Quero Matar Meu Chefe (Horrible Bosses)

Cinema terça-feira, 23 de agosto de 2011

 Para Nick, Kurt e Dale, a única coisa que poderia tornar o cotidiano monótono um pouco mais tolerável seria transformar seus chefes intoleráveis em fumaça. Pedir demissão não é uma opção, e assim, com a ajuda de alguns drinques além da conta e do conselho duvidoso de um ex-detento malandro, três amigos bolam um plano complicado e aparentemente à prova de falhas para se livrarem de vez de seus empregadores.

Ao contrário do que eu esperava, essa não é uma comédia padrão mainstream de Hollywood. Quer dizer, até é, ela só não é tão ruim quanto eu pensava, pelo contrário. Merece até certo reconhecimento. Mesmo querendo nos fazer engolir um universo onde alguém não gostaria de sentar a vara na Jennifer Aniston, que inclusive não tá velha. Pelo contrário, continua uma tesuda. Mas antes de falar sobre isso, uma recomendação: Não peguem pipoca com manteiga demais, isso dá um peso fudido no estômago depois, e pode atrapalhar a diversão dos mais sensíveis. Como eu sou um ogro, foi só alegria.

Pois bem, o filme começa mostrando que a vida de Nick é dura. Seu chefe, Dave Harken, exige que ele se diminua por uma promoção que lhe é prometida a anos. A vida de Dale é menos sofrida, já que ele está noivo e ama sua gaja. O problema é que ele é assistente de dentista, e a dra. Júlia Harris vive dando em cima dele, que não faz nada por ser fiel. Por fim, o trabalho de Kurt, que é uma beleza, já que ele faz o que gosta numa empresa com um ótimo ambiente, a Pellit & Son. Exceto pelo filho de seu patrão, Bobby Pellit, que é um completo imbecil, drogadito, babaca e outros adjetivos mais. Eles resolvem que não vão aturar isso, e até pensam em pedir demissão. Mas quando veem o exemplo de Kenny [Não se apeguem ao personagem secundário], que era o melhor aluno da sala e teve um fim deprimente, repensam a situação.

 “Afinal, quem quer ser secundário?”

Eis que Os Três Patetas o trio de gênios chegam a brilhante conclusão de que o esquema é levar a sério o que qualquer pessoa com um emprego regular já fantasiou: Matar o chefe. De cara, eles resolvem que o jeito é contratar um matador. Mas é claro que nenhum branco de classe média conhece um matador de aluguel, e ai eles se fu.

 “Tenho uma paradinha que cês não vão conseguir recusar.”

É ai que o Dean ‘Motherfucker” Jones entra na parada. Ele é um ex-detento, então obviamente conhece os esquema. Como o trio tá meio na seca pra executar o negócio, eles acabam entregando a grana pro cara. Que explica que não vai matar ninguém, só vai dar consultoria pros caras. Mas porra, tudo isso cê já deve ter imaginado lendo a sinopse, certo? Pois é. A questão é que o negócio fica totalmente sem noção a partir dae [Ou bem previsível, depende do seu ponto de vista], porque cê consegue imaginar três palermas que nem conseguem contratar um assassino de aluguel matando alguém? Nem eu. Em determinada parte do filme, chega a acontecer o contrário, mas não me aterei à detalhes.

 Que que eu tava falando mesmo?

O que importa é que… O filme tem… É… Ahm… Ê, Jennifer Aniston.

Quero Matar meu Chefe

Horrible Bosses (98 minutos – Comédia)
Lançamento: EUA, 2011
Direção: Seth Gordon
Roteiro: Michael Markowitz, John Francis Daley e Jonathan Goldstein, baseados em história de Michael Markowitz
Elenco: Jennifer Aniston, Kevin Spacey, Colin Farrell, Jason Bateman, Julie Bowen, Jamie Foxx, John Francis Daley, Donald Sutherland, Lindsay Sloane, Charlie Day

Leia mais em: , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito