Vingadores: Era de Ultron (Avengers: Age of Ultron)

Cinema quinta-feira, 23 de abril de 2015

 Quando Tony Stark tenta reiniciar um programa de manutenção de paz, as coisas não dão certo e os super-heróis mais poderosos da Terra, incluindo Homem de Ferro, Capitão América, Thor, Hulk, Viúva Negra e Gavião Arqueiro, terão que passar no teste definitivo para salvar o planeta. Com o aparecimento do vilão Ultron, a equipe dos Vingadores tem a missão de neutralizar seus terríveis planos. Alianças complicadas e ação inesperada pavimentam o caminho para uma aventura épica global.

Eu sei que todo mundo que vai ver um filme desse já tem alguma expectativa criada. Eu sei disso melhor que ninguém, já que eu sou um lazarento que cria expectativa mais fácil que rua de paralelepípedo cria mato, e por isso tento evitar que expectativas se formem, pro hype na minha cabeça ser menor e eu poder aproveitar melhor do que esperando uns baguio muito loko e recebendo um filme mais ou menos.

O que eu não imaginava é que o filme ia me surpreender tanto, e positivamente, como fez. E mesmo as partes “ruins” só são ruins porque não corresponderam à ideias que eu tive e não se concretizaram, mas nem por isso deixaram de ser bem pensadas e executadas.

EFEITOS VISUAIS / SONOROS

Ah, os efeitos especiais. O que nos faz pensar: “Imagina se fosse de verdade?” Já que não basta fazer os efeitos bem feitos, tem que ser convincente, ter verossimilhança. E caralho, como ter dinheiro faz diferença mas sozinho não resolve nada. Ou cês querem me dizer que o orçamento pra efeitos especiais do primeiro Wolverine era baixo? Claro que não, a Fox que não sabia o que tava fazendo. Felizmente parece que eles aprenderam, de certo modo. Ou a produção de Deadpool é mais independente e… Pera, eu tava falando de Vingadores, né? Então, o fato de termos um arco cinematográfico correndo faz alguns filmes já permite que coisas como leis da física sejam sumariamente ignoradas pelo bem da diversão. Se bem que quadrinhos e jogos já fazem isso magistralmente há eras. E os filmes de super-herói não eram exatamente realistas, ok. Mas cara, as cenas de luta. Acho que foi a primeira vez em que eu vi porrada comendo solta sem grandes truques pra disfarçar, coisa tipo câmera tremendo, ou escuridão. Não, a troca de supapo é limpa, dá até gosto ver cada golpe conectando. E os efeitos sonoros são aquela coisa de sempre, tão bons o suficiente pra você não notar, mas não o bastante pra se destacarem. Cê esperava o que vindo de uma mídia sem som? Onomatopéias?

ENREDO

Eu não vi todos os duzentos e quarenta e treze trailers, então não posso falar se eles contavam uma história, mas cara. O que eu vi de trailer dá uma ideia, que o filme não entrega. E isso não é ruim, já que os trailers eram legais e tal, mas não tinham história, do jeito que tava. O modo como a trama se desenvolve é natural, fluido, vem numa crescente que você não fica pensando na porra toda. Como um [Bom] arco de quadrinhos, cada capítulo é completo por si só, mas as histórias paralelas que correm explicam muita coisa. E caralho, Gavião Arqueiro surpreendendo DUAS vezes de forma sensacional.

PERSONAGENS

 “Todo mundo, diga x.”

Vou começar pelo que eu achei mais esquisito: Hulk mais ou menos calmo. Não houve uma explicação, mas aparentemente o fato do Banner conseguir segurar o Hulk transpareceu quando ele fica verde, e o Hulk “segurou” um pouco de Banner. Tá, na verdade é mais algo que não foi explicado do que esquisito, mas funcionou bem na trama. Pena que, conforme eu já imaginava, o estúdio da Marvel não terá culhão pra fazer um Planeta Hulk, muito menos um Hulk contra o Mundo [Ainda que reste uma mínima esperança]. Outra coisa importante foi que, além do lado cientista, o lado humano do Banner foi mais explorado, o que é explicado pelo fato da galera não pretender fazer outro filme solo do Golias Esmeralda tão cedo.

