Aberturas de Filmes

Cinema segunda-feira, 26 de julho de 2010 – 17 comentários

Desde que comecei a ver filmes, perdi a conta de quantas vezes “passei as letrinhas”. E há quem faça isso até hoje: Dê um clique no controle remoto e pule todos os créditos iniciais. A culpa disso normalmente é da edição – que abusava de um fundo estático, letras básicas e música cafona. Porém, aberturas podem ser tão divertidas quanto (Ou até mais que) o próprio filme. A evolução do cinema trouxe resultados muito bons quando o assunto é esse, e hoje mostro aqui um apanhado de ótimos exemplos. Tem pra todos os gostos: Terror, ficção científica, super-herói, comédia e até cinema nacional. Dessa vez, no entanto, não há ordem de preferência, nem nenhum tipo de frescura classificação. Todas as aberturas aqui cumpriram o papel de serem suficientemente boas ao prenderem a atenção de qualquer expectador, cada uma à sua maneira, seja usando uma nova técnica, contando uma história ou usando uma música emblemática. Deixo claro também que procurei fugir das aberturas clássicas como Guerra nas Estrelas ou 007 (E suas 751.246 continuações). Essas até quem não assistiu conhece. Mesmo assim indico todos os filmes aqui citados e duvido muito que você não tenha visto ao menos três deles. Duvida? Então clica! continue lendo »

Cinema Brasileiro 2009 – Parte II

Primeira Fila sexta-feira, 27 de novembro de 2009 – 3 comentários

Os shoppings já colocaram sua decoração de fim de ano pra fora da sacola. Então por que eu não poderia começar a fazer retrospectivas? Apesar de me irritar com a comemoração do natal desde OUTUBRO, a verdade é que não vou postar no último mês do ano. Pelo menos não da forma convencional. Mas sobre isso vocês vão saber mais lá no final do texto. O que interessa hoje é que vou falar sobre os melhores (ou maiores) filmes de 2009 no mercado interno. Também conhecido como CINEMA NACIONAL. Ou “os filmes que você não assiste porque é um fresco antinacionalista” continue lendo »

Cinema Brasileiro 2009 – Parte I

Primeira Fila sexta-feira, 03 de julho de 2009 – 3 comentários

E lá se foi metade do ano. Outro avião caiu, a Madonna segue pegando Jesus, as pessoas continuam guerreando pra lá de Bagdá, o Rio de Janeiro continua lindo, o Michael Jackson morreu. E mais de 10 milhões de pessoas foram aos cinemas só pra ver filmes nacionais. ISSO sim é novidade. No ano de 2008 inteiro não teve esse tanto de gente. Só que o engraçado é que 60% desse povo todo assistiu um filme só. continue lendo »

Do Começo ao Fim – Veja o Trailer do polêmico filme brasileiro

Cinema quarta-feira, 13 de Maio de 2009 – 10 comentários

Finalmente um filme brasileiro que fuja da mesmice! Aluizio Abranches dirige e escreve o roteiro desse drama sobre dois irmãos (homens mesmo) que se apaixonam. Estão no elenco Júlia Lemmertz, João Gabriel Vasconcelos, Rafael Cardoso, Fábio Assunção e Jean-Pierre Noher. A questão é que o trailer (na verdade vídeo promocional) vazou no You Tube e já está fazendo sucesso.
continue lendo »

Cinema Nacional 2008 – 2º semestre

Primeira Fila sexta-feira, 01 de agosto de 2008 – 4 comentários

Em virtude da discussão da última coluna, resolvi fazer um levantamento dos filmes nacionais previstos para estrear nestes próximos 3 meses e imaginar se algum deles pode reveter o vergonhoso quadro de bilheterias do 1º semestre.

Obs.: as datas são de responsabilidade das distribuidoras e produtores, logo, pode haver mudança das mesmas até o seu lançamento em circuito nacional e ou outros filmes podem ser lançados neste intervalo de tempo que não estejam aqui citados.

A Encarnação do Dêmonio:
Após 30 anos preso, Zé do Caixão (José Mojica Marins) é finalmente libertado. Novamente em contato com as ruas, o sádico coveiro está decidido a cumprir a mesma meta que o levou preso: encontrar a mulher que possa lhe gerar um filho perfeito. Em seu caminho pela cidade de São Paulo, deixa um rastro de horror, enfrentando leis não-naturais e crendices populares. Já nasce candidato a cult, não acredito que faça sucesso de público, acredito em mais repercussão pela volta do Zé do Caixão.
Diretor: José Mojica Marins
Elenco: José Mojica Marins, Milhem Cortaz, Jece Valadão, Giulio Lopes, Luís Melo, Débora Muniz, Rui Resende, José Celso Martinez Corrêa.
Terror
Previsão de Estréia: 08/08

Olho de Boi:
Modesto (Genézio de Barros) e seu protegido Cirineu (Gustavo Machado) são peões de fazenda que se embrenham pelo sertão em busca de vingança. Não faço a menor idéia do resultado deste filme, deve passar em branco nos cinemas, espero que não, mas…
Diretor: Hermano Penna
Elenco: Genézio de Barros, Gustavo Machado, Angelina Muniz, Cacá Amaral. Drama
Previsão de Estréia: 15/08

Nossa Vida não Cabe num Opala:
Baseada em peça teatral de Mário Bortolotto, a história tem início com a morte do patriarca de uma família paulistana de classe média baixa. Ele passa a assistir às reações dos filhos a sua morte e ao desmoronamento da frágil estrutura familiar. Mesmo sem ter nomes muito conhecidos no elenco – globais – a trama parece genuinamente engraçada. Claro que espero que tenha humor negro, e Leonardo Medeiros, estreando em novelas globais atualmente, é um dos melhores atores do nosso cinema.
Diretor: Reinaldo Pinheiro
Elenco: Paulo César Pereio, Leonardo Medeiros, Milhen Cortaz, Gabriel Pinheiro. Drama
Previsão de Estréia: 15/08

Os Desafinados:
Cinco amigos que formam a banda Rio Bossa Cinco e buscam o sucesso, alimentando o sonho de tocar no Carnegie Hall, a célebre sala de concertos de Nova York que detonou o sucesso internacional de Tom Jobim e da Bossa Nova. Assim, desembarcam em Manhattan e lá encontram uma musa, filha de brasileira com americano, que voltará com eles ao Brasil ditatorial. Além de tocar flauta e clarineta, ela vai se tornar a chave para o florescimento pessoal dos rapazes. Chega aos cinemas cheio de expectativa, fala de música e juventude, e tem no elenco os excelentes nomes de Santoro, Mello e Claudia Abreu.
Diretor: Walter Lima Jr.
Elenco: Rodrigo Santoro, Cláudia Abreu, Selton Mello, Ângelo Paes Leme, Jair de Oliveira, Alessandra Negrini, Michel Bercovitch, Renato Borghi, Vanessa Gerbelli.
Drama
Previsão de Estréia: 29/08

O Mistério do Samba:
A cantora Marisa Monte conduz uma série de entrevistas que formam um painel do cotidiano e as histórias da Velha Guarda da Portela, grupo de veteranos artistas de uma das escolas de samba mais populares do Rio de Janeiro. Atende a públicos alvos.
Diretor: Carolina Jabor e Lula Buarque de Hollanda
Elenco: Depoimentos de: Paulinho da Viola, Zeca Pagodinho, Marisa Monte. Documentário
Previsão de Estréia: 29/08

Meu Nome é Dindi:
Dindi é proprietária de uma quitanda á beira da falência num bairro pobre e suburbano no Rio de Janeiro. Sua vida muda completamente quando ela começa a ser perseguida por um homem desconhecido. Não tenho a menor idéia de que caminho esta trama vai seguir, pode ser uma surpresa total ou, mais fácil, cair no esquecimento.
Diretor: Bruno Safadi
Elenco: Djin Sganzerla, Gustavo Falcão, Carlo Mossy, Nildo Parente, Maria Gladys. Drama
Previsão de Estréia: 05/09

Linha de Passe:
O filme conta a história de quatro irmãos da periferia de São Paulo que, com a ausência do pai, precisam lutar por seus sonhos. Um deles, Dario (Vinícius de Oliveira), vê em seu talento como jogador de futebol a esperança de uma vida melhor. Chega cheio de elogios e prêmios, como o de Cannes, marca o retorno de Walter Salles à filmografia nacional após o decepcionante Água Negra e ao episódio de Paris, Te Amo.
Diretor: Walter Salles, Daniela Thomas
Elenco: Vinícius de Oliveira, Ana Carolina Dias, José Geraldo Rodrigues, Kaique Jesus Santos, João Baldasserini.
Drama
Previsão de Estréia: 05/09

Ainda Orogotangos:
Durante 14 horas, quinze personagens transitam pelas ruas e prédios de Porto Alegre (RS). Japoneses vão ao limite no metrô; duas garotas se beijam em um ônibus enquanto discutem futebol e o saco do Papai Noel; o porteiro de um grande condomínio só pensa na cerveja no fim do expediente; uma mulher nua foge de pombas dentro de seu apartamento; entre outras situações inusitadas. Um dos mais promissores desta safra, trama mosaico, com diversos personagens e situações se cruzando, lembrando recentes sucessos internacionais comom Crash e Babel, ainda se passando em Porto Alegre, por mais que seja bairrismo meu, é sempre curioso ver uma cidade que você conhece na telona.
Diretor: Gustavo Spolidoro
Elenco: Karina Kazuê, Lindon Shimizu, Artur José Pinto, Kayodê Silva, Janaína Kremer, Renata de Lélis, Nilsson Asp, Arlete Cunha, Letícia Bertagna.
Comédia
Previsão de Estréia: 05/09

