Two and a Half Men sem Sheen

Televisão quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Eu nunca entendi esse “amor” que as pessoas tem pelo Charlie Sheen. Também não lembro a partir de que momento ele deixou de ser um ator e virou um deus para a juventude regada a Raiska com Coca e punheta, que acha que falar “winning” é a coisa mais legal do mundo. Sheen, pra mim, sempre foi o ator bacaninha de Top Gang. Com o sucesso de Two and a Half Men, ele passou a ser um coadjuvantezinho engraçado. Isso mesmo, eu falei coadjuvante. Pra mim a estrela do show sempre foi o Allan, e é por isso que eu nunca levei a sério esses comentários “AI MEU DEUS O SHEEN SAIU ACABOU A SÉRIE QUE SEM GRAÇA”. Pois bem, ontem estreou a nova temporada de Two and a Half Men sem o Charlie Sheen. Será que ficou bom? Confere na telinha comigo.

 Ok Ok

Espera ai, deixa eu avisar antes que eu não acompanho a série, só vejo episódios aleatórios quando assisto a Warner. Claro que eu conheço a história e os “momentos importantes”, mas não passa disso.

O que é Two and a Half Men pra mim? Uma série sobre um cara que vai morar com o seu irmão, e não uma série sobre um cara que tem que abrigar o seu irmão. Em todos os episódios que vi até agora, o Allan sempre foi o melhor. O Charlie (O personagem, não o Sheen) sempre foi algo relativamente legalzinho, que em todos os episódios demonstrava as mesmas piadas, as mesmas caras, os mesmos comentários. No inicio você se diverte, mas depois de alguns episódios você cansa das mesmas piadas envolvendo algum tipo de bebida e algum tipo de mulher que ele já pegou. Sinceramente, eu não vejo como sentir falta do Charlie, já que o papel dele já tava bem desgastado.

 Bla bla bla alcool bla bla bla puta bla bla bla

Agora que vocês sabem o que eu acho de TAHM, não vai ser surpresa se eu falar que gostei desse episódio da nova temporada e que não vou sentir falta do Charlie (O Sheen). Ainda acho cedo pra comentar sobre o Ashton Kutcher, mas vou arriscar dizer que ele cumpriu bem o papel. Aparentemente ele tem um personagem interessante, uma mistura de Charlie e Allan, mas vamos parar nisso. Já Jon Cryer continua excelente como Allan, e conseguiu, sem um Charlie no lado, boas piadas. Se antes era o Charlie que zuava o Allan, agora ele mesmo faz isso.

Não vou comentar sobre o roteiro, mas vou aproveitar pra deixar minha crítica aos “fãs” de séries engraçadas. Uma série de comédia só tem que ser uma coisa: Engraçada. A história da série fica em segundo plano, o importante é fazer rir. Então parem de ser putos comentando “ai meu deus o Jack ficou apagado, ai meu deus ele nem chorou ai ele não é assim”. Pra quem assiste The Big Bang Theory pare com “ai meu deus a Penny com o Raj que vaca acabou a série gente quando eles ficam juntos”. Maluco, série de comédia não muita tem continuidade e não tem muito sentido. O importante é estar engraçado. Não se apeguem aos personagens e a história.

Então pra finalizar: Foi um bom episódio. Não foi um dos melhores da série, obviamente, mas foi bom sim, e também deixou claro que da pra série ser boa sem o Sheen (Chora criançada). O que eu percebi é que o Sheen é algo descartável, que consegue ser substituído ou trocado, muito diferente da relação Steve Carell + The Office.

Leia mais em: , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Discordo.

  • Eduardo

    Já que não acompanha a série acho que não é a pessoa ideal pra falar sobre ela. Concordo que Alan é em diversos episódios mais engraçado que Charlie, mas o que move a série é a química entre os dois, as tiradas que envolvia o irmão rico e mulherengo com o irmão pobre e sem ninguém, com vários episódios hilariantes. A série perde muito com isso, pode até se tornar engraçada mas igual ao que era antes, nunca vai ser..

  • “O que eu percebi é que o Sheen é algo descartável, que consegue ser substituído ou trocado, muito diferente da relação Steve Carell + The Office.”

    Sinceramente, ele estava precisando tirar umas férias. Na última temporada ele já estava praticamente um coadjuvante, virando escada pro Allan e para os outros. Concordo com o post/artigo/matéria/sei lá.

  • Rezende

    Realmente concordo com a maior parte. Mas para mim a serie de comedia não tem que ser só engraçada. O começo do TAHM eu nem gostava até o momento que começou a ter alguma continuidade nos episodios. Para mim as melhores séries ainda serão aquelas que conseguem fazer os dois. Ex: How I Met You Mother

  • Caio Souza

    Concordo com o final do post. James Spader não vai dar conta de substituir Steve Carell. E o que fizeram com ele no Emmy foi uma injustiça, não somente neste ano.

    Não assisto TAHM :p

  • Willian

    Hão de concordar comigo, esse foi bem melhor do que a ultima temporada inteira. Foi uma boa temporada com alguns pontos bons mas tava ficando desgastante. Poderia ter rendido bastante ainda mas duvido que sairia alguma coisa tão boa quanto esse primeiro episodio.
    Achei a atuação do Ashton muito boa, não acho que ele va nos decepcionar. Como voce disse ele parece ser um Alan, ou pior um pouquinho no quesito emocional, mas com boa aparencia e dinheiro.
    Se a serie continuar do jeito que esta vai ser muito bom.

  • Gui

    Concordo… serie dehumor é apra dar risada. Apesar de não ser a mesma coisa eu curti muito primeiro episodio… em minha opinião matou a pau !

  • Ricardo G. Souza

    Claro, tem que ter uma história, se conseguir os dois é melhor, mas tem que estar ciente que vai ter alguns “buracos” na história e etc. Tipo em HIMYM vemos que o Barney não sabe/tem medo de dirigir, em outro episódio ele já ta em alta velocidade tentando pegar uma policial. A série é cheia de ações e sentimentos exclusivos de um só episódio. Inventaram que o Ted e a Robin tinham aquela mania de repetir a ultima frase de alguém, mas durante todo o relacionamento deles isso nunca aconteceu, usaram essa brincadeira em um ou dois episódios apenas. Não tenho nada contra isso, mas acho irritante quem vem reclamar dessas coisas haha

  • André

    Community me lembra como história + comédia podem andar juntos de forma decente, fazer tu se apegar aos personagens e mesmo assim arrancar risadas o tempo todo.

  • Yoda

    Vocês acham que é fácil ser o Sheen, pobres coitados.
    Pense no desgaste que deve ser fazer a mesma coisa que você
    faz na vida real, e tão com menos graça pra ele.

    Bem, que se danem, tenho mais o que fazer.

  • Ricardo G. Souza

    Já ouvi falar dessa série. Vou atrás pra ver como é o/

  • Não são buracos. Essa é a maneira que os produtores arranjaram pra abordar situações do cotidiano de uma forma engraçada. Já pensou se pra cada mania estranha que quisessem fazer uma piada tivessem que criar um personagem novo?

  • A única coisa que eu achei que fosse difícil de fazer era trocar o personagem hospedeiro (o Charlie) e essa foi a parte mais fácil que eles fizeram. Acho que seria muito mais difícil trocar o Allan por outro personagem.

  • Ricardo G. Souza

    São buracos sim, são coisas que surgem do nada só para fazer rir. Não tenho nada contra isso, sou bem a favor. Como eu já disse, série de humor é para rir.
    Outro exemplo em HIMYM é aquele episódio que mostra um garçom do bar fortão que usava peruca (não lembro bem o nome dele). No episódio fala que o garçom era super amigo deles, sempre guardava a mesa deles e etc, mas ele NUNCA apareceu na série, só naquele episódio em questão…e olha que eles estão no bar em todos os episódios.
    Citando ainda HIMYM, na 2 temporada (se não me engano), o Ted narra para os seus filhos “blabla Tia Lily foi a única a entrar no ape do Barney”. Alguns episódios/temporadas depois isso ja é desmentido, todos já entraram lá.
    Mas bom, se fosse pra ter sentido eles teriam que criar personagens novos só para fazer piada e tb teriam que se limitar muito ao material que eles tem.

busca

confira

quem?

baconfrito