The Walking Dead – O longo caminho até a 100° edição – Parte 2

HQs sexta-feira, 22 de junho de 2012

Como o título já diz, essa é a 2° parte dos arcos de TWD e a parte mais tensa e chata dos quadrinhos. Após os últimos acontecimentos da prisão, a HQ cai para uma chatice sem fim que só voltou a melhorar a partir da edição 91 no arco Um Mundo Maior.

 Parte 8 – Made To Suffer (Feito Para Sofrer)O Governador sobreviveu a vingança de Michonne e está mais louco do que antes, e é claro que isso não vai prestar. O que ele faz? O que todo maníaco faria, reúne sua galerinha, entra em um tanque de guerra e parte para a prisão. A 1° batalha é ganha por Rick e os outros, e O Governador é obrigado a fugir. Para impedir um segundo ataque, Tyreese e Michonne partem atrás deles, cometendo um grande erro. Em meio ao corre corre para salvar Rick, que havia sido baleado, os sobreviventes estavam desorientados, e é quando O Governador retorna com seus seguidores, seu tanque, a espada de Michonne e Tyreese como refém. E agora, deixar o Governador tomar a prisão ou salvar o amigo? Heh, que se foda o amigo, vamos pra porrada e como o Kirkman é um cara muito legal e queria mostrar pros leitores que ninguém está a salvo em suas histórias, ele mata vários personagens, mas 3 se destacam entre as mortes. Quem são? Caras, eu queria muito contar, mas quero muito que vocês leiam e fiquem bolados com os acontecimentos como eu fiquei, então, sim, eu serei legal e não deixarei spoilers dessa vez. Mentira, Tyreese é decapitado e Lori, que estava fugindo com sua filha recém nascida, toma um tirombaço na barriga e as duas morrem. É malungada, foi pro saco. A Lori foi pro saco. De longe, é o melhor arco de TWD e o principal motivo para os fãs das HQs estarem tão alegres e preocupados ao mesmo tempo com a chegado do Governador na 3° temporada da série.

 Parte 9 – Here We Remain (Aqui Permaneceremos) – Aqui começa a chatice de TWD, mas arcos bons ainda estão por vir, mas nada mais foi igual após os acontecimentos da prisão. Rick e Carl estão separados do resto do grupo, sem ideia de quem possa ter sobrevivido e pra piorar tudo, o ferimento de Rick está infeccionado. É durante esse arco que temos uma edição inteira centrada em Carl. Com Rick desmaiado, Carl tem que manter a casa em que eles se esconderam segura dos zumbis que a estão rondando. Rick melhora, mas começa a surtar, ele começa a conversar com alguém pelo telefone, apenas para descobrir que é tudo piração dele e quem está falando com ele é Lori. É, o xerife surtou. Em seguida, eles vão reencontrando os sobreviventes sobreviventes do massacre. Primeiro Michonne e em seguida Glenn e Maggie, que dizem estar na antiga fazenda de Hershell, com Dale, Andrea, Sophia, Ben e Billy. Todos ficam um tempo na fazenda, até que 3 desconhecidos aparecem, Abraham, Rosita e Eugene. Esse último diz que é um cientista que trabalha para o governo e que eles precisam chegar até Washington. Rick não confia muito nessa história, mas com zumbis chegando na fazenda e a galerinha do Governador por perto, Rick decide que ir com eles é o melhor a ser feito.

 Parte 10 – What We Become (O Que Nos Tornamos) – Rick continua tendo pesadelos com Lori, e Maggie, em um surto psicótico após ter perdido toda sua família, tenta se matar. Qual o problema dessa mulheres de TWD? O que elas tem de vadias na série, elas tem de suicidas nos quadrinhos. Após ajudarem Maggie, Rick decide que precisa ir buscar Morgan e Dwayne e parte com Abraham e Carl. No caminho, eles quase são roubados por outros sobreviventes, mas são salvos na base da dentada por Rick. O xerife e Abraham finalmente passam a confiar um no outro e tem uma conversa que mostra o sentido do título do arco. Abraham, Rick e Carl conversam sobre todas as pessoas que eles mataram após o inicio do apocalipse zumbi (Pessoas mesmo, não zumbis) e se questionam se ainda são humanos. Após uma longa conversa, eles finalmente chegam a casa de Morgan e lá descobrem que Dwayne foi contaminado e agora é um zumbi. Morgan não conseguiu matá-lo e por isso o deixou acorrentado a parede. Morgan parte com Rick, Abraham e Carl e solta seu filho. No caminho de volta, eles se deparam pela primeira vez com uma manada. Após escaparem e se reunirem com o resto do grupo, todos ficam bem e continuam o caminho para Washington. O arco termina mostrando que um dos gêmeos tá malucão e estripando gatos por aí, remetendo mais uma vez ao título do arco e mostrando o estrago que um apocalipse zumbi pode fazer ao cérebro de uma criança. E não, não estou falando de um zumbi mordendo sua cabeça.

 Parte 11 – Fear The Hunters (Tema os Caçadores) – Esse é praticamente o último arco interessante de TWD, após isso, eles apenas ficam brincando de casinha e disputando pra ver quem tem o maior ego. Mas enfim, esse arco já começa interessante, os sobreviventes param pra checar uma van no meio da estrada e os gêmeos dizer estar indo ao mato mijar. Após algum tempo, Andrea, que estava responsável por eles, vai atrás deles e encontra Ben com uma faca na mão e Billy estripado em sua frente. Ben vira para a Andrea e diz: “Se preocupa não mamãe, ele vai voltar, eu não estraguei o cérebro dele.” É moçada, e agora, o que fazer com um mini psicopata de 7 anos de idade? Abraham responde: Matar. Como ninguém quer fazer isso, eles resolvem deixar para o dia seguinte, mas sabendo que todo mundo ia dar aquela afinada marota na hora de puxar o gatilho, Carl resolve a parada sozinho no meio da noite, mostrando que tem bolas pra fazer o que os trouxas dos adultos não conseguem. Nesse arco também temos a chegada de um novo personagem, um padre, que parecia ser um personagem interessante, mas não passou de coadjuvante. Digamos que ele é o T-Dog das HQs. Mas após esses acontecimentos é que o nome do arco realmente começa a fazer sentido: Dale é capturado por um grupo de canibais e tem a sua outra perna comida. Tudo muito triste, se por final, Dale não desse uma fodida nos caçadores. O velho havia sido mordido por um walker, o que significa que ele estava contaminado, contaminando assim, todos que comeram sua carne. O desespero se espalha entre os caçadores e Rick e o resto da galera chegam pra vingar o velho perneta, que dá as caras pela ultima vez. Morte muito mais legal do que a da série, espero que eles arrumem outro personagem pra ser comido na tv.

 Parte 12 – Life Among Them (Vivendo Entre Eles) – Pois bem, após massacrarem os canibais no último arco, os sobreviventes estão se sentindo monstros e tudo piora quando eles descobrem que Eugene estava mentindo. Ele nunca trabalhou para o governo, não passa de um professor de ciências do colegial. Desespero geral, eles são interrompidos por um estranho sujeito em uma moto velha que diz poder ajudá-los. Seu nome é Aaron e ele diz ser de uma comunidade (Não as do Orkut, seu idiota) de sobreviventes. Estando sem comida, água e sem dormir direito nas últimas semanas, Rick e o resto de seu grupo confiam em Aaron e descobrem que ele não estava mentindo, e assim eles começam a viver em uma comunidade com mais 60 pessoas. Mas como voltar a normalidade após tudo o que passaram? A primeira coisa pela qual Rick e os outros arrumam quizumba é por suas armas, uma vez que ninguém pode andar armado dentro da comunidade. Assim, Rick e Michonne assumem o cargo de guardas da comunidade. Andrea vai para uma velha torre fora da comunidade para ficar de butuca em visitantes indesejados e o resto dos sobreviventes fica apenas vadiando mesmo. Esse arco praticamente se resume a isso, Rick e seu grupo reaprendendo a conviver com outras pessoas civilizadas, uma vez que Rick já era quase um macaco maneta. É a partir daqui que as coisas ficam chatas. Tudo muito calmo, conversas chatas, nenhuma tensão, quase nenhum zumbi e Rick dando uma de bom policial batendo no sujeito que espancava a mulher, só pra dar uns catos nela depois. Sinceramente, o arco mais chato de TWD. Pode ser comparado a primeira parte da 2° temporada da série, mas acho que esse arco ainda é pior.

 Parte 13 – Too Far Gone (Indo Longe Demais) – Esse arco, também chato pra carai, serve apenas pra mostrar que Rick é um babaca e não quer perder o status de líder. Assim, ele e sua turminha do barulho invadem a casa onde as armas estavam guardadas e diz que eles querem poder nessa porra, dando ordens na comunidade dos outros. Por fim, Rick pega seu telefone mágico e tem uma conversa com sua esposa imaginária, assumindo que acha estar perdendo o controle, reconhecendo que é um bosta que tomou uma caralhada de decisões erradas. Após um habitante da comunidade matar a esposa do líder da comunidade, Rick é autorizado a matá-lo, e esperto como é, dá um tiro no sujeito. O problema? O tiro não só é ouvido por um grupo de sobreviventes que estavam perto dali como por todos os zumbis da cidade também, e caminhamos para um arco que parecia ser cheio de emoções e reviravoltas, mas apenas parecia. Eu não sei se Kirkman estava meio chateado, desmotivado e sem vontade de escrever uma bela história ou se ele realmente queria nos encher de histórias mais ou menos para nos surpreender na tão aguardada edição 100, de qualquer jeito, ele quase me fez desistir dessa merda toda e sei que muitos outros leitores também pararam de acompanhar as HQs assim que eram lançadas.

 Parte 14 – No Way Out (Sem Saída) – Cercados por zumbis, Rick e os outros se veem presos em uma comunidade não tão segura quanto eles imaginavam. Então, zumbis chegaram, e não são poucos zumbis, nem muitos zumbis, são zumbis pra caralho. Rapidamente os portões são derrubados e eles invadem a comunidade, matando muitas pessoas, mas nenhuma que realmente fosse importante. A única coisa realmente legal desse arco é o que acontece com Carl, que com inveja do pai resolve perder alguma parte do corpo também. A mulherzinha que apanhava do marido e agora dava pro Rick também vai pro saco. É importante? Não, nem um pouco. Eu nem lembro o nome dela e do filho chato dela, que também vai pro saco. Esse arco foi chato, foi desapontador, foi quase digno de vergonha alheia. Sem saída parecia que ia botar TWD de volta as origens, mas a verdade é que isso não aconteceu. Os sobreviventes continuaram brincando de casinha na comunidade e as histórias continuaram a piorar. É, sei que parece impossível, mas as histórias conseguiram piorar. Elas quase se equipararam a Marvel Zombies, que sinceramente, é a maior vergonha de Kirkman. Não acham? Porra, cês não acham? Eu nem sei porque eu ainda perco meu tempo escrevendo sobre quadrinhos pra vocês.

 Parte 15 – We Find Ourselves (Ainda sem tradução/adaptação no Brasil) – Ao ver os habitantes da comunidade lutando por suas vidas até matarem todos os walkers, Rick encontra esperança e vê que eles podem manter a comunidade em segurança se todos receberem o devido treinamento. O arco também se concentra na recuperação de Carl, que desperta sem se lembrar de algumas coisas, como da morte da mãe e da irmã e de ter matado Ben. Bom pro Rick, ruim pro Rick. Também mostra que alguns habitantes da comunidade não concordam com a liderança de Rick e o culpam pelo o que aconteceu recentemente. E é enquanto Rick, Andrea, Abraham e Michonne estão fora que eles decidem agir e isso quase custa a vida de Glenn. Porra, agora é sério, vamos discutir um pouco a situação. O cara que fundou a comunidade e era o líder de geral acabou de morrer, Rick se declarou líder da porra toda e ele nem sequer pensou que alguém poderia não estar gostando da ideia? Não, e ainda por cima, levou todos os melhores lutadores e atiradores que estão do lado dele pra dar um rolê pela cidade. Bem legal Rick, muito inteligente mesmo. Alguém dá um prêmio pra genialidade desse cara. Quando Gleen tá quase indo pro saco, Rick e seus fieis ajudantes chegam e botam ordem na casa, dizendo que quem manda naquela porra é ele e quem não gostar pode pegar suas malas e partir. Por último, o xerife dá uns catos na Andrea, o que é bem preocupante, levando em conta que as duas últimas que deram pro Rick viraram ração de defunto.

 Parte 16 – A Larger World (Ainda sem tradução/adaptação no Brasil) – Aqui, descobrimos que a comunidade de Rick está sendo observada por alguém misterioso. Enquanto Abraham e Michonne patrulham a cidade, eles são atacado por Jesus, o sujeito que os observava e que diz não querer atacá-los, mas sim negociar com eles. Porra, mas negociar o que? Simples, mais uma vez vamos falar sobre a inteligência não só do Rick, mas como do cara que fundou aquela comunidade. É mais ou menos assim o raciocínio: Um dia, um cara teve a genial ideia de criar uma comunidade cercada por muros e reunir um grande número de pessoas ali dentro. Vivendo pacificamente e expandindo o território conforme mais pessoas iam chegando, eles conseguiram um lar estável e aparentemente seguro. Até aí, tudo beleza, mas porque diabos nenhum deles jamais pensou e procurar aos arredores por outras comunidades, fundadas por pessoas tão ou mais espertas. Porra, sorte deles é que o mundo tá dominando por walkers, se fosse por nerds já tinha todo mundo ido pro saco. Gente burra dos infernos. De qualquer jeito, Jesus leva um papo maneiro com Rick, que como um bom anfitrião, bate no cara e o amarra. Jesus então diz para Rick ir até certa colina e ver que ele está falando a verdade. Mais uma vez, Rick reúne seus melhores (Deixando a comunidade mais uma vez desprotegida, levando em conta que agora ele tinha um prisioneiro em quem não confiava) e parte para o local. Qual sua surpresa ao perceber que Jesus não estava mentindo e que existe não 1, mas no mínimo 4 comunidades próximas a eles. É, 4 e eles passando perrengue pelo simples fato de não querer dar uma olhada nos arredores da bagaça. Vou te contar. Mas então, Rick, Abraham e Michonne voltam e pedem para Jesus levá-los até o líder da comunidade dele. O cara aceita, até mesmo porque se não aceitasse, ia continuar apanhando. Pois bem, como de costume, ao chegar a outra comunidade, Rick faz merda e querendo pagar de fodão mata um sujeito que ia esfaquear o líder da comunidade, como recado de um tal de Negan, que parece ser o Governador das comunidades. E é agora que chegamos ao arco que terá seu ápice na edição 100. Something To Fear. Dessa vez, parece que Kirkman quer acabar de vez com a brincadeira de comunidadezinha de Rick e sua galera. Tô torcendo para que acabe mesmo. E que de preferência, o Rick vá pro saco. Esse xerife maneta já deu o que tinha que dar, tá na hora do Carl mothafucka cowboy caolho sair sozinho por aí matando zumbis, pegando as raparigas, comendo doces na hora do almoço e dormindo após as 20:00 horas.

Leia mais em: ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Realmente qdo os sobreviventes vão para a vila a HQ fica muito monótona e parei de acompanhar qdo Carl é atingido por um tiro no rosto… Achei um exagero ter q mutilar o moleque… Pq qdo vc se depara com essa cena vc tem a certeza que ele irá sobreviver e sobrevive… Já não basta o pai ser o Chuck Norris de uma mão?

    E agora q vc me disse que a HQ está interessante novamente vou dar uma olhada para conferir.

  • Kcr]t

    vei, tb acho q ja ta na hora do rick morrer, assim, parece que o cara consegue fazer o impossivel. mas acho muito dificil a historia se sustentar sem ele.

  • Cara, mas o bacana dessa série não é viver aventuras de tirar o fôlego. É óbvio que eles vão brincar muito de casinha, você está em um mundo caótico e o que todo mundo quer é a estabilidade de antes, aquela vidinha pão-com-mel de comer, ir trabalhar e voltar pra casa no final da tarde.

    E os personagens? Oras, tem gente burra pra todo canto, gente doida pra todo canto e o HQ vai ter isso daí também. O Rick e o pessoal dele sobrevivem não porque são geniais, mas porque eles que têm a força mesmo. Num mundo sem leis, sobrevive o cara mais grosso mesmo e que dá o mínimo possível de importância pra opinião dos outros.
    A história também, fica morno, fica quente, fica frio, é comum. Eu sinceramente leio pela pressão emocional que os personagens sofrem, se eu quisesse ação iria ler Marvel. É bom ver que eles estão o tempo todo em conflito com a moral deles e as necessidades selvagens de sobrevivência, dá um tom realista.

  • Rick Grimes

    Ah vao toma no cú, tb , prefiro assistir na FOX a porra do hq é lixo dmais
    e meu filho ée corno, sou pai do maal muahahhahaa

  • Nego que começou a assistir na Band é foda.

busca

confira

quem?

baconfrito