As melhores adaptações do cinema

Cinema sexta-feira, 09 de setembro de 2011

Eu já falei aqui antes sobre adaptações de modo geral – e especificamente – e sim, seu tanga, eu curto pra caralho. Acho que inspirações são bem vindas e ter por base algo que já fez sucesso antes é meio caminho andado. Mas, calma, não se irrite! Eu sei que você fez mentalmente uma lista das piores adaptações que já comeram o seu dinheiro no cinema. Mas dessa vez, essa é uma lista das boas e com representantes de todas as classes, tem pra todo mundo #TODOSCOMEMORA: Literatura, HQ, teatro, desenho animado, novel.. não, não, esse último não. De qualquer forma, eu juntei hoje alguns dos melhores filmes que pegaram “carona” em algo que já existia, mas sem a frescura de TOP-alguma-coisa porque eu não tô afim de escutar vocês reclamando depois. Tá?

O Iluminado (The Shining)

Pra começar, nada mais, nada menos que um filme fidaputa de bom. Obra-prima maravilhosa de Stanley Kubrick, um dos cineastas mais perfeccionistas que já existiu. O filme é baseado num dos meus escritores favoritos (Não sei se você notou, mas a minha frase ali.. Ali.. Em algum lugar do Bacon, é dele. Nota do editor: A frase não aparece mais.), o livro O Iluminado de Stephen King. Atuações magistrais, cenas repetidas à exaustão até que ficassem com o tom desejado de Kubrick, resultaram num filme espetacular (Com direito à interpretações abertas sobre o final).

O Silêncio dos Inocentes (The Silence Of The Lambs)

AIMEUDEUSDOCÉU. Esses dias renovei os votos com esse filme genial e li também o livro de Thomas Harris, que deu origem ao longa. Sério, acho que nunca vi um filme tão perfeitamente adaptado. O longa contém cenas inteiras descritas no livro, incluindo as falas. As divergências são mínimas e não atrapalham o desenvolvimento. Naturalmente, se você lê o livro depois de ver o filme, o seu Dr. Hannibal Lecter tem a cara do Anthony Hopkins, porém, a minha agente Clarice Starling é bem diferente da Jodie Foster. Não que seja problema, até porque a atuação dela é sem discussão, mas a personagem simplesmente assumiu outra forma na minha cabeça. Minha única reclamação é: TINHAM MESMO QUE COLOCAR UM CARA VESGO PRA INTERPRETAR O DR. PILCHER?

Laranja Mecânica (A Clockwork Orange)

Outro filmaço, clássico, indicado até pra trabalho escolar. Violência bem explorada e criticada, trazida do livro A Laranja Mecânica de Anthony Burguess. E explorada por quem? Kubrick mais uma vez. Em documentários que assisti, descobri que Kubrick rodava as cenas com o livro em mãos, valorizando a fidelidade. O discurso inicial de Alex é inteiramente trazido das páginas e não há quem não agregue uma visão mais ampla acerca da violência (E de limites) depois de assistir Laranja Mecânica.

Trilogia O Senhor dos Anéis (The Lord Of The Rings)

Aqui, aqui e aqui.

Nem vem que eu li o livro sim! E vou te contar que eu gostei muito da adaptação. Embora eu tenha sentido falta de uns mil personagens. Mas, porra, Tolkien! Quanta coisa, quanta gente, quantos lugares, quantas línguas. É muita coisa mesmo, e felizmente o filme tentou abranger o máximo possível e ficou bacana, dinâmico (DEUSMELIVRE ter que agüentar as muitas páginas do Frodo e do Sam trilhando sozinhos até Mordor em As Duas Torres no cinema). Dá pra dizer ainda que existe meia dúzia de cenas idênticas às relatadas no livro, embora muitas resoluções tenham sido diferentes para que o roteiro pudesse ficar mais redondinho.

Franquia Harry Potter

Tá, vamos esquecer os primeiros filmes. Na verdade eu tenho medo de falar de Harry Potter porque envolve fãs órfãos, um certo ressentimento meu (Que cresci lendo a coleção e me decepcionei com os primeiros filmes) e bem, oito filmes. A redenção veio com o último deles, Harry Potter e As Relíquias da Morte – Parte II, que pra mim foi o melhor de todos, junto com Harry Potter e A Ordem da Fênix e Harry Potter e O Enigma do Príncipe. Acho também que poderiam ter explorado melhor o Mapa do Maroto que rendeu capítulos ótimos e faz parte de um dos melhores livros da série, O Prisioneiro de Azkaban. Mas de modo geral, é uma obra bacana e que vale à pena assistir.

O Poderoso Chefão (The Godfather) – Parte I, II e III

Qualquer homem que se preze deve, ao menos uma vez na vida, ter assistido à trilogia. O último filme é inferior aos demais, mas serve para fechar a história dos Corleone. Baseado no livro de Mario Puzo, o longa é um clássico incontestável com bordões, atuações e cenas que marcaram o cinema e viraram referência através de diversas gerações. Esse é pra ter em casa e assistir mais de uma vez, se possível. Bom até dizer chega!

Dormindo Com o Inimigo (Sleeping With The Enemy)

O filme fez parte da locadora da minha mãe e eu curtia muito rever de tempos em tempos. Trilha sonora marcante, uma história boa e um papel diferente para Julia Roberts. O longa é baseado no romance Dormindo com o Inimigo de Nancy Pride e traz o drama de Laura para se livrar de um marido louco que a espancava (Isso tudo sem a ajuda da Lei Maria da Penha, carcule!). Ela foge e tenta reconstruir sua vida no interior, quando o marido descobre o golpe e resolve buscá-la. Rola uma adrenalina, um suspense e eu recomendo muito!

Blade Runner: O Caçador de Andróides (Blade Runner)

Blade Runner é um filme de ficção científica baseado numa novela do escritor Philip K. Dick. O negócio é ótimo, com questionamentos que fogem dos rasos filmes de ficção comuns. Blade Runner tem certo status de filme cult e com alguma razão, já que foi utilizado até como inspiração na São Paulo Fashion Week. Mas a maior contribuição foi mesmo para o cinema, registrando-se como um clássico e entrando no hall das ótimas adaptações.

Superman – O Filme (Superman – The Movie)

O antigo, óbeveo. Bom, a fidelidade à história original é enorme e carimbou o Christopher Reeves para sempre como Clark Kent. Representante das HQ na lista, mas não fica restrito aos nerds não. Até minha mãe curte, suspira e acha o máximo… O negócio é abrangente, blockbuster dos bão e pegou carona nas revistinhas da DC.

Space Jam: O Jogo do Século (Space Jam)

AEEEEEE!!!! De volta à 1998, você assistindo isso no SBT com o resto da pirralhada, bem feliz comendo pizza. Digno representante das adaptações vindas de desenhos animados, Space Jam misturou desenho animado e atores de verdade (Assim como o também adaptado, mas de um livro, Uma Cilada Para Roger Rabbit de 88). Filme divertido que trouxe muito do nonsense dos desenhos, marcou os anos 90 e a carreira do jogador de basquete Michael Jordan.

O Segredo de Seus Olhos (El Secreto de Sus Ojos)

Já falei aqui e repito: Os hermanos sabem fazer cinema. Puta que pariu, que filme bom! Suspense policial de primeiríssima, baseado no romance La Pregunta de Sus Ojos de Eduardo Sacheri. Ganhou merecidamente o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro e naturalmente deve estar nessa lista de hoje. Assistam tangas, assistam.

Zodíaco (Zodiac)

Outro filme de suspense policial, mas muito mais hollywoodiano. Baseado no livro do jornalista Robert Graysmith, que sozinho resolveu investigar o serial killer Zodíaco, nos anos 70. A história é verídica e o livro trouxe detalhes sobre o caso, como as cartas do assassino e os depoimentos para a polícia. O filme, no entanto, acerta muito em tirar a carinha de “arquivo documental” que tem o livro e entretém muitíssimo bem. As atuações de Jake Gyllenhall, Mark Ruffalo e o Ironman Robert Downey Jr. também estão muito boas.

Sin City – A Cidade do Pecado (Sin City)

Sin City é a adaptação da história em quadrinhos de mesmo nome da Dark Horse Comics. O longa também ganha pela fidelidade à história, às cenas e à violência natural da trama. Personagens bem caracterizados e todo o conceito levado ao cinema faz dessa adaptação uma das mais satisfatórias aos fãs.

Chicago

Chicago é adaptado do tão famoso musical da Broadway e vem fechar a lista como representante do teatro. O filme contou com uma interpretação explosiva de Catherine Zeta-Jones, que acabou levando um Oscar pra casa (Assim como o próprio filme). Esqueça Nine, Burlesque (Cher renascendo das cinzas!) ou Mamma Mia!, a adaptação mais bem feita dos palcos é sem dúvidas, Chicago.

Mais alguns bacons crocantes: Watchmen, Como Treinar o Seu Dragão, Clube da Luta, Constantine e Scott Pilgrim Contra O Mundo.

Leia mais em: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Space Jam é o exemplo claro da Regra dos 15 Anos. Até a sequência parecia melhor que o primeiro.

  • Gabriel

    GOdfather não era um roteiro que não foi aceito e daí virou livro que virou best-seller que voltou a ser roteiro e virou clássico?

    Então não seria beeem uma adaptação (na verdade acho que nem “adaptação” é).

  • juliano

    po vc nao gosta dos primeiros de HP???
    eu acho eles tranquilos

    agora o 5 e o 6 eu nao gostei

    no 5 a luta do voldemort contra o dumbledore pra mim ficou pessima, sendo q esse é meu capitulo favorito de todos os livros, po no livro o velho da uma coça no voldemort mas no filme a luta ficou super equilibrada, achei q nao transpareceu q o velho era o mais sinistro, q nem no livro, o q considero importante pra historia

    e no 6 a parte q o harry fica assistindo matarem o velho muita sacanagem ali
    no livro o harry ta enfeitiçado pelo velho no filme ele fica assistindo q nem um bunda mole a principal caracteristica dele é a coragem, descaracterizaram totalmente o harry nessa parte, achei um absurdo!
    fora a parte da destruiçao da casa do rony sem motivo nem impacto na historia do filme

    os 2 ultimos foram bons gostei mesmo

    no mais bom texto vc excreve direitinho guria!

  • Gostei

  • Willian Magri

    Muito boa lista, tem coisas que eu não sabia que eram adaptações.
    Agora alguns pequenos comentarios…

    O Senhor dos Aneis: acho que como todos os fãs dos livros acharam que os filmes ficaram a desejar em algumas partes, não que seja ruim mas poderia ter uns pontos mais destacados. Por exemplo na ultima parte em que Frodo e Sam estão dentro de Mordor, no livro voce percebe que eles passaram bastante tempo la algumas semanas eu arriscaria dizer, no filme apesar de mostrar a distancia descomunal tem se a impressão que eles não levaram mais do que um dia ou dois. Nem vou começar a falar da Velha Floresta e do Bombadil ou do Balrog com asas. Vale a pena assistir as versões extendidas.

    HP: achei os primeiros filmes mais fieis aos livros, infantis mas fieis. Do quarto filme pra frente eles praticamente refizeram a historia, muitas coisas são diferentes, devido ao limite de tempo do filme provavelmente. Mas como ja disseram o Harry assistir tudo escondidinho no sexto filme ficou muito escroto.

  • Jade Zamarchi

    Não sei dessa história não.. a única informação a mais seria a de que o próprio Mario Puzzo ajudou a construir o roteiro do cinema, mas isso não impede de ser uma adaptação. De qualquer forma, se você achar alguma fonte sobre esse roteiro rejeitado, é só entrar em contato (meu e-mail do Bacon fica aqui do lado). Mas, por enquanto, o que consta é que Mario Puzzo lançou ” O Poderoso Chefão” em 1969 e o filme foi adaptado em 1972, ganhando até Oscar de Melhor Roteiro Adaptado.

  • Jade Zamarchi

    A minha birra é pela infantilidade dos primeiros filmes, então acabei gostando mais dos filmes onde a coisa foi ficando mais sombria. Concordo com os defeitos apontados, mas continuo achando melhor que os primeiros..

  • Jade Zamarchi

    Pois é, como eu comentei, faltaram coisas, muitas coisas. O Tom Bombabil foi um que eu esperava saber como seria no filme e puff, nem sinal, fez falta. Já o caminho dentro de Mordor foi encurtado, mas acho que foi uma atitude sábia, ia ficar maçante num filme que já é naturalmente longo. Mas no todo, O Senhor dos Anéis é até que bem fiel e me agradou bastante, embora eu concorde com os seus comentários.

    Já sobre HP eu não consigo engolir os primeiros, sério. É brincar com a minha inteligência. Não aguento as caretas da Emma Watson nos primeiros filmes! hahaha A impressão que dá é que o treco todo evoluiu com o passar dos anos, e o último filme foi a cereja do bolo pra que eu afirmasse isso. Realmente o Harry ficar escondido no sexto filme é sem noção, mas eu gosto mais dessa história e eu reafirmo que eu tenho receio de começar a discussão sobre, já que eu sou fã declarada e fã é sempre uma bosta. hahahaha

  • Gabriel

    Calma Jade. Eu dei uma pesquisadinha rápida e não achei nada, é provável que eu tenha lido por cima e mal-interpretado a informação. Mas não precisa ficar brava comigo :'(

  • Flores Juliano

    ai nao sei pq os livros tbm eram mais infantis

    no terceiro vc tem razao, é um dos livros mais interessantes, com nenhuma participaçao do lord voldemort ao contrario de todos os outros

  • Willian Magri

    So mais um comentario a respeito do Senhor dos Aneis, creio que voce tambem partilha da mesma indignação que eu, duas coisas que ficaram muito erradas nos filmes, os elfos aparecerem na Batalha do Abismo e os Dunedain não aparecerem em ponto algum.

    No caso da Emma a gente tem que dar um desconto, parece que ela nunca tinha atuado antes desses filmes então ate pegar o jeito… Posso dizer que sou meio fã tambem, mas dos livros, os filmes não me agradam muito. São bem feitos e tal, tem o lance de não poder mostrar tanto por causa de ficar muito longo, mas explodir a casa do Ronny? Ainda não assisti o ultimo, se eles mudassem o final da Rowling ficaria bom, no livro tem-se a impressão que ela escreveu aquilo apenas pra dar um final bonitinho pra ele. Gosto é gosto neh.

    Acho que as pessoas deveriam encarar essas adaptações quase como historias paralelas, afinal mudaram tanta coisa que fica ate diferente. Acho que a adaptação mais fiel que sei, alem dos citados, é a serie Guerra dos Tronos, a primeira temporada seguiu a risca praticamente tudo que tem no livro.

  • Pensei que iria rolar o fight club.

  • Orra, só assisti uns quatro filmes de todos os listados. Hora de parar de assistir comédia romântica HAHA.

busca

confira

quem?

baconfrito