O Silmarillion (J.R.R. Tolkien)

Livros segunda-feira, 27 de junho de 2011

Sabe quando você leu O Senhor dos Anéis (Aqui, aqui e aqui) e ficou puto por confundir nomes, ter de ler centenas de páginas de descrição de lugares e todo aquele come-não-come entre o Frodo e o Sam? Pois é, O Senhor dos Anéis se passa em 2 anos, mas O Silmarillion se passa em mais de 5 mil.

 Gandalf o caralho, nego matava balrog na base da ESPADADA.

Como vocês já devem saber, a Terra Média teve 3 eras principais: A primeira, que começa quando surgem o Sol e a Lua e que acaba com a derrota de Melkor (O verdadeiro Senhor do Escuro, chefe do Sauron), a segunda, que começa com a fundação dos Portos Cinzentos (De onde os elfos vão para o Oeste) e termina quando Sauron é derrotado, a terceira era, que começa quando a Árvore Branca é plantada em Minas Tirith e que termina com a destruição do Um Anel e consequente derrota de Sauron. Além dessas 3, houve a quarta era, que começa com a coroação do Aragorn (Sim, O Senhor dos Anéis se passa em 2 eras), a quinta, a sexta e a sétima, mas nenhuma delas realmente importa aqui.

O Silmarillion começa com Ilúvatar (O deus supremo da coisa) mandando os Ainur (Ou Valar) criarem o mundo (Ëa), e eles então cantam a Ainulindalë, na qual o mundo é criado. Ilúvatar os manda para o mundo, para que eles cuidassem das coisas por lá enquanto ele tirava uma soneca. Os Valar, junto com seus criados, os Maiar, governaram o mundo, criando coisas e protegendo todos os seres vivos, até que Melkor resolveu se rebelar porque queria poder, e para isso começou a distorcer as criações dos outros Valar e de Ilúvatar (Por isso surgiram os balrogs, os dragões, orcs, trolls e todo o resto), dando início então aos acontecimentos “de verdade” das próximas três eras do mundo… Dizendo assim parece que O Silmarillion é fácil de ler, né?

 Nada mais que um capacho.

O livro é dividido em 5 partes (Mais os “extras”): Ainulindalë (A Música dos Ainur, que conta como o mundo foi criado), Valaquenta (O Relato dos Valar, que descreve os Valar e os Maiar), Quenta Silmarillion (A História das Silmarils, que vai desde a criação das Silmarils até A Guerra da Ira, passando Thingol e Melian, o despertar dos elfos, homens e anões, Beren e Lúthien, a queda de Gondolin, as guerras de Beleriand e Túrin Turambar), Akallabêth (A Queda, que trata de Númenor), Dos Anéis do Poder e da Terceira Era, que é um resumo do que acontece n’O Senhor dos Anéis (Com algumas informações adicionais), e por fim, mapas, árvores genealógicas, pronúncia (Leia, sério), glossário e um apêndice, que fala sobre nomes em quenya e sindarin (Dois dos idiomas usados na história).

Não se deixem enganar pela grossura do livro (Menor que os 3 volumes do SdA), a quantidade de coisas, nomes, personagens e lugares é infinitamente maior e mais chata de entender: Antes mesmo da metade já havia desistido de ir checar o glossário para ver se Finarfin, Fingolfin e Fingon eram a mesma pessoa (Não são, só para constar). Não é nem um pouco raro você ter de voltar várias páginas, ao ver que alguém importante morreu e você pulou essa parte.

 Também não é raro ir checar o mapa da era errada.

Assim como em Os Filhos de Húrin e Contos Inacabados, O Silmarillion não é um livro para pegar e ler só porque deu vontade, aliás, se você não gosta de SdA, nem se dê ao trabalho de ler a sinopse deles. A dica aqui é que você deve ler O Hobbit e SdA antes de ler O Silmarillion, porque se você começar por ele, desistirá de toda a série em questão de 30 páginas. E não importa o que aconteça, não faça pactos com aranhas gigantes.

O Silmarillion


The Silmarillion
Ano de Edição: 2009
Autor: J.R.R. Tolkien
Número de Páginas: 480
Editora: WMF Martins Fontes

Leia mais em: , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Já li 2x com anos de diferença. Porem se for contar as varias vezes que voltei um capitulo inteiro só pra ve tentar entender, posso contar como 3x! hahah
    Recomendadíssimo para quem gosta de SdA

  • André

    Eu sinceramente vejo esse livro como algo no mesmo patamar dos 3 SdA e O Hobbit. Só tem que encará-lo de uma forma diferente. Ele não é exatamente uma história linear, ele é a mitologia por trás do universo de SdA. E isso é foda, fala sério :P.

  • lucas

    Te falar que esse é meu livro preferido do Tolkien.

  • washington ss

    o melhor livro de Tolkien onde o mestre estabelece toda sua mitologia e cosmogonia de forma irretrátavel, quem não leu não pode imaginar jamais o que perdeu… Eu li todos os livros dele e esse e de longe o melhor.

busca

confira

quem?

baconfrito