Coraline e o Mundo Secreto (Coraline)

Cinema quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Quando ouvi falar que um filme baseado numa história de Neil Gaiman estava em produção, na hora pensei nos livros dele que eu conhecia e sabia que o autor é daqueles que NÃO tem uma cabeça muito boa para escrever histórias para crianças.

Pouco depois, quando soube de alguns detalhes da história, cheguei a conclusão de que, se o objetivo era de fazer um filme infantil, o diretor teria que dar muitas voltas no roteiro para tornar isso uma história bonitinha e meiga para elas. Quando tive mais detalhes, como o de quem seria o diretor, aí que tudo se descambou de vez. O filme é dirigido por Henry Selick, a mesma mente responsável por obras como O Estranho Mundo de Jack, que também foi o responsável pelo roteiro, algo que falarei mais em breve. E isso me fez ter esperanças que o filme seria BOM. Pois é, não me decepcionei.

Contando a história de Coraline, uma garotinha de 11 anos que se muda para uma casa nova onde não tem nada interessante para fazer e apenas uma pessoa de sua idade para conversar. Ignorada pelos seus pais, que se isolam no trabalho e a deixam de lado, ela acaba explorando a casa nova onde vivem, descobrindo pouco a pouco os segredos da casa e uma porta escondida, trancada há muito tempo, que poderá levá-la a um mundo paralelo, muito melhor que o atual dela, mas isso tem um preço…

 É só uma porta…

Blá, não vou contar mais do filme, acho que isso de básico da história já serve. O roteiro do filme foi baseado no livro Coraline, de Gaiman e mantém o mesmo tipo de atmosfera que o livro passa, aquela sensação de abandono que a personagem tem de seus pais e o que a motiva para seguir para o outro mundo, mas mesmo assim, a faz voltar cada vez. E onde já se viu a idéia de falar num filme infantil sobre costurar botões no lugar dos olhos?!? Só o cérebro doente de Gaiman mesmo pra pensar nisso… mas falei demais, opa.

 “Coma todo seu aipo!”

A escolha de fazer o filme em animação 3D deu muitas liberdades ao diretor, que teve total controle dos personagens. O filme, que teve sua pré-produção iniciada em 2005, tem uma das melhores demonstrações que já vi de movimentos virtuais. Desde as cenas nos jardins, onde TUDO se move, até detalhes que passam despercebidos, como o pêlo do gato e os cachorros que aparecem em algumas cenas, tudo tem sua personalidade, algum detalhe que você pode chamar aquilo de único para aquele personagem.

 “Bem vinda! quer…ovo?”

O trabalho com a trilha sonora é algo que também merece atenção. As músicas são ótimas, com trilha bem suave em horas que exigem isso e uma orquestra muito doida nas cenas de ação, que podem fazer você ficar na beira da cadeira. E já que falei de som, não posso deixar de citar o trabalho de dublagem que teve o filme. Dakota Fanning faz a voz de Coraline na versão original, coisa que não pude conferir, já que fui a uma seção dublada, mas que mesmo assim fez um trabalho digno para a personagem.

E o que devo dizer desse filme para que você vá assistir ele agora mesmo? Vamos ver… Eu citei que tem algumas cenas que escondem Easter Eggs? Se você é fã de algum trabalho do diretor, e prestar atenção, verá algumas coisas que farão você lembrar de algum filme dele…
Tá aqui ainda? tsc tsc.

Coraline e o mundo secreto


Coraline (101 minutos – infantil)
Lançamento: EUA, 2009
Direção: Henry Selick
Roteiro: Henry Selick, baseado em livro de Neil Gaiman
Elenco: com vozes de Dakota Fanning, Teri Hatcher, John Hodgman, Dawn French, entre outros.

Leia mais em: , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • joão !

    eu tava lendo, parece que demorou 8 anos pra ser feito.

    com certeza irei ao cinema vê-lo

busca

confira

quem?

baconfrito