Escravo terceirizado #7

Livros quinta-feira, 07 de outubro de 2010 – 0 comentários

Corta para o passado.

Caminhando por aí, no meio da multidão, comecei a olhar ao redor. No começo, os rostos eram muito confusos, não conseguia perceber muito bem o quê era o quê, e me sentia diferente, único. Acelera o tempo, as pessoas passam mais rápido, e eu fico só observando.

E eu não sei mais o que escrever nessa porra, então vão lá ler o resto, porra.

Escravo terceirizado #6

Livros sexta-feira, 10 de setembro de 2010 – 0 comentários

So, do you really think that this is life? To be born, study your whole life thinking about a promissed future, with the promissed happiness that you know that you’ll never get?

continue lendo »

Escute, camarada

Livros sábado, 21 de agosto de 2010 – 1 comentário

 continue lendo »

Evolução?

Livros quarta-feira, 11 de agosto de 2010 – 4 comentários

“Mas que merda de futuro sem-graça vão nos deixar”, foi o que eu disse outro dia. Aquela gente do século passado, eles é que sabiam viver. Meu pai, que viu boa parte do século vinte e agora está vendo o vinte e um é que me conta: Carros, discos, máquinas. Tudo politicamente incorreto hoje, isso que eu gosto. Eu cheguei atrasado e nasci no final de tudo isso aí. Não dá pra fazer nada quanto à isso. Enfim. continue lendo »

Escravo terceirizado #5

Livros sábado, 07 de agosto de 2010 – 0 comentários

olhava no espelho.

via o que via, e percebia

o quê, não sabia.

E, mais uma vez, temos um texto babaca do Smith sendo recomendado aqui. No blog dele, que agora chama Literatura Monocromática, e trava meu Firefox.

Por que, agora, ele faz poesia. Que meigo.

Quer ver o resto? Pega, Rex!

Escravo terceirizado #4

Livros sábado, 10 de julho de 2010 – 0 comentários

Meu corpo age fisiologicamente como se nada estivesse acontecendo, reação precedendo a ação. Carne e espírito desvinculados, vivendo o mesmo momento. Estou desidratado, cansado e com insônia. Meus pensamentos impedem o sono, e contrariam minha vontade de dormir. Minha mente está doente, com uma dor de cabeça que não se manifesta no corpo, só na idéia. A dor é uma lembrança constante de estar vivo, me dá preguiça. Um turbilhão de idéias fica indo e vindo rápido demais para que eu consiga entendê-los, devagar o suficiente pra me incomodar.

Parece até a seleção do Dunga, hein? Quer ler o resto? Cricae.

Escravo terceirizado #3

Livros terça-feira, 22 de junho de 2010 – 0 comentários

Não sei se vocês notaram, mas essa terça está totalmente literária aqui no Bacon. E eu continuo tentando ampliar a cultura de vocês. Sem trocadilhos, por favor.

A luz azulada da tevê refletia na parede da sala do micro-cômodo onde vivia. Os canais conseguiam ser separadamente, tão desinteressantes quanto o todo. O cigarro que pendia em sua mão apagou no filtro, não se daria nem o trabalho de jogá-lo no cinzeiro. Sirenes soavam ao longe mostrando que pelo menos alguém estava se divertindo essa noite.

Alguém tá se divertindo essa noite, e não é no Bacon. Ou seja, vá ler o resto.

Escravo terceirizado #2

Livros sábado, 22 de maio de 2010 – 0 comentários

Pois bem, mesmo sabendo que 99% de vocês não viu esse post aqui, eu vou continuar a avisar vocês quando o autor-antes-conhecido-como-Smith atualizar a bagaça dele.

O esquema é simples: Eu pego o primeiro parágrafo [Ou parte dele, puta que pariu, ô nego pra fazer paragrafo grande!], colo aqui pra vocês, e se vocês gostarem, vão lá e leiam.

Acordou segundos antes de o despertador tocar, a rotina o acostumara mal, manter o despertador funcionando era quase uma formalidade. Levantou-se com a má vontade habitual de segunda-feira, apesar de o calendário acusar uma sexta, o peso das cervejas da noite anterior latejava em suas têmporas.

Gostou? Se vira pra ler o resto.

Escravo terceirizado

Livros sábado, 15 de maio de 2010 – 0 comentários

Já passavam das cinco, chovia. Dessa vez não esquecera o guarda-chuva, mas não quisera abri-lo. O trem nunca demorara tanto, era o que pensava todo dia no mesmo horário. A estação estava vazia, a não ser por um casal de passageiros sem rosto que pareciam não se preocupar com o frio e o atraso habitual. Um ruído metálico nos trilhos anunciou finalmente a chegada da viagem de volta para casa, neste momento dava para sentir o ar eletrizar-se, ou assim pensara.

Leu o textículo ae? Reconheceu o estilo? Claro que não. Ou pelo menos não deveria. Alguém ae lembra do Smith, que escrevia pro AOE? Então, o puto se recusa a ingressar no Bacon, sabe-se lá porque cargas d’água, e fez um blog. Mas como eu sou parceiro, conforme ele publicar textos [E me avisar, já que eu não vou ler mesmo], eu vou indicar procês aqui, beleza? Beleza.

São pequenos contos, vai lá e confere. Por enquanto, só tem dois: O último que ele botou no AOE e esse que eu copiei o trecho, inédito. Clica no link e se vira com o resto, mermão.

Algumas coisas que não gosto em Assis

Livros quinta-feira, 25 de março de 2010 – 26 comentários

Infelizmente não é um texto turístico sobre Assis, essa pequena cidade italiana. E também não é sobre o Chiquinho. O Assis a que me refiro é o Machado. Queria fazer um trocadilho infame agora, mas perdi essa aula na faculdade.

 Ah, se eu estivesse ai…

E deixemos de enrolação. continue lendo »

confira

quem?

baconfrito