Finais Inesperados

Cinema terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Uma das sensações que o cinema nos proporciona que mais gosto é a surpresa ao final de um filme. Mas não são todos que conseguem nos surpreender ou nos fazer pensar naqueles poucos minutos finais para entender a mensagem que o diretor nos quis passar. Listei alguns que desses, usando de critério os finais que menos confirmam nossas expectativas. Já aviso de uma vez, se não quiser saber o desfecho de um dos filmes abaixo, nem leia.

Dr. Fantástico – Stanley Kubrick, 1964

Uma das melhores comédias de todos os tempos tratava de um assunto bastante delicado, a guerra fria. Na época do conflito, Kubrick fez um filme sarcástico e com um humor negro nunca usado antes. É importante ressaltar também a performace incrível de Petter Sellers ao interpretar quatro papéis no filme, mas infelizmente, o ator não foi premiado com o Oscar do ano. Quem imaginaria que o filme terminaria com a destruição do mundo pela guerra atômica?

 Iiiihhaaaaaaaaaaaa!

Donnie Darko – Richard Kelly, 2001

Um dos filmes que mais me surpreenderam na vida foi Donnie Darko, e não só por causa do final inesperado. O filme que era desconhecido para mim foi apresentado através do Top 100 filmes do Bacon Frito, e o vilão fantasiado de coelho negro foi o que mais me chamou a atenção. Com um enredo que contempla os problemas da adolescência, física quântica, universos paralelos e até coisas sobrenaturais, o filme do diretor Richard Kelly merece destaque como um dos finais mais intrigantes de todos. Sério, eu devo ter ficado semanas a fio pensado sobre a conclusão da obra. Se você ainda não viu, não perca mais tempo.

 Acho que vai chover

Sem Destino – Dennis Hopper, 1969

Obrigatório para qualquer um que goste de motos, rock ‘n’ roll e, é claro, cinema. Um dos road movies mais aclamados de todos os tempos é um filme que inspira o lado selvagem de cada um de nós. Após qualquer sessão com a obra dá a vontade de pegar uma moto e sair por aí, desbravando o mundo e conhecendo a liberdade de ser um homem livre da sociedade. Mas duvido que você, pequeno gafanhoto, não ficou em choque com o término repentino da aventura, se perguntando, “porra, isso tá certo? Acabou mesmo?”. Lembro que recomendei a um amigo, que estranhou da mesma maneira, e concluiu que a grana dos caras acabou e eles tiveram que terminar o filme de uma maneira desmazelada. Foram horas tentando convencer que a mensagem do filme já havia sido passada.

 “Get your motor running…”

Psicose – Alfred Hitchcock, 1951

EU já tinha ouvido falar tanto de Psicose antes de assistí-lo (E você também), que para mim o final não foi tão surpreendente, mas imagino a cara que os fãs do diretor inglês ficaram ao término do filme. Considerado por muitos como a obra prima de Hitchcock (Visão que não compartilho, prefiro Festim Diabólico, Disque M para Matar e Janela Indiscreta), Psicose chegou a ser eleito o melhor filme de suspense de todos os tempos. É fato que Hitch sabia prender a atenção do espectador até o final, e talvez seja nesse filme que ele mais teve êxito.

 “Não é a mamãe, não é a mamãe!”

O Bebê de Rosemary – Roman Polanski, 1968

É inegável que O Bebê de Rosemary tem uma carga pessimista que aumenta a cada minuto que o filme é desenvolvido, e é justamente por isso que seu final se torna surpreendente. Polanski conseguiu, de modo magnífico, fazer com que o público criasse uma aversão sobrenatural pela situação na qual se encontrava a jovem Rosemary (Interpretada brilhantemente por Mia Ferrow), que é impossível que não esperássemos que tudo se resolveria no final. Parecia que Polanski já previa a maldição que cairia sobre sua casa, quando no ano posterior, o bando de Charles Mason invadiu um jantar em sua casa e matou sua esposa, grávida.

 “OLHA A FACA!”

Jogos Mortais – James Wan, 2004

E agora o final que achei mais fodástico até hoje. Bom, não sei se vocês sabem, mas não sou muito lá chegado em lançamentos (E Jogos Mortais era um na época), mas falaram tão bem do filme que tive que dar uma conferida logo nos primeiros dias que lançaram o DVD. A contagem regressiva marcava um minuto e quarenta e quatro segundos para o fim, e eu lá, com a minha mania de fazer uma crítica mental do filme:

“Pô, é um filme independente maneiro, feito sem muitos recursos, praticamente um só ambiente, boa direção, trilha sonora e umas questões pertinentes levantadas, mas não é tudo que disseram nem a pau”.

Ao final daqueles um minuto e quarenta e quatro segundos eu, ” PUTA QUE PARIU!!! O QUE FOI QUE ACONTECEU AQUI?” Caralho, sério, dei pála com o véio levantando lá e o flashback explicando o filme. Não consigo imaginar nada mais surpreendente que isso.

 o.O

E para vocês, quais foram os filmes com os finais mais inesperados?

Leia mais em: , , , , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito