Os Smurfs 2 (The Smurfs 2)

Cinema quinta-feira, 01 de agosto de 2013

 Nesta sequência de Os Smurfs (The Smurfs), o mago malvado Gargamel cria algumas criaturas travessas parecidas com os Smurfs, chamadas os Danadinhos, com as quais ele espera conseguir capturar a essência mágica e poderosíssima dos Smurfs. Mas quando ele descobre que somente um Smurf de verdade pode lhe dar o que ele quer e somente um encantamento secreto que a Smurfette conhece pode transformar os Danadinhos em verdadeiros Smurfs, Gargamel rapta a Smurfette e a leva até Paris, onde ele conquistou a adoração de milhões de pessoas como o maior feiticeiro do mundo. Gargamel não poupa nenhum monumento de Paris no intuito de conquistar o seu objetivo, então, caberá ao Papai Smurf, Desastrado, Ranzinza e Vaidoso regressarem ao nosso mundo, reencontrarem seus amigos humanos, Patrick e Grace Winslow, e salvarem a Smurfette! Será que a Smurfette, que sempre se sentiu diferente dos demais Smurfs, encontrará uma nova ligação com os Danadinhos, Vexy e Hackus – ou os Smurfs a convencerão de que seu amor por ela é genuíno?

Atenção: Pode ou não conter spoilers.

Sim, Os Smurfs 2 é infantil. O que não quer dizer que os adultos que assistirem não vão se divertir. Ainda mais se tiverem uma bagagem cultural que inclua os anões azuis. Claro que isso depende de boa vontade pra assistir o filme, mas isso é meio óbvio. Não só pra esse filme, inclusive. Se você vai de cara amarrada, qualquer filme fica uma bosta.

Falando em bosta, eu vi a versão dublada. E olha, não é tão ruim assim. Acho, já que eu não ouvi a dublagem original, então não sei quanto de piadas e referências se perderam na tradução, mas não acho que tenha sido tanto assim. E felizmente não houve nenhum famoso dublando só pro filme fazer sucesso. Nada contra os famosos dublarem, desde que façam um serviço decente, o que nem sempre é o caso. Mas deixemos de firulas.

 Ou não. Smurfs sem firulas não é Smurfs.

Apesar do filme falar objetivamente sobre redenção, bem ganhar do mal e todas essas lições de moral pra criançada, eu notei que o bicho pega num ponto muito mais crítico pra criançada: Afinal, pai é quem faz ou pai é quem cria? Porque o negócio não é empurrado goela abaixo só pela treta do Gargamel, que foi quem fez a Smurfette, com o Papai Smurf [Que eu ainda acho que foi inspirado no Lula], que deu educação e blá blá blá. Tem também a questão do Patrick, que foi abandonado pelo pai biológico, e depois teve que conviver com Victor, que se casou com sua mãe. E a trajetória de ambos é a mesma: Inicialmente os filhos adotivos não acreditam no amor paterno que lhes foi dado, pra no fim tudo dar certo. Porque é um filme pra criançada, porra. Se der merda no final vai ter chororô no cinema.

 Mas o melhor personagem ainda é o Cruel.

A despeito da questão paternal, temos o velho embate entre Gargamel, pra extrair essência Smurf suficiente pra dominar o mundo, e os Smurfs, que não querem virar limão espremido. Muito sensato, eu diria. Mas o foco, nesse caso, é outro. Se dá pela transformação da Smurfette, que era uma Danadinha, em Smurf de verdade, tipo o Pinóquio. O Gargamel pensou [Coisa rara, hein] e criou outros dois danadinhos: Vexy e Hackus. Aliás, ques nomes do caralho, hein? Danadinhos, Vexy, Hackus. Tomar no teu cu, Gargamel, aprende a botar nome nas coisas.

 “Não. Foda-se você.”

Eu podia adentrar no mérito da luta interna entre o bem e o mal da Smurfette, que primeiro se viu com poder na mão e começou a abusar dele, mas depois viu que ela e os danadinhos tinham mais em comum do que o criador careca, levando a uma bela amizade [Na medida do possível] que se mostrou ser, na real, uma armadilha de Satanás. Ou talvez o fato do Gargamel fingir [Muito mal] que gosta da Smurfette e agradá-la só pra conseguir o que quer, sendo uma metáfora pra homens e mulheres em relação a sexo. São tantas lições de vida que não dá nem pra terminar.

Mas eu preciso encerrar isso aqui, senão cês vão querer meu couro. No fim das contas, o filme é divertido, ainda mais se você viu o primeiro. Se não viu, mas não liga, ótimo também. Mas não me vá no cinema esperando atuações dignas de Oscar ou sei lá o que alguém pode esperar de um filme dos Smurfs que não seja uma fábula disfarçada de animação. Sim, porque no fim das contas o filme é quase um Esopo com visual moderno e linguagem radical.

Os Smurfs 2

The Smurfs 2 (105 minutos – Comédia)
Lançamento: EUA, 2013
Direção: Raja Gosnell
Roteiro: J. David Stem, David N. Weiss, Jay Scherick, David Ronn e Karey Kirkpatrick, baseados na obra de Peyo
Elenco: Neil Patrick Harris, Hank Azaria, Christina Ricci, Jayma Mays, Sofía Vergara, Tim Gunn, Alan Cumming, Katy Perry, Jonathan Winters, Fred Armisen, George Lopez e Anton Yelchin

Leia mais em: , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito