Filmes com efeitos especiais DEMAIS

Primeira Fila sexta-feira, 27 de março de 2009

Esse é mais um assunto que causa brigas com meus amigos. Eu sou chata, isso é fato. Da mesma forma que muitos aqui não suportam quando um personagem começa a cantar durante um diálogo, eu não aguento quando a tela se enche de luzinhas piscantes aleatórias sem sentido e o diálogo simplesmente INEXISTE. Sério, eu consigo ver vários nerds numa sala dizendo “óóhhh” e dando uma resposta incompreensível caso alguém pergunte o que há de tão bom naquilo.

 Eu ia no de óculos.

Ainda não entenderam de que tipo de filme eu tô falando? 2001 – Uma Odisséia no Espaço é o exemplo mór disso. No final dele tem uma cena de uns 15 minutos mostrando NADA. Bom, ao menos pra mim é nada. Começa mostrando Júpiter ao longe, depois aparece uma placa alienígena voando no espaço. Tudo ao som de uma coisa meio ópera, meio… SEILÁOQUÊ. Depois de mais de 4 minutos SÓ DISSO aparece o astronauta protagonista voltando pra casa. Você acha que vai melhorar. E é então, meus queridos, que começa a parte “mamãe, olha que legal que eu fiz no computador!!!!!11”.

Para melhor compreensão, nem precisa alugar o filme. Aliás, poupem minutos preciosos da sua vida e nem assistam isso. Tem o Windows Media Player instalado aí no seu computador? Abra-o. Coloque qualquer coisa pra tocar, mas se tiver alguma música com sons de metal se retorcendo o efeito é ainda melhor. Sabe aquela tela com imagens estranhas, coloridas, que vem e vão pro nada? Assista por 10 minutos. Congratulations, você já pode dizer que viu uma versão caseira de 2001.

 Filmão.

Eu sou fã do Stanley Kubrick. Muitão mesmo. O Editor-chefe dessa bagaça já até me chamou de fangirl uma vez porque eu disse que só dava nota 10 numa resenha pra filme do Almodovar ou do Kubrick. Só que 2001 é absurdamente RIDÍCULO. O cara deve ter batido com a cabeça quando o fez, só pode. Nem me venham com “mimimi, isso agora parece idiota mas em 1968 era louco ver uma imagem dessas” ou mesmo o pior “mimimi, você não entendeu a moral do filme”. Eu entendi. Eu até saquei qual é a daquela placa preta, eu acho. Mas pra mim, a única coisa que vale a pena nesse filme é a música tema. O assunto é interessante, mas é muito fácil de se perder naquela papagaiada de efeitos. E é esse o ponto que quero explicar nessa coluna. A maioria dos filmes que exageram em coisas assim poderiam passar bem sem tanta lenga-lenga digital.

Mas pelo menos São Kubrick só fez merda uma vez. Tem diretor por aí que se repete em quase TODOS os seus filmes. *Se esconde atrás de um vidro blindado antes de escrever* Os irmãos Larry e Andy Wachowski são o maior exemplo da atualidade de pessoas que se empolgam nos efeitos especiais. Seu primeiro filme, Ligadas pelo Desejo, passa porque é um suspense noir. O primeiro Matrix é até legalzinho, com efeitos especiais QUASE passando da medida, mas como a idéia é legal até dá pra passar. Mas se perdem nos outros dois. A trilogia revolucionou o cenário da ficção científica, dizem. Mas isso não faz com que EU goste. Muito efeito especial me cansa. E cenas DE LUTA com efeitos especiais cansam duplamente. Speed Racer, o último filme dos irmãos Wachowski também me enche. Pra assistir um filme quase todo digital não seria melhor assistir… o desenho? Pelo menos tem a figura não digitalizada do Emile Hirsch, que é um ator muito delicinha compenetrado e talentoso.

 Por mais talento e menos roupas efeitos!!

No site Cine Players tem uma lista com os 25 maiores filmes de ficção científica de todos os tempos, de acordo com os usuários. É uma boa lista, mas dali eu só assisti uns 10 filmes. O resto eu nem tive vontade. Star wars, por exemplo… Acho que só assisti uns pedacinhos de um ou outro. Até acredito que o filme não seria o mesmo sem os efeitos especiais, mas já tenho tanto trauma de filmes com excesso disso que acabei com um preconceito assumido contra filmes de ficção científica em geral. MUITA CALMA nessa hora… Eu não disse que Sci-Fi não é de Deus é bom ou ruim, só que, particularmente, não gosto desse gênero e sempre vai ser minha última opção a assistir no cinema.

Eu respeito que o pessoal se divirta vendo imagens do Windows Media Player. Cada um com suas estranhezas. Eu não me divirto com filmes da Disney?

Leia mais em: , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito