Volta pra casa, Beyoncé

Música sexta-feira, 18 de maio de 2018

Véis, cês sentem falta de Beyoncé? Porra, eu sinto falta da Beyoncé… De quando a Beyoncé não era diva. Porra, a Beyoncé era maneira. Agora ela é aquela tua tia que participa de meio milhão de clubes, congregações e o caralho, e que você tem certeza que toma Adderall pra acordar e Lexotan pra dormir.

 #TRU

Lembra de Destiny’s Child? Então. Foda-se Destiny’s Child. Eu tô falando dessa Beyoncé aqui:

A Beyoncé que dava show porque era foda, saca? Eu lembro quando esse clipe saiu: Por meses foi só o que tocou, foi tema de meio milhão de comédias românticas, ganhou sei-lá-quantos prêmios… É datado? Atualmente, sim, mas esse treco aí já tem DEZESSEIS ANOS. A Beyoncé de 2002 era a melhor coisa na música porque era a melhor coisa na música, não porque era a Beyoncé.

Talvez isso que seja construir um legado, se estabelecer: Ter sucesso o suficiente pra não precisar mais ter que se esforçar pra fazer sucesso… Talvez seja uma questão de construir uma obra, construir uma carreira, ao invés de manter a qualidade, manter a relevância. É o tipo de coisa que me fazer entender perfeitamente a contracultura, a galera que briga contra o establishment (Qual a última vez que cê tinha ouvido essa?), que aceita ser um pária numa sociedade simplesmente para não ter que lidar com as expectativas dessa sociedade… Se é isso que é se tornar um ídolo e uma influência, eu não quero.

Pitbull nunca será Sean Paul.

Eu sinto falta da Beyoncé que não se importava com campanha eleitoral e blog feminista, com bullying e inclusão social… Não que tenha problema nada com nada disso, mas cês já viram a Beyoncé fazendo campanha dessas merdas? Participando de passeata e distribuindo panfleto? Porra, claro que não. Ela é diva por dar umas declarações de vez em quando e é isso. E AS PESSOAS ACREDITAM. Não tô nem falando que seja importante pra ela, mas definitivamente não parece ser importante pra ela, já que não só ela tá sempre atrasada no bagulho como sempre sai notícia press release perto de data de lançamento de álbum, show, linha de roupa… Porra, cara, faz quantos comerciais da Pepsi cê quiser, mas não vem me dizer que cê chamou dezenas de fotógrafos e jornalistas porque é importante registrar sua doação pra fundo comunitário.

Essa é justamente uma das grandes diferenças entra a Beyoncé e a Lady Gaga: O trabalho da Lady Gaga é esse, o público dela é esse. A Beyoncé é a tua mãe querendo se enturmar, e não é só triste de se ver como também reduz a coisa toda à uma manobra de marketing que vai ser abandonada daqui uns meses, quando o assunto não for mais o assunto do momento. Também é diferente, digamos, do Justin Timberlake, que tal qual ela entrou em carreira solo depois de sair de uma banda (Na mesma época, inclusive), e que mesmo quinze anos depois não tá por aí dizendo pra galera que o importante é exigir desculpas quando te botam chifre. DESCULPA É O CARALHO, VÉI, METE O PÉ NO ARROMBADO. 2018 e tendo que explicar isso aqui pra pessoas: Se você é capacho, bela merda ser capacho limpo e engomado.

Puta passo atrás, caceta!

É dessa Beyoncé que eu sinto falta: Da que fazia umas músicas legais e que não tentava ser mais do que é. A Beyoncé sabe cantar, sabe dançar, sabe fazer show… O que ela não sabe é ter engajamento. Tá faltando uma dose gigantesca de realidade na vida dela. Eu sei o conceito de “show”, sei o que é personagem e o que é publicidade, mas a Beyoncé vestiu com vontade a camisa de que ela é um ídolo, e tem agido (E feito música) se levando à sério demais. Miga, para. Fazer dreads só muda a sua imagem (Ou melhor, reverte ela) se o seu comportamento embasar essa mudança. A história não é nova… Tá faltando aquele amigo, amigo mesmo, pra mandar ir tomar no cu e jogar a real. A Beyoncé é uma cantora, e uma boa artista, e é isso aí. Ter engajamento social, querer investir em outros negócios, isso tudo é válido, faz parte da vida, mas isso tem que vir de você e não da seu time de marketing pessoal… É por isso que, fale o que quiser do Bono, pelo menos ele é chato com propriedade.

E, claro, como não poderia deixar de ser, tem esse séquito de puxa-sacos e putas-pagas que apoiam todo tipo de merda. Fã é tudo otário mesmo, mas tem que ser um tipo especial de otário pra botar celebridade num pedestal e, em seguida, chamar de exemplo de vida… Pra endeusar alguém nesse ponto e arregaçar o cu (E a carteira) sem parâmetro algum. Essa é a Beyoncé que vende: A Beyoncé que faz vídeo dizendo que o importante é o amor e faz show com uma coroa. Velho, vai tomar no cu, na boa… Leva o amor e a coroa junto, inclusive.

Não é a pretensão, é o ato. É um ato. Alguém precisa lembrá-la que quando a cena termina, era tudo mentira.

Leia mais em: ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito