Scott Pilgrim Contra O Mundo (Scott Pilgrim Vs. the World)

Cinema quarta-feira, 27 de Abril de 2011

 Há algum tempo, nosso colunista de música K mostrou suas impressões sobre a HQ Scott Pilgrim e fez uma comparação com o longa lançado em 2010. O saldo final foi que a HQ era bem superior ao filme, o que na minha opinião pode soar errado ao olhos de quem lê (WTF??). De qualquer forma, estou aqui para defender Scott Pilgrim Contra O Mundo, filme que passou despercebido e se mostrou uma produção cinematográfica sensacional. Antes de tudo, que fique claro, literatura e cinema podem até se relacionar, mas são tipo água e óleo: Não se misturam. Pelo menos no meu mundo não.

O filme conta a história do protagonista Scott Pilgrim, um cara canadense de 23 anos, baixista de uma banda de garagem que namora uma menina garota de 17 anos. Até aí tudo (Quase) bem, não fosse Scott conhecer e se apaixonar por Ramona Flowers, uma exótica garota americana. Mesmo sendo um completo idiota nas primeiras conversas com Ramona, Scott consegue levá-la pra sair, mas tem um grande trabalho pela frente se quiser continuar a vê-la: Deve lutar contra (E vencer) uma liga de 7 ex-namorados de sua peguete. Em paralelo, Scott tem de enfrentar situações mal resolvidas, como a atual namorada de 17 anos e um pé na bunda ainda não superado.

 Onomatopéia é issae, noob!

A história já era conhecida do público através da HQ, mas ganhou vida nova e ficou mais popular nessa adaptação para o cinema. Scott Pilgrim foi desenvolvido de forma criativa e surpreende nos efeitos e na edição impecável. Tudo aqui foi milimetricamente calculado para se parecer com uma HQ e, melhor ainda, com um game – quem é fã de jogos vai se sentir em casa. O filme é repleto de onomatopéias (Google, vai! Onomatopéia: Figura de linguagem onde se produz um som com um fonema ou palavra) e lutas dignas dos lendários Mortal Kombat, Street Fighter e jogos estilo arcade. A vinheta da Universal pixelada e com música de game abre o filme em grande estilo e mostra um pouco do que está por vir.

Como se não bastasse, Scott Pilgrim nos deu uma das melhores trilhas sonoras do ano passado. Bandas de indie rock, Sex bomb-OMB (A banda de Scott), Prodigy a Rolling Stones, embalam o longa e suas várias versões de trailers. Antes de ver o filme, eu torcia para que não jogassem música alternativa goela abaixo e fiquei feliz ao perceber que a dose foi de bom tamanho. Não há excesso de cenas com música e a produção é coerente do começo ao fim, tem uma ótima história a ser contada e descobriu como prender o expectador de forma inovadora, bem-humorada.

 Hmmmm.

Scott Pilgrim só perde ponto quando vamos para o elenco. Michael Cera convence como Scott, mas juro que ele poderia ser mais que meia dúzia de geeks no cinema. Mary Elizabeth Winstead, que ficou irreconhecível como Ramona Flowers, conseguiu me confundir algumas vezes com o rosto apático. O colega de quarto gay de Scott, Lawrence, é interpretado com glória por Kieran Culkin e é de longe um dos personagens mais carismáticos no filme. Algumas outras atuações parecem forçadas demais, ensaiadas demais, mas não chegam a comprometer o todo. O que achei dispensável foi a personagem Stacey, irmã de Scott, interpretada por Anna Kendrick. Nos quadrinhos ela até pode fazer diferença, mas aqui ela aparece em algumas poucas cenas e Kendrick parece não se misturar, não se homogeneizar com o elenco.

Falando em misturas, voltamos à conversa da água e óleo lá do começo. Nos quadrinhos, a história é muito mais explorada, o que é compreensível pela quantidade de volumes (Seis). O cinema tem sempre uma limitação de tempo quando vão fazer suas adaptações e certa liberdade para engolir alguns personagens, o que nem sempre resulta em filme ruim. Scott Pilgrim me deixou a mesma boa impressão que a adaptação de Constantine para as telonas, é um filme que vale muito a pena, embora não tenha a mesma riqueza da HQ. Não dá pra misturar as duas artes, cada uma tem seu foco. E o foco do cinema é entreter, alimentar os olhos e a mente. E nisso Scott Pilgrim contra o Mundo não abre espaço para churumelas, foi um dos filmes mais aguardados pelos geeks do mundo e fez jus ao tamanho da expectativa. Bom do começo ao game over.

Scott Pilgrim Contra O Mundo

Scott Pilgrim Vs. the World (112 minutos – Ação / Comédia)
Lançamento: EUA, Inglaterra, Canadá, 2010.
Direção: Edgar Wright
Roteiro: Edgar Wright, Michael Bacall, Brian Lee O’Malley.
Elenco: Michael Cera, Mary Elizabeth Winstead, Kieran Culkin, Ellen Wong, Anna Kendrick.

Leia mais em: , , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito