Wii-K in Review (IGN)

Games sábado, 11 de agosto de 2007 – 1 comentário

Bom, os que conhecem a IGN, o famoso site sobre entretenimento, sabem que suas seções de videogames tem figuras bem conhecidas como o Matt Cassamassina (Casaamskmdakmjadjina pros íntimos) e o Mark Bozon, e o site destaca-se por manter um alto nível de avaliação, apesar de volta e meia pisar na bola (pelo menos não é o total bias que é o 1UP, onde metade da equipe trabalha na Microsoft).

O que eu coloco aqui são os rumores levantados pelo podcast deles sobre a Nintendo, que apesar de seriamente abalado por uns rumores malucos (do tipo Halo DS, onde o Matt encheu o saco falando que ia falar dele e bom, cadê?). Mas ainda tem certa credibilidade.

Vamos lá:

– Matt diz que a Factor 5 está trabalhando no Wii.

Muito legal isso. A F5 mandou muito bem mexendo com o Cube, creio que um trabalho da mesma mostraria que o Wii não é um “PS2 com Wiimote” como tentam dizer.

– Na próxima sexta TALVEZ anunciem um jogo para Wii “PC-Style-God” de uma empresa famosa voltada aos PCs.

Black And White do Molyneux? Não duvido.

– Call of Duty 4 para DS está espetacular, tanto no departamento técnico quanto na diversão.

Excelente. Apesar de que a produtora dele, que é a N-Space, foi meio ruim com o Geist no Cube.

– Devemos esperar mais jogos de tiro ocidentais no Wii.

Bom, pra quem jogou jogos de tiro no Wii, sabe que o potencial é grande, e realmente é bem imersivo. Até o Red Steel, que tanto execram, é um bom jogo se você se acostuma com os controle, ainda porque o design dele é problema, não a jogabilidade. Call of Duty 3 mostra controles firmes.

– 1080 Snowboarding em 2008 com suporte à Wii Balance Board.

Espero que seja opcional.

– Um jogo de temática adulta vai aparecer nas próximas semanas.

Lol, que rumor mais vago. Enfim, isso não é ruim.

Fast-food Reviews 001: Nintendo DS

Games sábado, 11 de agosto de 2007 – 3 comentários

Não sabe como funcionam essas reviews? Veja a introdução aqui.

Picross DS

DS é O console pra se jogar puzzles.

Picross DS é um puzzle, o nome que se criou depois de Tetris para esse estilo de jogo onde você nao mata ninguém, mas mesmo assim acha legal jogar.

A idéia é bem simples: você começa com um campo retangular em branco, e precisa deduzir onde estão os quadradinhos. Cada quadradinho que você descobre corretamente vai corresponder a um pixel de uma figura, na tela de cima do DS. Termina quando você preenche o campo todo de forma correta, formando a figura. E você tem que deduzir onde está o quadrado, e não chutar. Se você erra, tem uma penalidade de tempo e não vai poder ver a animação da figura no final.

Parece chato explicando, mas é simplesmente um dos jogos MAIS VICIANTES do DS. Vão por mim, Eu não ia enganar vocês.

óTIMO pra jogar no banheiro ou enquanto espera a patroa se arrumar pra sair. Aprenda a jogar pelo direcional, a canetinha atrapalha nos níveis mais difíceis.

Julgamento final: Jogue até o dedo cair.

Dynasty Warriors DS: Fighter’s Battle

Dynasty Warriors é muita areia pro caminhãozinho do DS.

A gente sempre se empolga com Dynasty Warriors. O jogo tem tudo pra ser bom: história das grandes dinastias imperiais, samurais que sabem invocar magias e um bando de inimigos pra destroçar. Mas o jogo, na prática , sempre é meio repetitivo. Não importa em qual plataforma sai.

Mas eu confesso pra vocês que não resisto. O tema do jogo é muito sedutor pra mim, e eu sempre jogo todos. Apesar de tudo, acho legal a dinâmica de ir conquistando as bases do inimigo e caçar ele pelo mapa, até TOMAR TUDO QUE ELE TEM, CARA! E ainda matando ele junto. Demais.

Mas no caso do DS, o que você vai encontrar é apenas uma péssima versão de Dynasty Warriors. Por mais boa-vontade que você tenha, vai ser muito difícil de ignorar a feiúra geral do jogo e os slow-downs que acontecem. O DS simplesmente não consegue suportar a engine que o jogo exige. É coisa demais para o portátil.

Julgamento final: Resista bravamente á tentação; o jogo não vale a pena.

Chicken Shoot

Tá vendo essa capa? Você nem quer saber o que tem dentro.

Chicken Shoot é um daquele jogos estúpidos que já saíram para várias plataformas. É surpreendente que continuem saindo novas versões. Pela capa completamente motherfucker do jogo, você já pode ter uma idéia da bomba que ele é. Nunca ignore seu sexto sentido de hardcore gamer: se um jogo parece uma merda, provavelmente ele é uma merda.

O que dizer? É um jogo onde você atira em galinhas. Galinhas voando, galinhas botando ovos, galinhas atirando ovos em você. Todos espalhados pela tela “enorme” do DS. Aí você pega sua canetinha e vai se deslocando pela tela, enquanto atira com o direcional. Dá pra acreditar? Você atira com o direcional. Pessoalmente, acho que esse jogo é só uma piada de mau-gosto. De vez em quando saem uns jogos desses, como Clube da Luta, para o Playstation.

Julgamento final: Condenado á forca. Amanhã ao meio-dia. E deixem o corpo para os abutres.

Fast-food Reviews: Introdução.

Games sábado, 11 de agosto de 2007 – 2 comentários

Caro leitor:

A fim‚ de atender às necessidades dos seletos jogadores que lêem este site, postarei a partir desta data que chamo de fast-food reviews: análises rápidas, deformadas e parciais de jogos que talvez você esteja pensando em jogar, mas não sabe se valem a pena ou não.

Afinal, você deveria gastar mais tempo jogando do que lendo sobre jogos. Pense nisso.

O formato destas reviews é muito simples: uma foto do jogo, uma apresentação do jogo e um julgamento final.

A fim de manter a masculinidade e espartanicidade, o julgamento só tem duas opções: vale a pena jogar ou não vale a pena jogar. Não existe meio-termo em vídeo-games. Esse negócio de review que dá nota 7,0 é coisa de TANGA. Que porra você tem que entender de uma nota 7,0? É pra jogar ou não é? O jogo é bom ou é meia-boca? É pra jogar um pouco e depois parar?É pra jogar só 70% do jogo? Coisa de TANGA.

Para colocá-lo no correto estado de espírito sugiro que assista ao seguinte comercial do XBox, que foi banido no Reino Unido, e só por causa disso já é bom:

A Vida é Curta, Motherfucker.Play More. Play Hard.

Raiva: Cooking Mama 2 anunciado para 2008.

Games quinta-feira, 09 de agosto de 2007 – 11 comentários

Não sei se vocês sabem, mas eu sou zen-budista.

É uma filosofia muito belíssima. Em um dos seus grandes preceitos, diz que você não deve tentar conter ou evitar os sentimentos negativos. Você deve senti-los com toda força, e deixar que eles passem por você.

Como eu ainda estou sentindo muita raiva por relançarem Arkanoid pro DS, vou senti-la com toda força e deixar ela passar.

Passar pra vocês.

Cooking Mama 2 foi confirmado para 2008, saindo novamente pra DS e Wii; é a continuação de um jogo espetacular, onde você pode fazer comida:

Fazendo comida, no vídeo-game, cara! Os jogos realmente transportam a gente pra outra realidade.

A primeira versão foi bem-recebida pela crítica especializada. E é por isso que sempre digo pra vocês não confiarem nesses sites motherfuckers de análises de jogos. COMO alguém pode achar bom um jogo que faz você passar por toda a encheção de saco que envolve cozinhar, e no final não tem NADA pra comer?

Tenho certeza que Cooking Mama 2 vai ter um simulador de LAVAR LOUÇA junto, pra ficar ainda mais divertido. Tô falando pra vocês: estamos perdendo totalmente a noção.

Não joguem Cooking Mama, ok? Façam um miojo e joguem Street Fighter. Pelo bem da comunidade gamer.

