Recomendo: O signo dos quatro (Sir Arthur Conan Doyle)

Analfabetismo Funcional terça-feira, 29 de Março de 2011
 Capa de estudo sobre Sherlock e a cocaína

Depois de ler esse ótimo artigo sobre Dr. House e Sherlock Holmes, me dei conta que estava devendo um post para o maior detetive da Literatura. Elementar, meu caro Watson, que estou falando de Sherlock Holmes.

Sir Arthut Conan Doyle escreveu mais de 70 contos e apenas 4 longas histórias sobre as misteriosas aventuras da dupla de Baker Street. O “recomendo” de hoje vai para uma das histórias (na verdade, a segunda delas): O signo dos quatro. A princípio é uma história como qualquer outra de Sherlock Holmes: um cliente vai em busca de ajuda, Sherlock dá uma de bonzão e diz que já sabe quase tudo para desvendar o caso, só precisando fazer mais algumas averiguações e Watson fica viajando na maionese. Depois, Sherlock se disfarça e começa a ver que não era tão simples quanto ele pensava, pois acontecem algumas reviravoltas, surgem personagens totalmente bizarros e caricatos etc, mas no final ele sempre tem uma sacada foda e tudo dá certo. Não vou fazer spoiler, pois perderia toda a graça.

Uma curiosidade desse livro é que nas primeiras páginas fica evidente o uso “recreativo” – na visão do próprio Holmes – de cocaína e morfina (em outras histórias ele também usa ópio). Muito embora, para Watson, seu uso já esteja beirando o vício – o que já foi muito bem salientado pelo Yuri quando fez a comparação com Dr. House. Vejamos o trecho a seguir, em que Watson (que é o narrador das histórias) fala abertamente sobre o uso de de Sherlock de substâncias químicas psicoativas:

Com seus dedos longos, brancos e nervosos, ajustou a delicada agulha e arregaçou o punho esquerdo da camisa. Durante um curto tempo seus olhos repousaram pensativamente no antebraço e no punho, musculosos, pontilhados por um sem número de picadas. Por fim, introduziu a ponta aguda, apertou o minúsculo êmbolo e recostou-se na poltrona forrada de veludo com um longo suspiro de satisfação.
Três vezes por dia, durante muitos meses, eu havia testemuhado essa cena […]
“O que é hoje”, perguntei, “morfina ou cocaína?” […]
“É cocaína”, disse, “uma solução a sete por cento”.

Por derradeiro, gostaria de destacar a qualidade da coleção das histórias de Sherlock Holmes chamada “Edição Definitiva”, lançada pela Editora Jorge Zahar. Além de serem impressos em material de ótima qualidade, os livros são recheados de notas esclarecedoras e de grande profundidade, baseadas em extensa pesquisa bibliográfica. Também há diversas ilustrações retiradas de diversas edições antigas dos livros do mestre Conan Doyle. Salvo engano, já foram lançadas os 8 primeiros volumes, faltando só mais um a ser publicado. O preço é salgado, mas para os fãs vale a pena!

O signo dos quatro (Sir Arthur Conan Doyle)


The Sign of Four
Ano de Edição: 2010
Autor: Sir Arthur Conan Doyle
Número de Páginas: 196
Editora: Jorge Zahar Editora

Leia mais em: , , , , , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • A coleção da Zahar é literalmente definitiva.

    Uma sugestão é que, ou leiam todos quatro romances primeiro ou todas as 5 coletâneas de contos.

    Apesar de achar mais interessante ler pela ordem cronológica

  • vassourada

    O Cão dos Baskerville > All.

busca

confira

quem?

baconfrito