Coisinhas que ouviremos em 2013

New Emo sexta-feira, 11 de janeiro de 2013 – 7 comentários

Cês não precisam de parágrafo introdutório, precisam? Que bom. Abram o texto e leiam o resto. Agora. continue lendo »

CDS #10 – Them Bones (Alice in Chains)

Clipe da Semana domingo, 09 de agosto de 2009 – 3 comentários

A melhor banda grunge de todos os tempos.

continue lendo »

Versões acústicas: destruição ou obra de arte?

New Emo quarta-feira, 16 de julho de 2008 – 11 comentários

Eu não sou fã de versões acústicas. Nem um pouco. O que me inspirou a escrever esta coluna foi uma banda que tocou em um bar que eu estava na semana passada, era apenas violão e um baterista que só tinha pratos e batia com a mão numa caixa em que ele estava sentado em cima. Não precisa mais que isso pra um acústico, mesmo.

É aí que tá: Acústicos exagerados são um pé no saco. Acho que um acústico bacana tá na simplicidade, na transparência que o som transmite, penetrando nos seus ouvidos sem incomodar. Praticamente passa KY. Você vê alguns acústicos cheios de instrumentos, com até mesmo guitarras e bateria, e… qual é a sua reação? Pé atrás ou OBA!?

Bom, acústico, ao pé da letra, basicamente é violão e uns batuques, nada de meios eletrônicos. Então, vou focar no acústico de verdade, e não nesses pseudo-acústicos com guitarras e… dj’s. Obviamente aqui começa a parte da coluna que é extremamente voltada ao meu gosto pessoal, não vou citar fatos até porque não há fatos a serem discutidos neste tema, além dos ditos acima. Também vou me focar em versões acústicas, e não em sons que já nasceram acústicos.

Toda banda tem o direito de lançar um álbum acústico, mas só se tiverem algo bom em mente E se for realmente a praia dos caras. Não precisamos citar exeplos como Korn, por exemplo, né?

Freak On A Leash ficou uma vergonha tremenda. Me contradisse acima, afinal, ISSO é um FATO. O ritmo não casou, a música nem pode ser considerada uma música e a participação especial foi um tanto quanto infeliz. Porra, acústico não tem nada a ver com Korn.

Mas… quem diria que tem a ver com uma banda Grunge?

Would?, do Alice in Chains. O fato é que o som não mudou muito, mas é esse o segredo: A maior parte das músicas da banda dão um bom acústico ou já são acústicas.

O que eu considero uma verdadeira versão, VERSÃO acústica ainda está por vir…

Tirando o refrão, temos aí um puta exemplo de versão acústica bem feita. Uma beleza.

Porém, confesso: Minha preferência está nas versões que são iguais ás originais, em relação ao ritmo. Por isso essa banda curiosa que ouvi na semana passada – e que não me lembro o nome – me chamou a atenção. Antes de me alcoolizar por completo, lembro que os caras tocaram Nirvana, Stone Temple Pilots, Live e até mesmo Metallica de uma forma respeitável MESMO. Foi a primeira banda acústica que me OBRIGOU a assistí-la, acompanhando o ritmo dos sons batendo o pé no chão e tudo mais.

Refleti bastante sobre o assunto enquanto voltava á normalidade e teorizei o seguinte: O segredo de uma boa versão acústica está na simplicidade. De verdade.

Não podia deixar de citar a versão acústica de Times Like These com o Dave Grohl, é claro. Porra, esse som é BOM e eu não sabia, incrível.

My Hero, Foo Fighters. O som não é mais agradável quando não tem trocentos instrumentos invadindo os seus ouvidos? Parece até que a energia da música aumenta, a voz tem seu merecido destaque e o violão faz um casamento sonórico com o baixo que realça mais ainda a maldita voz. Simplicidade, eu disse. E olha que sou eu, o cara que sonha em ouvir um solo de guitarra, de baixo E de bateria AO MESMO TEMPO em algum som.

Vamos a um exemplo infeliz.

Pescador de Ilusões, O Rappa. O som original é mais simples que a versão acústica, até. Repare no vídeo e conte quantos instrumentos existem ali. Agora me diga quantos deles você consegue escutar. Porra, é um estupro sonórico, não dá a menor vontade de continuar ouvindo.

A conclusão REAL é que acústico é para poucos. Sempre sua banda favorita vai fazer uma cagada enorme, o que vai acabar fazendo com que você deixe músicas boas passarem batidas. Ou não e isso é uma grande viagem que se passa pela minha mente. Bom, então fica a pergunta no ar: O que é uma boa versão acústica para vocês? Não vale citar acústicos originais.

Alice in Chains toma vergonha na cara e começa a trabalhar em novo álbum

Música sexta-feira, 16 de maio de 2008 – 0 comentários

Desde 1995 os caras não gravam nada. Agora, com William DuVall no lugar de Layne Staley, os caras do Alice in Chains comunicaram que nem shows vão fazer durante este ano para terminarem logo o novo álbum da banda.

Você lembra de como está o novo Alice in Chains? Se não, só ler aqui. Noob.

“Estivemos trabalhando nos últimos quatro meses, e há uma série de composições já bem desenvolvidas e soando muito bem, além de estarmos nos divertindo.”, foi o que disse o guitarrista Jerry Cantrell. Até o começo do ano que vem o novo álbum sai. Eu estou empolgado, só espero que William DuVall dê um toque mais cru ao vocal.

Ofertas: CD’s do Alice in Chains, DVD’s do Alice in Chains

Música mela-cueca que você TEM que ouvir

New Emo quarta-feira, 07 de maio de 2008 – 11 comentários

Bom, cês sabem que mulher é a melhor coisa da galáxia pelo fato de ela poder reunir, sozinha, o top 3 de melhores coisas da galáxia:

1 – Sexo
2 – Mulheres
3 – Cerveja

No caso do terceiro item, você teria que adestrá-la, claro. Nem toda mulher vem completa de fábrica. Noobs.

Agora, há uma coisa muito ruim entre tudo isso. Infelizmente, mulher tem um gosto musical muito ruim. Sério, a chance de encontrar uma garota com bom gosto musical é a mesma de você encontrar a Marimoon na rua, ou ver o mesmo Chow-Chow DUAS VEZES no mesmo lugar, no mesmo dia. Esse é o top 3 de coisas improváveis:

1 – Encontrar uma garota com bom gosto musical
2 – Cruzar (no mau sentido) com a Marimoon na rua
3 – Ver o mesmo Chow-Chow duas vezes no mesmo dia

Sabe o que é espetacular? Na mesma semana eu consegui os dois últimos itens do top 3. Isso significa que eu NUNCA vou encontrar uma garota com bom gosto musical OU que isso não existe.

Voltando ao assunto, quando a mulher não gosta de axé ou outra coisa que nos faça ao menos admirá-las dançando, ela é indie. Mas TODA MULHER gosta de músicas mela-cueca. TODAS, isso é COMPROVADO. Se você conhece uma mulher que não gosta desse tipo de música, ela deve gostar de Star Wars – logo ela é um nerd disfarçado de mulher. É fato.

Umas dizem que é amor, outras dizem que escutam por escutar e eu prefiro dizer que é mau gosto. Talvez eu seja… insensível. Sei lá. Vamos aos exemplos, então.

Always, Bon Jovi. Sabe agora do que eu estou falando? ISSO é mela-cueca. Se você gosta disso, você é o caso do Star Wars. Outro exemplo?

I Don’t Wanna Miss a Thing, Aerosmith. É por isso que 87,5% dos que gostaram de Armageddon são mulheres. A porcentagem restante assistiu o filme no mute E têm um mau gosto sensacional para filmes.

Is This Love, Whitesnake. Percebam que esse som e o som acima têm o mesmo começo. Receita do sucesso, cara.

More Than Words, Extreme. Esse som elas botam no repeat e cantam o dia inteiro. E você, leitor, provavelmente sabe/sabia/quer aprender a tocar esse som no violão. Eu sabia. A diferença é que eu sou eishperto e você tem mau gosto musical.

All My Love, Led Zeppelin. Som pras mais “cultas”. GAH!

Forever, Kiss. Clássica, hein!?

Aí você me pergunta: Como fugir disso? Não há como fugir disso, véi. Seria como fazer um pássaro nadar e um peixe pescar pessoas. É alterar a natureza. Coisa PIOR do que o aquecimento global pode acontecer se fizermos alguma coisa, então… apenas se conforme.

My Immortal, Evanescence. Afinal, nem sempre as músicas mela-cueca vivem de clássicos.

Equalize, Pitty. Aí já entramos no quesito “vocal feminino”, que sempre pode ser mais forte para elas no quesito mela-cueca. Elas se identificam mais, óbvio.

A música mela-cueca tem vários estilos: Alegre, triste, dor de cotovelo, cornomancice… enfim, é claro que o tipo de música mela-cueca mais adorado por elas é o famoso mimimi, musiquinhas bonitinhas e apaixonadas, daquelas que dariam sono/desgosto a um Pirata. Ou a um macho, como é o meu caso. (heh)

E as coisas podem piorar.

My Heart Will Go On, Celine Dion. Titanic, cara.

Corazon Partio, Alejandro Sanz. A coisa tá ficando feia, né?

Enfim, é essa a natureza feminina. Não que eu esteja reclamando, só estou dizendo o óbvio mais uma vez. Se você entrar em maiores intimidades com uma gordinha, vai ser obrigado a escutar sons desse tipo e, como o amor é uma coisa sem controle, cê vai acabar GOSTANDO – e eu não te culparei, mas também não pouparei zoações. Agora, se você quiser entrar em maiores intimidades com uma gordinha, taí uma trilha sonora pra facilitar sua vida. E facilitar minhas zoações pro seu lado.

Creio que a mulherada por aqui já deve estar fazendo voodoos comigo por causa das piadas machistas lá em cima e me chamando de “aproveitador” com o parágrafo acima. Pois saibam que vocês estão lidando com o cara mais brega da galáxia, ok? Com um pouquinho de bom gosto, apresento-lhes meu repertório mela-cueca:

Walking After You, Foo Fighters.

Long Slow Goodbye, Queens Of The Stone Age.

Ciúme, Ultraje a Rigor.

Cemetery Gates, Pantera.

No Excuses, Alice in Chains.

Só cinco, afinal, esse tipo de música definitivamente não é a minha praia. Não sou nada romântico quando o assunto é música, sou mais… agressivo. Eu tenho bom gosto, afinal. PROBOOOOOOOOOOT!

Você sabia que Layne Staley, vocalista do Alice in Chains, terá um filme?

Cinema sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008 – 0 comentários

Layne Staley, ex-vocalista dos Grunges do Alice in Chains, falecido em Abril de 2002, vai ganhar um filme e já tem um ator que viverá sua vida: Lathan McKay, um cara ainda desconhecido. É o da direita, ó:

Baseado no livro Get Born Again (a biografia do cara), escrito pela jornalista Adriana Rubio, uma argentina, o filme ainda não tem previsão para o início das filmagens. A banda Motherweiser (Hard Rock) ficou encarregada de treinar McKay. Pra fechar, nada melhor do que um clássico dos caras: Sea of Sorrow:

Ofertas: CD’s do Alice in Chains (MTV Unplugged – altamente recomendável), DVD’s do Alice in Chains

Saiba sobre as mudanças no Alice in Chains

Música quarta-feira, 15 de agosto de 2007 – 1 comentário

Você é grunge? Mentira, todos os grunges já se mataram. Então, a pergunta certa é: Você gosta de Alice in Chains? É fã? Então, a banda está voltando. E com um vocalista novo: William DuVall. PAUSA. Você TAMBÉM acha que o finado Layne Staley é insubstituível? Espera aí, a gente chega lá.

Em breve, o Alice in Chains vai sair em turnê com os caras do Velvet Revolver (Slash? TANGA!). Segundo os integrantes da banda grunge mais sensacional da galáxia, eles estão deveras empolgados pra tirar o ferrugem e sair tocando (heh) por aí. Olha só o que o DuVall, novo vocalista da banda, disse:

“Como dito no site oficial, estamos trabalhando em material novo. O primeiro em 10 anos. Tem sido muito recompensador e o negócio é louco. Muitos de vocês já devem saber que nós estamos nos aprontando para sair em turnê pelos Estados Unidos com o Velver Revolver. O que vocês podem não saber é que estamos ansiosos pra cacete pra sair por aí e tocar pra vocês de novo. Estamos indo (como um bando de cachorros selvagens) para um teatro/arena perto de você. Não haverá clemência. Vocês estão avisados”.

O NEGÓCIO É LOUCO! Então, se você é mesmo fã, deve estar pensando “Hm, isso vai dar merda!”. Isso é um direito seu, até eu estou com esse pensamento na cabeça. Pra te dar a certeza se vai dar em merda ou não, vou passar aqui três vídeos ao vivo com o vocalista novo mandando ver. Em ordem: Dam That River, Man In The Box e Nutshell:

Dam That River até que ficou empolgante. É claro que um vocalista não tem nada a ver com outro, seria até um PECADO se o DuVall fosse exatamente a mesma coisa que o Layne Staley. A banda em si continua ótima, e acho que só em estúdio pra analisar direito o novo vocalista. Bom, eu espero que o estilo não mude muito, mas os caras teriam que reinventar a música pra fazer um álbum melhor que Dirt, por exemplo. Vamos esperar por sons novos, então, fique ligado no AOE pra conferir como anda o novo Alice in Chains.

Acústico de Alice in Chains será relançado com novidades!

Música domingo, 12 de agosto de 2007 – 2 comentários

O MTV Unplugged (Acústico) da banda grunge mais foda da galáxia, Alice in Chains, será relançado em 18 de setembro, trazendo 3 faixas extras no DVD: Angry Chair, Frogs e The Killer Is Me. O show foi gravado em 1996, e lançado em CD e VHS. Esse é um dos dois únicos acústicos MTV que eu faço questão de elogiar – o outro é da banda Ultraje a Rigor.

E tudo que você precisa saber sobre o Alice in Chains, é que os caras estão compondo novas músicas. Na boa, Alice in Chains sem Layne Staley não é Alice in Chains. Mas vamos esperar, ao som de um CLÁSSICO da banda, No Excuses:

busca

confira

quem?

baconfrito