Sem Dor, Sem Ganho (Pain & Gain)

Cinema quarta-feira, 11 de setembro de 2013

 Flórida. Daniel Lugo (Mark Wahlberg) é um fisiculturista que sonha com o chamado “sonho americano”, no qual tem dinheiro à vontade para levar a vida como quiser. Para alcançar este objetivo ele conta com a ajuda de um colega, Adrian Doorbal (Anthony Mackie), e do ex-presidiário Paul Doyle (Dwayne Johnson). Juntos eles planejam o sequestro e a extorsão de um conhecido criminoso local, Victor Kershaw (Tony Shalhoub). Só que, ao realizarem o golpe, eles não contavam com as inevitáveis consequências que ele traria.

Eu admito, ao ver que o filme era dirigido pelo famigerado Michael Bay, que ia ser uma bomba. E, felizmente, eu me enganei. Felizmente porque eu ganhei um par de ingressos da Paramount pra assistir a bagaça e levei uma cocota, e se o filme fosse ruim eu ia ficar com a cara no chão, sem contar o tempo perdido. Aliás, foi difícil achar uma sala que tivesse passando a bagaça legendada, aqui do lado de casa é tudo dublado. Ai eu fui lá pra São Paulo [Moro no ABC, longe pra caraio]. Porque eu não vou ver um filme que eu já não fui com a cara dublado. Sou masoquista, não sou otário.

A história gira em torno de Daniel Lugo, um fisiculturista/instrutor de academia/gênio maligno. Basicamente ele chega a conclusão de que não está atingindo os píncaros do seu potencial financeiro, e que merece o sonho americano mais do que as pessoas ao redor dele. Claramente, podemos ver que isso vai dar merda.

O problema dessa ideia começa pelos comparsas que ele arrumou: Adrian Doorbal, que é um ótimo amigo, mas não é o mais brilhante dos amigos, e Paul Doyle, um ex-presidiário que só precisava de um guia um pouco mais bem intencionado. Coisa que Daniel é, se você pensar que ele só quer garantir o próprio futuro e o dos amigos, exceto pelo fato de que ele quer fazer isso fodendo a vida dos outros.

 Mas ele merece.

Daniel resolve que vai tomar tudo que Victor Kershaw, e… Você não pode realmente culpar o cara. Victor [Nome fictício] é um filho da puta do caralho. Saca aquele imbecil que a maioria das pessoas tem vontade de bater com um gato morto até que o gato mie? Se não sabe, se preocupe mais ainda, porque provavelmente você é um desses.

Mais deixemos de lado julgamentos de caráter e coisa do tipo, afinal, a América é um país livre, onde você pode ser um filho da puta rico, é só se esfolar pra isso. E Daniel sabe disso, mas ele quer se esfolar menos, ou melhor ainda, esfolar os outros e ficar com o resultado do trabalho árduo [Ou nem tanto assim] alheio. Questionável? Eticamente, sim; financeiramente, nem tanto. O risco é alto, mas se tudo for executado com maestria, o retorno é muito maior.

 Como não tem uma foto da gostosa sozinha, fiquem com o Rocha ae.

Cê notou o que eu disse ali em cima, né? “Executado com maestria”. Que exagero, meu senhor. Segundo o filme, se tudo não fosse feito nas coxas, já daria certo. Porra, poderia até ser feito nas coxas, desde que o azar não estivesse rondando o trio desde o início. Ou o azar só apareceu porque eles deram bobeira?

Bobeira não, bobeira é muito singelo. Eles cagaram no pau inúmeras vezes. E ainda assim quase escaparam outras tantas. Se não fosse a sucessão de erros, estariam livres até hoje. Sim, estariam, porque a história mais absurda que você já assistiu [Em relação à burrice não-caricata dos personagens] é baseada num grupo de marombeiros real. E isso é o que mais assusta: Saber que o que foi botado na tela [Descontados os devidos exageros cênicos] nada mais é do que fato consumado. E você achando que era corajoso por ir cantar uma gostosa num bar cheio de feministas.

 Olha o cachorrinho bonitinho, dona feminista. Fica brava não, foi só uma piada.

E, obviamente, se você não rir com as pataquadas todas, é porque sua alma está empedernida e você vai morrer logo. De câncer no senso de humor, então larga de ser reclamão e vai assistir suas comédias francesas. E PASSE BEM!

Sem Dor, Sem Ganho

Pain & Gain (129 minutos – Comédia)
Lançamento: EUA, 2013
Direção: Michael Bay
Roteiro: Christopher Markus e Stephen McFeely, baseados nas matérias de Pete Collins
Elenco: Mark Wahlberg, Dwayne Johnson, Rebel Wilson, Anthony Mackie, Ed Harris, Ken Jeong, Rob Corddry, Tony Shalhoub e Kurt Angle

Leia mais em: , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito