Mestre ou Farsante

Primeira Fila sexta-feira, 13 de junho de 2008

Não fazem nem 10 anos do lançamento de O Sexto Sentido, lançado em 1999, e de lá para cá, Bruce Willis continua sendo astro do primeiro time de Hollywood (agora, escolhendo melhores suas participações), Haley Joel Osment deixou de ser O menino-prodígio e desapareceu da mídia e, a grande dúvida que permaneceu, afinal de contas, seria M. Night Shyamalan (diretor e roteirista do filme) o herdeiro do trono pertecente a Alfred Hitchcock, O Mestre do Suspense?

A pergunta parece que irá demorar um pouco mais para poder ser respondida, neste final de semana estréia Final dos Tempos, oitavo filme do jovem cineasta indiano. Desde o sucesso estrondoso de O Sexto Sentido, que acabou virando fonte para cópia de diversos outros suspenses sobrenaturais nesta década – e quem já não fez referência a famosa frase “I See Dead People”, dita no filme? – o diretor tem aproveitado/sofrido com a valorização de seu nome em Hollywood, como se fosse o novo Midas do gênero.

Se tem um aspecto que se repete em sua filmografia desde O Sexto Sentido, além dos famosos finais surpresas, é o retrato de temas que parecem sempre ilustrar o confronto entre a ciência e a fé, ou como em seu último filme, A Dama na Ígua, a crença (fé) no mundo fantástico ou no mundo real. No entanto, algo que não se pode dizer de Shyamalan é que falta originalidade em seus roteiros. Reparem no seu filme de super-heróis, Corpo Fechado, erroneamente vendido como um filme somente sobrenatural – vai dizer que você já havia visto coisa igual?

Sou um pouco suspeito para comentar sobre os trabalhos do diretor porque mesmo em seus filmes onde a trama não parece corresponder com minha expectativa (vide Sinais e A Dama na Ígua), o cineasta possui uma capacidade de criar um clima tão angustiante e sombrio como pouco se vê atualmente (em tempos de edição picotada). Ao mesmo tempo, chama a atenção sua suposta arrogância lhe reservando participações em seus filmes, inicialmente em pontas, mas em seus últimos filmes papéis razoavelmente importantes, quando se observa que seu talento é mesmo atrás das câmeras ou do roteiro (isto quando não viaja demais).

Após O Sexto Sentido, as bilheterias de seus filmes vêm caindo seguidamente (foram: Corpo Fechado, Sinais, A Vila e A Dama na Ígua), apesar de ainda serem considerados sucessos. O nome do diretor já não é mais uma unanimidade em Hollywood, inclusive o próprio escreveu um livro relatando os bastidores de sua briga com produtores do estúdio do qual era contratado, e isto não pega bem num meio tão corporativo como a indústria cinematográfica.

Se Fim dos Tempos não colocar a carreira de Shyamalan nos trilhos novamente, algo que acredito que não ocorrerá devido aos primeiros comentários que tenho lido, o cineasta ainda terá a chance de ser o provável diretor da adaptação cinematográfica de Avatar, para alegria ou desespero dos fãs da animação.

Leia mais em: , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Marco

    Eu na verdade gosto muito de A Dama na Ígua, não importa o que me digam…

  • Eu gosto muito de sexto sentido. Dama na água nem tanto, mas ainda acho um bom filme. N’a vila eu só consegui rir.

    É complicado…

  • Tito Lustosa

    Pra mim é MESTRE. O que o pessoal não entende é que os filmes depois de Sexto Sentido foram vendidos erradamente.

    Sexto Sentido -> CORRETO! Vendido perfeitamente sem revelar o final. Filme sobre FANTASMAS e MEDO! Um dos melhores filmes de terror de todos os tempos. Sem dúvida.

    Corpo Fechado -> ERRADO! Vendido como um filme que tinha um final tão surpreendente como o anterior e ainda era um filme de ação. Erraram feio! Era um filme sobre QUADRINHOS e SUPER-HERóIS!

    Sinais -> ERRADO! Vendido como um filme com final tão surpreendente como o Sexto Sentido e que era um sobre invasão alienígena! MEU DEUS! É um filme sobre FAMÍLIA e FÉ!

    A Vila -> ERRADO! Mais uma venda errada. Venderam como mais uma cópia do Sexto Sentido (que insistência BURRA). É um filme sobre FAMÍLIA (tema recorrente nos filmes dele) e MEDO!

    A Dama na Ígua -> ERRADO! Ao menos desistiram de comparar com o Sexto Sentido. Só esqueceram de avisar ás pessoas que era um CONTO INFANTIL! E como conto infantil é brilhante. E o roteiro é brilhante. Os críticos ficam procurando defeitos só pra falar mal. Adorei o filme.

    Fim dos Tempos -> CORRETO! Estão vendendo o filme como um ALERTA ECOLóGICO! E é o que é. Eu teria feito o final do filme diferente. Mas, eu não sou o roteirista nem o diretor. Ele fez assim porque considerou que era melhor fazer assim e pronto.

    Gosto de todos, tenho todos os DVDs e continuarei comprando assistindo e gostando enquanto ele continuar bom como é.

  • Paulo

    O único probleba do Sr. Manoj, é como seus filmes são vendidos. Depois de Sexto Sentido, TODOS os filmes deles são vendidos de forma diferente. E que critica seus filmes negativamente, nunca chegou a prestar atenção no que realmente o diretor quis transportar para a tela. Ouvi horrores sobre Sinais, que foi vendido como um Independence Day mais “cult”.

    Eu sou fã do indiano, por mais viajado que seja um roteiro ele te põe no clima certinho (não desgrudei da cadeira quando assisti Sinais). Ele consegue fazer você sentir aquilo que seus protagonistas sentem. E, se isso não é boa direção… Eu desisto de cinema.

  • Total farsante, esse último filme, o Fim dos Tempos, é a maior bosta que já assisti dentro de um cinema.

  • Justificado.Ele é indiano,vem do país do cinema,por isso faz filmes tão bons…

busca

confira

quem?

baconfrito