Up – Altas Aventuras (Up)

Cinema quinta-feira, 03 de setembro de 2009

 Up é uma comédia de aventura sobre Carl Fredricksen, um vendedor de balões de 78 anos que finalmente realiza o sonho de uma vida inteira partindo em uma grande aventura depois de prender milhares de balões à sua casa e voar para as florestas da América do Sul. Mas ele descobre – tarde demais – que seu pior pesadelo embarcou com ele na viagem: um menino de 8 anos, excessivamente otimista e explorador da natureza, chamado Russell.

Finalmente estreou uma das animações mais esperadas do ano e, confesso que, apesar de manter a alta qualidade, esperava mais, muito mais.

UP – Altas Aventuras (odeio esses subtítulos que os filmes brasileiros ganham) não é ruim, pelo contrário, mantém o alto padrão e qualidade da Pixar, bem como uma história bem contada com um roteiro incrivelmente perfeito.

- Ok, Bolinha, então qual é o problema?

Nenhum. Aliás, as animações da Pixar (me recuso a escrever Disney/Pixar, Disney foi boa só em 2D) raramente têm problemas, só no começo, mas estavam começando e a qualidade técnica, em paralelo com a crise da Disney, ofuscaram as pequenas falhas do começo.

O infortúnio de UP foi ser lançado logo após Ratatouille e Wall-E, consideradas as melhores animações do estúdio em todos os sentidos.

Aliás, segundo o IMDB, UP é o quinto melhor filme deste milênio (atrás de (1) Batman – Dark Knight, (2) O Senhor do Anéis – O Retorno do Rei, (3) Cidade de Deus e (4) O Senhor dos Anéis – A Sociedade do Anel), enquanto Wall-E é o oitavo.

Na quarta-feira falo sobre isso.

Comparado a um rato que quer ser o maior cozinheiro da França e um robô com sentimentos que conhece o amor e sai pelo espaço aprontando altas confusões para viver altas aventuras em uma grande jornada, UP chega perto no quesito história fantástica.

Carl Fredricksen é um velhinho que teve uma vida feliz ao lado do seu grande amor, Ellie. Seu ídolo de infância era o grande explorador Charles Muntz que, apesar das grandes descobertas, caiu em descrédito ao ter um de seus achados colocado em xeque, virando motivo de piada e chacota por parte de todos. Ao jurar que provaria que estavam errados e que limparia seu nome, desapareceu, deixando o jovem Carl desapontado com seu ídolo.

Durante a juventude e o tempo que passou com Ellie, eles fizeram vários planos, sendo o principal viverem na América do Sul, no Paraíso das Cachoeiras. Com o tempo passando e vivendo em harmonia, o sonho foi sendo adiado diversas vezes, com o dinheiro sendo usado em alguma emergência. Quando finalmente Carl resolve surpreender Ellie e compra as passagens, ela fica doente, falecendo pouco depois.

Vale ressaltar que as cenas que mostram o casal convivendo juntos enquanto o tempo passa, é uma das mais bonitas do cinema atual, onde som, música e cenas passam toda a emoção sem um diálogo se quer.

Após a morte de Ellie, Carl se torna um velhinho ranzinza e mal-humorado, que resiste em sua casa bravamente para não ir ao asilo e vender sua casa para construção de arranha-céus. Até que após um incidente, é julgado e obrigado a ir para ao asilo.

Como Carl é brasileiro não desiste, ele coloca em prática o seu maior plano. Enche vários balões e sai, com casa e tudo, voando por aí, em direção à América do Sul.

Sei que aqui não é lugar para isso, mas assim que vi a cena, logo lembrei do pobre padre que saiu voando em balões coloridos por aí e, desobedecendo tudo que tem direito, morreu de hiportemia no meio do Atlântico, em uma das maiores estupidez da raça humana.

Enfim, voltando ao que interessa.

Carl sai voando no meio da cidade, deixando todos surpresos e espantados. Relaxado e feliz por estar realizando seu antigo sonho, ele se surpreende ao ouvir um batido na porta e encontrar o escoteiro Russel.

Russel é um escoteiro excessivamente chato e pé no saco otimista e explorador da natureza, sendo que falta apenas uma insígnia para completar suas tarefas, que é justamente a de ajudar um velhinho.

Revoltado, Carl começa a ‘descer’ a casa para desembarcar Russel, até que dão de cara com uma tempestade e vão parar na América do Sul.

Coincidentemente, aparecem justamente próximo ao Paraíso das Cachoeiras, uma queda d’água de mais de 3 mil metro, mas do lado oposto. Sem escolha, decidem arrastar a casa até a cachoeira, para depois ver como mandar Russel de volta para casa.

É aí que conhecem Kevin, um pássaro para lá de esquisito e retardado e Dug, um cachorro falante e igualmente burro e retardado.

Mais não digo, só que o Bando, Dug e Kevin, garantem as melhores risadas da animação.

Como falei lá em cima, o IMDB considerou esta nova animação o quinto melhor filme deste milênio, logo, a melhor animação.

Não acho que seja para tanto, pois confesso que em algumas partes consegui pescar no cinema pela primeira vez vendo um desenho.

Chico Anysio fazendo a voz de Fredricksen ficou perfeito, o humorista conseguiu passar o exato tom de chatice e ranzinzes para o personagem (aliás, lembrou o próprio Chico ao vivo), segurando bem a responsabilidade do protagonista.

Enfim, o desenho é perfeito, mas na minha opinião fica atrás de Ratattouille, Carros (pessoal), Procurando Nemo e Wall-E. O que não significa nada, claro, mas para efeito de comparação com a própria empresa, há animações melhores.

Enfim, assistam e digam o que acharam, pois vale a pena.

Curiosidades

Up – Altas Aventuras é o décimo filme do estúdio Pixar Animation e o primeiro filme da Disney•Pixar a ser apresentado em Disney Digital 3D™.

Aliás, o 3D não é grande coisa, mais uma vez.

Quase 70 animadores trabalharam em Up – Altas Aventuras durante o ápice da produção. Uma equipe de quase 375 membros/componentes/funcionários da Pixar foi responsável pela criação do filme.

O supervisor e diretor técnico Steve May e sua equipe criaram um conjunto de 10.297 balões para fazer a casa de Carl flutuar ao longo da maior parte filme. Esse número mais que dobrou, para 20.622, para a cena dramática na qual a casa se solta de sua base pela primeira vez. May e sua equipe calcularam que cerca de 26,5 milhões de balões seriam necessários para erguer uma casa de verdade.

Paraíso das Cachoeiras (Paradise Falls), o destino dos sonhos de Carl no filme baseia-se em Cachoeira dos Anjos (Angel Falls), na Venezuela (a mais alta queda d’água do mundo com mais de mil metros). No filme, por razões artísticas, Paradise Falls é muito mais alta, com quase três mil metros.

John Ratzenberger é o único ator a fazer uma voz em todos os 10 filmes da Disney•Pixar. Além de seu mais recente personagem de Tom, o capataz de construção em Up – Altas Aventuras, ele fez a voz do charmoso e perspicaz Hamm, o porco-cofrinho de Toy Story, reprisado em Toy Story 2 e no inédito Toy Story 3; a de uma mosca em Vida de Inseto; a de Yeti, o monstro da neve em Monstros S.A.; a de um peixe-galo em Procurando Nemo; e a de um personagem filosófico chamado Underminer em Os Incríveis; a de Mack em Carros; a de Mustafa, o garçom-chefe em Ratatouille; e a de John, um humano que vive a bordo da nave espacial Axiom em Wall-E.

Carl é o personagem humano mais complexo já criado pela Pixar. Seu desenho é simbólica e literalmente quadrado e tem o equivalente a três cabeças de altura. Por outro lado, Russel é basicamente oval e redondo.

Russell tem mais camadas de roupas do que qualquer outro personagem da Pixar: uma camisa, um colete cheio de distintivos, um lenço no pescoço e uma mochila.

Mais de 450 crianças fizeram teste para o papel de Russell. Jordan Nagai, a voz de Russell, não tinha pensado em fazer o teste para o papel. Ele acompanhou seu irmão, um ator com créditos em comerciais e na televisão e foi convidado no local para fazer o teste.

A filha do diretor Pete Docter, Elie Docter (rá), fez a voz de Ellie jovem no filme. Aos 7 anos, Elie foi escolhida para fazer uma gravação demo para o personagem. Embora muitas outras vozes tenham sido consideradas, os cineastas acabaram escolhendo Ellie para o papel.

A presença de Ellie permanece ao longo do filme através de um tema musical especial (escrito pelo consagrado compositor do filme Michael Giacchino), e pela cor magenta, que passou a representá-la.

Quando Muntz serve o jantar para Russell e Carl, Carl na verdade é servido com um prato de escalope de Ratatouille.

O tempo médio necessário para fazer um único quadro do filme Up – Altas Aventuras foi de cinco e seis horas. Alguns quadros complicados levaram 20 horas. Para cada segundo do filme, são necessários 24 quadros.

A produção do filme e o desenho de personagem pedia “simplexidade”, uma abordagem simplificada para personagens complexos. Por exemplo: Carl não tem narinas, poros na pele e nem buracos nas orelhas.

O supervisor estereoscópico Bob Whitehill, que supervisionou os aspectos 3-D de Up – Altas Aventuras, vê o filme como um dos melhores filmes 3-D de todos os tempos. Usando um “grande orçamento” a equipe de 3-D trabalhou para combinar os “pontos de interesse” com os “pontos de convergência” dos cineastas para dar ao filme um outro tipo de pista visual para contar a história, enquanto inseria emoção e dimensão à aventura. A batalha espacial climática, complementada com cães em bimotores é uma das utilizações mais eletrizantes do 3-D.

O número A113, que se refere à antiga sala de aula de John Lasseter, Brad Bird, Pete Docter e Andrew Stanton na CalArts, aparece em todos os filmes da Pixar. Em Up – Altas Aventuras, A113 é o número da sala na qual Carl é visto no tribunal.

Na sequência em que a casa de Carl é erguida pela primeira vez, a bola do curta-metragem Luxo Jr. pode ser vista no chão do quarto da menina quando a casa passa pela sua janela.

O caminhão da Pizza Planet, que foi visto pela primeira vez em Toy Story, faz participações especiais em todos os filmes da Pixar. Em Up – Altas Aventuras, o caminhão da Pizza Planet pode ser visto no cruzamento quando a casa de Carl voa sobre a cidade. Ele também aparece no estacionamento da sorveteria Fentons Creamery no final do filme.

A sorveteria favorita de Russell no filme recebeu esse nome em homenagem à verdadeira sorveteria Fentons Creamery que fica em Oakland, na Califórnia. O diretor Pete Docter e o produtor Jonas Rivera moram perto e frequentam o restaurante e a sorveteria com suas famílias.

O diretor Pete Docter citou o contador de histórias e escritor da Disney, Joe Grant, quando dedicou o filme aos “verdadeiros Carl e Ellie Fredricksens que nos inspiraram a criar nossos próprios livros de aventuras”. Grant fez parte da equipe de 1937 que criou Branca de Neve e os Sete Anões e escreveu Dumbo e Fantasia. O mentor, amigo e fonte de inspiração de Docter e de muitos outros continuou a trabalhar no estúdio Walt Disney Animation até sua morte em 2005, uma semana antes de completar 97 anos.

UP – Altas Aventuras

UP (96 minutos – Animação)
Lançamento: EUA, 2009.
Direção: Pete Docter.
Roteiro: Bob Peterson, Pete Docter.
Elenco: Vozes de Ed Asner, Christopher Plummer, John Ratzenberger e Jordan Nagai. No Brasil, Chico Anysio faz a voz de Carl Fredricksen

Leia mais em: , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • debs

    quero tanto assistir esse filme, mas nunca dá tempo :/

  • http://desventurasdeumalterego.blogspot.com Sérgio Miranda

    Arrisco dizer que esse é o melhor filme da Pixar. A evolução constante do estúdio é algo que impressiona.
    Mas vamos esperar o próximo…enquanto isso, já penso em assistir de novo porque vale a pena!

  • http://mamaecaprichosa.blogspot.com Carla

    Olá!! eu não saberia dizer qual o melhor, pois para mim tods são bons!! agora, posso dizer queamei a mnsagem que o filme passa.
    Em meio a tantos exemplos de crianças mal educadas e sem propósitos, o Russel é um fofo, um menini muito bacana!
    Abs
    Carla

  • Luiza

    O melhor filme da Pixar é Toy Story.Up é muito melhor que as duas piores produçoes da Pixar Ratatouille e Wall-E é tao bom que é a segunda animaçao na historia a ser indicada para o Oscar de Melhor filme.

  • Welligton

    a eu nao gostei muito do filme eu gostei da gracinha da debs essa gostosa

  • suanny

    eu adoro UP, é o minha animação predileta, porém
    Ratatouille me emociona,francamente, pensar em histórias simples e tão comoventes é de fazer inveja ao meu ser.

  • suanny

    digo mais, todos as animações citadas no texto são de encher os olhos, passam uma mensagem importante e, muitas vezes camuflam o verdadeiro intuito que, talvez seja o de chamar atenção dos pais em relação a criação dos seus filhos. Pois acho tais filmes com uma mensagem positiva e adulta.

    doug é um fofo, meu cachorro se parece com ele, é leso e me adora. uhsshusuh

busca

confira

Trutas
  • Ahnão
  • Bobolhando
  • Corvo
  • Di Vasca
  • Estranho Sem Nome
  • Facada no Fígado
  • Fail Wars
  • Gamer Sith
  • Lógica Feminina
  • Manolagem
  • MauoÊ
  • O Macho Alpha
  • Petit Cookie
  • Que Diabos?
  • Sake Com Sal
  • Uarevaa

quem?

baconfrito