Bacon Frito entrevista Ines Brasil

Música quinta-feira, 29 de agosto de 2013

ALÔ, ALÔ, VOCÊ SABE QUEM EU SOU? Claro que você sabe, simplesmente porque todo mundo sabe -ou ao menos ouviu alguém falar frases como “Me chama que eu vou”, “Você já me conhece pelo meu CD“, ou “Eu adoro, eu me amarro“. Ines Brasil é a brasileira que fez um vídeo para tentar participar do Big Brother Brasil e ficou famosa na internet. Ela não entrou na casa mais vigiada do Brasil, mas é evidente que entrou em várias outras casas -ou gadgets, já que ela rapidinho viralizou e virou meme em tudo que é canto. E, obviamente, como praticamente tudo que viraliza e cai nas graças da web, a moça ficou famosa por causa de sua apresentação um tanto quanto inusitada e não convencional. O vídeo arrancou um monte de risadas e comentários e, inevitavelmente, entrou pra categoria do humor sem nem pestanejar.

No início desse mês, a convite da casa noturna Nox Versus, de Caxias do Sul, e com iniciativa da Festa Biscate, da EPIC Produtora, a diva -sim, diva- Ines Brasil chegou no Rio Grande do Sul e concedeu uma entrevista exclusiva ao Bacon Frito, e contou um outro lado de sua vida, que vai além do personagem que ela foi desenvolvendo ao longo de sua carreira meteoro.

Eu iniciei a entrevista perguntando como aconteceu todo esse lance dela estourar de repente e ficar famosa, e se isso era algo que ela sempre desejou, e ela foi diretíssima: Afirmou simplesmente ter nascido com um dom dado por Deus, e que cabia a ela mostrar isso para o mundo todo. Sem modéstia, ela falou que cada um tem um dom, e todos devem aproveitá-lo, e é isso que ela faz. Nada mais. Justo e direto, não? Perguntei, também, quem influencia sua vida, e com a maior simplicidade do mundo, Ines citou seu pai. Não pensou em nenhum artista ou celebridade. Olhou para aqueles que tem em sua vida e apontou certeiramente: Tem orgulho de sua origem, que é muito simples, e afirma ter adquirido valores que ajudaram a construir seu caráter. E tu deve estar aí pensando: COMO ASSIM? Ela não é a mulher que aparece quase sem roupa, rebolando e fazendo movimentos sensuais, praticamente sexuais? Sim, ela é. E seu jeito extremamente simples revelou uma mulher muito mais real do que o que todos viram no YouTube.

Quando perguntei se ela tem algum artista que ela use como referência, ela citou Michael Jackson, e sua admiração vem do fato de Michael cantar, dançar e atuar, e ser exatamente aquilo que ele quer -assim como ela. E mais: Ela contou que nunca sonhou em ser cantora, e que isso aconteceu naturalmente, já que ela queria algum meio de ser conhecia na mídia, e só dançar não traria uma carreira de longa vida. Quando perguntei quem cuidava do seu estilo, quem a vestia, escolhia roupa, maquiagem, acessórios, etc, ela disparou:

Eu mesma! Se não for como eu quero, não sou eu! Eu sou assim e gosto! Não gosto de muita roupa, ando quase sem roupa mesmo! (Dica: estava fazendo uns 3 graus em Porto Alegre naquela noite) E não quero ofender ninguém! Sou simples, gosto de ser assim, não ofendo ninguém, e também não gosto de ser ofendida. Só sou eu mesma!

O estilo de Ines é um tanto curioso, realmente. Usa maquiagens marcantes, batons chamativos, roupas bastante chamativas (Pela falta delas, claro), e ela deixa claro que está em algum ambiente: Fala alto, dança, representa, sorri pra todos. Ela chama atenção por onde vai, se destaca e se diverte. Sem ter a intenção, ela aposta no estilo Kitsch, que mistura cores, estampas, modelos, texturas, acessórios grandes, chamativos, brilhosos, e, sinto informar, mas isso DÁ CERTO. Kitsch é um estilo que ganha cada vez mais espaço, e ser o que se tem vontade, sem ligar para os comentários que vão surgir, é cada vez menos subestimado.