Fonte: aqui

Sobre a situação dos consoles de mesa.

Games quinta-feira, 09 de agosto de 2007 – 6 comentários

Olá, meu nome é Leonel, eu eu serei o cara que escreve sobre jogos aqui. Provavelmente você vai se irritar comigo porque eu sou Nintendista, e você não pode fazer nada porque eu que escrevo mesmo (lol). Mas eu tentarei manter minha neutralidade, eu prometo.

Bom, o mercado de games está bem complicado ultimamente. Temos o PS3, que custa horrores (599 dólares) e não vende absolutamente nada. E tem poucos jogos. Deprimente. Sim, temos uma previsão de melhora pro fim do ano, mas a maioria dos jogos são tiros no escuro, como Lair e Uncharted: Drake’s Fortune. Meio complicado, mesmo tendo um arsenal potente previsto pra 2008, que seriam Metal Gear Solid 4 e Final Fantasy XIII; que sem dúvidas serão bons jogos, mas creio que seja tempo de espera demais pelo preço que se pagou.

O 360, apesar de ter uma base de software muito boa, tem a praga chamada “3 Red Lights”, ou “Red Ring Of Death”. Esse vergonhoso problema, que atinge, segundo algumas pesquisas, 30% dos consoles existentes, resulta da completa ganância da Microsoft. Foi dito pelos fabricantes que para amortizar o preço do console (que já recebe fortes subsídios da M$), que se usam peças de baixa qualidade, que resulta em super aquecimento; causando a quebra da solda da placa-mãe ou queima da VGA. Ou seja, você joga rezando pra que o console não exploda e queime sua casa. Pelo menos tem excelentes jogos, como Gears of War, Blue Dragon, Forza 2, e o esperado Halo 3, dentre outros, além de geralmente se dar melhor quando o assunto são jogos multiplataforma. Bom, vamos ver se o “Falcon”, que seria a revisão de hardware, pois talvez resolva essa “endemia” do 360.

Ao final, temos o Wii. Paixão de uns, terror pra outros, ele vem vendendo de maneira monstruosa, mesmo com uma certa seca de jogos must-buy e de ser entulhado pelas produtoras por ports de Playstation 2 com utilização fajuta do sensor de movimento (alguns se saem bem, como The Godfather, Scarface e Call of Duty 3). Ao fim do ano, ele promete ser O console para se ter além do 360, pois teremos os três grandes da N, que são Super Mario Galaxy, Smash Bros: Brawl e Metroid Prime 3: Corruption. E custa pouco: só U$D 250, sendo o mais barato dos três, e aposta-se que até o fim do ano teremos uma queda no preço.

Eu preferi apenas manter um panorama nessa coluna inicial, afinal não creio que os leitores da coluna serão apenas os habituais nerds tetudos que lêem essas coisas. Ainda falta falar dos portáteis (lembrar que PSP = fail) e outros assuntos que serão debatidos em outras oportunidades.

Até a próxima.

Arkanoid de novo? Só podem estar me zoando.

Games quarta-feira, 08 de agosto de 2007 – 4 comentários

Em verdade vos digo, marujos: essa vida é um poço cheio de ironia.

Logo quando estou eu aqui, preparando uma série de artigos falando sobre a EVOLUÇÃO dos jogos desde o Atari, me deparo com o anúncio de que teremos um novo remake de Arkanoid rolando, dessa vez para o Nintendo DS:

Ah, mas‚ que maravilha. TUDO que nós precisamos é jogar MAIS Arkanoid.

Mas vocês devem estar se perguntando o que é aquilo embaixo do DS. Bom, aquilo é um manche, pra encaixar na entrada dos cartuchos de Game Boy Advance. Dá pra acreditar? Os motherfuckers não só relançam um dos jogos mais velhos e pentelhos do mundo, como também querem que a gente jogue fingindo que está no fliperama.

O que torna as coisas mais revoltantes, é que há mais ou menos um mês atrás foi lançado para o Nintendo DS um jogo chamado Nervous Brickdown:

Jogão, meu (Não ligue para o 7,5 que a Gamespot deu, eles não sabem de nada). Releitura absolutamente criativa e inovadora do Arkanoid, e que utiliza tanto a tela de toque como o microfone de forma muito bem incorporada á jogabilidade. O tipo de jogo que te mostra como um bom desenvolvedor consegue aproveitar os recursos de uma plataforma inovadora como o DS, sem ter que ficar lançando porra de acessório junto, trambolho que só serve pra ser usado com um único jogo.

