Antes da Meia Noite (Before Midnight)

Cinema quarta-feira, 19 de junho de 2013

 Nove anos após os eventos de Antes do Pôr-do-sol, Jesse e Celine vivem juntos em Paris, ao lado das filhas gêmeas que tiveram. Ele busca sempre manter contato com Hank, o filho adolescente que teve com a ex-esposa e que vive em Chicago com a mãe. Quando o casal resolve ir à Grécia com as filhas, Jesse decide também convidar Hank para a viagem. Neste contexto, Jesse segue tentando se tornar um romancista de sucesso, enquanto que Celine considera seriamente a possibilidade de aceitar um emprego junto ao governo francês.

Fiquei muito ansiosa quando vi que, finalmente, Antes da Meia Noite estava para estrear. Me organizei com semanas de antecedência, prevendo dificuldades em comprar o ingresso. Todo esse frisson se justifica no encanto que senti quando assisti o primeiro da (Agora) trilogia, há anos atrás. Todos os três filmes são simples, até meio chatos para alguns, por causa do diálogo eterno sobre tudo que o casal tem. Mas é um artificio bonito, afinal, hoje em dia é um luxo você achar alguém interessante o suficiente para ter uma boa conversa sobre, sei lá, qualquer coisa. Minha maior curiosidade era justamente essa: Será que depois de tantos anos, Jesse e Celine ainda conversam?

O filme começa com um Ethan Hawke desconfortavelmente parecido com o Kevin Bacon. Mas eu pegava anyway. Na cena, ele está em um aeroporto e se despede com muita tristeza do filho que deixou para trás quando ignorou o avião que tinha que pegar em Antes do Pôr-do-Sol. Aparentemente, a ex-esposa nunca o perdoou por ter sido trocada por Celine, e, na boa, não posso culpá-la. Foi um dick move, ainda que por amor. Mas depois de 9 anos desde os acontecimentos do segundo filme, lá estava o belo casal que, a praticamente duas décadas, se encontrou em um trem e viveu um dos encontros mais invejados do cinema. A viagem pela Grécia em família parecia denotar pura felicidade. Fica clara ao longo do filme a conexão entre Celine, o enteado e as filhas gêmeas. A relação com Jessie, nas primeiras cenas, parecia nunca ter mudado. Conversas confortáveis, algumas implicâncias, risadas. Coisas de namorados.

A gente só percebe que a relação está meio que desandada quando Jessie se abre com a esposa e comenta a dificuldade que é ter o filho longe e que gostaria de estar perto dele agora que está crescendo, principalmente pelo fato da mãe do rapaz não regular lá muito bem. Para o público, pareceu um desejo legítimo de pai, mas a francesa encarou como um pedido para que ela abdicasse de tudo o que conquistou em Paris, para voltar a morar nos Estados Unidos. Exatamente o que ela pediu ao marido anos atrás, mas continuemos. A animosidade se instaura, definitivamente, no quarto de hotel oferecido pelos amigos para que passassem mais tempo juntos como marido e mulher do que como pai e mãe. No lugar deles, me aproveitaria de todas as despesas pagas e da ausência dos arrebentos para comer, encher a cara e fazer sexo antes, durante e depois da meia noite. Mas essa galera casada é meio maluca mesmo, e é nesse cenário de romantismo em plena Grécia que o filme se torna o que ele realmente é: Uma DR de 109 minutos.

Ao contrário dos outros filmes, esse é mais leve. O foco segue sendo a relação de Celine e Jessie, mas vê-los interagindo com as crianças e com os amigos gregos – juntos e separadamente – traz um tom diferente ao filme. Enquanto os diálogos de Antes do Amanhecer e Antes do Pôr-do-Sol soam pedantes, arrastados e afetados, Antes da Meia Noite é mais palpável. É como se você estivesse com eles lá, naquele quarto de hotel, ouvindo a troca de acusações, as declarações de amor e as queixas sexuais há tanto tempo trancadas na garganta. Você poderia ser, e provavelmente em algum momento da sua vida já foi, qualquer um dos dois. As horas passam voando, mas passam com você acreditando que a melhor parte de um amor idealizado é ele ser, justamente, idealizado. E a melhor parte de uma relação é não estar em uma relação.

Por mais que consiga enxergar o que Celine e Jessie construíram e a beleza de tudo o que viveram, não gostaria de ter isso pra mim. Por maior que seja a admiração entre os dois, algo que me chamou a atenção foi a falta de cumplicidade. Porque sim, eles ainda conversam sobre tudo e ainda são interessantes juntos, mas me pareceram muito afastados de uma vida a dois. Isso partindo muito mais dela do que dele, diga-se de passagem. Achei ela muito na defensiva para um relacionamento de quase dez anos. E também mesquinha em muitos pontos. Jessie pode ter cometido, e possivelmente cometeu, todos os erros que um parceiro pode cometer, mas ele pareceu muito mais disposto e conciliador do que a mulher. Muito mais racional e, ao mesmo tempo sensível. Em nenhum momento você duvida do amor dele por ela, mas se a recíproca é verdadeira para mim ficou beeeeeem no ar.

Richard Linklater acertou em cheio mais uma vez. Mais bela do que a história do casal é a Grécia. Fiquei louca para sair do cinema direto pro aeroporto. As praias, as ruinas e as ruazinhas são lindas, não sei como um casal de férias lá consegue ficar brigando em vez de pegar um barquinho de pescador e passear pelas águas cristalinas. É uma puta perda de tempo, isso sim. Ethan Hawke e Julie Delpy desempenharam, como das outras vezes, de forma incrível as nuances do casal apaixonado, ainda que desgastado. Ambos deram leves embarangadas, o tempo passa igual para todo mundo, o que contribuiu ainda mais para a veracidade do filme. Realmente você tem a sensação de que eles envelheceram juntos. Aliás, por que raios eles não casaram na vida real? Formam um casal irritantemente lindo.

Antes da Meia Noite é a reprodução do que acontece, mais dia, menos dia, com todo mundo. E acho que é por isso que me agrada tanto. Não sei se é um filme para um casal de namorados assistir junto, porque pode transformar um encontro dos sonhos em pesadelo. Mas é um ótimo filme, recomendo muitissimo!

Antes da Meia Noite

Before Midnight (109 minutos – Drama)
Lançamento: EUA, 2013
Direção: Richard Linklater
Roteiro: Richard Linklater, Julie Delpy, Ethan Hawke, Kim Krizan
Elenco: Julie Delpy, Ethan Hawke

Leia mais em: , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito