“Viciado” em games? Cê é bicha, isso sim.

Nerd-O-Matic quinta-feira, 27 de março de 2008

Olá pimpolhos. Nosso assunto de hoje é o VÍCIO. Deveríamos ter tratado desse assunto na semana passada, mas como vocês puderam acompanhar, eu estava por demais comovido pela idiotice congênita de Guitar Hero na sua versão DS, e simplesmente não consegui deixar de comentar aquele vídeo promocional do jogo.

Então, para tratar de forma mais eficiente do nosso tema de hoje, vamos começar prestando atenção nestas palavras esclarecedoras, proferidas por um piçiquiatra americano:

“Like other addicts, users experience cravings, urges, withdrawal and tolerance, requiring more and better equipment and software, or more and more hours online… people can lose all track of time or neglect “basic drives,” like eating or sleeping. Relapse rates are high and some people may need psychoactive medications or hospitalization.”

…que eu vou fazer o favor de traduzir pra vocês:

“Assim como no caso de outros viciados, os usuários (de games) sofrem sintomas de abstinência, e venderiam suas próprias mães pra comprar novos jogos, periféricos, consoles ou pagar mais um mês da sua conta de WOW. Existem casos de nego simplesmente ESQUECER da vida e de geral, ignorando inclusive necessidades básicas como cagar, dormir, comer e zoar os mais fracos que você. Mesmo quando nego aparentemente consegue largar do God of War, isso é apenas temporário e o vício acaba voltando de forma PIOR (God of War 2), sendo que em alguns casos você precisa encher o fdp de tranqüilizantes, analgésicos e laxantes. Em casos extremos pode ser necessário amarrar o puto na maca e ficar dando choques na bunda dele até que ele diga que NUNCA MAIS vai jogar Cooking Mama.”

Fonte: aqui

Ok, então, basicamente, o bom doutor está dizendo que vídeo-games podem viciar.

Ah, SÉRIO que jogo vicia? Qual de vocês putos já não sabia disso? Que atire o primeiro joystick aquele que nunca ficou HORAS em cima do mesmo jogo, que já não passou madrugadas no Civilization pulando turnos com a tecla espaço, coletando mais ouro e madeira em Age of Empires pra entupir o canto do cenário de exércitos, fazendo level grinding com seu personagem de World of Warcraft, insistindo em derrotar o último chefe no Super Mario, apesar de nem você nem seu primo conseguirem acertar a hora do pulo e os dois já tão morrendo de fome e praticamente se mijando na frente da televisão mas sair dali sem vencer o Bowser antes seria um atestado de derrota e ninguém quer realmente passar pela fase toda de novo, não é mesmo?

Vício? Fala sério. Todos nós aqui já estamos perdidos.

O problema pra mim não é o Dr. Einstein lá em cima querer provar que vídeo-games são viciantes. Tentar provar isso é uma completa perda de tempo, já que qualquer atividade que te gratifica com freqüência (como os jogos fazem) tem potencial pra viciar. Quando uma coisa é boa/legal/gostosa, você simplesmente não quer parar nunca de fazer aquilo, a não ser que você tenha algo ainda mais legal pra fazer. Exemplo:

O jogo tá bom, mas vou dar um save e desligar o PS2 pra ir no boteco tomar todas e dar risadas com o bando de vagabundos que eu chamo de amigos.

Ou então quando a punição/consequência por continuar fazendo aquilo que você gosta se torna insuportável. Exemplo:

Caguei na calça porque não consigo largar o Donkey Kong. O jogo é legal, mas acho que é hora de parar e dar uma passada no banheiro.

Então voltamos para aquela discussão que eu já introduzi em vocês antes, sobre se pensar no que exatamente é considerado prazeroso ou punitivo por certas pessoas. Se o cara aceita na boa ficar cagado só pra continuar jogando, ou se ele acha pouco atraente a idéia de largar o jogo pra ter interações com seres humanos reais, aí eu concordo com o Dr. Sherlock lá em cima: esse cara tem pobremas.

Porque, afinal, você não deveria estar ok com a idéia de ficar cagado, entende? Não é só a questão da sujeira e do cheiro, mas também o fato de que pode causar assaduras e tal. É uma questão de saúde e gestão financeira. Gastar uma grana com Hipoglós só pra ficar jogando não faz sentido. Mas é claro que se qualquer um de vocês tirar uma partida de Street Fighter comigo, vocês vão precisar de MUITO Hipoglós, já que vocês vão levar tanto no rabo que vão ter que jogar de pé pelo resto da vida.

E, se lhe parece mais interessante continuar movendo esse bando de pixels coloridos na tela do que ter interações REAIS com pessoas é porque você provavelmente não tem amigos que sejam mais interessantes do que uma televisão ligada. Desculpa aí, mas você precisa de novos amigos. Você precisa conhecer pessoas e, talvez, abaixar a calcinha de alguma delas de vez em quando. Mas cuidado, porque travestis também usam calcinhas, ok? Na vida real as pessoas não têm uma tag em cima da cabeça, identificando o seu nome, level e gênero sexual. Mas a idéia é boa.

 Olha que FOFO os chapéuzinhos de sims deles! (Get a Life, motherfuckers)

Eu me perdi nas divagações. Vamos concluir: o grande problema da questão é querer identificar o vício em jogos como se fosse um vício NOVO, um sinal dos tempos modernos. NÃO É. O doutor quer incluir o vício em jogo como uma doença nova, mas o próprio DSM-IV (Um Manual da área médica e psicológica, que lista transtornos mentais) que o doutor lá cita na matéria original já inclui o transtorno “Jogo Patológico”, que serve perfeitamente para diagnosticar qualquer tipo de vício. Vício em games é só um TIPO de vício, não algo á parte, demonizado, cria do apocalipse e prova definitiva da degradação dos valores morais. Cara, eu odeio essa propaganda anti vídeo-game que esses putos gostam de fazer. É sempre assim. Se o puto catou uma escopeta e passou GERAL no colégio e ele por acaso jogava Doom, foi culpa do jogo. Não, não tem nada a ver com a questão o fato dele já ser doente desde criancinha, ser zoado e tomar cuecão da galera no colégio todo santo dia, ter um pai ausente, uma mãe viciada em anfetaminas e ter sido enrabado pelo avô dos 8 aos 12 anos. A culpa é do Doom. Foi o Doom que viciou o desgraçado em violência e MANDOU ele passar geral no jogo e na vida real.

Se você é viciado em jogo, você tem um problema. Se você é viciado em álcool, você tem um problema. Se você é viciado em jujubas, você tem um problema. Mas seu problema é VOCÊ MESMO, seu bosta. Pare de culpar os malditos vídeo-games ou as jujubas e vá procurar outras formas de dar sentido á sua vida. Existem milhares de outras coisas interessantes pra se fazer pelo mundo além dessa atividade na qual você escolheu gastar 12 horas do seu dia. E, caso não consiga largar dos games, arranje outra forma de se matar que não seja cair babando na frente do computador por falência múltipla dos órgãos. Os vídeo-games não precisam de mais propaganda negativa do que já têm atualmente. Noob.

Leia mais em: ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Vício em jogos é proporcional ao tempo ocioso da pessoa. Se ela tem pouco o que fazer (ou simplesmente não procura o que fazer) dá merda. Droga, sabia que ter que trabalhar não era boa idéia…

  • Erik

    concordo com o Tchulanguero ai em cima…

    antes, qnd eu estava na escola e n tinha oq fzr dpois, passava o dia inteiro jogando

    agora, como jah estou na faculdade e tenho oq fzr (n q estudar seja melhor que jogar, mas…) nao jogo muito mais q uns 30 min por dia com a galera aki

    e nem sinto mais falta =D

  • Friederichs

    O comentário acime é totalmente pertinente!!!

    Escolhi o trabalho para ver se conseguia um investimento para meu vicio. No final a unica coisa que eu consegui foi a “cura”, agora pc , video-game só nas madrugadas do final de semana.(isso claro se já não estiver sobre efeito de outras coisas.)

  • LucasCF

    Meu vício é no computador, mas não em jogos. Em blogs e no AOE. xD

  • Leef

    Po, se tem que ver que vida social não da XP

    hheuheuhe =P

  • atillah

    HAHAHAHAHA, tenho que admitir que essa foi boa Leef.

    Vida social só da despesa cara, isso sim. Eu devia ganhar xp e gold por cada engradado de cerveja que eu derroto.

  • Erik

    bando de viciados…

    =P

  • llSENAll

    ENTÃO É VERDADE EU SOU UM VICIADO…
    E EU AQUI ME CONSIDERANDO UM ATLETA PORRA VIDEO GAME É UM ESPORTE E A GENTE Só JOGA TANTO PRA TREINAR MELHOR ISSO SE CHAMA DEDICAÇÃO EU POR EXEMPLO PARA DE JOGAR PRA IR AO BANHEIRO LÍ EU Só JOGO PSP OU DS MAS QUANDO EU TO NO BANHO EU PARO (MAS JA ESTAMOS TRABALHANDO NISSO).

  • Cara, o melhor é ter vida social e jogar ao mesmo tempo.

    Eu, por exemplo, no trabalho instalei uns emuladores no PC que uso e fico o horário de serviço quase todo jogando.

    Recebo pra jogar, preticamente. >)

    Que meu chefe não leia isso, amém.

  • Red

    Ah porra!!!!
    Fala serio que dá pra pular os turnos de civilization com o espaço.

    Eu perdia maior tempão esperando a maquina realizar as ações dela pra poder jogar

  • Red

    Agora que eu li o texto todo…

    Como vc sabe que cagando na calça vc fica todo assado?

    Eu conheço uma menina que é viciada em jujuba e vive relativamente bem…

    e sempre tive vida social jogando, quando era muleke e tinha um play1 chamava as amigas da minha irmã (sem a minha irmã é claro) pra jogar stip fifa, quem perdesse tirava uma peça de roupa.

  • Olaf

    Imagina a culpa é do DOOM, ele era pequeno quando queimou o pai e a mãe enquanto dormiam e esquentou marshmallows no quarto em chamas, aquilo passou agora a culpa é do DOOM!…
    to cansado desses putos, pelamordedeus… ninguém vê o cara como membro da sociedade só como jogador viciado e descontrolado! acho que eu vou matar o pessoal da minha escola pra ver se eu chamo atenção e a imprensa me escuta!

  • atillah

    @ Red

    Bebês que ficam cagados desenvolvem assaduras. Isso é de conhecimento comum. Duvido que adultos cagados tenham alguma proteção anti-assadura.

    E tô duvidando do papo do Strip Fifa aí. Fotos, ou então não aconteceu.

    Se era você quem perdia, dispenso as fotos.

  • Lanna

    Ultimamente eu to viciada em God of War,mas soh passo minhas 6 horas na frente do PS2 por falta do que fazer mesmo,quando eu entra na faculdade eu paro…

    E pessoas não prestam pra nada,quando vc mais acredita nelas,eles te passam uma rasteira…

  • Leef

    XP e gold por aturar cada aula de historia antiga 1, xp e gold pra cada festa de familia aturada.

    alias só gold ja tava otimo, seria um bom modo de ganhar a vida

  • Erik

    Aula de historia antiga 1?

    Leef, vc por acaso, estuda historia??

  • Leef

    Eu cursava na ufpr, achei o curso meio fraco e tranquei, to prestes a fazer vestibular novamente

  • joao

    não é atoa que eu quase MATEI meu irmão quando ele deletou meu memory card.Eu sou probre(com R mesmo)matico…mas TODOS somos,até vc attilah.SEM SALVAÇÂO!!!! hehehehe

  • ramso

    “poutz, faz 15 anos que eu jogo video-game e nunca me toquei que era viciado”
    SFUAFHAUFASUHFAF
    gente burra achando que é esperta esse psiquiatra

  • Arthur Monteiro

    Eu gosto de games , mas isso não significa q eu seja um viciado sem vida social

    …e agora deixa eu ir

    pq eu quero upar meu personagem ao lv97 no ragnarok =p

  • Concordo plenamente com tudo o que vc disse. Quando era moleque, cansei de arrancar cabeças com o Sub-Zero e isso não me tornou um psicopata. Acho que o problema do “Dr. Antigames” deve ser que ele nunca passou da 1ª fase do Pac Man quando era criança e decidiu se vingar usando o diploma.

busca

confira

quem?

baconfrito