TOP 5 Filmes da Disney que são underrated pra cacete

Cinema segunda-feira, 23 de junho de 2014

Cara, se você vive em algum lugar deste planeta Terra (E eu espero sinceramente que você não viva), com certeza já deve ter pensado em dar um tiro na própria cabeça de tanto ouvir Let It Go – ou qualquer música de Frozen. Ou de assistir Frozen. Ou de ver bonecas, e fotos, e cosplays, e filas de cinco horas no Magic Kingdom que btw nem é o parque mais legal, flws. O fenômeno ao redor desse filme é inexplicável. Podemos até pensar que filme de princesa, animação e coisas assim sempre fazem sucesso e que o número de habitantes no mundo cresce exponencialmente a cada década – o que significa que existe mais criança que o necessário por aí – mas nada justifica esse burburinho todo mais de sete meses depois da estréia. Aliás, burburinho porra nenhuma.

A Copa é um burburinho. Frozen é uma doença.

Enfim, divago. Por que um parágrafo todo dedicado a um filme sobre o qual já falaram demais? Pra dizer que existem outros filmes Disney muito melhores que essa bagaça sem roteiro. Sim, existem. Seca essa pepequinha molhada aí, guarda o seu dildo em forma de Olaf e vamos falar de filmes bons de verdade que ninguém dá muita bola.

5. Atlantis – O Reino Perdido

É compreensível sua falta de sucesso. Atlantis é um filme mais antigo, de uma época em que princesas guerreiras ainda não faziam o sucesso e não eram obrigatórias. Bons tempos em que não era necessário ser pateta, desastrada e esquentadinha pra fazer parte do ranking de mulheres de personalidade forte das animações infantis. Não temos musiquinhas, sidekicks exagerados, uma protagonista branca e humor descabido em excesso – ou seja, não agradou em nada os americanos cristãos de dedos engordurados por um balde de frango frito. Uma pena. A qualidade técnica da animação é incrível, a história é bem legal e a princesa Kida é foda.

Eu sempre encarei o filme como um passo arriscado pós-Mulan, que ainda tem musiquinhas e sideckicks. Talvez o estúdio tentou amadurecer uma fórmula tão consagrada e se dar a liberdade de trabalhar em outros filmes que fossem um pouco menos cartunescos. Não que seja uma crítica aos filmes cartunescos, mas, sei lá, podia ser uma boa ter um pouco de variação no mercado. Anyways, tá aí uma boa dica pra um filme que, além de calar a boca do seu sobrinho mala, vá te divertir caso você não seja fã do estilo Disney clássico de animação.

4. Mulan

Esse item aqui deve dar polêmica. Não por que alguém ache que Mulan é ruim – mas por que prevejo um monte de sobrancelhas erguidas e uéééé mas mulan é famoso. Sim, Mulan é famoso, só que não recebe crédito suficiente. Cês já pararam pra pensar em como o filme é foda pra caralho? É melhor que O Rei Leão. Diacho, é melhor que Pulp Fiction, Laranja Mecânica e outras porras hipsters que cês curtem.

Mulan é demais, mano.

Enfim, agora falando sério, tá aí um filme que realmente não recebe o amor que merece. Sempre defendi que ele dá de dez a zero nos grandes clássicos da Disney, de A Bela e a Fera, passando por A Pequena Sereia até – pasmem – Aladdin. Tá aí um momento em que toda a fórmula Disney que citei acima (As músicas, os sidekicks e o resto) foi perfeitamente equilibrado. São só dez minutos de música o filme inteiro. E nenhuma dela é grudenta ao ponto de formar um tumor maligno na sua cabeça.

3. Hércules

Hércules sofre do mesmo caso acima. Não acho que tenha tanta personalidade a ponto de passar os grandes clássicos, mas diacho, que filme divertido. A Mégara dá um banho de personalidade na maioria das outras princesas, sendo uma perfeita encarnação de mulherão. Quadril rebolante, cabelão, aquela voz arrastada de quem faz sexo constantemente, atraída pelo bobão imaturo do Hércules. A Jéssica Rabbit do estúdio.

Mais parecido com a vida real que o necessário, mas enfim.

2. Fantasia 2000

Ok, as duas últimas posições travaram uma densa batalha pelo pódio. Fantasia 2000 só perdeu por um motivo: Propósito. Tá aí um filme que, admitidamente, não foi feito pro grande público. Mas tá aí um filme que é genial. Quem me lê há bastante tempo aqui no Bacon sabe que metade do meu coração é da música clássica. Fantasia é, no fundo, o filme que mais me encanta, desde sempre. Sabe aquele VHS que você assistiu até a fita se desfazer? Então, foi o meu DVD mais arranhado da locadora.

Haha, mentira. Seria, se eu conseguisse achar o maldito DVD pra vender em algum lugar. Fui forçada a assistir mil vezes num vídeo cassete que já quase não funcionava mais, dando seus últimos suspiros de vida.

O motivo de ele não receber do público o amor necessário é que existe um predecessor. O Fantasia original, de 1950, é um dos longas mais importantes da história do estúdio, por ter tirado a galera da lama e feito um sucesso inimaginável. O Mickey feiticeiro é um personagem extremamente apropriado por que, realmente, pra ter livrado a Disney da lambança que ela tinha entrado, tem que ser na macumba forte mesmo. Muita gente compara o 2000 ao original. Eu não tenho uma opinião bem formada. Até pelo fator nostalgia, não consigo ser parcial nesse caso. A principal crítica que eu vejo é que Fantasia 2000 é muito suave, colorido, não tem o impacto e a personalidade do original. Pra mim, foram épocas, contextos e propósitos diferentes, e Fantasia 2000 é simplesmente mais infantil. Não é produto de um estúdio desesperado, pronto pra fazer de tudo pra sobreviver. Uns caras se reuniram e decidiram repetir a fórmula. Com leveza. Os caras usaram até jazz na segunda vez. E só.

Mas a galera hipster tem sempre que meter o bedelho, aí já viu.

1. O Corcunda de Notre Dame

Não existe filme Disney mais impactante que esse. O Corcunda é, assim como o romance que o inspirou, um tapa na cara. O protagonista é feio, deformado. A protagonista é morena, cigana e sensual. Temos um padre cheio de tesão, pronto pra sentenciar uma mulher à morte só por que ela não quis dar pra ele, por achá-lo um rio de chorume sem caráter.

Sério, o roteirista foi corajoso pra cacete. Eu ainda fico impressionada como liberaram um filme que critica religião tão abertamente nos cinemas. Acho que daí que veio essa falta de consideração. Até nos parques da Disney é como se o filme nunca tivesse existido. Não me lembro de ter visto nenhum brinquedo temático ou personagem andando pelas ruas. Ainda assim, eu considero uma obra de arte em muitos sentidos. Como adaptar um livro, como fazer um filme infantil que choque adultos, como contar uma história cheia de crítica social. Enfim, tá aí uma obra pra qual eu bato palmas.

Deixei algum de fora? Comenta aí. Não, Irmão Urso é um saco, puta merda.

Leia mais em: , , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Aryane

    A única coisa que acho escrota no filme do Corcunda é que os feios não podem ter um relacionamento né?! Tem que se foder vendo mulher que ama com outro. O filme acaba passando a mensagem de que quem feio se ferra e bonitos só ficam com bonitos.

  • Sir Refevas

    Atlantis é muito subestimado sim; o traço do Mike Mignolia é diferente e fica legal no filme.

    Não acho Hercules espetacular, mas concordo com cada palavra, letra e caractere usado sobre a Megara.

    Eu acho subestimados “Puff, o Ursinho Guloso” que, apesar de ser bem infantil, é tão ingênuo que impossível não ser cativado e “Oliver e seus amigos”, que acho uma animação que representa muito bem as séries animadas dos anos 80.

  • Frey

    A nova onda do imperador é mto bom tbm!
    E Alice no Pais das maravilhas,apesar de considerado um classico tbm,parece ser meio esquecido por todos.

busca

confira

quem?

baconfrito