Odeio futebol mas jogo PES

Games segunda-feira, 09 de janeiro de 2012

Para início de conversa, PES (Ou Winning Eleven pros chegados) é infinitamente melhor que FIFA. Simples assim. A questão aqui é outra: Há pessoas que sequer gostam de um esporte, seja futebol, basquete, futebol americano ou qualquer outro, mas que gostam do jogo, conhecem as regras, odeiam o juiz (Eu sei que é “árbitro”) e todo o resto, mas porra, qual a diferença?

 Sim, no Japão ainda chama Winning Eleven.

Tem também pessoas que realmente não ligam para esportes, mas fazem a mesma coisa com jogos de corrida ou de guerra, caso da F1 (Que, sejamos sinceros, não é um esporte) e de Modern Warfare. Sim, eu sei que no video-game não tem gente morrendo, você não precisa lidar com torcedores fanáticos e muito menos suar, mas de um jeito ou de outro, é a mesma coisa, com as mesmas táticas, os times, armas, carros e todo o resto… É como não gostar de rosa e usar SALMÃO.

Mas qual a grande diferença? Porque você não se incomoda em passar horas jogando PES, ganhar os campeonatos, fazer a Master Liga, modificar jogadores, mas não consegue assistir à uma partida real de futebol? Você faz a mesma coisa: fica sentado no sofá olhando, xingando o juiz e reclamando do outro time.

Ahh, mas no video game eu tenho a força o controle!

Aí é que está, você pode pegar chuteiras e ir jogar futebol, pode se alistar pra ir para a guerra e pode roubar carros e atropelar pessoas, e isso, obviamente, é muito mais “controle” do que você sequer pode conseguir em um video game. Eu sei que você é um total e completo incompetente quando se trata de coordenação motora, mas se é realidade que você quer, um video game não é o jeito certo de buscá-la.

E por quê estou fazendo esse questionamento? Porque não gosto de futebol e tenho anos de Master Liga, porque não tenho saco de ver uma corrida de F1 mas queria um volante com pedais, e porque Battlefield é muito mais legal que Modern Warfare. Sim, eu sei que é estupidez, sei que eu não caberia num carro de F1 e sei que jatos vão mais rápidos que jipes, mas ainda sim jogo essas porcarias ao invés de ter a decência de assistir às corridas, conhecer a escalação dos times e me alistar pro exército.

A questão aqui talvez não seja a realidade, os gráficos ou a simulação que tantos dizem, e nem a coisa de ter uma vida de merda e a coordenação de uma barata, mas a simples preguiça. Eu, pessoalmente, acho um saco ver carros praticamente iguais, andando do mesmo jeito na pista, por 70 voltas iguais, não tenho paciência para aturar essas novelinhas estúpidas ao estilo que o Neymar está fazendo e definitivamente não vou pro “Oriente Médio ensinar pra esses judeus de quem é o petróleo”. Porra, o petróleo vai acabar, pra quê a galera ainda vai tentar roubar essa merda? Roubem plutônio e coloquem um reator no lugar da bomba de combustível.

Quero só ver a hora que a realidade virtual chegar, e vai ter peça de carro voando na sua direção, bolada no saco e sangue espirrando qual vai ser a desculpa que as pessoas darão… Acho que estarei mais interessado em jogos em iMax do que controle por movimentos, principalmente se o console for da Nintendo.

Leia mais em: , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito