A DreamWorks deveria parar de fazer coisa pra TV

Televisão terça-feira, 12 de agosto de 2014

História rápida: A DreamWorks é uma empresa fundada pelo Spielberg, Jeffrey Katzenberg e David Geffen (Formando o SKG do nome da coisa). O tio Steven cês já conhecem; o Katzenberg foi um dos responsáveis pelos estúdios Disney, sendo um dos produtores de A Pequena Sereia, Alladin e O Rei Leão; e o Geffen é só o cara rico, mas foi a empresa dele, The Geffen Film Company (Odeio gente assim) que produziu Beetlejuice. E com a união de seus poderes, foi fundada a DreamWorks, no longínquo ano de 1994, sendo vendida pra Viacom em 2005.

 Insira uma piada sobre eles serem parecidos aqui.

Você pode até não saber, mas não só a DreamWorks faz filmes “normais”, com gente de verdade, como começou por eles: O Pacificador (Aquele com o George Clooney e a Nicole Kidman) foi o primeiro filme do estúdio, seguido por Amistad, dirigido pelo próprio Spielberg e o terceiro foi, acredite ou não, Um Ratinho Encrenqueiro. Só pra falar mais alguns, Impacto Profundo, O Resgate do Soldado Ryan, Beleza Americana, Entrando Numa Fria, O Âncora, Gladiador, O Terminal, O Chamado, Prenda-me Se For Capaz, Minority Report e o fatídico EuroTrip são todos da DreamWorks… É, não só não faz sentido como, se for parar pra ver, a variação de qualidade é gigante.

Foi só em 1998 que veio o primeiro filme em animação 3D: FormiguinhaZ, que bateu de frente com Vida de Inseto e se fodeu. No mesmo ano teve o primeiro em animação 2D, O Príncipe do Egito, que eu sempre gostei apesar de tudo. Em 2000 veio O Caminho Para El Dorado que também é foda, seguido por A Fuga das GalinhasShrek é de 2001; você está velho. Madagascar é de 2005, Kung Fu Panda de 2008, Monstros vs. Alienígenas de 2009, Como Treinar Seu Dragão de 2010 e Turbo de de 2013: Estes serão os nomes importantes daqui a pouco. Nesse meio tempo há vários outros filmes, 2 e 3D, incluindo as várias continuações, além dos filmes em stop motion.

Filme foda (Apesar do Paulo Ricardo) e subvalorizado.

Acontece que a DreamWorks também tem seu estúdio de TV desde os anos 90. Até aí, problema nenhum: Band of Brothers, a minissérie, é deles; Taken (Também a minissérie) idem; a série Rescue Me (Esquadrão Resgate por aqui) é mais uma… A grande maioria das produções pra TV deles fracassaram foda, algumas sequer chegando a ter uma temporada completa. Mais recentemente temos a minissérie The Pacific, em conjunto com a HBO; Falling Skies, a tão falada série produzida por tio Steven; e Smash, aquela série (Felizmente cancelada) sobre shows da Broadway. A questão é: Por pior que seja, já há uma “tradição” na TV, não é novidade.

Mas o problema mesmo não são essas séries, a maioria sequer passou aqui no Brasil, nããão, o problema são as séries de animação. Diferentemente ou não da Pixar, a DreamWorks é mercenária pra caralho: Tem os filmes de animação, tem os curtas de animação, tem os extras pra DVD, tem os especiais em animação pra TV, tem os curtas pra TV e tem as séries pra TV. Esses filhos da puta não largam o osso nem fodendo, e claro, isso é sempre receita pra desastre.

 Olha essa merda.

A primeira animação pra TV foi em 1998, chamada Toonsylvania, que passou na Fox Kids gringa, mas que eu sinceramente não sei se passou aqui no Brasil também ou não. Ela foi seguida por várias porcarias, incluindo Rei da Selva (Sobre uns leões albinos ou qualquer coisa assim), que se você ficava acordado de madrugada assistindo Sobrenatural no SBT é capaz de ter visto. Até que, em 2008, surgiu Os Pinguins de Madagascar, que caso cê seja leitor das antigas, vai lembrar do Bolinha se matando em elogios pra essa porcaria. Em 2011, foi a vez de Kung Fu Panda ter sua série (Kung Fu Panda: Lendas do Dragão Guerreiro, renovada pra quarta temporada), em 2012 foi Como Treinar seu Dragão (Dragões: Pilotos de Berk, renovada, sendo que a partir da terceira temporada vai ser no Netflix) e em 2013, Monstros vs. Alienígenas (Mesmo nome, com uma temporada só), todos na Nickelodeon. Turbo tem sua série (Em 2D) no Netflix, Turbo FAST (PORQUE O NOME JÁ NÃO DEIXAVA CLARO QUE ELE ERA RÁPIDO), que tem uma temporada só e não sei se vai ser renovada.

Mais notícias tristes agora, porque besteira pouca é bobagem: Pinguins de Madagascar terá seu filme próprio, com lançamento ainda este ano nas gringas, sendo que Madagascar QUATRO está programado pra 2018. Kung Fu Panda 3 está programado pra 2015, com data marcada em dezembro, e a previsão é de um total de SEIS filmes. Como Treinar Seu Dragão 3? Junho de 2016, a série original tem onze livros. Os Croods 2? Novembro de 2017, sendo que o primeiro foi tão ignorado que não conheço ninguém que assistiu. O Gato de Botas 2? 2018, como se o primeiro não tivesse sido uma merda e Shrek não tivesse sido explorado até os pentelhos do cu ficarem grisalhos.

Ainda é pouco? Ok. O Rei Julien, o lêmure de Madagascar, vai ganhar uma série própria também. O Gato de Botas? Outra série própria. E vai ter uma dos Croods. Tudo no Netflix. E tem gente que aplaude essa porra ainda por cima. E, claro, pode esperar mais especiais pra TV, jogos ruins, curtas e mais uma caralhada de coisas sem real importância. Pra não dizer que estou sendo injusto há 14 outros projetos que não são spin-offs e/ou continuações de trabalhos anteriores, mas diferentemente dos outros, nenhum deles já está em real produção, só promessas e boatos.

 Isso porque é a imagem de divulgação…

Tá bom, seu filho da puta, mas afinal, qual a porra do problema?

As séries de TV da DreamWorks são ruins. Não todas elas, mas a gigantesca maioria. Tanto as de animação quanto as outras, mas com as de animação é ainda mais gritante: As histórias são ruins, são mal animadas, não adicionam absolutamente nada ao resto da obra… São tapa buracos, produtos toscos feitos pra ganhar dinheiro às custas de marcas já conhecidas, que se tornaram o que são por conta de trabalhos bem feitos. Basicamente, as séries pra TV em animação da DreamWorks são sanguessugas chinesas, matando lentamente o estúdio de filmes. Um estúdio que aliás já tem alguns anos sem um grande e memorável título.

Eu já falei algumas vezes por aqui o quanto gosto da DreamWorks: Ela faz filmes legais, fora da estética conto de fadas da Disney e a insistência em lição de moral da Pixar. É praticamente a unica que dá chance à filmes de stop motion. A DreamWorks é o único estúdio de animação que apresenta conceitos e histórias novas de tempos em tempos, ainda que ou não os aproveita como deveria ou os exaure: Das três grandes, é a que mais tem potencial, já que a Pixar faz filmes da Pixar e a Blue Sky, responsável por Era do Gelo e Rio, não sabe qual das duas outras copia.

E ainda assim, a DreamWorks joga tudo isso fora. É absurdo que todo bom filme deles vire uma franquia, simplesmente absurdo. Shrek foi um filme foda pra caralho, e o primeiro a ganhar uma continuação, que, contra todas as expectativas, foi ainda melhor que o primeiro. Sério, Shrek 2 é incrível, e aí veio a bosta que é o terceiro, com uma ligeira melhora no quarto… São três continuações, dois spin-offs, sete curtas, dois especiais pra TV, a vindoura série do Gato de Botas, vinte e nove jogos, um musical e pelo menos quatro atrações em parques de diversão. Nem vou contar o total senão me revolto e paro de escrever isso aqui. Ah, e tem os brinquedos, livros pra colorir e uma minissérie em quadrinhos também. E, obviamente, como deu “”””””””””””””certo”””””””””””””” com Shrek, não se pode perder a oportunidade, e daí pra frente é tudo ladeira abaixo.

 Jamais me deixem falar sobre teatro infantil.

Voltando então pras séries de TV: A imagem alí em cima, da série de Monstros vs. Alienígenas, é uma demonstração (Em boa qualidade) do que se esperar das séries da DreamWorks. Eu entendo que não é viável fazer uma série com a mesma qualidade e quantidade de detalhes que um filme, mas porra, é mal feito. A Susan é simplesmente outro personagem. A qualidade visual das séries é baixa ao ponto de deixar os personagens mais como caricaturas do que se viu no cinema do que como um… Universo expandido dá até um frio na espinha só de falar essa bosta. Pela necessidade de produção, a qualidade cai, o visual cai, e numa animação o visual é importantíssimo. Qualquer uma dessas séries tem a mesma qualidade de animação que Era do Gelo 1. Isso é um filme de 2002 de um estúdio que tava começando: Monstros S.A. é de 2001 e eu te desafio a ir assisti-lo agora e dizer qual é melhor.

A dublagem é sempre um problema à parte, porque quase nunca conseguem os dubladores originais para o resto da franquia: Com certa sorte, pras continuações principais, com sorte pra caralho, pro primeiro jogo e olhe lá. Não basta a série perder visualmente, ela perde a atuação e a identificação com todo o público. Pra gente aqui no Brasil ainda é mais fácil, mas nos EUA deve ser um inferno, ver o mesmo personagem com três ou quatro vozes diferentes, enquanto tentam enfiar à força na sua mente que é a mesma coisa. Não é, nunca vai ser. O Bussunda dublou o primeiro Shrek, aí bateu as botas e tiveram de trocar o dublador (Felizmente) e já é estranhíssimo de se assistir em sequência… Com o Woody de Toy Story aconteceu a mesma coisa do primeiro pro segundo (Mantendo-se o substituto no terceiro), mas pelo menos era um dublador mesmo e não um global comediante ator casseta.

E tem o pior de tudo: A história, o enredo, o roteiro… Quando se cria um filme, quando começa o desenvolvimento da história, dos conceitos e dos personagens, se tem definido o que acontecerá, como aqueles personagens irão reagir e como a trama será solucionada: Criar um filme significa criar todo um universo, que deve funcionar autonomamente. Como Treinar Seu Dragão é uma adaptação de uma série de livros, e até onde me consta, infinitamente melhor que a obra original, mas os elementos base são os mesmos: Os vikings, a ilha, os dragões e o como estes elementos funcionam entre si. Kung Fu Panda, assim como Madagascar e Turbo, são criações originais e, cada um a seu modo, tem a mesma base: Elementos comuns e reais (Animais, artes marciais, zoológicos, corridas, etc.) misturados ao elemento fantasia. Eles tem seus universos definidos e delimitados pela própria história que cada um conta e para que a franquia como um todo funcione, você deve mantê-la fiel à si mesma, e tudo isso é jogado na privada quando se faz algo assim:

A partir do instante em que você me diz que os cinco guerreiros mais poderosos da China inteira podem ser derrotados por um javali qualquer, VOCÊ FODEU SUA OBRA. Não se passa anos criando um filme e o desenvolvendo pra jogá-lo no lixo em vinte e poucos episódios. Você não faz seu público sair de casa, ir no cinema, pagar ingresso e se esforça para convencê-lo que o que ocorre na tela é foda pra, quando a família chegar em casa, jogar na cara de todo mundo que tudo que ela viu até agora é uma mentira, uma “versão”. Isso simplesmente não existe.

É absurdo ver o quanto as séries diminuem os personagens para encaixá-los nas histórias ruins que são cridas para as séries, no melhor estilo “vilão da semana”. Você tem os personagens mais incríveis de um universo inteiro, que acabaram de superar o maior desafio de todas suas vidas no cinema, lidando com problemas que eles jamais enfrentariam num filme, numa obra da “série principal”. Não se muda um personagem, local ou “regra universal” só porque custaria mais caro, ou demoraria mais, ou seria mais difícil: Não se piora sua própria obra só porque ela está na TV.

 Sabe aquele clássico exemplo de coadjuvante que não pode ser principal?

E é isso aí: A DreamWorks tem que parar de fazer TV porque ela é uma bosta fazendo TV.

Leia mais em: , , , , , , , , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito