A vida em um Dia (Life in a Day)

Cinema segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Life in a Day é um documentário colaborativo, com parceria do YouTube, dirigido por Kevin Macdonald e produzido por Ridley Scott. A principio a palavra “documentário” pode afastar alguns, afinal, para muitas pessoas documentários lembram as monótonas palavras “olhe o leão na savana a espera de sua presa” com uma câmera parada esperando algum ataque mortal, mas longe disso. Life in a Day documenta a vida das pessoas, ou sendo mais específico, ele documenta o dia 24 de julho das pessoas, mas quem documenta isso são as próprias pessoas, com suas câmeras digitais, celulares ou qualquer coisa que consiga filmar o que você está fez no dia 24, e é ai que está o ponto forte do documentário.

Vou explicar um pouco a situação. Em parceria com o YouTube, os diretores, produtores, estagiários, whatever, convidaram os usuários a uparem vídeos sobre o dia 24, depois tudo seria juntado e teríamos um documentário. Foram um total de 80 mil clipes, 4,5 mil horas de vídeo e 192 países envolvidos. Depois de produzido, o filme foi apresentado dia 27 de janeiro, reprisado dia 28 e agora já está disponível de graça no YouTube. Mas o que faz dele um documentário tão bom?

Life in a Day, na minha opinião, tem um diferencial especial das outras produções: Ele é real. Não estamos vendo o olhar do diretor sobre o mundo, estamos vendo o olhar do mundo sobre ele mesmo. Não temos direções escolhendo ângulo, foco, luz e enquadramentos, não temos uma cabeça rumando a produção para os seus ideais. Temos milhares de diretores escolhendo os ângulos, os focos, as luzes, milhares de ideias, milhares de pessoas diferentes, de várias classes, cores e países. Claro que o diretor e o produtor editaram de uma forma que o documentário cumprisse com as suas expectativas, mas isso não deixou de retratar o que os “atores da vida real” viam, sentiam, falavam e viviam. Fizeram questão de não mostrar um mundo cor de rosa e também de não apelar para um mundo caótico e negro. É quase um Yin Yang, tudo se completa, temos a alegria e a tristeza, o sorriso e o choro, a vida e a morte. É transparente. Life in a Day não se trata de equipes entrevistando pessoas ou relatando coisas através das suas próprias lentes, aqui os atores são pessoas reais, no mundo real e em situações reais, fazendo o que bem entenderem no dia 24 de julho.

 Ela vai escalar uma torre humana. Algo normal que fazemos todos os dias.

Segundo o diretor: “O Life in a Day é uma cápsula do tempo, que vai dizer às futuras gerações como era a vida das pessoas no dia 24 de julho de 2010. É uma experiência social única no cinema e não existe melhor maneira de reunir um leque tão ilimitado de imagens do que contar com a comunidade online de todo o mundo.”. É um autorretrato da humanidade.

O documentário meio que segue uma ordem cronológica, começando na madrugada do dia 24, mostrando o café da manhã de várias pessoas, acompanhando o dia. Durante essa jornada temos contato com milhares de sensações diferentes nas mais diversas ações que são mostradas. É engraçado e alegre ver um adolescente se barbear pela primeira vez, é triste ver a perda de entes queridos, é romântico ver declarações de amor e troca de carinhos e decepcionante quando um homem leva um fora de sua paixão. Somos bombardeados com sentimentos. Em outro momento várias pessoas compartilham a mesma ação, comentando o que se tem na bolsa, o que gosta de fazer e o que se tem medo. Essa parte do medo é a mais interessante, pois vemos medos reais, medos inocentes, medos preconceituosos e medos que nos fazem refletir, como o de uma mulher gorda, que aparece só de calcinha e sutiã e fala que é disso que ela tem medo, uma moça que tem medo de nunca ser chamada de mamãe, uma jovem que tem medo da homossexualidade, medo da solidão, de ser trocado, de morrer. Durante todo o documentário percebemos aquela frase “somos todos iguais”, mas é no medo que percebemos fortemente as semelhanças com essas pessoas que nunca vimos, que moram muito longe, que vivem outra cultura, mas que são tão parecidas comigo, com você, com todos.

 Depoimento após uma cirurgia no coração.

A mensagem final nos faz pensar bastante. E nem é algo tão grandioso, não é uma cena chocante, ou algo que irá tocar você tão fortemente, é apenas uma mulher no carro comentando que estava esperando algo de grandioso para esse dia, para poder documentar, mas não aconteceu nada. Eu prefiro que vocês assistam essa cena e tirem suas própria conclusões.

Finalizando, Life in a Day te leva a refletir, a conhecer o mundo e a si mesmo. Recomendo muito assistirem essa mistura de cenas bonitas, cenas bizarras, engraças, tristes, dor, conforto, amor, ódio, pessoas, animais, enfim, o mundo como ele é. Só achei um vídeo brasileiro, que é um pai que desmaia durante o parto do filho, não sei se tem mais e eu não percebi, mas mesmo assim, é legal ter algo nosso por lá. Ah, e o filme tem uma música lindona também, vale a pena. No YouTube tem uma caralhada de opção de legenda, vai na fé.

PS: Descobri agora que no canal tem alguns vídeos especiais contando como estão alguns “atores” do vídeo 1 ano depois de terem filmado. Vale a pena também.

A VIDA EM UM DIA

Life in a Day (94 minutos – Documentário)
Lançamento: EUA, 2011
Direção: Kevin Macdonald
Produtor: Ridley Scott
Música: Harry Gregson-Williams, Matthew Herbert

Leia mais em: , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • A proposta parece bem interessante. Fiquei curioiso para assistir. Em breve farei isso.

  • Ricardo G. Souza

    vale muito a pena o/

  • B. Accioli

    Eu vi dois videos brasileiros, um do cara que desmaia no parto do filho e um de uma garota falando que o que ela mais gosta é ter os pés na areia molhada, num rio.

  • Ricardo G. Souza

    hmm, como eu tava vendo com legenda em ingles acho que não reparei nesse áudio. Tu lembra mais ou menos em qual parte é?

busca

confira

quem?

baconfrito