Orquestra dos Meninos:
Janeiro de 1995. Um integrante de 13 anos da Orquestra Sinfônica do Agreste da pequena cidade de São Caetano (Pernambuco) é sequestrado. O principal suspeito é o criador da orquestra, o maestro Mozart Vieira (Murilo Rosa), o que coloca o trabalho do músico em risco. Não sei, pode ser promissor, mas a trama pode cair facilmente na pieguice e blábláblá social.
Diretor: Paulo Thiago
Elenco: Murilo Rosa, Priscila Fantim, Othon Bastos, Lais Corrêa, Gustavo Gasparani.
Drama
Previsão de Estréia: 05/09

Ensaios Sobre a Cegueira: (co-produção)
Adaptação do premiado livro escrito por José Saramago, mostra uma inexplicável epidemia de cegueira branca que se alastra rapidamente. Todos os cegos são enviados para um hospital psiquiátrico abandonado, onde ficam isolados do mundo. Eu sei que o filme é estrangeiro, no entanto, com Fernando Meirelles na direção vale o comentário. A trama parece bastante densa e pesada e o elenco fantástico, um dos mais aguardados – entre todos – neste segundo semestre.
Diretor: Fernando Meirelles
Elenco: Julianne Moore, Mark Ruffalo, Alice Braga, Danny Glover, Gael García Bernal, Sandra Oh, Jorge Molina, Katherine East, Scott Anderson, Danny Glover.
Suspense/Drama
Previsão de Estréia: 12/09

Casa da Mãe Joana:
Três amigos de longa data dividem um amplo e antigo apartamento de classe média. Com personalidades completamente diferentes, eles só concordam no estilo de vida festivo. Mas, quando eles correm o risco de perderem o apartamento caso não paguem hipoteca, pensam em voltar a trabalhar. Ou cometer um golpe. Excelente oportunidade de rever Pedro Cardoso nos cinemas, mesmo que seja fazendo um tipo parecido com seu personagem na série A Grande Família; e Hugo Carvana, como diretor, sabe retratar fielmente os famosos malandros nos cinemas.
Diretor: Hugo Carvana
Elenco: Pedro Cardoso, José Wilker, Paulo Betti, Claudio Marzo, Miele, Laura Cardoso, Juliana Paes, Malu Mader, Arlete Salles, Beth Goulart.
Comédia
Previsão de Estréia: 19/09

Última Parada 174:
Versão ficcional da vida do ex-menor de rua, assaltante e sobrevivente da Chacina da Candelária, que cometeu o seqüestro do ônibus da linha 174, em junho de 2000, no Rio de Janeiro. Não sei se havia necessidade de novelizar o excelente documentário de José Padilha sobre este evento trágico, mesmo porque a família Barreto anda devendo um bom filme há anos.
Diretor: Bruno Barreto
Drama
Previsão de Estréia: 03/10

A Guerra dos Rocha:
A simpática e desastrada velhinha Dina Rocha (Ary Fontoura) tem três filhos adultos – Marcos Vinicius (Diogo Vilela), César (Marcelo Antony) e Marcelo (Lúcio Mauro Filho) que vivem em pé de guerra sobre quem deve ficar com a mãe. Durante uma das muitas batalhas familiares, Dona Dina some e quando os filhos percebem a ausência da mãe, parece que já é tarde demais. O que esperar de uma trama tão farsesca quanto esta? Risos, a princípio, espero que Jorge Fernando tenha melhor sorte do que no inexpressivo Sexo, Amor & Traição, sua estréia na telona.
Diretor: Jorge Fernando
Elenco: Ary Fontoura, Lúcio Mauro Filho, Taís Araújo, Marcelo Antony, Giulia Gam, Diogo Vilela, Ludmila Dayer, Ailton Graça, Nicete Bruno, Cecília Dassi, Felipe Dylon, Zéu Brito, Angelo Paes Leme.
Comédia
Previsão de Estréia: 10/10

A Mulher do Meu Amigo:
Filme conta a história do bem-sucedido homem de negócios Thales (Marcos Palmeira), que está em crise com sua profissão. Casado com a rica, bonita e mimada Renata (Mariana Ximenes), ele trabalha no escritório do poderoso e amoral empresário Augusto (Antônio Fagundes) que, além de chefe, é também seu sogro. Durante uma temporada de férias, desfrutada numa casa de campo com sua esposa e os amigos de longa data Rui (Otávio Müller) e Pamela (Maria Luisa Mendonça), Thales decide que vai parar de trabalhar. A resolução, aparentemente pessoal e intransferível, acaba afetando a vida de todos que o cercam e desencadeando uma série de confusões, como uma improvável troca entre os casais. Não achei a trama muito interessante, mas o diretor Claudio Torres dirigiu um dos filmes mais instigantes dos últimos anos no cinema nacional, Redentor, quem sabe uma surpresa!
Diretor: Cláudio Torres
Elenco: Mariana Ximenes, Marcos Palmeira, Maria Luisa Mendonça, Otávio Muller, Antonio Fagundes.
Comédia
Previsão de Estréia: 17/10

Romance
Ana (Letícia Sabatella) e Afonso (Wagner Moura) são dois jovens atores que se apaixonam durante a montagem teatral de Romance de Tristão e Isolda. Ao mesmo tempo que recriam a história deste casal mítico que está na origem de todos os casais românticos, eles tentam descobrir para si próprios uma nova forma de se relacionar. Será que Guel Arraes volta a acertar a mão depois do incrível sucesso de Auto da Compadecida e Lisbela e o Prisioneiro?
Diretor: Guel Arraes
Elenco: Wagner Moura, Letícia Sabatella, Andrea Beltrão, José Wilker, Bruno Garcia, Tonico Pereira, Vladimir Brichta, Edmilson Barros, Marco Nanini. Drama
Previsão de Estréia: 21/10

Cinema Nacional 2008 – Alguém Viu?

Primeira Fila sexta-feira, 25 de julho de 2008 – 15 comentários

Ainda fazendo um balanço deste 1º semestre de 2008, dêem uma observada na listagem de filmes brazucas lançados nestes primeiros seis meses e suas respectivas bilheterias. Os números são de um boletim da Filme B – não um boletim final do semestre, vale dizer, porque foi divulgado no final de junho, antes do semestre de fato terminar. É de chorar…

Meu Nome Não é Johnny – 2.115.000 espectadores;
Chega de Saudade – 164.770 espectadores;
Polaróides Urbanas – 85.000 espectadores;
Estômago – 69.418 espectadores;
O Banheiro do Papa – 28.139 espectadores (co-produção Uruguai, Brasil e França);
Garoto Cósmico – 26.000 espectadores;
Maré, Nossa História de Amor – 21.662 espectadores;
Juízo – 12.000 espectadores;
Bodas de Papel – 10.899 espectadores;
Falsa Loura – 6.310 espectadores;
Condor – 4.664 espectadores;
Cinco Frações de uma Quase História – 4.315 espectadores;
Cleópatra – 3.830 espectadores;
Valsa para Bruno Stein – 3.010 espectadores;
Longo Amanhecer – Cinebiografia de Furtado – 2.958 espectadores;
Serras da Desordem – 2.744 espectadores;
Fim de Linha – 1.811 espectadores;
Corpo – 1.764 espectadores;
O Tempo e o Lugar – 1.434 espectadores;
O Romance do Vaqueiro Voador – 600 espectadores;
1958 – Ano em que o Mundo Descobriu o Brasil – 588 espectadores;
Otávio e as Letras – 513 espectadores;
Atabaques Nzinga – 141 espectadores;

Alguns comentários…

>>> Vale lembrar que boa parte desses filmes ainda está sendo exibida nos cinemas, ou seja, seus números devem aumentar nos próximos dias, ou semanas, ou meses;

>>> Uma grande parcela destes lançamentos acima são de documentários, gênero que por si próprio fica restrito a um pequeno circuito (quando é lançado nos cinemas);

>>> O abismo de público entre o 1º colocado – Meu Nome Não é Johnny – e os demais;

>>> Qual seria a receita para um filme com apelo popular e boa história?

>>> De vez em quando acredito que o cinema brasileiro vive de fenômenos (filmes que gerem grande bilheteria), nunca será uma indústria auto-sustentável. Não esqueçam que a maioria dos filmes possui verba pública na sua realização;

>>> No entanto, se eles conseguem verba pública, como o governo ainda não conseguiu criar uma politíca de exibição dos mesmos? Apesar que isto cheira a lei que obrigaria os cinemas a exibirem os filmes, e não ao público mudar de atitude e assitir a mais filmes nacionais (polêmica esta questão!);

>>> E por último, vocês não têm a impressão que a grande maioria dos filmes parece ser feito somente para ser um tipo de “filme cabeça” ou cult? Não vejo uma atitude pró-público de criar interesse em assistí-lo, isto desde a divulgação de notícias pré-produção, filmagens e pôsters, não se trabalha com expectativa de lançamento do filme, assim fica difícil criar um elo entre o público e o filme antes mesmo da estréia (olha o exemplo de Tropa de Elite, mesmo com toda pirataria – e foi grande – o filme criou antes mesmo de sua estréia uma expectativa positiva, sendo que um grande público esperou pela seu lançamento nos cinemas para conferí-lo).

confira

quem?

baconfrito