Realidades Paralelas: Universo Ultimate

HQs sexta-feira, 06 de maio de 2011

Atendendo ao pedido do @reyterry feito no artigo Realidades Paralelas, dou sequência ao assunto abordando não uma mini-série, como fiz nos dois últimos artigos, já que agora estarei falando de uma linha editorial nova baseada em uma nova realidade: O Universo Ultimate.

Esse novo universo surgiu em 2000, com o intuito de dar uma repagina nos personagens da Casa das Idéias e atrair novos leitores, sem que estes precisassem conhecer uma bagagem cronológica de mais de 40 anos.

Inicialmente, era para esta linha ter uma vida relativamente curta (Cerca de 5 anos), mas as vendas fizeram o Universo Ultimate prosperar ainda mais, tanto que até mesmo fãs de longa data dos personagens Marvel passaram a “abraçar” o Universo Ultimate como uma idéia, até de certa forma, inovadora.

Apesar de nos apresentar os heróis Marvel num panorama geral de como eles seriam no século XXI, a linha Ultimate teve grande liberdade para apresentar suas histórias, além de realizar algumas mudanças na origem de alguns personagens. O Homem-Aranha, o primeiro a ser apresentado nesta realidade ao publico, ao invés de ter sido picado por uma aranha radiotiva, ganhou seus poderes de uma aranha transgênica, o mesmo que acontece no primeiro filme.

Outras coisas também foram modernizadas, já que ao invés de ser fotógrafo, Peter Parker se tornou webmaster do Clarim Diário, trabalhando meio-periodo, um tipo de “estágio”. Além disso, temos Peter e a maioria dos heróis como adolescentes recém-descobrindo seus poderes.

É claro que esta questão de personagens mais jovens causou algumas inconsistências cronológicas na Linha Ultimate. Como por exemplo em Ultimate Team Up, onde somos apresentados a uma versão do Quarteto Fantástico adulta. E posteriormente, quando a série regular do grupo surgiu, vimos que os heróis surgem posteriormente ao Homem-Aranha e em versões adolescentes.

Dentre os maiores sucesso da editora estão, sem dúvida, os Supremos, que seria a versão dos Vingadores neste universo. Ao contrário dos Vingadores, os Supremos respondem diretamente a SHIELD e apresentam conflitos internos que aparentemente não poderiam fazer com que a equipe funcionasse, mas esses pequenos problemas não interferem no trabalho que precisa ser feito. Apenas uma coisa não agradou os fãs de Supremos: Os constantes atrasos.

Além das séries regulares (Homem-Aranha, X-Men e Quarteto Fantastico), e não tão regulares (Os Supremos), a Linha Ultimate contou com várias mini-séries e eventos. Essas mini-series tinham como objetivo apresentar a origem de heróis já adultos como Homem de Ferro, Demolidor e Elektra, bem como novos personagens, como foi o caso de Ultimate Adventures onde conhecemos o Coruja (Jack Danner), uma espécie de Batman cômico e sua família, sendo destaque o órfão Hank Kipple, que é adotado por Jack com o intuito de treiná-lo para ser seu parceiro, tipo o Robin, com o codinome Pica-Pau.

Durante a mini, Jack recebe a visita dos Supremos, que o convidam para participar do grupo, e ele recusa o convite, para desespero de Hank. Depois que a mini terminou o herói caiu no limbo e não foi mais visto.

Mas foram os eventos que marcaram a linha Ultimate. O primeiro evento de grande impacto foi Ultimate War, onde X-Men e Supremos se enfrentaram. Pouco depois, foi a vez de Galactus aparecer, numa trilogia que envolveu três mini-séries: Pesadelo Supremo, Segredo Supremo e Extinção Suprema. Para cuidar dessa grande ameaça foi preciso a união de vários heróis, como X-Men, Supremos, Quarteto Fantástico, entre outros.

Contudo, o evento que abalou mesmo esse novo universo foi Ultimato, que ao seu final deixou um vasto número de heróis e vilões mortos. Mas estes foram substituídos por outras versões, como fomos descobrindo na “nova linha ultimate”, chamada nos EUA de Ultimate Comics.

O que chama a atenção da linha Ultimate é que os personagens convivem lado-a-lado, já que se encontram frequentemente, não sendo sequer necessário que se tenha um evento ou uma grande catástrofe para que os encontros aconteçam.

É claro que, como todo grande universo paralelo exige, os heróis de Ultimate realizaram crossover com outras realidades, encontram-se com as versões de Marvel Zumbis em Quarteto Fantástico. E com o Esquadrão Supremo durante a mini Poder Supremo.

Desde que surgiu em 2000, o sucesso tem aparecido para linha Ultimate, mas recentemente notícias sobre as decisões editoriais para os títulos deste universo tem preocupados os fãs, já que parece que uma leva de “novas versões” de personagens já existentes neste universo está prestes a surgir.

Leia mais em: , , , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Wow, Ultimate *.*

    É, defnitivamente foi uma ótima versão do universo Marvel. E bem mais fácil de se entender também.
    O que eu acho mais interessante no Ultimate é que quando os personagens morrem, eles realmente morrem. Afinal, *me corrijam se estiver errado*, os X-Men acabaram, já que foram… eles que mais se ferraram no Ultimatum.
    O único que realmente poderia ser ressuscitado é o Thor, claro.

  • @reyterry

    A linha Ultimate é excelente,e realmente é mais um pouco mais facil de entender já que com pouco mais de uma década a cronologia já começa a pesar um pouco. Inclusive acho que é por isso que a Marvel pretende fazer uma “limpa” nesse universo.
    Quanto aos personagens realmente morrerem não é 100% fato que eles não ressuscitam, já que o Fera ressuscitou uma vez e também temos a Gwen Stacy de volta do mortos, que apesar das explicações ainda deixa falho esse quesito do morreu tá morto.
    Mas de qualquer forma é uma ótima história

busca

confira

quem?

baconfrito