Livros: Ame-os ou deixe-os

Livros quarta-feira, 28 de julho de 2010

Pois bem, com a decepcionante quantidade de comentários no meu post de volta, cheguei à conclusão de que vocês gostam mesmo é de títulos cuzões. Portanto, nada mais justo do que fazer esse post com um nome escroto.

Mas volto agora com a programação normal dos meus posts, ou seja, reclamar sobre coisas que envolvem literatura. E o tema dessa semana é bem simples: Ler algo por obrigação. Aliás, se ler é um exercício saudável, eu exijo que seja considerado um esporte e que tenha nas Olimpíadas.

No meu último post, surgiu o tema de hoje: Ler por obrigação. Ler por obrigação é algo extremamente chato, cansativo e idiota, pelo simples motivo de que você está fazendo algo que não quer fazer. Equivaleria a pintar o portão da sua casa no domingo ou a ir no hospital visitar sua tia de 8º grau que está com bronquite. Pois é.

Como em tudo na vida, ler é algo bem melhor de se fazer caso você aproveite tal ação. É como comer: Se você gosta da comida, você come mais. É aquela história de “fazer com boa vontade” que nossos pais falam, pra te forçar a comer verdura quando você é criança… Só que bem mais divertido. De forma bem simples, se você gosta de ler, você lê mais e melhor, consequentemente adquire mais conhecimento, vocabulário e inteligência.

Não importa por onde começar, seja um catálogo de vendas seja um clássico literário, desde que seja algo de qualidade (Tá… não sei como um catálogo de vendas vai ser uma obra literária, mas você entendeu). É por isso que ler o livro da Madonna não conta, mas ler uma bula sim: Com a bula você aprende o significado de guanosina monofosfato cíclica, por exemplo.

 Cê realmente acha que essa coisa é relevante?

É redundante dizer aqui, num post sobre literatura e livros, que ler é algo bom, mas ainda sim, há gente que insiste em achar que a leitura é perda de tempo, o que só prova que tal pessoa merece ser empalada. Apesar de ser algo bem gay e brega de se dizer, “ler te leva à outros mundos sem sair do lugar”. E isso acontece mesmo nas obras ruins: O Guia do Mochileiro das Galáxias te leva à Magrathea, O Hobbit te leva à Terra Média e Crepúsculo te leva à um clipe do Village People.

 ÁI-ÊMI-SÍ-EI!!!!

Portanto, é extremamente mais fácil e benéfico ler algo com vontade do que ler de má vontade. Ouso dizer que se você vai ler por obrigação, você não devia nem ler. Até porque não mudaria nada na sua vida. Pense bem: Você não irá ligar pra história contada, não irá se preocupar com o vocabulário, não vai dar a mínima para cuidar do livro e ainda por cima gasta seu precioso tempo, que de outro modo, você gastaria “ouvindo” as “músicas” na MTV.

Então, faça um favor a você mesmo: Escolha um lado. Ou você lê porque gosta ou você não lê e admite sua insignificância para o mundo, afinal, você pode ser insignificante, mas ao menos é um insignificante sincero. Claro que há outros modos de não ser insignificante, mas todos eles levariam, cedo ou tarde, à leitura.

Também não importa o estilo de livro que você prefere, seja fantasia, seja ficção científica, seja esotérico, seja livros de economia, seja o que for. Desde que seja de qualidade, desde que seja coisa de gente, não coisa de imbecil (Entenda por Ego e derivados). Revista de fofoca é coisa de idiota, portanto não conta, bem como todas essas merdas que existem atualmente. Até as matérias sobre relógios da Playboy tá valendo.

Então, seja uma pessoa decente e leia por gosto, nada de ler por ter que fazer prova, por ter que saber do livro pro vestibular, ler para entender seu trabalho, nem nada disso. Não adianta absolutamente nada ler por obrigação, os resultados positivos são praticamente nulos. Não dá para aproveitar um livro se você o está lendo por obrigação.

De qualquer forma, o resultado final será o mesmo se você não tivesse lido o livro: Você vai mal na prova, vai ser reprovado no vestibular e não vai ser promovido no trabalho, então para quê o hercúleo esforço de ler algo que você não quer ler? Não vai mudar em nada sua vida mesmo. Você vai continuar sendo o babaca que era antes de ler.

Mas sabem qual o melhor disso tudo? É que pelo menos a pessoa aprende o que é um livro ao invés de ficar de frescura com Kindle, iPad, e-book e todo o resto, afinal, como já falamos aqui, nada substitui o bom e velho livro. Faça esse favor para seus filhos: Se eles não gostarem de ler (O que demonstra que você é um pai incompetente), pelo menos force-os a saberem o que é um livro. Garanto que cedo ou tarde alguém na sua família será melhor que vocês babacas.

Ou não.

Leia mais em: , , , , , , , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • PedrO B

    “Até as matérias sobre relógios da Playboy tá valendo.”
    Me lembro que desde pequeno, além de ver as fotos das moçoilas como vieram ao mundo, sempre lia as matérias e entrevistas da Playboy que papai colecionava uaehueahae

    Eu acredito que um dos fatores para o desinteresse na leitura esteja nas escolas. Lá é muito comum a leitura forçada dos ‘clássicos da língua portuguesa’.

    Óbvio que são livros bons, mas a suprema maioria dos alunos de ensino médio não tem bagagem literária pra saber apreciar e entender essas obras. A obrigação por esse tipo de leitura passa a sensação aos alunos de que todos os outros livros vão lhes trazer o mesmo “nível de entretenimento” mórbido de ‘Macunaíma’, por exemplo.

    Discordo da parte que você fala que o livro da Madonna não conta. Acho que todos têm que começar com algo mais leve. Tudo bem que é ridículo toda essa idolatria juvenil pelos livros Crepúsculo, mas ao menos é um ponto de início para despertar um interesse de futuros leitores que se moldarão com o passar do tempo, assim como alguns anos atrás jovens descobriram um novo mundo com Harry Potter. O amadurecimento literário ensina que existem coisas fora desse núcleo pop dos “mais vendidos”

  • K

    Primeiro: cê é um grande tanga pra ligar pro número dos comentários.

    Segundo: concordo com o que o Pedr0 B falou aí em cima (sobre ler Madonna. Não que eu já tenha lido). Em um país onde a maior parte da população não sabe nem usar a vírgula, ler qualquer coisa – desde bula de remédio a Crepúsculo – já é grande coisa.

  • Bom, a maioria dos livros que a escola MANDA ler, eu nem sequer pensava em comprar, mas mesmo assim compro e me dou ao trabalho de ler.
    Sim, eu gosto de ler e leio os livros da escola sem problemas, a questão é que quase sempre eles mandam literatura clássica e etc para adolescentes que gostam de Crepúsculo e Lady Gaga. Claro que eles vão odiar a idéia de ler.
    Livros mais interessantes seria algo…interessante.

  • Lionheart

    Discordo do Pedr0.

    Não vejo tantos benefícios ao garoto que SÓ lê Crepúsculo e HP.

    Sabe pq?

    Pq ele vai sempre se contentar com isso. Agora q já terminou a saga HP sabe o q ele vai ler?

    Percy Jackson e os Olimpianos. São 4 ou 5 livros.

    Sabe o q ele vai fazer depois de termintar de ler essa saga?

    Ler outro livro modinha…

    Me pergunto qdo q ele tera a oportunidade de ler algo da literatura brasileira?
    Respondo: caso ele não seja obrigado pelo colégio, ele NUNCA irá ler Machado de Assis, por exemplo, dentre muito, mas mtos mesmo, outros ..

  • @Lionheart
    Eu só li Machado de Assis na escola.
    Eu li HP, Percy Jackson, mas não li Crepúsculo, por não ser do meu gosto, da mesma forma que Machado de Assis não é.

  • Ryllder

    Esse papo de que qualquer leitura serve;ou que um chorão que comece a ler a grande saga “Cristo de muletas,me salve disso” Crepúsculo,irá,de forma natural e inexorável,evoluir para leituras relevantes,não se verifica.O brasileiro lê pouco e mal,vide a lista de mais vendidos das revistas semanais.Leituras filosóficas,históricas e outras do nível são totalmente ignoradas pela massa ignara.O gosto pela boa leitura surge desde cedo.

  • É triste mas, infelizmente, uma grande parte das pessoas que eu conheço não tem interesse por leitura. Talvez o fato da nossa sociedade estar mais preocupada em obter status social e rentabilidade financeira que as pessoas acabam esquecendo de voltar as coisas simples e boas da vida.

    Quando eu vejo um grupinho de adolescentes hoje em dia fico pensando nas fontes de inspiração que eles possuem. Bando de filhos da puta que nunca leram Bukowski, H.P. Lovecraft ou, até mesmo, Lewis Carroll.

    A sociedade brasileira não tem o hábito de adquirir cultura através da leitura já de épocas passadas. Infelizmente, ler continua a ser um luxo para grande parte dos brasileiros…

    =/

busca

confira

quem?

baconfrito