Filmes Rock ‘n’ Roll

Cinema sexta-feira, 27 de julho de 2012 – 0 comentários

Duas coisas que eu amo: Filmes e rock ‘n’ roll. Então, imaginem essas duas paixões juntas, se complementando. Alguns filmes conseguem absorver completamente a atmosfera do rock, com toda a sua ousadia, liberdade e anarquia. Outros utilizam o estilo musical para adicionar inconformismo e protesto em certas cenas, ou apenas intensificar o romantismo de uma sequência. Mas uma coisa é certa: Rock na trilha sonora faz bem para qualquer filme. Vamos a alguns filmes que usam e abusam do bom e velho rock ‘n’ roll. continue lendo »

Finais Inesperados

Cinema terça-feira, 17 de janeiro de 2012 – 17 comentários

Uma das sensações que o cinema nos proporciona que mais gosto é a surpresa ao final de um filme. Mas não são todos que conseguem nos surpreender ou nos fazer pensar naqueles poucos minutos finais para entender a mensagem que o diretor nos quis passar. Listei alguns que desses, usando de critério os finais que menos confirmam nossas expectativas. Já aviso de uma vez, se não quiser saber o desfecho de um dos filmes abaixo, nem leia. continue lendo »

Homenagem: Dennis Hopper, Easy Rider e a Independência do Cinema

Clássico é Clássico segunda-feira, 31 de Maio de 2010 – 1 comentário

Dennis Hopper morreu. Como eu sei que vocês são jumentos cinematográficos, tenho certeza que acham que a maior contribuição dele para a 7a arte foi sua atuação em Velocidade Máxima. Então deixa eu esclarecer uma coisa – este homem, ao lado de Peter Fonda, foi responsável por uma obra que poderia ser facilmente considerada um décimo terceiro hiperclássico. Esta obra se chama Sem Destino a.k.a. Easy Rider.

Mas o que essa obra trouxe de tão revolucionária? Seria o primeiro papel marcante de Jack Nicholson? Ou por ter Born to be Wild na trilha sonora? Talvez por ser o pai dos road movies? Não. Estes são apenas alguns “extras” dessa marcante obra. continue lendo »

“TOP 100 FILMES BACON FRITO” 100 – 96

Cinema segunda-feira, 30 de novembro de 2009 – 13 comentários

100) Tropa de Elite

(José Padilha, 2007)

Pedro: Se Tropa de Elite fosse um filme americano ele muito provavelmente passaria batido pelas terras brasileiras: seria somente mais um (ótimo) filme de ação. Porém este é um dos casos em que a estrutura transforma uma obra em algo muito maior: Tropa de Elite se tornou um fenômeno de proporções colossais. Capitão Nascimento (Wagner Moura) se tornou um ícone e milhares de expressões foram incorporadas ao vocabulário de todos os brasileiros

Uiara: O cinéfilo. O mendigo. O playboy. O traficante. Classe A. Classe B. Classe J. O nerd. O porra-louca. O padeiro. O William Bonner. Sua mãe. Qualquer brasileiro sabe citar ao menos 1 frase desse filme. Raramente isso acontece com o cinema nacional, convenhamos. É também dos poucos que adquiriram sucesso na telona mesmo depois da onda de pirataria que o tornou famoso. A história é original para a terra tupiniquim por ser a primeira vez que vemos a questão do tóchico pelo lado da polícia e que no fim das contas divide a culpa do tráfico (e da violência, consequentemente) da forma certa: ninguém é santo e todos são vítimas.
continue lendo »

confira

quem?

baconfrito