O Casamento de Rachel (Rachel Getting Married)

Cinema quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

 Quando Kym (Anne Hathaway) volta para a casa da família Buchman para o casamento de sua irmã Rachel (Rosemarie Dewitt), ela traz uma longa história de crise pessoal, conflitos familiares e tragédia junto com ela. O abundante grupo de amigos e conhecidos do casal foi reunido para um final de semana alegre de muita comida, música e amor, mas Kym – com seu humor mordaz e sarcástico e com seu talento para dramas arrasadores – é um catalisador na dinâmica da família de tensões há muito mantidas em ponto de ebulição.

Confesso que não esperava nada de mais desse filme, afinal, filmes de casamento costumam ser tediosos. Mas me surpreendi com a porra do filme, já que ele é mais do que parece. Parece ser um drama meia boca, e acaba sendo um intrincado conflito familiar, que, no entanto, acontece em toda família. E chega de falar difícil que até eu tou ficando confuso com essa joça.

Basicamente, o filme começa com Kym sendo buscada na clínica de reabilitação, já que ela usa álcool, ou drogas, ou ambos, não importa. Já no carro, ela tem uma discussão com sua irmã, Rachel, aquela que vai casar, lembra?

 “Ai zenti, vou casar…”

Pois bem, depois de liberar a irmã do cativeiro, Rachel vai se preocupar com outras coisas, como roupas, decoração e essas tralhas importantíssimas pra mulher que vai casar. Com isso, Kym acaba se tornando problema do pai, Paul, e sua nova mulher, Carol. Quando se cansa da vigilância do pai, a filha doidona vai dar uma volta na casa da mãe, Abby, que também tá casada de novo, com um cara irrelevante.

 “Cês não vão foder meu casamento, beleza?”

O grande problema é que Kym, que é atormentada pelas histórias de seus abusos, vai querer causar se redimir nesse fim de semana, e com isso vai dar vexame, relembrar disputas e coisas do gênero. Como toda reunião de família gera.

 “Ai vai minha oferenda, Iemanjá.”

O grande destaque do filme é mesmo a atuação da Anne Hathaway, já que eu só vi ela trabalhando em filme de mulherzinha bonitinho e me convenceu como junkie. Sem contar as bizarrices, como uns sambistas que aparecem do nada. Mas vale a pena ver tudo.

O Casamento de Rachel

Rachel Getting Married (113 minutos – Drama)
Lançamento: EUA, 2008
Direção: Jonathan Demme
Roteiro: Jenny Lumet
Elenco: Anne Hathaway, Rosemarie DeWitt, Mather Zickel, Bill Irwin, Anna Deavere Smith, Anisa George, Tunde Adebimpe, Debra Winger, Jerome Le Page, Beau Sia

Leia mais em: , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Bolinha

    “Ai vai minha oferenda, Iemanjá.”

    Ri muito com isso Pizurk e, claro, quando eu ver o filme, pode tá o drama que for que ao ver essa cena vou me mijar de rir.

    Morra!

busca

confira

quem?

baconfrito