O Labirinto do Fauno (El Laberinto Del Fauno) (2)

Bogart é TANGA! terça-feira, 28 de setembro de 2010

Sempre que converso sobre cinema, eu falo que, a cada nova década, a quantidade de filmes só diminui, se tratando de qualidade, e só aumenta na quantidade. A década de 2000 só não pode ser considerada uma década perdida porque tivemos bons filmes como Dogville, a trilogia do Senhor dos Anéis, e alguns outros como O Labirinto do Fauno.

Sinopse: Na década de 40, na Espanha pós-Guerra Civil, uma garota de 10 anos se muda com a mãe grávida para uma área rural ao norte do país. A mãe acaba de se casar com um coronel fascista. Lá, a menina passa a viver entre um mundo fantástico de sua própria criação e a dura realidade do pós-guerra.

O período do final da gravidez de Carmem (Ariadna Gil), mãe de Ofélia (Ivana Baquero), faz com que ela e a garotinha tenham que se mudar para o quartel general de uma tropa fascista espanhola, durante a guerra civil de lá. Os soldados são comandados pelo tirano capitão Vidal (Sergi López), marido de Carmem e padrasto da menina.

 Esse cara é mau bagarai.

Ofélia logo se encanta pela nova vida no campo. Ela conhece um mundo onde fadas existem, sendo que uma delas a leva para um labirinto nas profundezas, onde conhece um fauno (Doug Jones). Ele diz à garota que ela é uma princesa desaparecida, mas, para reclamar um trono, ela terá que passar por uma série de provas para mostrar que é digna daquele reinado.

Sempre que deseja fugir do mundo real, Ofélia atravessa a espécie de portal que liga os dois mundos e procura concluir suas tarefas. Mas cada coisa que acontece em um dos lugares afeta o outro e interfere na maneira de como a garotinha tem que realizar suas missões. A coisa fica tão sinistra que a pequena perde a noção de qual lugar parece mais terrível. Mas, pelo menos no mundo da fantasia, ela encara toda essa atmosfera como apenas uma etapa para a conquista de seu trono.

As complicações na gravidez de sua mãe e os desentendimentos com seu padrasto só fazem Ofélia, cada vez mais, querer viver no mundo da fantasia. Ela, porém, tem que fazer muitas escolhas importantes, enquanto a saúde de sua mãe só piora, porque ainda terá que salvar o irmão de toda perversidade do próprio pai. Ao lado da coitada, só estão a empregada Mercedez (Maribel Verdú) e o médico da família, que também é um dos rebeldes.

 Por causa de coisas assim o filme venceu o Oscar de Maquiagem – “MORRA DE INVEJA JUSTIN BIEBER”

Considero o Labirinto do Fauno um dos melhores filmes da última década, pela falta de boas obras. Porém, em momento algum isso serve como desculpa para desqualificar a obra. O filme conta com um roteiro muito bom, feito pelo próprio diretor Guillermo Del Toro, que se baseia em vários aspectos do hermetismo e da mitologia greco-romana, praticamente fazendo um conto de fadas para adultos.

Maquiagem, fotografia e figurinos estão em perfeita sintonia, tanto que o filme faturou os prêmios no Oscar de 2007 nas categorias citadas, exceto figurino (Que ficou com Maria Antonietta) e todo esse conjunto fez com que vencesse a premiação de melhor direção de arte.

O Labirinto do Fauno

El Laberinto Del Fauno (119 minutos – Drama)
Lançamento: EUA, Espanha, México, 2006
Direção: Guilhermo Del Toro
Roteiro: Guilhermo Del Toro
Elenco: Ivana Baquero, Doug Jones, Sergi López, Ariadna Gil e Maribel Verdú

Leia mais em: , , , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Willian

    Realmente o Labirinto do Fauno ficou muito bom. Não há como descrever essa historia, um paralelo muitissimo inspirado esse que o Guilhermo criou.
    Uma dica para quem gostou do trabalho dele é o filme “O Orfanato”.

  • niloleite

    Assisti esse filme quando foi lançado (em DVD). Não lembro muita coisa dele (ou procurei não lembrar). Só lembro que apesar da boa produção, achei a história muito ruim e acabei detestando o filme a achando que deveria ter alugado outra coisa… rsrsrs

    Às vezes foi só eu que não “bati” com o filme, mas não recomendo…

  • Willy

    Realmente esse é mais um grande filme do Guilhermo!! E só me pergunto, o porque que no Brasil não temos produções assim, já que a temática de “duentes e fadas” ficam por conta da Xuxa e suas Bizarrices!! Li que agora, no Rio, vão começar a gravar “A Graça e a Gloria”, que conta com a historia da vida de um Travestir! Ou seja, podemos esperar ai, mais um filme de violência, palavrões e pobreza! Encabeçado por Carolina Ferraz, que para mim, sempre foi uma atriz médiana!! Em fim, é se contentar com isso e rezar para o Guilhermo não se aposentar tão cedo!!
    Saudações Além-mar!!

  • @Willy
    Não temos Del Toro mas temos Meirelles, que considero um dos melhores diretores da nova geração.

    @niloleite
    O Labirinto do Fauno tem muita simbologia alquímica. Não é tão fácil de se entender se não tiver muita noção desse conhecimento. Mas mesmo assim sempre vale a pena, pelo conjunto da obra

  • Porra, verdade. O Fernando Meirelles é foda. É só ver Ensaio Sobre a Cegueira.

  • @Pizurk
    E não é só Ensaio Sobre a Cegueira, tem também O Jardineiro Fiel, Cidade de Deus, Diários de Motocicleta…

    A linha de direção dele é completamente diferente da do Del Toro

  • Gustavo Csp

    Diários de Motocicleta é do Salles

busca

confira

quem?

baconfrito