Velho Demais pra Guitar Hero

Games quarta-feira, 31 de Maio de 2017

Com meu PS2 de volta à ativa, era apenas uma questão de tempo até eu chegar novamente no Guitar Hero 2. O jogo que eu zerei várias vezes, o jogo que era campeonato em todas as festas com os amigos, o jogo que te botava no lugar de um deus do rock. E eu não consegui jogar.

Ou melhor, consegui, já que o jogo rodou normalmente… Mas tô ruim pra caralho. Do tipo RUIM. PRA CARALHO.

Esta foi a primeira música que eu fui jogar, a quinta do jogo, a última do primeiro setlist… E eu falhei. Não consegui chegar nem a um quarto da mesma. Eu errava a hora, errava o ritmo… Eu não consegui jogar uma das músicas mais fáceis do jogo. Eu errei até mesmo as mais simples notas. O amarelo-azul logo do começo? Errei tudo. Star Power? Nada feito. Eu culpei o controle, e peguei outro pra ver se não era isso… Fui um pouco melhor, mas ainda não consegui tocar. Eu recalibrei o jogo e o controle, mas nada feito.

Aí eu resolvi trocar de música. Foda-se Spinal Tap, o negócio é ir pra música clássica do X1: Sweet Child O’Mine.

E eu só consegui QUATRO estrelas.

Jessica? Minha música favorita do jogo?

TRÊS ESTRELAS.

Eu estava derrotado. Lento, impreciso, a cada erro que eu cometia, mais vinham em seguida… Pode ser o controle, velho e com defeito; pode ser o CD, riscado e travando; pode ser o console, não funcionando direito… Eu apertava os botões. Eu juro que eu apertava, mas não ia. Dava errado… Eu não consegui nenhuma vez um x8, nem mesmo com o Star Power… Eu me dei conta de que é assim que é ser velho.

Eu jurava que estava fazendo tudo do jeito que tinha que ser feito… Mas o resultado não era o mesmo. Eu falhava em notas simples e em acertava outras mais complexas, mas não conseguia manter um ritmo por mais que três notas em seguida. Eu via cada uma delas vindo na minha direção, mas mesmo quando eu apertava o botão certo na hora certa, a nota falhava como se eu não tivesse colocado força o suficiente. Eu confundia as cores e os botões correspondentes.

Guitar Hero 2 é de 2006. Os meus dias de jogar qualquer música em velocidade aumentada ficaram para trás há mais de uma década. Claro, teve Guitar Hero Encore e Guitar Hero 3, ambos em 2007 (Então a série parou de aceitar controle normal e a guitarra era caro pra caralho), mas ainda sim significa que fazem dez anos desde que eu fui bom nisso. Eu estou chocado com a minha própria idade.

Porque eu não sou velho. Mas ainda assim, eu não consegui fazer algo que eu fazia com a maior facilidade do mundo. Eu sei que prática é um fator, mas a última vez que eu joguei Guitar Hero eu não estava tão ruim assim. Faz mais de um ano, mas eu conseguia jogar todas as músicas até o final, e conseguir cinco estrelas em todas elas. Não era 100%, mas eu conseguia ouvir a música que eu tava tocando ao invés do som de notas erradas. Eu não deveria ter piorado tanto em tão pouco tempo. Não coloquei o Encore ou o 3 pra testar e ver se não era algum problema com o jogo ou com os controles, e sabe porque? Porque eu me decepcionei. Comigo mesmo. Eu não esperava estar TÃO ruim, TÃO mal acostumado, TÃO mais velho.

E sabe o que é pior? Meu save não está nem zerado. Não tenho Free Bird e nem nenhuma das músicas extras. E ainda que eu jogasse pra zerar eu não conseguiria zerar. Eu não estou bom o suficiente sequer pra passar uma das músicas mais fáceis, quanto mais liberar novas.

Eu acabei de aprender o que é ser velho. Acabei de aprender o que é ser old gamer. Eu sou uma relíquia, e não no bom sentido.

Eu preciso me sentar.

Leia mais em: , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Vitor Lima Da Silva

    Após alguns anos lendo o Bacon, me senti impelido a comentar devido ao desfecho do texto com a última frase. Talvez o impacto causado não fazia parte da sua intenção enquanto escrevia, e é capaz que eu esteja me colocando demais no texto.
    Enfim, gostei bastante desses dois posts sobre o PlayStation. O meu está aqui. De vez em quando jogo a triologia do Ace Combat ( fantástica, por sinal); revejo os saves que estão na memory card desde a minha infância. Está em perfeito estado. Mas não sei, ocasionalmente, quando jogo, sei que ele não é mais o mesmo e muito menos eu. Talvez seja eu que não esteja mais em perfeito estado, nem ao menos sei se já estive ou se é possível estar. Mas o meu PlayStation está lá, como sempre, me lembrando que ele envelheceu e eu também.

  • Loney

    É cara… É estranho como os videogames envelhecem e acabam por levar a gente junto

busca

confira

quem?

baconfrito