deixei pegando pó na estante. Li À Espera de Um Milagre durante esse período “sabático” e achei bastante fascinante, um dia eu acabo escrevendo sobre ele também.
continue lendo »

Mate-me Por Favor (Legs McNeil e Gillian McCain)

Livros quarta-feira, 09 de abril de 2014 – 0 comentários

Eu ando com tempo livre pra ler, depois que mudei de emprego. Troquei um serviço burocrático, que tava num computador e sempre tinha coisa pra fazer mesmo que não relacionada ao trabalho, por uma vaga operacional, que tem alternância entre momentos de ócio com tempestades de serviço bem no meio do meu cu e não chega nem perto de tecnologia. Não vejo a hora de voltar pro serviço burocrático. Mas até lá, vamo aproveitar o tempo livre pra ler. Ler coisas que caem na minha mão por acaso, de certa forma. Feito Mate-me Por Favor, que me foi emprestado porque eu chego na pessoa que tem trocentos livros e peço um livro emprestado falando “me surpreenda”. continue lendo »

A Casa (André Vianco)

Livros quarta-feira, 05 de fevereiro de 2014 – 0 comentários

Uma viagem ao fundo do coração humano. Impossível o leitor não se emocionar com o drama vivido pelos atormentados protagonistas da obra.

Gentilmente uma senhora distribuiu xícaras cheias de um líquido que exalava um aroma adocicado e convidativo. Ela sentiu um arrepio percorrer o corpo. Quem a tinha chamado ali? Recebera apenas um cartão. Ismael também sentiu um arrepio cruzando a espinha. Que casa era aquela? Cada qual sorveu um pouco do líquido quente. Somente naquele instante notaram que cada par de cadeiras dava de frente para um par de portas. Quatro pessoas. Quatro portas. Cada um olhando fixamente para a porta a sua frente. No enredo de ‘A casa’, uma viagem surpreendente para os que buscam algo para mexer com a mente e o coração. continue lendo »

O Iluminado (Stephen King)

Livros segunda-feira, 27 de janeiro de 2014 – 8 comentários

Ok, já adianto uma coisa: Nunca vi o filme. E se já nessa frase não ficou claro, isto é uma resenha do livro, não do filme e nem do roteiro do filme, ok? Ok. Dito isto, eu não sei em que ponto a carreira do Stephen King desandou (E creio que nem tenho saco pra descobrir), mas com este já li os três primeiros trabalhos e a coisa é melhor do que eu esperava.

 Acabemos logo com isso.

continue lendo »

Cipreste Triste (Agatha Christie)

Livros segunda-feira, 04 de novembro de 2013 – 0 comentários

Já cansei de ouvir que Agatha Christe é leitura pra criança/pré adolescente. Ela era ótima no que fazia, ou seja, contar histórias de crimes. Além de ter tido uma personalidade fantastica. É impossivel não compará-la com Sir Arthur Conan Doyle, mas quem é fã de ambos sabe reconhecer as diferenças e virtudes de cada um. Agatha conta suas histórias de forma tão particular que quase sempre é possível reconhecê-la dentro das suas obras. As vezes, na personalidade de uma de suas melhores personagens, Ariadne Oliver, uma escritora amiga do detetive Poirot, que não sabe utilizar ordem e método quando se depara com crimes reais. Outras vezes oculta, como uma sombra. Você não sabe exatamente aonde, mas ela está lá, em algum lugar. No caso de Cipreste Triste, a encontro na protagonista, Elinor Carlisle. continue lendo »

A Seleção (Kiera Cass)

Livros segunda-feira, 21 de outubro de 2013 – 8 comentários

Tá aí um livro que foi um balde de água fria. Por onde eu clicava no mundo maravilhoso da INTERNERDS, achava alguém comentando sobre. Uma vlogger que sigo falou sobre, meus amigos leram, enfim, não faltaram recomendações.

Má putaquiparil, vai ter amigo com mau gosto assim na Conchinchina, vai. continue lendo »

As Crônicas de Artur (Bernard Cornwell)

Livros segunda-feira, 07 de outubro de 2013 – 7 comentários

Todo mundo já ouviu falar em Artur (Ou Arthur ou qualquer outra variação que você quiser): O cara que, após retirar uma espada enfiada numa pedra se tornou rei da Inglaterra. Pois então, se você não ouviu issaê cê com certeza já ouviu alguma outra versão e/ou releitura: Bigorna, Bretanha, saxões, traições, castelos e batalhas… Ou, finalmente, se você foi muito burro, Merlin, Excalibur, Guinevere, Lancelote, a busca pelo Graal. Agora foi? Que bom!

 Eu não sei explicar essa imagem, e duvido que você saiba, mas ela é incrível mesmo assim.

continue lendo »

O Cardeal do Kremlin (Tom Clancy)

Livros segunda-feira, 09 de setembro de 2013 – 0 comentários

Faz já um bom tempo desde a última vez que resenhei um livro, e cada vez que descubro mais acerca de Tom Clancy e sua obra, cada vez mais queria não ter sequer começado. É o tipo de coisa que os gringos botam num pedestal só porque são gringos (Com suas inerentes capacidades conhecidas por todos nós) e que deveria ter acabado junto com a porra do muro de Berlim… Aliás, me lembra bastante o Stephen King.

 Não sei vocês, mas eu tenho vontade de atirar nesse filho da puta só porque sim.

continue lendo »

Falsa Submissão (Laura Reese)

Livros terça-feira, 25 de junho de 2013 – 0 comentários

Sabe 50 Tons de Cinza? Então, esse livro do qual pretendo falar agora tem muito mais propriedade no assunto. Abre o texto aê e vamos ver o porquê. continue lendo »

Puros (Julianna Baggott)

Livros quarta-feira, 22 de maio de 2013 – 0 comentários

Desde Jogos Vorazes, um certo tipo de ficção tem feito a cabeça do público. A nova mania literária são distopias [Nota do editor: Nova feito a posição de cagar], é fazer uma história menos bonitinha possível. Esses livros, em sua maioria trilogias, costumam ter como protagonista uma heroína forte, que luta pela sobrevivência não só dela, mas de sua família e de seu par romântico que não sabe se cuidar muito bem sozinho. Puros é a maior síntese desse fenômeno: Muito sangue, selvageria e ação.

Bom, pelo menos acho que veio até a calhar, depois de uma década feita só de magias, vampiros e coisinhas cor de rosa. continue lendo »

confira

quem?

baconfrito