Fragmentado (Split)

Cinema terça-feira, 04 de abril de 2017 – 0 comentários

 Kevin (James McAvoy) possui 23 personalidades distintas e consegue alterná-las quimicamente em seu organismo apenas com a força do pensamento. Um dia, ele sequestra três adolescentes que encontra em um estacionamento. Vivendo em cativeiro, elas passam a conhecer as diferentes facetas de Kevin e precisam encontrar algum meio de escapar.

Os hereges dizem que esse filme marca o retorno triunfal de M. Night Shyamalan ao posto de um dos melhores diretores/roteirista de Hollywood. Mas como retornar a um posto que nunca deixou de ser seu? S2 tio M!

O que você precisa saber aqui é que você não pode ler esse texto antes de assistir o filme. Quer dizer, poder você pode, mas eu não aconselho. Afinal, como todos os filmes do Shyamalan, o spoiler assassina uma experiência de vida. Seja ela boa ou ruim. Então não dá mole e assiste o filme antes que cê perca essa maravilhosa chance de ser feito de trouxa de novo. De uma forma boa, é claro. Se é que isso existe. continue lendo »

Corpo Fechado (Unbreakable)

Cinema sexta-feira, 31 de março de 2017 – 0 comentários

 Um espantoso desastre de trem choca os Estados Unidos. Todos os passageiros morrem, com exceção de David Dunne (Bruce Willis), que sai completamente ileso do acidente, para espanto dos médicos e de si mesmo. Buscando explicações sobre o ocorrido, ele encontra Elijah Price (Samuel L. Jackson), um estranho que apresenta uma explicação bizarra para o fato.

Rever Corpo Fechado hoje em dia, após toda essa onda de super heróis e com os estúdios jurando que sabem fazer filmes de super heróis mais realista e pé no chão, torna tudo muito mais engraçado. Quer falar de super herói realista? Fala com o Marcinho Shyamalan, parça.

O cara não somente fez um filme de super herói que ninguém entendeu que era um filme de super herói, como está expandindo esse universo com outro filme de super herói que ninguém entendeu que era um filme de super herói até a cena pós créditos que ninguém entendeu que era uma cena pós créditos até ser. continue lendo »

[baconews] #VaiSerMeioÉpico

Cinema, Televisão quarta-feira, 08 de fevereiro de 2017 – 0 comentários

Após alguns erros, que pra mim foram e sempre serão acertos, M. Night Shyamalan anda meio chateado, desmotivado e sem vontade de cantar uma bela canção. Enquanto isso, a Rede Record de televisão continua dando uma aula de jornalismo e sambando na cara da falsiane Rede Globo. continue lendo »

[PACOTÃO] Trailers de The Last Airbender e Bastardos Inglórios + Pôsters de Sherlock Holmes

Cinema terça-feira, 23 de junho de 2009 – 2 comentários

Muita novidade e pouco tempo para escrever. Então fiquem com o apanhado de material e divirtam-se!
continue lendo »

Mestre ou Farsante

Primeira Fila sexta-feira, 13 de junho de 2008 – 6 comentários

Não fazem nem 10 anos do lançamento de O Sexto Sentido, lançado em 1999, e de lá para cá, Bruce Willis continua sendo astro do primeiro time de Hollywood (agora, escolhendo melhores suas participações), Haley Joel Osment deixou de ser O menino-prodígio e desapareceu da mídia e, a grande dúvida que permaneceu, afinal de contas, seria M. Night Shyamalan (diretor e roteirista do filme) o herdeiro do trono pertecente a Alfred Hitchcock, O Mestre do Suspense?

A pergunta parece que irá demorar um pouco mais para poder ser respondida, neste final de semana estréia Final dos Tempos, oitavo filme do jovem cineasta indiano. Desde o sucesso estrondoso de O Sexto Sentido, que acabou virando fonte para cópia de diversos outros suspenses sobrenaturais nesta década – e quem já não fez referência a famosa frase “I See Dead People”, dita no filme? – o diretor tem aproveitado/sofrido com a valorização de seu nome em Hollywood, como se fosse o novo Midas do gênero.

Se tem um aspecto que se repete em sua filmografia desde O Sexto Sentido, além dos famosos finais surpresas, é o retrato de temas que parecem sempre ilustrar o confronto entre a ciência e a fé, ou como em seu último filme, A Dama na Ígua, a crença (fé) no mundo fantástico ou no mundo real. No entanto, algo que não se pode dizer de Shyamalan é que falta originalidade em seus roteiros. Reparem no seu filme de super-heróis, Corpo Fechado, erroneamente vendido como um filme somente sobrenatural – vai dizer que você já havia visto coisa igual?

Sou um pouco suspeito para comentar sobre os trabalhos do diretor porque mesmo em seus filmes onde a trama não parece corresponder com minha expectativa (vide Sinais e A Dama na Ígua), o cineasta possui uma capacidade de criar um clima tão angustiante e sombrio como pouco se vê atualmente (em tempos de edição picotada). Ao mesmo tempo, chama a atenção sua suposta arrogância lhe reservando participações em seus filmes, inicialmente em pontas, mas em seus últimos filmes papéis razoavelmente importantes, quando se observa que seu talento é mesmo atrás das câmeras ou do roteiro (isto quando não viaja demais).

Após O Sexto Sentido, as bilheterias de seus filmes vêm caindo seguidamente (foram: Corpo Fechado, Sinais, A Vila e A Dama na Ígua), apesar de ainda serem considerados sucessos. O nome do diretor já não é mais uma unanimidade em Hollywood, inclusive o próprio escreveu um livro relatando os bastidores de sua briga com produtores do estúdio do qual era contratado, e isto não pega bem num meio tão corporativo como a indústria cinematográfica.

Se Fim dos Tempos não colocar a carreira de Shyamalan nos trilhos novamente, algo que acredito que não ocorrerá devido aos primeiros comentários que tenho lido, o cineasta ainda terá a chance de ser o provável diretor da adaptação cinematográfica de Avatar, para alegria ou desespero dos fãs da animação.

busca

confira

quem?

baconfrito