M.M.O.R.P.G. sem R.P.G.

Games quarta-feira, 07 de março de 2012 – 6 comentários

Massive Multiplayer Online Role-Playing Game, ou apenas M.M.O.R.P.G, eram os jogos de interpretação online em massa. Desde os mais simples, como o tão amado e odiado Tibia, até os mais completos, como World of Warcraft, esse gênero sempre atraiu – e ainda atrai – milhares de jogadores de todo o mundo, afinal, quem não quer viver uma aventura em um reino distante com magias, dragões e violência gratuita (Ou insira qualquer outro cenário)? NINGUÉM QUER… Isso mesmo, ninguém quer isso. O RPG, pelo menos no mundo online, morreu. Bem vindos a era dos M.M.O sem R.P.G.! continue lendo »

MMORPG

GameFreaks terça-feira, 09 de junho de 2009 – 8 comentários

Talvez vocês queiram ler este texto aqui. E esse daqui também. Mas tudo bem, vocês podem até já ter os lido. Ou não. Mas por que eu estou dizendo pra lerem isso? Eu queria que vocês… captassem a essência do que é… um MMORPG. Como eu já disse no texto do primeiro link, é um “Massively Multiplayer Online Role-Playing Game”, ou “Jodo de RPG online de vários jogadores”, pra simplificar. E vocês talvez queiram me perguntar de novo:”E daí?” continue lendo »

Procrastinação

GameFreaks sexta-feira, 24 de abril de 2009 – 5 comentários

Sim, o atraso da coluna foi todo planejado (aham) pra combinar melhor com o texto. Não acredita em mim, né? Pois saiba que nem ligo. Ou ligo, sei lá. Mas o que andei observando ultimamente, é que procrastinadores não saem do lugar.

E por que eu tou dizendo tudo isso? Experiência própria. Eu passei o feriado inteiro dormindo, jogando e coçando, esperando aparecer uma idéia pra coluna, quando ela tava bem na minha frente. Eu já tinha a coluna toda feita na minha cabeça, só não sabia ainda. Oras, o que poderia ser melhor?!

continue lendo »

Sobre o descaso das empresas com os servidores nacionais

GameFreaks quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009 – 11 comentários

O tema que eu iria escrever nesta semana era outro, mas decidi que esse era um assunto mais importante e que deveria ser abordado o quanto antes. Jogo MMORPGs há um tempo relativamente grande, 6 anos, e posso dizer um pouco sobre as minhas experiências.

Como muitos devem saber, comecei com o Tibia, o que durou bastante tempo, se comparar com vários outros MMOs pelos quais eu já passei, e, enfim, alguns de vocês podem não saber, mas o Tibia já teve um “mundo” brasileiro.

Issae, o Tibia TEVE UM SERVIDOR BRASILEIRO. Ele existe até hoje, só não é mais… brasileiro. Quem viveu naquela época sabe o que aconteceu. Todo um hype no TibiaBR, brasileiros ansiosos como macacos no cio e especulações sobre o porquê do nome. “Tenebra”. Desde deusas de mitologias estranhas, até associações com palavras e ao nosso país.

O mito, a lenda.

continue lendo »

Quer casar comigo?

GameFreaks quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009 – 13 comentários

Não, seus nerds da mão peluda, isso não foi pra vocês. Isso é só um título, um símbolo, entendeu? Espero que sim.

No post desta semana vou demonstrar um pouco da evolução da socialização nos jogos online. Talvez isso pudesse entrar no post “Simulando a vida real” mas… não, merece um post único.

No começo dos multiplayers, o máximo que podia acontecer era você e seu amigo saírem na briga pra ver quem iria ficar com o controle 1. Talvez pela escolha de personagens, também… A grande verdade é que o multiplayer era limitado e as vezes até… mais chato do que o single player, porque seu amigo não era bom que nem você – ou, o horror – era melhor. Tudo bem, eu não entendo muito dessa era, e este post é de opinião pessoal, então passemos para a próxima:

Nasce a internet, e, com ela, os primeiros jogos online. Interação de pessoas que não se conhecem, nunca se viram e talvez nunca venham a se ver. Conte isso pra sua vó, e ela vai dizer que é loucura. Conte isso pro teu primo de 5 anos, e ele vai dizer: “Ué, normal ._.”.

continue lendo »

Sobre MMOGs e MMORPGs

GameFreaks terça-feira, 11 de novembro de 2008 – 25 comentários

Permitam-me que eu me apresente, meu nome é Mario, e sou o novo estagiário do AoE. Como devem ter percebido, vou falar sobre MMOGs e MMORPGs, e neste tópico irei explicar-lhes o que são.

Primeiro, vamos começar a diferenciá-los pelo nome. Apesar de parecerem iguais, significam coisas diferentes:

MMOG: Massive Multiplayer Online Game – Jogo Online para Múltiplos Jogadores. Pode variar desde um jogo de futebol online, até jogos de tiro e dança.
MMORPG: Massive Multiplayer Online Role-Playing Game – Não tem uma tradução literal para Role-Playing, mas é algo como “Jogo Online Para Múltiplos Jogadores que segue uma Estória”. Ou seja, ele segue uma linha, uma história, que pode, inclusive, ser incrementada de acordo com os Updates que tal jogo recebe, tornando-o cada vez melhor. É, basicamente, um RPG Online, onde vários jogadores fazem sua “estória”. Eles ajudam NPCs (Non-Player Character, os “vendedores”) com seus problemas, ou os problemas da cidade, contados através das quests (missões), ou dos próprios NPCs.

Alguns exemplos de MMOGs são Combat Arms, Kick Off e Audition:

Combat Arms – Jogo de tiro da Nexon

Como exemplos de MMORPGs famosos temos Tibia, Maplestory, Lineage II, World of Warcraft:

MapleStory – MMORPG, também da Nexon

A diferença entre eles é grande, sendo que, nos MMOGs, não tem tanto assim algo que “prende” o jogador. Pode tanto ser levado à sério quanto ser tomado como um jogo casual. Já o MMORPG, é um jogo em que você dedica tempo e, muitas vezes, dinheiro, e começa até a se apegar ao personagem. No MMORPG, você também pode “montar” seu personagem do jeito que quiser, seguir um tipo de classe, etc. Já no MMOG, é difícil ocorrer algo deste tipo. Por isso, com o tempo, MMOGs podem acabar se tornando tediosos, já que acabam na mesmice, enquanto nos MMORPGs sempre vai ter algo mais pra se fazer.

Apesar de muitos MMOGs e MMORPGs ainda serem importados, existem empresas no Brasil especializadas em traduzí-los e adaptá-los para os brasileiros, criando um servidor nacional. Algumas famosas empresas deste ramo são Level Up! Games, com LineAge II, MapleStory e mais, OnGame com seu pequeno sucesso GunBound e GameMaxx, com o não muito conhecido Cabal Online. Quase sempre jogar no servidor local é a melhor opção, tanto por facilidades de pagamento das assinaturas ou de itens, quanto por melhor atendimento e facilidade de interpretação dos textos. Mas jogar em servidor internacional também pode ter vantagens. Em servidores internacionais sempre tem mais gente, você pode conhecer pessoas e culturas diferentes, além de poder treinar uma nova língua (quase sempre, o inglês). A desvantagem de ter um servidor local é quase única, sendo que quando se abre uma “franquia” do jogo em certo país, todos os IPs deste país são bloqueados nos servidores internacionais, com exceção das contas criadas antes da data de inauguração desta “franquia”.

Os Jogos Online também tem outra divisão. Existem Jogos Online pagos (P2P: Pay to Play) e gratuitos (F2P: Free to Play), apesar de muitos dos jogos pagos, futuramente, virarem gratuitos ou ganharem servidores gratuitos. Bons exemplos disso são Ragnarök, com seu servidor gratuito, e o Thor, lançado (não muito) recentemente. Outros exemplos são RF Online e Cabal Online, que também viraram gratuitos. Nos jogos pagos, normalmente, todos os jogadores estão em pé de igualdade, com possibilidades iguais de obterem os mesmos itens/leveis e acesso universal ao jogo. Já em jogos gratuitos, existem lojas de itens especiais, compradas com uma moeda virtual conseguida com dinheiro real, e obtidas apenas desta maneira. Também há jogos, como o Tibia, que não têm uma loja de itens, mas usa um sistema de Premium Account, onde o jogador Premium tem roupas novas, pode comprar casas e entrar em cidades acessíveis somente para jogadores premium.

Cabal Online – Um dos jogos pagos que virou gratuito

Nesse mundo também existem os servidores falsos de jogos, tanto dos pagos quanto dos gratuitos, onde você pode avançar mais fácil e, normalmente, pode obter tudo o que o jogo original tem a oferecer, de graça. Porém, não confie nesses servidores falsos. Muitas vezes eles vem com vírus, além de alguns cobrarem “vip”, se você quiser ter acesso total ao jogo, o que também não é uma boa idéia de se pagar, já que em vários casos, após alguns meses, o servidor fecha sem explicação alguma. Além disso, eles são muito chatos, por isso, jogue apenas o jogo original.

busca

confira

quem?

baconfrito