A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 2, O Final (The Twilight Saga: Breaking Dawn – Part 2)

Cinema terça-feira, 04 de dezembro de 2012

 Após dar a luz a Renesmee (Mackenzie Foy), Bella Swan (Kristen Stewart) desperta já vampira. Ela agora precisa aprender a lidar com seus novos poderes, assim como absorver a ideia de que Jake (Taylor Lautner), seu melhor amigo, teve um imprinting com a filha. Devido ao elo existente entre eles, Jake passa a acompanhar com bastante atenção o rápido desenvolvimento de Renesmee, o que faz com que se aproxime cada vez mais dos Cullen. Paralelamente, Aro (Michael Sheen) é informado por Irina (Maggie Grace) da existência de Renesmee e de seus raros poderes. Acreditando que ela seja uma ameaça em potencial para o futuro dos Volturi, ele passa a elaborar um plano para atacar os Cullen e eliminar a garota de uma vez por todas.

Definitivamente, não doeu tanto assim.

Tá, se vocês abriram o texto, quer dizer que vocês têm interesse nesse filme. E, se vocês têm interesse nesse filme, posso falar abertamente que fui vê-lo por livre e espontânea vontade.

Nota do editor: Passe no RH mais tarde.

E vá pra porra com essa cara de nojo, por que eu sei que você também foi, seu mal amado! Não adianta vir com esse papo de dur vou levar minha irmã/sobrinha/namorada. Se não quisesse mesmo ver, não teria ido.

Bom, começando pelo começo: No filme anterior, Bella e Edward se casaram e foram passar a lua de mel na Lapa ilha particular da família Cullen. Lá, eles finalmente dão a primeira bimbada, a fatídica lapada na rachada, a tão esperada encaixada no lego, e, pra surpresa geral da nação, a mina fica grávida!

Depois de uma gravidez de incríveis quinze minutos, e de uma maquiagem foda pra caralho pra fazer a Kristen Stewart parecer anoréxica, o chupa-cabra em forma de CG nasce.

Ah, claro, pra menina com maior quantidade de bosta alojada no intestino da história da literatura sobreviver, o maridão precisou dar umas mordidinhas pra ela virar vampira. Uma das maiores lições de vida do filme, devo acrescentar. Fica a dica rapaziada, da próxima vez que seu amorzinho sofrer um choque anafilático daqueles, experimenta umas bicadinhas no pescoço, uma puxada de cabelo na nuca. Funciona.

 “Tá vendo, amor?” “O que?” “O Wally ali!”

O maior problema de Crepúsculo, tanto nos livros quanto nos filmes, é a falta de problema. A saga foi construída em cima de uma pessoa cuja vida era perfeita e só se tornou mais legal ainda. Qualquer conflito posto ali no meio fica ruim. Sério, todas as batalhas que aconteceram centraram-se em torno da maldita da Bella, uma menina sem tempero nenhum, e todas por motivos esdrúxulos, na falta de palavra melhor. O casal protagonista não tem nenhum impedimento real pra ficar junto. Nenhum ciúme, nenhuma força maligna. Só o fato de ele ser vampiro, mas a própria série já provou que, pros dois, isso é tão relevante quanto o cálculo do centro gravitacional das cabeças de pedra da Ilha de Páscoa.

 Clô Vampire e sua boyband. VOLTURI’S BACK, ALLRIGHT!

Mas falando a verdade? Quem, assim como eu, tiver lido o quarto livro sim, eu fiz, processem o site, sabe que o filme foi um verdadeiro milagre. O quarto volume foi de longe o pior da série. O mais chato, mais vergonhoso, mais arrastado. Cada capítulo era uma facada no peito.

Incrivelmente, fizeram um bom trabalho passando ele pra telona. Dá pra ver o cuidado que o diretor teve de tentar deixar as coisas mais divertidas ali. Principalmente por ter focado menos nos lobos. Cara, cada capítulo com o ponto de vista do Jacob me dava vontade de morrer. Até a maquiagem da Bella, que eu realmente achei que ia ficar forçada como a do resto dos vampiros (Por favor né gente, a mulher que faz a loira psicótica é latina, dá pra ver dois quilos de massa corrida na cara dela) ficou boa. A coisa que me incomodou realmente foi o excesso de efeito especial em cima do baby monstro. A tal Reneesme parecia feita de porcelana. Tentaram fazer com que ela realmente fosse a criança mais linda que já pisou nessa terra, mas conseguiram fazê-la parecer uma boneca de porcelana mal feita. O que é completamente desnecessário, por que a atriz escolhida é muito bonita naturalmente.

Como eu disse, apesar dos pesares, e julgando com uma visão bem pessimista o que podia ter sido, a parada ficou bem feita. O final podre do livro se manteve, o que já era óbvio, mas ao menos tivemos a chance de algumas cenas boas antes do happy ever after.

A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 2, O Final

The Twilight Saga: Breaking Dawn – Part 2 (115 minutos – Romance)
Lançamento: EUA, 2012
Direção: Bill Condon
Roteiro: Melissa Rosenberg
Elenco: Kristen Stewart, Robert Pattinson

Leia mais em: , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Arthur

    O que esperar de alguém que escuta Evanescence? As vezes eu esqueço que a Aline está no ensino médio, isso é bom pra lembrar!

  • Mayara

    Aline, vc já assistiu As Vantagens de Ser Invisível? Dizem q é muito bom. Queria ver uma review dele nesse site (se for possível).

  • ainda não vi, mas to a fim. farei review quando assistir :D

  • Italo

    Fica a dica então, se leu Crepúsculo, leia Interligados, talvez te interesse mais, e se tiver uma adaptação para as telonas posta ai teu ponto de vista.

  • interligados

    what?

  • vou procurar esse, nunca ouvir falar :D

busca

confira

quem?

baconfrito