Universidade Monstros (Monsters University)

Cinema terça-feira, 16 de julho de 2013

 Mike Wazowski e James P. Sullivan são uma dupla inseparável em Monstros S.A., mas nem sempre foi assim. Quando se conheceram na universidade, os dois jovens monstros se detestavam, com Mike sendo um sujeito estudioso, mas não muito assustador, e Sulley surgindo como o cara popular e arrogante, graças ao talento inerente para o susto. Após um incidente durante um teste, os dois são obrigados a participarem da mesma equipe na olimpíada dos sustos. A equipe, por sinal, é formada por uma série de monstros desajustados, para o desespero de Sulley, acostumado a conviver com os caras mais populares da escola.

Filme com pinta de prequel mais desnecessário de todos os tempos (Sintam só a gravidade dessa afirmação). Mas Pixar é Pixar, então bora pro cinema de novo. Pena que Pixar não é mais Pixar há tempos. E tá na hora de começar a aceitar isso.

Pois é, os sintomas apareceram há tempos. A gente só não queria ver. Porque, vejamos: O estúdio atingiu o ápice em 2008, com o WALL-E. E um ano depois, o ápice do ápice, com o Up. Mantendo o nível com o Toy Story 3, a seguir. Mas a partir daí, foi só ladeira abaixo. Carros 2 foi uma aberração, e Valente um filme bom apenas para os padrões normais. E o próximo nível da decadência não demorou a chegar.

Na forma de um filme irreconhecível, por sinal. Só dá pra saber que o Universidade Monstros é da Pixar pela aparição de um caminhão do Pizza Planet. Mas não é nem que ele seja tão ruim. Só não tem nada de bom. Já que todo mundo sabe o final, a solução pra história seria tornar o caminho o mais engraçado possível. Só que em vez disso, o filme aposta em uma jornada de superação mequetrefe.

Dá até preguiça de escrever sobre esse troço. Todos os elementos que tão ali já foram usados e reutilizados milhões de vezes nos últimos 30 anos (Literalmente). É um típico filme universitário americano. A Pixar não se prestou nem a fazer uma paródia do gênero (O que já seria ruim, por sinal). É a velha história de um grupo de perdedores que se une e vence os populares jogadores de futebol americano (Ou o equivalente monstro disso) e passa a ser aceito por toda a escola. Só que sem ser divertido ou ruim o suficiente para se tornar um clássico.

A origem da motivação do Wazowski até é bacana. Ele descobre que quer ser um “assustador”, um trabalhador da fábrica que assusta crianças e gera energia, numa visita da escola ao local. Enquanto todos acompanham o trabalho dos caras, ele entra e sai de uma das portas que leva ao nosso mundo sem ser visto. Por isso, ganha um boné de um funcionário e voltar lá vira a obsessão da vida dele. Pra fábrica, não pro nosso mundo. Ou os dois. Enfim.

Só que o Wazowski não segura o filme sozinho, e quando ele finalmente chega na universidade, o troço só se segura por causa do Sulley, que vira meio que uma celebridade por ser filho de um assustador lendário. Mas a coisa para por aí, a dinâmica entre os dois nem é bem explorada (No sentido de qualidade, não “quantidade”), e os coadjuvantes são terrivelmente clichês. E consequentemente, sem graça.

A única que se salva é a diretora Hardscrabble, que assusta até os outros monstros. E reprova os dois protagonistas, fazendo com que eles tenham que se unir pra permanecer no curso de sustos. Mas o início da Olimpíada dos Sustos dá um clima meio Harry Potter pra parada, sei lá. Só sei que não ajuda o que já não vinha muito bem. A dublagem é a mesma coisa de sempre, com seus altos e baixos. Ambos podem ser resumidos ao mesmo tempo quando Wazowski exclama “Ai! Assim você mata o papai”, depois de um susto.

No fim, é apenas um filme desnecessário. Que distancia um pouco mais a Pixar das suas criações anteriores. Aliás, o futuro é negro para o estúdio. Ou talvez não, mas com certeza incerto. O próximo projeto da companhia é algo desconhecido chamado The Good Dinosaur, seguido do promissor Inside Out, que aparentemente se passa dentro da cabeça de uma garotinha. Porém, em 2015 deve sair o inacreditável Procurando Dory, vê se pode uma coisa dessas. E, segundo informações da sempre esclarecedora Wikipedia, em 2017 vem aí Ratatouille 2 e Carros 3, com Toy Story 4 saindo em 2018. É, pensando bem, o futuro é negro sim.

Universidade Monstros

Monsters University (104 minutos – Animação)
Lançamento: Estados Unidos, 2013
Direção: Dan Scanlon
Roteiro: Dan Scanlon, Daniel Gerson, Robert L. Baird
Elenco: Billy Crystal, John Goodman, Steve Buscemi, Helen Mirren

Leia mais em: , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Marco Aurélio

    Nem vo me estender muito. Ficarei em algumas linhas: a galera adora um mimimi da Pixar, deixa os caras tirar férias da qualidade e tocar o foda-se um pouco. Quem vê assim eu, você e a raça toda é incapaz de achar graça em algo tosco, ser um idiota por um dia, errar pra caralho, e pior, consciente da babaquice, mas feliz da vida. Não, nunca somos assim porque estamos sempre vestidos em nosso sobretudo, com um chapéu misterioso e fumando um charuto ao longe, observando o mundo com nosso infinito senso crítico para transformar tudo em belas análises cruas e secas. Ah, para né. Crítica preguiçosa, nem sempre o simples é tão vago quando parece.

  • lucas

    HAHA, cara, não sei nem o que dizer. primeiro que não tem essa de “tirar férias da qualidade”, uma coisa pode ser tosca, idiota e etc e ainda ser muito foda. ou até ser foda por isso mesmo. o que não acontece nesse caso. eu perdoaria tudo se o filme fosse engraçado, mas pra mim não é, só isso.

  • Diego C

    Eu tinha esperanças com essa bagaça, mas esse filme ficou muito fraco. Pra mim a única coisa que valeu o ingresso foi o curta no inicio do filme. Falei.

  • Marco Aurélio

    Eu achei que muita gente tira férias da qualidade sim, o Robert de Niro, hoje em dia, anda fazendo coisas pouco críveis. O Stallone já fez algumas coisas brabas, etc.. sempre tem momento que a raça não se propõe a fazer algo que fique na história da sétima arte, e a Pixar também pode fazer suas coisas amenas… é o direito dela.

  • lucas

    tá, e tu acha isso legal? isso aí é uma merda, tirando o stallone que passou a carreira de férias da qualidade e é sempre genial.

  • Marco Aurélio

    Uhum.. Rocky não é qualidade.

  • lucas

    primeira coisa da carreira, exceção que prova a regra. se bem que o 1° rambo também é foda, né.

  • Marco Aurélio

    Rambo todos são ótimos, exceção do primeiro que tá muito acima. Mas Rocky é a alma do Stallone, poucos filmes no mundo tem uma história de filme e bastidor tão bonita e profunda.

busca

confira

quem?

baconfrito