Inimigos Públicos (Public Enemies)

Cinema quinta-feira, 23 de julho de 2009

 Ninguém podia deter Dillinger e sua gangue. Nenhuma prisão o segurava. Seu charme e suas audaciosas fugas ganhavam a afeição de quase todos – desde sua namorada Billie Frechette até americanos que consideravam que Dillinger estava tirando dos bancos o dinheiro que os bancos haviam tirado indevidamente deles. Mas enquanto as aventuras da gangue de Dillinger impressionavam muita gente, J. Edgar Hoover planejou explorar a captura do fora-da-lei como forma de elevar seu Bureau de Investigação a uma força policial nacional que mais tarde seria conhecida como FBI. Para isso, ele tornou Dillinger o primeiro Inimigo Público Número 1 dos EUA e colocou o agente Melvin Purvis em seu encalço.

Rapaz, que filme FODA!

Mas um aviso: O filme não é exatamente de gângster. É um filme sobre o início do FBI como orgão interno monstro dos EUA, já que foi graças à caras como John Dilinger que a agência virou algo fudido. Não que Dilinger quisesse isso, claro. Mas calhou que, por culpa dele, uma lei sobre crimes interestaduais se tornarem federais passou. E ai, meu amigo, um abraço pra essa coisa de roubar num estado e ir se esconder em outro. Mas pera, cê não tá entendendo nada, certo? Certo. Então vamos do começo, que cê é uma mula sem chifre.

 Conheçam Charlie Harper.

Dilinger foi um mafioso fodão, que roubava bancos e era foda nisso. Era tão foda que zombava da polícia, inclusive. Mesmo quando foi capturado [Sim, ele foi capturado, e não, isso não é um spoiler. Acho…], aloprou geral numa coletiva que deram. E saiu na moral, sem nenhum grande plano elaborado, só na manha. Só não falo mais pra não estragar a surpresa. Mas, ao mesmo tempo que era arrogante com relação às autoridades, ele tinha o cuidado de trabalhar sua imagem perante o público. Sim, ele já se preocupava com o que o povo pensava dele! E ele explica porque.

 Galã é outra coisa.

Mas o que realmente importa no filme é a relação entre Dilinger e Melvin Purvis, um puliça que manjava um pouco mais e foi designado pra ir caçar o cabra. Purvis, inicialmente um bom soldado, honrado e tralalá, acaba cedendo à pressão de seus superiores, por conta de resultados. E qual seria o resultado? Pegar o puto do Dilinger! Mas é incrível como ele sempre dá uma volta em todo mundo. Até nego fazer filhadaputice… Da simpatia inicial por Purvis, eu acabei pegando um ódio feladamãe dele, por conta do que ele faz pra capturar o ladrão de banco.

 “DIE DIE DIE HAHAHA”

O filme é envolvente, chamativo e sagaz. Conseguiu me prender facilmente, sendo que tem mais de duas horas. O único porém foi o desfecho, que eu já esperava, mas não queria que ocorresse. E mesmo assim, é [Visualmente falando] uma das coisas que eu achei que nunca ia ver num filme hollywoodiano. E não é mostrar um inimigo público como anti-herói.

Inimigos Públicos

Public Enemies (140 minutos – Crime)
Lançamento: EUA, 2009
Direção: Michael Mann
Roteiro: Ronan Bennett, Michael Mann e Ann Biderman
Elenco: Christian Bale, Johnny Depp, Channing Tatum, Emilie de Ravin, Leelee Sobieski, Marion Cotillard, Billy Crudup, Giovanni Ribisi, David Wenham, Stephen Dorff

Leia mais em: , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito