Estreias da Semana – 02/06/2016

Cinema quinta-feira, 02 de junho de 2016 – 0 comentários

Warcraft – O Primeiro Encontro de Dois Mundos (Warcraft)
Com: Travis Fimmel, Toby Kebbell, Paula Patton, Ben Foster, Dominic Cooper, Ruth Negga, Robert Kazinsky, Daniel Wu, Clancy Brown, Ben Schnetzer e Callum Keith Rennie
Azeroth era uma região pacífica, até que os orcs invadiram, pilhando, matando e estuprando, não necessariamente nessa mesma ordem. Mas como eles chegaram até lá? Um portal foi aberto, e ambos os grupos tem de lutar contra sua extinção.
Reza a lenda que, se você ignorar que é baseado em uma série de jogos, o filme até se torna bacana. E esse título nacional indica uma esperança de continuações. continue lendo »

M.M.O.R.P.G. sem R.P.G.

Games quarta-feira, 07 de março de 2012 – 6 comentários

Massive Multiplayer Online Role-Playing Game, ou apenas M.M.O.R.P.G, eram os jogos de interpretação online em massa. Desde os mais simples, como o tão amado e odiado Tibia, até os mais completos, como World of Warcraft, esse gênero sempre atraiu – e ainda atrai – milhares de jogadores de todo o mundo, afinal, quem não quer viver uma aventura em um reino distante com magias, dragões e violência gratuita (Ou insira qualquer outro cenário)? NINGUÉM QUER… Isso mesmo, ninguém quer isso. O RPG, pelo menos no mundo online, morreu. Bem vindos a era dos M.M.O sem R.P.G.! continue lendo »

Sobre a importância de jogar corretamente

Nerd-O-Matic quinta-feira, 05 de fevereiro de 2009 – 11 comentários

Vocês jogam pouco.

Quem acompanha essa coluna há algum tempo já me viu escrevendo esta frase por diversas vezes: vocês jogam pouco, vocês deviam jogar mais.

Tipo isso.

continue lendo »

Ozzy Osbourne na nova propaganda de… WoW?

Games quarta-feira, 26 de novembro de 2008 – 7 comentários

Não, vocês não leram errado, meus queridos leitores. Ozzy Osbourne foi contratado pela Blizzard pra fazer a propaganda da nova expansão de World of Warcraft, Wrath of the Lich King.

Ou seja, além de lançar uma expansão de 40 dólares pra arrancar mais dinheiro de nerd do que cigarro de fumante, eles ainda usam uma “lenda viva” pra chamar atenção. Ou eles querem dominar o mundo, ou eles estão criando um exército de jovens através de lavagem cerebral, que vai destruir a Terra e seguir para a galáxia, destruindo cada planeta em seu caminho. Enfim, aí vai o comercial:

É, a propaganda não ficou lá essas coisas mas… É OZZY OSBOURNE, VÉI!

World of Wacraft, nos impressionando a cada dia…

World of Warcraft ganha nova expansão

Games sexta-feira, 14 de novembro de 2008 – 5 comentários

Muitos de vocês já devem ter ouvido, WoW ganha nova expansão, e essa chegou HOJE na Europa e nos EUA.

WoW é o jogo online mais famoso do mundo, apesar da “febre” não ter pego no Brasil, principalmente por ser pago. Ele e suas expansões vêm sendo os jogos de PC mais vendidos desde 2005, e seu lançamento foi em novembro de 2004. Se não, era capaz de ser desde então.

Os nerds de lá fizeram FILA pra comprar a expansão, cara, E FORAM VESTIDOS À CARÁTER, com espadas e pets, entre outras coisas. Duvidam? Vejam a foto:

Estavam duvidando, né?

Mas então, Junnin, o que tem de novo nessa expansão? Vê se pára de encher linguiça, véi!

Bem, respondendo à sua pergunta, caro leitor, nesta nova expansão de WoW vai ser possível conseguir o Lv. 80, sendo que o máximo até agora é o Lv. 70, além de novas quests e uma nova classe, o DeathKnights, que vai poder ser criado a partir do lv.55. DeathKnight é a primeira Hero Class.

Ok, agora não posso postar uma foto da expansão, porque eu simplesmente NÃO POSSO PAGAR 40 dólares por ela, mas assim que eu conseguir ter acesso ao jogo e à expansão, trago-lhes mais notícias e fotos.

Já o resto, podem conferir no site oficial:
Site Oficial – World of Warcraft

Sobre MMOGs e MMORPGs

GameFreaks terça-feira, 11 de novembro de 2008 – 25 comentários

Permitam-me que eu me apresente, meu nome é Mario, e sou o novo estagiário do AoE. Como devem ter percebido, vou falar sobre MMOGs e MMORPGs, e neste tópico irei explicar-lhes o que são.

Primeiro, vamos começar a diferenciá-los pelo nome. Apesar de parecerem iguais, significam coisas diferentes:

MMOG: Massive Multiplayer Online Game – Jogo Online para Múltiplos Jogadores. Pode variar desde um jogo de futebol online, até jogos de tiro e dança.
MMORPG: Massive Multiplayer Online Role-Playing Game – Não tem uma tradução literal para Role-Playing, mas é algo como “Jogo Online Para Múltiplos Jogadores que segue uma Estória”. Ou seja, ele segue uma linha, uma história, que pode, inclusive, ser incrementada de acordo com os Updates que tal jogo recebe, tornando-o cada vez melhor. É, basicamente, um RPG Online, onde vários jogadores fazem sua “estória”. Eles ajudam NPCs (Non-Player Character, os “vendedores”) com seus problemas, ou os problemas da cidade, contados através das quests (missões), ou dos próprios NPCs.

Alguns exemplos de MMOGs são Combat Arms, Kick Off e Audition:

Combat Arms – Jogo de tiro da Nexon

Como exemplos de MMORPGs famosos temos Tibia, Maplestory, Lineage II, World of Warcraft:

MapleStory – MMORPG, também da Nexon

A diferença entre eles é grande, sendo que, nos MMOGs, não tem tanto assim algo que “prende” o jogador. Pode tanto ser levado à sério quanto ser tomado como um jogo casual. Já o MMORPG, é um jogo em que você dedica tempo e, muitas vezes, dinheiro, e começa até a se apegar ao personagem. No MMORPG, você também pode “montar” seu personagem do jeito que quiser, seguir um tipo de classe, etc. Já no MMOG, é difícil ocorrer algo deste tipo. Por isso, com o tempo, MMOGs podem acabar se tornando tediosos, já que acabam na mesmice, enquanto nos MMORPGs sempre vai ter algo mais pra se fazer.

Apesar de muitos MMOGs e MMORPGs ainda serem importados, existem empresas no Brasil especializadas em traduzí-los e adaptá-los para os brasileiros, criando um servidor nacional. Algumas famosas empresas deste ramo são Level Up! Games, com LineAge II, MapleStory e mais, OnGame com seu pequeno sucesso GunBound e GameMaxx, com o não muito conhecido Cabal Online. Quase sempre jogar no servidor local é a melhor opção, tanto por facilidades de pagamento das assinaturas ou de itens, quanto por melhor atendimento e facilidade de interpretação dos textos. Mas jogar em servidor internacional também pode ter vantagens. Em servidores internacionais sempre tem mais gente, você pode conhecer pessoas e culturas diferentes, além de poder treinar uma nova língua (quase sempre, o inglês). A desvantagem de ter um servidor local é quase única, sendo que quando se abre uma “franquia” do jogo em certo país, todos os IPs deste país são bloqueados nos servidores internacionais, com exceção das contas criadas antes da data de inauguração desta “franquia”.

Os Jogos Online também tem outra divisão. Existem Jogos Online pagos (P2P: Pay to Play) e gratuitos (F2P: Free to Play), apesar de muitos dos jogos pagos, futuramente, virarem gratuitos ou ganharem servidores gratuitos. Bons exemplos disso são Ragnarök, com seu servidor gratuito, e o Thor, lançado (não muito) recentemente. Outros exemplos são RF Online e Cabal Online, que também viraram gratuitos. Nos jogos pagos, normalmente, todos os jogadores estão em pé de igualdade, com possibilidades iguais de obterem os mesmos itens/leveis e acesso universal ao jogo. Já em jogos gratuitos, existem lojas de itens especiais, compradas com uma moeda virtual conseguida com dinheiro real, e obtidas apenas desta maneira. Também há jogos, como o Tibia, que não têm uma loja de itens, mas usa um sistema de Premium Account, onde o jogador Premium tem roupas novas, pode comprar casas e entrar em cidades acessíveis somente para jogadores premium.

Cabal Online – Um dos jogos pagos que virou gratuito

Nesse mundo também existem os servidores falsos de jogos, tanto dos pagos quanto dos gratuitos, onde você pode avançar mais fácil e, normalmente, pode obter tudo o que o jogo original tem a oferecer, de graça. Porém, não confie nesses servidores falsos. Muitas vezes eles vem com vírus, além de alguns cobrarem “vip”, se você quiser ter acesso total ao jogo, o que também não é uma boa idéia de se pagar, já que em vários casos, após alguns meses, o servidor fecha sem explicação alguma. Além disso, eles são muito chatos, por isso, jogue apenas o jogo original.

Uwe Boll é EXCLUÍDO de adaptação do game World of Warcraft para as telonas

Cinema quinta-feira, 24 de abril de 2008 – 2 comentários

Segundo o Judão, olha o que o cara disse:

Eu entrei em contato com Paul Sams da Blizzard, e ele disse, “Nós não vamos te vender os direitos para que você faça um filme, não para você… Especialmente, não para você. Por ser um jogo de sucesso online tão grandioso, talvez um filme ruim destruiria todo rendimento construído que a companhia tem como o game”.

OWNED!

Nesses dias eu tive a infelicidade de ver o filme House of the Dead, outra adaptação dos games para as telonas. Uma merda. Pra quem não sabe, tá até rolando uma petição pra tirar o cara dessa profissão. Apoio total. A próxima meta é tirar Mark Steven Johnson, tão afim?

Eu já sabia! Filme de Warcraft anunciado.

Games domingo, 05 de agosto de 2007 – 7 comentários

Era inevitável.

Com o sucesso dos três jogos e o inacreditável número de assinantes de World of Warcraft (já se encaminhando para 10 MILHÕES de jogadores), até que demorou para os grandes estúdios de cinema sacarem que lançar um filme baseado no jogo seria lucro certo. Milhões de nerds reclamões seguramente se dirigirão ao cinemas mais próximo, para apontar os problemas e falhas do filme.

Normalmente eu faria uma previsão pessimista sobre a qualidade da película, já que 90% dos filmes baseados em vídeo-games são bombas espetaculares (Doom) ou trashs espetaculares (Resident Evil).

Porém, estamos falando da Blizzard, respeitadíssima produtora de jogos (Diablo, Starcraft) e conhecida pela qualidade gráfica de suas animações. Quem conhece a produtora, sabe que eles não jogam pra perder.

 WoW: 10 milhões de jogadores não podem estar errados.

Outro bom sinal é que o estúdio que deve produzir o filme é o Legendary Pictures,
responsável por Batman Begins e 300. Nomes de peso. Junte a isso um orçamento em torno de 100 milhões e podemos ter uma pequena esperança de algo surpreendente pela frente.

Pouco se fala sobre o enredo, mas este deve ser baseado nos eventos que antecedem
World of Warcraf; a idéia é construir um filme épico, nos moldes de 300. E, também como em 300, serão utilizados atores reais, dentro de cenários e sequências gerados em computador.

O lançamento está previsto para 2009.

Fonte: (aqui)

busca

confira

quem?

baconfrito