Sabem do que isso me lembra? Da Super Scope, a bazuca do Super Nintendo:

Ela morreu. Foi pro limbo dos acessórios inúteis. E Arkanoid do DS vai também.

Site para jogadores gays sai e entra no ar novamente.

Games segunda-feira, 06 de agosto de 2007 – 6 comentários

Desculpem pela piada no título, não pude resistir.

O site www.gaygamer.net, mantido por e direcionado aos jogadores homossexuais, foi alvo de ataques de hackers preconceituosos, que floodaram os fóruns do site e acabaram por tirá-lo do ar. Os ataques foram anunciados, e vieram acompanhados de mensagens ameaçadoras, devido á “orientação sexual” do site. Mas o site já está no ar novamente, mais poderosa do que nunca.

Alguns leitores aqui já devem ter percebido que sou defensor dos valores masculinos, mas esse tipo de notícia me torna um pirata ainda mais irado e raivoso. Porque por trás desse tipo de atitude está a boa e velha censura: o fato de algumas pessoas acharem que sabem o que é melhor pros outros.

Como já deixei claro no post de Manhunt 2, acredito que cada pessoa tem o direito inalienável de decidir por si mesma o que quer assistir, ouvir, falar ou fazer com seu corpo. Absolutamente NINGUÉM pode saber o que é melhor pra você além de você mesmo. Atacar e tirar um site do ar só porque você discorda do seu conteúdo ou da orientação sexual de quem o faz e visita, é um belo exemplo de intolerância e, em última análise, burrice patológica.

Esse grande navio pirata em que vivemos, só vai continuar singrando os mares se aprendermos a ser uma tripulação unida, e não jogando ao mar cada pirata que faz algo de que não gostamos. Isso é especialmente válido dentro da comunidade gamer, que tem sido alvo de censura nas mais diversas formas. Nos tornamos o bode expiatório de tudo que está errado na sociedade.

Colegas jogadores gays, sintam minha simpatia. ESTOU COM VOCÊS NESSA, GAROTAS.

Metaforicamente, é claro.

Eu já sabia! Filme de Warcraft anunciado.

Games domingo, 05 de agosto de 2007 – 7 comentários

Era inevitável.

Com o sucesso dos três jogos e o inacreditável número de assinantes de World of Warcraft (já se encaminhando para 10 MILHÕES de jogadores), até que demorou para os grandes estúdios de cinema sacarem que lançar um filme baseado no jogo seria lucro certo. Milhões de nerds reclamões seguramente se dirigirão ao cinemas mais próximo, para apontar os problemas e falhas do filme.

Normalmente eu faria uma previsão pessimista sobre a qualidade da película, já que 90% dos filmes baseados em vídeo-games são bombas espetaculares (Doom) ou trashs espetaculares (Resident Evil).

Porém, estamos falando da Blizzard, respeitadíssima produtora de jogos (Diablo, Starcraft) e conhecida pela qualidade gráfica de suas animações. Quem conhece a produtora, sabe que eles não jogam pra perder.

 WoW: 10 milhões de jogadores não podem estar errados.

Outro bom sinal é que o estúdio que deve produzir o filme é o Legendary Pictures,
responsável por Batman Begins e 300. Nomes de peso. Junte a isso um orçamento em torno de 100 milhões e podemos ter uma pequena esperança de algo surpreendente pela frente.

Pouco se fala sobre o enredo, mas este deve ser baseado nos eventos que antecedem
World of Warcraf; a idéia é construir um filme épico, nos moldes de 300. E, também como em 300, serão utilizados atores reais, dentro de cenários e sequências gerados em computador.

O lançamento está previsto para 2009.

Fonte: (aqui)

Metallica confirmado em Guitar Hero 3

Games sábado, 04 de agosto de 2007 – 1 comentário

Os economistas têm razão: a livre concorrência sempre beneficia o consumidor.

Depois do anúncio de que “Enter Sandman” vai estar presente no set list de Rock Band (o mais novo concorrente de Guitar Hero), a Activision dá o troco e anuncia que “One”, um dos maiores hits do Metallica e carro-chefe do álbum “And Justice for All”, vai fazer parte da lista de Guitar Hero III.

babygamer diz: “Até curto Metallica, mas só os discos que saíram antes de eu nascer.”

E o melhor: não vai ser um cover, estará disponível em sua versão original. “One”, com seus solos de guitarra nervosos, deve acabar com os dedos dos jogadores mais calejados.

Boa, Metallica! Quem sabe, colocando seus grandes clássicos nos nossos jogos preferidos, nós começamos a respeitar vocês de novo.

Agora o refrão, everybody:

Hold my breath as I wish for death
Oh please god,wake me

Metal forever, sucka.

Fonte: (aqui)

Fight the Power! Rockstar força a barra pra lançar Manhunt 2.

Games sexta-feira, 03 de agosto de 2007 – 5 comentários

Manhunt foi um dos jogos mais originais do Playstation 2, quando lançado em 2003. Não foi nenhum primor técnico, é verdade: os gráficos eram meia-boca e escuros demais, o jogo era lento, sem vídeos espetaculares e nem efeitos surpreendentes. Mas o jogo quebrou todos as barreiras aceitáveis de violência em um jogo (Hell, yeah!) e é, provavelmente, um dos jogos mais atmosféricos a sair pra um console, tão assustador e opressivo como o primeiro Silent Hill, por exemplo. Se você ainda não conhece, dê uma olhada aqui e aqui.

 

Manhunt: Gente boa da melhor qualidade.

4 anos depois, a Rockstar (Grand Theft Auto, Max Payne) tenta lançar Manhunt 2. E nesse ano podemos acompanhar uma das mais absurdas coisas que podem acontecer em qualquer indústria de entretenimento: a censura prévia.

Ou seja, SEM NEM MESMO VER O JOGO, os órgãos responsáveis pela avaliação e classificação etária (Nos EUA e Europa), decidiram que não iriam avaliar Manhunt 2, ou que ele só poderia sair com a classificação AO (Adults Only). Essa classificação equivale a dizer que o jogo seria comparável a um filme pornô com anões, cabritos e transformers homicidas, e que só deve ser visto por pessoas de mais de 85 anos e que já participaram de alguma guerra com mutilações de membros. A alegação é de que o jogo é “violento e perturbador demais”. Me sinto aliviado por saber que os órgãos responsáveis me protegem da violência DE MENTIRA que eu poderia ver no meu Playstation 2.

A classificação, mais do que indicar aos pais que o jogo é inadequado para crianças, serviu para banir o jogo nos países de língua inglesa e boa parte da Europa. Além disso, Nintendo e Sony declararam que não lançariam o jogo para seus respectivos consoles com essa classificação (o que me faz respeitar a Microsoft um pouquinho mais nesse momento, que preferiu não se declarar). A situação gerou comoção na comunidade gamer, e mesmo quem não gostava do primeiro jogo, passou a defender o direito de cada jogador decidir por si mesmo o que acha adequado ou não jogar, ao invés de deixar a decisão nas mãos de órgãos reguladores hipócritas.

E agora a Rockstar resolve reagir. Nesta semana a distribuidora de Manhunt 2 declarou:

Take-Two Interactive Software, Inc. confirmed today that Rockstar Games has appealed the British Board of Film Classification (BBFC) decision that prohibited the release of any version of Manhunt 2 in Britain.” (Fonte: aqui)

Traduzindo: A Rockstar apelou ao órgão regulador oficial (BBFC) que tinha proibido o
lançamento de qualquer versão de Manhunt 2 no Reino Unido.

E, ao contrário do Brasil, lá as apelações são coisa séria, e não apenas uma forma de prorrogar um processo. Com a apelação aumentam as chances do lançamento de Manhunt 2, pelo menos no Reino Unido. Mais do que uma vitória da Rockstar, seria uma vitória de todos os jogadores, que começam a ser levados a sério como uma comunidade que sabe pensar e escolher por si mesma. Way to go Rockstar!

confira

quem?

baconfrito