Ao longo da entrevista, Ines falou sobre sua vida e seu passado. Contou que teve sua primeira filha quando era muito nova, e depois que teve a segunda foi para a Alemanha, onde trabalhou como dançarina por dez anos, e nesse tempo todo mandou dinheiro para sua família e garantiu o sustento e educação das meninas. Na Alemanha, casou-se e diz ter sido muito ajudada por seu marido, de quem ela hoje é separada. Falou de sua vida difícil, de luta, de quando sequer tinha comida na mesa todos os dias, e contou que foi com esforço que tudo foi superado. A imagem que se tem da Ines que aposta no nonsense, abusada e sem noção vai se perdendo à medida em que ela vai contando sua história.

Ao falarmos sobre seus fãs, Ines imediatamente se mostra muito feliz e realizada. Diz que ama seus fãs, ama ter contato com eles, e se relaciona com todos sem problema algum. Ama tirar foto, dar entrevista, ser amada e idolatrada por todos. Disse que gosta de namorar, que não tem problema em ficar com seus fãs e que quanto mais fãs tiver na sua volta, mais feliz ela fica. Contou que é auxiliada por sua filha e por seu empresário, Rafael Sabino, em suas redes sociais, e que com a ajuda deles se sente segura para se expor.

Em determinado ponto da entrevista, perguntei pra ela qual a importância da religião em sua vida, uma vez que ela menciona Deus a cada frase que pronuncia. E ela diz que desde pequena aprendeu a seguir os mandamentos de Deus, que entende que ele é o Pai de todos nós e que vai sempre pregar Sua palavra em seus shows e em qualquer lugar que for. De fato: Durante suas apresentações, quando está sem roupa e rebolando no palco, Ines manda que todos dêem graças a Deus com a maior naturalidade do mundo. E é aí que você vai percebendo o quão clara e transparente ela é, e que a maldade realmente está nos olhos de quem vê. Tu deve estar pensando aí: TÁ LOUCA, NÉ CAROLINE? Não estou louca nada. Conversar com a Ines, conviver com ela por uma noite, fez com que a imagem geral e superficial desse espaço pra uma criatura que eu sequer imaginava que existia. Uma criatura que se preocupa com a família, se seus filhos tem comida na mesa ou não, que não deseja nada além do bem de todos, que não tem medo de ser o que é e que, acima de tudo, acredita em si mesma. Enquanto muita gente ri e acha graça do que ela faz, ela se mostra segura de si, como muitos daqueles que riram não conseguem ser. Ela mostrou uma delicadeza e uma educação invejáveis, e uma preocupação com sua equipe e seus fãs de deixar abismado quem está na volta. Se mostrou extremamente humana, batalhadora, e segura de que se algo de ruim acontecer, ela vai dar a volta por cima.

Terminei a entrevista feliz por ter conhecido uma figura que eu já admirava -sou fã, desculp-, mas que não fazia ideia do quão bem intencionada é. Ela ri junto com quem a assiste, coloca alma e sentimento naquilo que faz, se entrega ao público em seus shows, sem pudores e sem ver qualquer problema em ser ela mesma. Muitos poderiam achar ofensivo, mas pra quê manter pudores tão antigos e descabidos hoje em dia? Acho louvável que alguém seja o que é E PRONTO. Depois de uma longa conversa, entendi o porquê de ela ter tantos fãs que a seguem e admiram não só seu trabalho, mas quem ela é. E eu realmente acho que mais gente deveria ter a chance de conhecer alguém como ela, que é muito mais do que um vídeo engraçado, shows semi-nus e palavras desconexas em cima de um palco.

Quero fazer um agradecimento especial a sua equipe que foi extremamente prestativa para a realização dessa entrevista, e pra diva em questão, que esbanjou simpatia, educação e entrega tão sincera. Foi um prazer, e me sinto muito feliz por ter sido tão bem tratada durante a realização de um trabalho. Afinal, a estrela da vez era ela, mas ela fazia questão de tratar todos como os seres mais importantes do mundo. Lição pra muito artista por aí, não?

E, como ela disse, ela nasceu pra brilhar. E, sinceramente? Ela merece.

Leia mais em: , , , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Aline Esteves

    FODA, Carol, hahahaha mandou bem

  • Carol Mattos

    Foi muuuito louco e mt bacana fazer isso. SÉRIO! :DD

  • Rodrigo Stumpf

    Muitooo booooom!!

busca

confira

quem?

baconfrito