Matador em Conflito (Grosse Pointe Blank)

Filmes bons que passam batidos domingo, 28 de junho de 2009

Ei, vou falar algo a meu respeito que vocês não sabem (ou ligam): me formei no ensino médio em 2000, Dezembro. Isso quer dizer que se eu morasse nos EUA, 2010 seria o ano da fatídica reunião de formandos da turma de 2000. Rever velhos colegas, trocar figuras e etc. Eu na verdade não conheço tanto assim da cultura norte-americana (fora o que vi em filmes), mas sério, quem quer fazer uma merda dessas?

Quer dizer, ok, escola acabou. É inevitável que você perca contato com vários amigos, as pessoas seguem suas vidas, afinal. Nesse meio tempo você mesmo faz novas amizades, aprende coisas novas, enfim, você é outra pessoa. Agora, se na sua turma de formatura tinham… 30 alunos, vá lá (a minha tinha 15, lol), não precisa pensar muito pra sacar que é uma reunião de 30 pessoas que se conheciam em um passado distante mas que agora são todos ESTRANHOS entre sí. Fora isso sempre tem aquelas pessoas que você detestava na época do colégio, e você tem certeza de que quer revê-las? Eu acho que não, né? Paixonite mal resolvida? ACORDA, ela provavelmente já se casou e você cochilou no ponto 10 anos atrás, as chances de um final feliz agora são bem… remotas. Fora que você nem sabe como ela tá hoje em dia e tal (parece que foi um desabafo isso, mas nem).

Sério, quem liga pra essas coisas?

Veja só o nosso garoto, Martin Blank.

 oh hai

No colégio ele era um cara normal e tal… tinha seus amigos, uma namoradinha. Bem normal mesmo. Mas quando acabou, ele não conseguiu entrar em nenhuma universidade e decidiu se juntar ao exército, fugindo de sua cidade natal, Grosse Pointe. Nesses anos de exército ele fez algumas provas de aptidão que demonstraram uma leve flexibilidade moral, o que o tornou candidato a se tornar assassino em serviço da CIA. Após alguns anos, ele decidiu sair fora e virar assassino freelance. Tamos ae pra quem quiser pagar, algo assim. E ele nem era um cara ruim… sério, ele curte the clash, ganha pontos na minha tabela.

Mas ele tá meio cansado disso. Se consulta com um psiquiatra periódicamente, e derrama suas angústias no divã. Ele não sabe ao certo porque se sente tão mal, e ao questionar o psiquiatra recebe a resposta óbvia:

 “VOCÊ SE SENTE HORRÍVEL PORQUE MATA PESSOAS, MALDIÇÃO!”

Mas oras, Martin não é o primeiro a se ver descontente com seu serviço… lembrem-se de Peter Gibbons, semana passada. Era um caso parecido.

Voltando a Martin, recentemente ele recebeu uma carta de seu antigo colégio alertando-o que, oh-oh, 10 anos já se passaram! Que tal rever seus antigos colegas de escola em sua velha cidade? Ao comentar a carta com o psiquiatra, recebe a recomendação “compareça a tal reunião… reveja conhecidos… lembre-se de tempos mais simples… e não mate ninguém, por favor”. Relutantemente ele aceita. Não só por isso, mas ele acabou de receber uma proposta de serviço em Grosse Pointe. Unindo o útil ao tratamento, lá vai ele. Diz ele que esse será seu último serviço, depois disso é pendurar as glocks automáticas na parede.

O filme é basicamente isso, assassino contratado comparece à sua reunião de 10 anos de formatura de colégio. No meio disso ele tem que lidar com um caso amoroso mal resolvido com sua ex-namorada (a qual ele abandonou no dia do baile de formatura, 10 anos antes, e SIM, ela ainda não o perdoou).

 Debi, a garota que se faz de brava

E sabe esse serviço que ele aceitou? Ele tinha roubado de um outro assassino, Grocer, que muito puto o denuncia pro FBI. Dois agentes são postos em sua cola, ao menor sinal de ilegalidade, eles têm ordens pra apagar Martin.

 Os dois agentes

Grocer também vai ficar na cola dele… ele não está tão amargo assim quanto à furada de olho que Martin deu nele, mas quer convencê-lo a entrar em um tipo de SINDICATO DE ASSASSINOS que ele quer criar. Se Martin topar, os dois se livram dos agentes, se não, ele ajuda os agentes a dar fim em Martin.

 Grocer e sua cara de “maldito Martin Blank, roubou minha oportunidade de gaita…”

Há ainda um terceiro homem… é um outro assassino contratado pra dar fim em Martin, mas dessa vez como vingança. Acontece que em um serviço passado, Martin teve um pequeno acidente e matou o cachorro de um figurão. Esse figurão realmente amava seu cachorro. Na verdade isso é um tremendo embaraço pra Martin, que realmente sente ter matado o cão.

 Esse cara é muito feio, na boa…

Sux 2 b Blank.

E agora, uma analise rápida: por que esse filme BOM passou batido?

– apesar da história interessante, o filme tem muito mais falatório que ação… na verdade, recomendo que você o veja em duas partes. Veja até a hora que Martin encontra sua ex-namorada na rádio, e assista o resto em outra hora.

– é uma comédia de ação com algum humor negro, esse tipo de comédia nunca fez muito sucesso mesmo. Talvez porque grande parte dessas comédias falhem na parte da comédia, mas enfim. Essa não falha.

 I can see cleaaaarly now, the rain has gone…

Matador em Conflito

Grosse Pointe Blank (107 minutos – Comédia/Ação)
Lançamento: EUA, 1997
Direção: George Armitage
Roteiro: Tom Jankiewicz
Elenco: John Cusack, Minnie Driver, Dan Aykroid, Joan Cusack, Alan Arkin, Jeremy Piven

Leia mais em: , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Seria mais legal se o trabalho dele fosse matar um dos caras que estudou com ele. Ou se o antigo melhor dele também fosse um assassino e tivesse que matar ele.

  • eu não podia dar esse spoiler, pq o alvo que ele tem na cidade só vai importar nos ultimos 5 minutos de filme. ainda assim, não é uma pessoa qualquer, é mais alguém do seu passado.

busca

confira

quem?

baconfrito