72 Horas (The Next Three Days)

Cinema quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

 O professor universitário John Brennan (Russell Crowe) levava uma vida perfeita até sua esposa, Lara (Elizabeth Banks), ser presa acusada de um crime brutal, que ela alega não ter cometido. Após três anos de vários recursos negados pela justiça, John percebe que só há uma saída: elaborar um plano de fuga preciso para tirá-la da prisão. Agora, ele e Lara terão apenas 72 horas para fugir. Em uma corrida contra o tempo, John irá provar que não há nada mais perigoso do que um homem com tudo a perder.

Cê pretende tirar alguém da cadeia num futuro próximo? Tem planos de colaborar com o PCC, o Comando Vermelho ou coisa que o valha? Então esse é o filme pra você!

Basicamente, tudo inicia com uma família feliz, papai, mamãe e filhinho, tomando café da manhã e o caralho a quatro. O problema é: A puliça invade, desce o cacete em geral e leva a mãe embora presa. Acusação? Homicídio da chefe, com quem discutiu no dia anterior, e apareceu morta no estacionamento. Tudo leva a crer que foi ela mesmo, mas John [Esse é o nome do pai] se recusa a acreditar que sua querida Lara matou alguém.

É ai que o bicho começa a pegar. John apelou em todas as instâncias, tirando a Suprema Corte [O equivalente ao Supremo Tribunal Federal nos EUA], mesmo porque a porra da Suprema Corte não reverteu nenhuma condenação por homicídio nos últimos tralalá anos. O que ele fez? Começou a pensar num jeito de dar um jailbreak na sua amada.

 “Tão olhando o que? Não se pode mais planejar uma fuga em paz?”

É ai que começa a parte divertida: O suplício de John pra conseguir fazer a parada. Por que é óbvio que não vai dar tudo certo. Por que não é tudo fácil como nos film… Opa, isso aqui é um filme. Mas é muito mais realista, cê vê o maluco se fodendo, e sente a angústia que ele tá sentindo. Ou parte dela. Mas é merda atrás de merda. Ele vai atrás de um tio que fugiu trocentas vezes da cadeia, pega as dicas, e começa a Via Crúcis particular pra tirar a muié da cana: É um negócio de arrumar documento falso, arma, planeja, fica de tocaia, o caralho a quatro. Quem falou que era fácil?

 Ainda mais quando os alemão não facilita.

Só que, como diz o nome do filme, não há tempo pra planejar muito, etc e tal. Merda acontece, e ele tem que executar tudo em menos de três dias, porque a muié vai ser transferida e tal. É ai que temos o gênio de John se mostrando, porque ele vai e pá e tal e consegue fazer a firula. Sério, cê acha que vai dar muita merda, mas como é um filme, dá tudo certo no final. O que, cê esperava que não desse? Sai do cinema e vai ver noticiário, meu jovem.

 “A cana, chefe, a cana a cana! A cana tá chegando!”

E não, eles não fogem pro Brasil, como é o normal nesses filmes. Eles fogem pro Haiti. Por que caralhos eles vão pro Haiti? Eu sei lá, vai ver o John gosta de pobre.

72 Horas

The Next Three Days (113 minutos – Crime)
Lançamento: EUA, 2010
Direção: Paul Haggis
Roteiro: Paul Haggis, baseado em roteiro original de Fred Cavayé e Guillaume Lemans
Elenco: Russell Crowe, Olivia Wilde, Liam Neeson, Elizabeth Banks, Brian Dennehy, Jonathan Tucker

Leia mais em: , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Ele não foge pro Haiti…

  • Ah, jura? Vai dizer que a mulher dele não era culpada, também.

    Eu esqueço que nego cai de paraquedas aqui e não sabe que eu dou spoiler falso pra geral.

busca

confira

quem?

baconfrito