Comentários para acompanhar o Emmy – Comédias

Sit.Com terça-feira, 04 de setembro de 2007 – 1 comentário

Impressionante o momento pelo qual passa a televisão americana no que se refere aos seriados, acredito que poucas vezes houve uma diversificação de temas e uma qualidade de roteiros tão boa. Para premiar os melhores seriados exibidos de 2006 até metade de 2007, há o prêmio Emmy, considerado o Oscar da televisão americana, que premia seriados subdivididos em drama e comédia, atores, programa de variedades, realitys shows, além de filmes e minisséries especiais para a televisão.

Apesar da polêmicas sobre os indicados a premiação se realiza no domingo dia 16 com transmissão pelo canal Sony. Se você não acompanha todos os seriados, aí vão alguns comentários sobre as categorias principais, primeiramente sobre as comédias, semana que vem, será a vez dos dramas.

São cinco os indicados ao prêmio de Melhor Comédia:

1. 30 Rock: seriado criado pela atriz/roteirista Tina Fey, está em sua primeira temporada, bastante elogiada pela crítica especializada, no entanto, a audiência é baixa. Foi renovada para uma segunda temporada por ser uma aposta do diretor do canal. Se destaca por mostrar os bastidores de um programa televisivo com bastante irreverência, bons personagens e um bom elenco, Tina Fey e Alec Baldwin (impagável, divide o favoritismo com Steve Carell) estão indicados para melhor atriz e ator, respectivamente.

2. Entourage: seriado que tem entre os seus produtores o ator Mark Wahlberg, está em sua quarta temporada e conta as aventuras do astro em ascenção Vincent Chase e suas amigos pelos bastidores de Hollywood, inclusive por retratar este universo o seriado possui diversas participações especiais como o cineasta James Cameron. Seriado exibido pela HBO, um canal a cabo bastante conceituado nos Eua, também possui duas indicações por ator coadjuvante em comédia com Jeremy Piven e Kevin Dillon.

3. The Office: versão americana para um seriado inglês que assim como 30 Rock é um queridinho da imprensa (acredito que seja o favorito na categoria principal), mas não possui o mesmo êxito em audiência, tem o ator Steve Carell, já bastante conhecido dos filmes A Volta do Todo Poderoso e O Virgem de 40, como o gerente comercial Michael Scott. O enredo do seriado é retratar o dia-a-dia de um escritório, através da relação entre o chefe e os funcionários, é um verdadeiro humor por constrangimento. The Office está em sua terceira temporada e também garantiu indicações a quase todo elenco, Steve Carell (melhor ator), Rainn Wilson (o estranho Dwight, como melhor ator coadjuvante) e Jenna Fisher (a graciosa Pam, como melhor atriz coadjuvante).

4. Two and a Half Man: o seriado com maior audiência deste segmento (após o término do já clássico Everybody Loves Raymond), conta a história dos irmãos Charlie e Alan, o primeiro um solteirão convicto e o outro recém saído de um divorcio, juntos criam Jake, o filho de Alan em meio a inúmeros namoros de Charlie e a mãe controladora deles. No têve aberta, o SBT exibe o seriado como Dois Homens e Meio. Está indicado por melhor ator (Charlie Shenn), melhor ator coadjuvante (Jon Cryer) e duas indicações para melhor atriz coadjuvante (Holland Taylor e Conchata Ferrell).

5. Ugly Betty: uma das supresas desta temporada, um dos seriados estreantes com melhor audiência, Ugly Betty é uma adaptação produzida pela atriz Salma Hayek (que, inclusive participou do seriado), da novela mexicana exibida aqui no Brasil com sucesso, Betty, a Feia. Nos Eua, Ugly Betty se passa nos bastidores de uma revista de moda e mostra Betty, filha de mexicanos, se aventurando pelo mundo de aparências quando é contratada para ser secretária do filho do dono da revista Mode. Tendo um formato diferenciado, já que seus episódios possuem uma hora, na verdade a série mistura comédia com toques de drama, assim como Desperate Housewifes. Cheia de participações especiais, mistérios, muito exagero e humor auto-depreciativo, é estranho ainda não ter sido exibido aqui no Brasil. Concorre também por melhor atriz (a carismática America Ferrara, deve ser a favorita junto a Julia Louis-Dreyfus) e melhor atriz coadjuvante (Vanessa Williams).

  • ainda indicados, além dos citados acima, como melhor atorTony Shaloub (por Monk) e Rick Gervais (pelo seriado inglês Extras);
  • na categoria de melhor atriz, Julia Louis-Dreyfus (The Adventures of Old Christine), Felicity Huffman (Desperate Housewifes) e Mary-Louise Parker (Weeds);

Heroes

Sit.Com terça-feira, 28 de agosto de 2007 – 6 comentários

Aproveitando a chegada do Box da 1ª temporada de Heroes, prevista agora para o dia 29/08, comento alguns detalhes desta primeira temporada, informações especiais do Box e algumas novidades da próxima temporada.

“Gente demais pra roteiro de menos”

A estréia de Heroes, criação de Tim Kring, responsável pelo seriado Crossing Jordan (exibido no canal USA, assim como o próprio Heroes), veio cercada de expectativa, pois um seriado televisivo sobre pessoas comuns que descobrem poderes gera um gasto óbvio com efeitos especiais que, normalmente, são exceção neste formato em função do orçamento, e utilizar efeitos com qualidade duvidosa com certeza afastaria a audiência principal do seriado que são os jovens.

Mas ao situar a trama de Heroes nos dias atuais favoreceu no controle do que se refere ao uso de efeitos especiais e ainda colaborou para ocorrer uma identificação imediata entre público e personagens, os perfis dos personagens são facilmente identificados por todos, há um nerd e seu fiel parceiro (Hiro e Ando), uma menina cheerleader e sua família (Claire), uma mãe que trabalha fazendo strip-tease para sustentar o filho (Niki e Micah) e um jovem que busca nas pesquisas do pai descobrir o porquê de seu assassinato (Mohinder). Ainda há alguns personagens principais, como Nathan e Peter Petrelli, o policial Matt e o assassino “sugador de poderes” Sylar, juntamente com uma dezena de personagens que participaram desta primeira temporada.

Uma característica de Heroes são seus chamados arcos, um conjunto de episódios envolvidos numa questão maior. Por exemplo, nos primeiros episódios temos a famosa frase “Save the cheerleader, Save the World”, que ficou marcado como primeiro arco de Heroes. Outra característica estrutural dos episódios são os cliffhangers. Explico, é aquela cena final onde ocorre um grande gancho para o episódio posterior (Heroes é um grande usuário deste método, assim como Lost). Além disso, o visual de Heroes é moderno e sua estrutura de narrativa lembra quadrinhos, tanto que o canal NBC, que produz e transmite Heroes, lançou no site do seriado, os episódios no formato de HQ.

No entanto, Heroes possui um grande problema em sua primeira temporada, seus roteiros são bastante irregulares com diálogos previsíveis. Isto se deve, principalmente, a dois motivos: 1) Heroes possui muitos personagens, sendo a maioria fracos ou pouco desenvolvidos (nem estou me referindo aos atores), como por exemplo, Mohinder e o núcleo da família de Niki, além disso, esta quantidade de personagens gerou durante quase toda temporada uma segmentação de situações que desperdiçou muito do conteúdo dos episódios (e da paciência do espectador); 2) o tamanho no qual Heroes se transformou após os primeiros episódios gerou uma repercussão muito grande por parte de fãs (principalmente na internet) sobre Heroes, criando uma expectativa positiva em cima do seriado que acabou por entregar um episódio final fraco (How to Stop an Exploding Man), onde os conflitos de toda uma temporada foram resolvidos de maneira decepcionante.

No entanto, é inegável a maneira como o seriado seduz o espectador, sua aura “cool” e “hypada” (claramente, dirigido para o público jovem) também conquista o espectador comum á procura de uma história que tenha aventura, suspense, comédia e drama. Tenho esperança que pelas notícias desta quarta temporada (ler tópico abaixo) tanto no que se refere ao elenco como por alguns eventos já citados no episódio final, Heroes pode crescer mais ainda, principalmente, se Kring e sua equipe cuidarem melhor dos roteiros dos episódios, como ocorreu no melhor episódio da temporada, “Five Years Gone”.

Informações especiais sobre o box em dvd:

Making of da Série (espero que eles mostrem como fazem um episódio desde sua criação no papel até as gravações e pós-produção / Efeitos Visuais (não poderia deixar de ter aquela cena na qual Claire acorda no necrotério já sendo autopsiada, esta palavra existe?)/ Tim Sale e os Desenhos de Isaac Mendez (este deve ser bem interessante, a qualidade dos desenhos eram bastante impressionantes) / Perfil dos Personagens / Making Of de Dublês (vamos conhecer a ou o dublê da personagem Claire?) / Cenas Deletadas (não podem esquecer de colocar os erros dos atores)

O que está por vir na 2ª Temporada:

  • Quanto ao elenco principal parece que somente D.L. corre o risco de não voltar novamente (que pena, poderia citar mais uns cinco personagens nesta lista);
  • De novidades no elenco, a última aquisição foi a lindíssima Kristen Bell (a adorável protagonista de Verônica Mars) como a vilã Elle, Jessica Collins (a assassina das miniaturas desta última temporada de C.S.I.), David Anders (o vilão Sark, de Alias), entre outros;
  • A confirmação da minissérie Heroes: Origins, onde seriam apresentados novos heróis a cada semana, parece que a minissérie teria seis episódios, e já tem como diretor do primeiro episódio o nerd oficial de Hollywood, Kevin Smith (bastante conhecido do mundo das HQs), diretor de filmes como O Balconista e que, recentemente, participou de Duro de Matar 4.0 como hacker Worlock;
  • O episódio de estréia da nova temporada será dia 24 de setembro nos Eua (e nos computadores do resto do mundo) com o título “Four Months Later”;

Abaixo um promo da segunda temporada:

Caminhos do Coração estréia amanhã

Televisão segunda-feira, 27 de agosto de 2007 – 8 comentários

Ei, você, está com aquele sentimento de que está faltando algo? Suas séries preferidas entraram no período que todo fã odeia, o intervalo. Heroes, você está contando os segundos para o próximo episódio, que será exibido dia 24 de setembro, e se não sabe o nome dele será ” Four Months Later”. O box da primeira temporada, será lançado em breve, e você está acampado em frente a loja, só esperando chegar…
Se você está nessa, sossega um pouco, e liga na Record amanhã, pra ver a estréia de “Caminhos do Coração”. Sim, os mutantes que irão aparecer ali serão meio que previsíveis, você terá aquela sensação de que já viu eles em algum lugar, o que pode ser algo bom, ou ruim, dependendo de seu grau de fanatismo pelo universo mutante.
Enfim, a novela estará estreando amanhã. E tem 2 clipes que mostram os principais mutantes da trama em ação. Você pode ver eles aí em baixo:

Bom nesses trailer, tivemos uma amostra de o que pode acontecer nessa novela. Só sei que o cara que lê mentes, não marquei o nome dele ainda, é pentelho pra cacete, e o cara mau, o Taveira, (esse eu marquei o nome) é o cara legal da série.
Estréia amanhã, as 22 horas. Assista, para que a Globo pelo menos tenha alguma competição. E espero que fique pra trás.

Fanart: Simpsons do Zodíaco

Televisão domingo, 26 de agosto de 2007 – 3 comentários

Aproveitando o sucesso do filme d’Os Simpsons e a exibição da Fase Inferno da saga de Hades dos Cavaleiros do Zodíaco no fim do ano por aqui, confiram uma Fanart feita por um fã, já há algum tempo, juntando os dois desenhos:

Pra ver a imagem em tamanho maior e ler mais sobre a Fanart, clica aqui. E, sinceramente, tá na cara que o cara não manja muito de Simpsons.

Novidades para os fãs de Seinfeld!

Televisão sexta-feira, 24 de agosto de 2007 – 1 comentário

Seguinte, moçada: A última temporada da série mais foda da galáxia vai ser lançada lá fora em dvd no dia 6 de Novembro.

Não sei se vocês se lembram de um episódio da quinta temporada em que Kramer tem a idéia de fazer um coffee table book, que seria um livro que vira uma mesa de centro. Lembrou? Tá, se você é bom de inglês, vê o vídeo:

Se você não é bom, eu explico: O livro era sobre mesas de centro, com fotos de mesas de centro de pessoas famosas. E, é claro, o livro contava com pés para ser usado como mesa de centro. Essa idéia revolucionária de Kramer não vai ficar só arquivada no seriado: Será lançado um livro com 226 páginas nesse estilo, com fotos, frases, enfim, coisa pra cacete sobre a série. E não fica só por isso, o livro é apenas um “brinde” do box Seinfeld: The Complete Series, que virá com as nove temporadas da série. Sensacional, eu quero uma. Pena que vai ser uma tremenda facada para nós, brasileiros. Isso é, se sair aqui.

Vocês já viram aqui o especial I’m Telling You for the Last Time, legendado, do MESTRE Jerry Seinfeld, onde ele enterra, literalmente, suas piadas e depois faz um show Stan Up. E também já sabem do Bee Movie, animação em que Jerry Seinfeld dubla uma abelha, que estréia no Brasil dia 7 de Dezembro. Depois de tudo isso, eu mereço pelo menos um DVD da série, né? Mandem um email pra mim que eu dou o endereço da minha casa.

House 3º temporada

Sit.Com terça-feira, 21 de agosto de 2007 – 8 comentários

A terceira temporada de House, que terá seu término nesta quinta-feira (23/08) no canal Universal Channel com o episódio Human Error (não esquecendo que a Rede Record começou a exibir o seriado em sua segunda temporada) foi marcada pela polêmica participação do policial Tritter, personagem do ator David Morse, cujo arco de 6 episódios revelou a real situação fisiológica e psicológica do Dr. Gregory House quanto ao seu vício em vicodin. Para alguns, a entrada de personagens que batem de frente com o dr. House pode parecer truque dos produtores do seriado, no entanto, não esqueçam que o dr. House é uma pessoa que não prima pelo bom relacionamento, sendo antiético, irresponsável, mal educado e extremamente sarcástico com seus colegas e pacientes, que do lado de cá de tela surge engraçado, até porque, sabemos de sua eficiência em resolver diagnósticos impossíveis, mas no mundo real não funciona desta maneira.

Mesmo com a participação de David Morse nesta temporada, o seriado poucas vezes fugiu de sua estrutura de “diagnóstico indecifrável da semana” (convenhamos, os consultores médicos se esforçam para criar diagnósticos complicados), exceção o reflexivo episódio One Day, One Room, onde House se via conversando quase a totalidade do episódio com uma jovem mulher com DST. Esta foi uma temporada onde os demais personagens do seriado tiveram espaço com histórias centradas em suas vidas pessoais e escolhas médicas (como o envolvimento sexual de Cameron e Chase, e o arco envolvendo o pedido de demissão de Foreman, que está ocupando os últimos episódios desta temporada).

Contudo, mesmo House sendo um seriado adulto com ótimos roteiros e dramas pesados, nada me diverte mais do que ver dr. House fazendo clínica no Hospital (como a cena onde ele oferece 50 dólares para quem sair da fila do atendimento, hilário). Dr. House, atualmente, é o melhor personagem masculino da televisão, sendo a indicação de Hugh Laurie ao Emmy, prêmio máximo da televisão americana que ocorre agora em setembro, uma aposta quase certa de premiação (rivalizando com James Gandolfini de Sopranos). Detalhe: House também concorre nas categorias de Melhor Drama e Melhor Ator Convidado, David Morse.

“Caminhos do Coração”: posteres liberados

Televisão terça-feira, 14 de agosto de 2007 – 3 comentários

A novela da Record “Caminhos do Coração”, que tem data de estréia para dia 27 de agosto, tem pôsteres liberados. Eles mostram os principais personagens da série, e como podemos esperar, a sensação de deja-vú vai ser freqüente. E como acho quer ninguém que ler isso vai assistir, não me darei ao trabalho de escrever um resumo da novela, até porque eu não sei nada sobre ela.
Mas enfim, pôsteres liberados. São os seguintes, com suas frases de chamadas que devem ter sido feitas por uma grande equipe, pra que a culpa da merda que ficou possa ser dividida entre todos. Vamos aos pôsteres, e me digam o que acham deles, afinal, não tenho palavras para descrever eles, porque elas seriam meio ofensivas no momento.

Pelo que pude ver, temos o Pyro, o Parkman, o Mestre do Kung-Fu, o Anjo, o Lobisomem e uma tiazinha com fumaça nos olhos.
Posso não esperar muito, mas sabe, vou ver mesmo assim.

Gravador digital de TV é apresentado ao público

Televisão quarta-feira, 08 de agosto de 2007 – 1 comentário

O iRecord, um aparelho portátil criado para gravar vídeos digitais em formato MPEG, foi apresentado hoje em São Paulo. Criado para gravar vídeos direto da TV, o aparelho decodifica os sinais analógicos transmitidos, converte eles para dados digitais, e os grava em qualquer dispositivo com conexão USB, que pode ser um pendriver, um Ipod, ou qualquer aparelho com armazenamento que pode ser plugado na entrada USB.
O aparelho, que preza pela sua simplicidade, tem um controle com apenas dois botões. Um deles liga o aparelho, e o outro inicia e interrompe a gravação. Sua maneira de configuração é um pouco singular: De acordo com o dispositivo de armazenamento plugado nele, a qualidade do vídeo pode melhorar ou piorar.
Apesar de ser uma ótima saída para pessoas que não tem como gravar programas da TV, o produto ainda está em fase de testes, e está em exposição na feira da ABTA (Associação Brasileira de TV por Assinatura). Procurando parceiros para lançar o produto, ainda não há data de lançamento, nem previsão de qual será o valor.

Heroes e Xmen: Uma relação íntima

Sit.Com terça-feira, 07 de agosto de 2007 – 5 comentários

O último episódio de Heroes passou no Brasil há pouco tempo atrás, e levantou muitas opiniões: o que aconteceu com Sylar? Peter e Nathan Petrelli estão vivos? E Hiro, o que ele vai fazer? Independente de essas questões serem respondidas ou não na próxima temporada, que tem previsão de estréia dia 24 de setembro, é algo que os fãs terão que esperar. Mas a questão que mais intriga a todos que viram os episódios é a seguinte: Onde foi que eu já vi isso antes?

Qualquer um que tenha visto um episódio da série imediatamente liga o que viu a famosa história dos Xmen. Afinal, na série já foi dito que os poderes vêm de mutações genéticas. Mas, até que ponto a série pode ser considerada uma cópia descarada dos heróis dos quadrinhos? Muitos fãs de Xmen com certeza já assistiram algum episódio da série, e fizeram suas próprias ligações. Eu mesmo, como um fã dos mutantes da Marvel, fiz minhas próprias ligações, como o poder de Peter Petrelli e de Sylar serem similares ao da Vampira. Ou como Candice Wilmer, subordinada de Thompson, ser capaz de mudar sua aparência nos mesmos moldes de mística. Mas também, existem vários outros fatores que tornam essa série única, diferente de todas as outras que tentaram explorar esse tema.

Uma líder de torcida, um candidato a governador, um relojoeiro, um ex presidiário, um policial, um enfermeiro, um funcionário de escritório, um pintor, e muitos outros. Se não fosse por causa de um gene mutante, talvez essas pessoas nunca soubessem uma das outras. E talvez seja isso que seja o maior diferencial da série, pois todos os personagens nao têm ciência de seus poderes, até que eles são despertados. A história toda gira em torno de um simples fato, a destruição de Nova York por uma explosão nuclear, feita por um dos “heróis”. Esse fato é previsto por um pintor, Isaac Mendez, que tem o poder de pintar o futuro.

Já Xmen, não existe uma causa de ser um mutante. Ele simplesmente nasce com o gene da mutação, que só se manifesta após algum tempo e pronto. Não existe muito que ele possa fazer para mudar sua realidade, ele simplesmente tem que conviver com isso, e agradecer por não ser um daqueles mutantes deformados. Os mutantes principais dos quadrinhos são tão complicados e cheios de problemas que você lê edições inteiras, e não acontece nada, deixando a sensação de “tá, e dai?”, que não ajuda nada no andamento da história, isso quando tem uma pra continuar.

Saber que uma história vai ter um fim pode ser muito decepcionante para pessoas que gostam de quadrinhos. Mas em uma série de TV, isso é o melhor dela, pois é em X número de episódios que ela tem que começar, criar os problemas, e resolver eles. Se vão ficar pra uma próxima temporada, o sucesso da atual é que vai definir isso. Nos quadrinhos, já é bem diferente. Se uma história esta funcionando, eles se alongam nela até que ela comece a ficar chata, maçante, que somente fãs mais ardorosos possam agüentar a história que deveria ser simples, mas que chega a um ponto em que os escritores ficam confusos, e a acabam de qualquer maneira, quando dão a eles a permissão de fazer isso.

Para você que é fã de quadrinhos, e para você que é fã de Heroes, digo apenas uma coisa: não há motivos para discutir qual é a melhor demonstração de o que é um mutante. Não há sentido em ficar falando que um personagem é plagio de outro. Desde o sempre, temos momentos em que algo parece igual a alguma coisa que já foi feito. Hoje em dia, a chance de você ver alguma coisa completamente original é praticamente nula. Felizes são Stan Lee, Jack Kirby, e Joe Shuster, que criaram seus personagens em épocas que tudo o que fizessem, seriam originais, como um extraterrestre que pula prédios, um cara verde que e uma equipe de jovens garotos com poderes incríveis, que não foram acusados de copiadores por um publico exigente, que simplesmente queria uma história para se divertir. Bons tempos em que o que importava era a diversão que uma história proporcionava, e não o quanto ela pode ficar no ar…

Seinfeld – I’m Telling You for the Last Time

Televisão segunda-feira, 30 de julho de 2007 – 5 comentários

Em 1998, a HBO exibiu o especial “I’m Telling You for the Last Time“, do MESTRE Jerry Seinfeld, onde ele enterra, literalmente, suas piadas e depois faz um show Stan Up. E daí? Quase 10 anos depois eu decidi correr atrás disso, aí lembrei do YouTube. O vídeo tá lá, legendado, dividido em 8 partes. A boa é que subiram os vídeos pro YouTube no dia 25 de Junho desse ano, então eu não fico tão pra trás assim.

Enfim, fica aí a dica. Recomendo que sejam rápidos, as legendas aparecem em um décimo de segundo.

Parte 1. No cemitério, enterrando as piadas:

Parte 2. Começa o Stand Up (Uma legenda aparece logo no começo sem nexo algum, encaixem ela na parte em que não aparece legenda enquanto o Seinfeld fala), com piadas geniais sobre aeroportos e mais:

Parte 3. Piada muito boa sobre infância, doces e halloween:

Parte 4. Agora é a vez dos super-mercados e medicamentos:

Parte 5. Médicos e relacionamentos:

Parte 6. Esportes, piada sensacional sobre esqui:

Parte 7. Capacetes, lavagem a seco e uma fodástica sobre cavalos:

Parte 8. Hotéis e banheiros, última parte:

Na boa, eu vejo Jerry Seinfeld como o melhor comediante de todos os tempos e sempre esqueço de juntar uma graninha pra colecionar os dvd’s da série. Esse especial é sensacional, ri muito com umas partes. Outra boa dica é o Comedian: Nos bastidores da comédia, um documentário em que Jerry Seinfeld faz um corre por aí mostrando a cena Stand Up. Seria uma boa se tivesse uma resenha dele por aqui, né? E se a gente deixar pra época de lançamento do filme Bee Movie – A história de uma abelha, que será dia 07/12 aqui no Brasil e 02/11 lá nos EUA. É uma animação, e adivinha quem dubla a abelinha?

busca

confira

quem?

baconfrito