Outra que teve uma maior exposição foi a Viúva Negra, numa espécie de origem resumida: Tem uns flashbacks aqui e ali, mas nada muito elaborado. Inclusive, ela teve menos destaque que a maioria da galera que tá no pôster, na minha opinião. Uma pena.

Já um cara que me surpreendeu positivamente foi o Gavião Arqueiro, como já citado. Caralho, não basta salvar o dia duas vezes, ele foi pivô de várias paradas maneiras. Acho que foi uma forma de redimirem o personagem por ter sido tão esculachado no primeiro filme, já que o Gavião era o Xaveco dos Vingadores: Secundário que só serve de bucha.

O nosso querido pudim de cana Tony Stark, como era de se esperar, é o culpado da porra toda, já que ele cria o Ultron. Em partes por ter tido a cachola mexida, em partes por ser burrão mesmo. Se você tem uma armadura fodelona, cê não sai dela a menos que cê tenha uma boa razão, feladapota.

O Capitão América é aquela coisa catita de sempre, comandante tático, homem digno e honrado, cara que faz o Mjölnir dar uma tremida naquela brincadeira pra ver quem é digno. O problema maior é que ele é um soldado, e se alguém ameaça sua “guerra”, isso vai dar ruim. Cês já devem saber do que eu tou falando. Ou deveriam.

Enquanto isso, o Thor tá bem de boa na lagoa, se divertindo com os humanos fracotes, até que um robô do mal aparece pra mexer com os amigos dele. Ele leva pro pessoal, é claro. Se eu sou o deus do trovão e uma máquina baseada em eletricidade vem querendo dar uma de brincalhona, eu também vou ficar putaço.

Falando em Ultron, que caralhos foram aquelas “bochechas”? Meu irmão, robô não precisa do Claudinho de bochecha não. Aqueles chifres laterais também não ajudam, mas pra mim não foram tão esquisitos quanto aquelas micro-parabólicas nas laterais da mandíbula do cara. Mas tá tudo bem, tá tudo maneiro, o Brainiac da Marvel sempre pode fazer um upgrade do próprio corpo, quando não está sendo derrotado pela galera.

 “Dá uma ajuda ae, carai!”

A origem do Visão foi bacana [Apesar de ser ao contrário das HQs], e o modo como ele foi nomeado calhou de ser muito bom. E ele é interpretado pelo Paul Bettany, que é um ator que eu acho foda pra caramba, e me surpreendeu, já que eu sempre achei que ele só sabia fazer comédia. Além de já ser o J.A.R.V.I.S., que não deixa de ser um personagem cômico.

E por fim temos os gêmeos maravilha, Pietro e Wanda Maximoff, mais conhecidos como Mercúrio e Feiticeira Escarlate. Os dois tem um passado familiar problemático, mas nada que sugira que eles são filhos do Magneto, infelizmente. Zoar a Fox é uma coisa, tomar um processo na cabeça é outra. Eles tem um problema sério com os Vingadores, mas obviamente isso muda de figura quando o inimigo do meu inimigo se torna meu inimigo e de toda a raça humana. E convenhamos, pra quem parecia que ia fazer figuração de luxo, os dois são bem relevantes na porra toda.

EASTER-EGGS

Não, não tem nada do Homem-Aranha. Nem depois dos créditos. Aliás, não tem NADA depois dos créditos, veja o Thanos no meio e vá embora.

EXPECTATIVA BLOCKBUSTERIANA PÓS VINGADORES: ERA DE ULTRON

Cara, já dá pra notar um leve toque de Capitão América: Guerra Civil, temos uma referência ao país do Pantera Negra, e daqui uns meses tem o Homem-Formiga. Isso não é mais sobre filmes de heróis ligados entre si mas isolados uns dos outros, o negócio já tá tão grande que tá tendo crossover de mídia, rapaz. O futuro é agora.

Vingadores: Era de Ultron

Avengers: Age of Ultron (141 minutos – Ação)
Lançamento: EUA, 2015
Direção: Joss Whedon
Roteiro: Joss Whedon, baseado nos personagens de Stan Lee e Jack Kirby
Elenco: Chris Evans, Robert Downey Jr., Mark Ruffalo, Chris Hemsworth, Samuel L. Jackson, Scarlett Johansson, Jeremy Renner e Aaron Taylor-Johnson

Leia mais em: , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito